14 de fevereiro de 2014

Posso até me acostumar...




Esses Versos… até podem virar esses textos bobocas que escrevo na madrugada. Ao som de uma melodia fácil com letra grudento feito “chiclete”, mas mesmo assim nesse momento estou cantarolando incansavelmente o refrão. Que diz assim _ Posso até me acostumar, ah, ah, ah, ah, ah, ah…_. Melodia gostosa para se ouvir antes de dormir… Para organizar os pensamentos e sentimentos para enfim, dormir em paz.

 Queria eu, organizar a vida como organizo os livros da minha estante (que esta prestes a cair…), mas, estou bem crescidinha para acreditar em ilusões e analogias baratas de como seria uma “vida perfeita”.  As imagens daquela velha TV em preto e branco a tempo não me seduz mais; a felicidade matinal da “família Doriana” ou romantismo dos casais românticos dos filmes e os poucos amigos que restaram, não são nem de longe parecidos com o seriado “FRIENDS”.

“Culpa de ninguém não, só do tempo…” como diria um trecho do Caio Fernando de Abreu, ou seria culpa da vida? Sei lá, prefiro culpar o tempo, pois amanhã eu acordo e pode ser que TUDO isso tenha passado… ou não.

A vida já é mais cruel (mágica) te mostra da forma mais dolorida claro, que você cresceu e não vai mais tolerar “infantilidades” da sua parte.  Você pode sonhar, pois às vezes a realidade é dura, mas somos obrigados a ter os pés em terra firme!  

A melodia daquela canção já faz uns 30 minutos que parou…  E as coisas que tanto culpei no inicio do texto; como a vida e o tempo. Fazem parte do nosso amadurecimento enquanto jovens adultos tirar as ilusões e nos adaptar da melhor forma com os altos e baixos dos dias até que possamos nos acostumar…

Um comentário

  1. Se um dia eu escreve tudo o que sinto na madrugada me chamariam de louca, pior que penso as mesmas coisas que vc pens só que ao contrário de culpar o tempo culpo a mim mesma. Beijo sua louca!

    ResponderExcluir

© Lado Milla
Maira Gall