18 de agosto de 2014

E se eu morrer...


O ano de 2014 tem sido um ano cheio de perdas; O nosso hexa, Nelson Ned, Robin Williams e ainda essa semana a morte do politico Eduardo Campos... Todas essas “mortes” me fez lembrar um trecho da canção “Numa cidade Muito longe daqui...” do cantor Marcelo D2 e Leandro Sapucaí:


“... [E o bandido...] E se eu morrer vem outro em meu lugar
[Polícia...] E se eu morrer vão me condecorar
E se eu morrer será que vão chorar?
E se eu morrer será que vão lembrar?
E se eu morrer... [já era] 
E se eu morrer
E se eu morrer... [foi!] 
E se eu morrer...”


Cantor, ator e politico... “E se eu morrer vem outro em meu lugar... e se eu morrer vão me condecorar...”. Infelizmente não somos “insubstituíveis” mesmo o titulo de Hexa campeão (o grito de comemoração ainda esta entalado...) se vier em 2018, não será a mesma coisa...

Os livros que ainda não li... As musicas que ainda não escutei... As fotografias que eu ainda não registrei... A faculdade de Psicologia que é o meu sonho desde que me conheço por gente, Os textos guardados no rascunho esperando um tempo para termina-los e portar todos aqui no Blog... Todos esses Planos podem terminar precocemente junto com a minha vida, caso eu venha á morrer (bate na madeira 3X!). 

Por outro lado, mesmo eu tendo todos esses planos eu de “uma hora para outra” eu decida acabar com tudo isso... É, FODA-SE os livros e as musicas e até os possíveis registros fotográficos e o sonho de me formar em Psicologia... Eu (como um ser de direito a própria vida) decida a me suicidar. Acabar com a minha dor aqui na terra (acredito que no plano espiritual os suicidas continuam em sofrimento...)

Vi a maioria dos filmes Robin Williams e o filme que mais me chamou atenção mesmo eu sendo um pouco nova foi “amor além da vida”;

Sinopse: Chris Nielsen (Robin Williams), Annie (Annabella Sciorra), sua esposa, e os filhos do casal fazem uma família feliz. Mas os jovens morrem em um acidente e o casal é bastante afetado, principalmente Annie. No entanto, eles superam a morte dos filhos e conseguem levar suas vidas adiante, mas quatro anos depois é a vez de Chris morrer em um acidente e ser mandado para o Paraíso. Mas não um Céu com arcanjos e harpas, pois lá cada um tem um universo particular e o dele é uma pintura (sua mulher coordenava uma galeria de arte). Enquanto tenta entender o Paraíso, onde tudo pode acontecer, bastando que apenas deseje realmente, Chris fica sabendo que Annie, dominada pela dor, comete suicídio. Assim, ele nunca poderá encontrá-la, pois os suicidas são mandados para outro lugar. Mesmo assim decide tentar achá-la, apesar de ser avisado que mesmo que a encontre, ela nunca o reconhecerá.

 O cara que fez um filme fodástico desses ironicamente se suicida... Tipo, a vida não tem sentido nenhum e nessa ocasião a arte também não...

Enquanto a morte do politico Eduardo Campos fiquei seguindo muito de longe da bajulação da vida pública e privada de quem até ontem, era um desconhecido diante da grande mídia... Não vi ás piadas nas redes sociais como desrespeito a pessoa do Eduardo Campos e sim,  com um politico e uma possível futuro presidente... Como qualquer tragédia (como essa do avião...) causa uma grande comoção. Pois, além de qualquer profissão e possíveis cargos, somos seres humanos cheios de projetos e sonhos para realizar e qualquer rompimento por uma morte tão prematura é comovente. Nos faz pensar e re-pensar nossa vida, projetos e sonhos....

 Mais do que isso... nos tornamos um povo com pessoas imaturas e hipócritas pois até ontem, o facebook estava recheado de piadinhas infames de politico  e avião hoje essas mesmas pessoas, criticam fazendo um discurso hipócrita do que um dia  "molhou as calças"  por achar essa piada tão engraçada. 


Sobre os "Selfies" postados no Instagram acho que eles sim, sofrem de algum problema sério...

Enquanto os meus projetos do inicio do texto... :

Livros,
Discos e
Sonhos.
E se eu morrer... [já era] 
Família,
Amigos e 
Futuros amores... 
E se eu morrer... [foi!] 


Obs: Se você ficou interessado na música coloquei o vídeo logo a baixo 



Nenhum comentário

Postar um comentário

© Lado Milla
Maira Gall