12 de setembro de 2014

Who says you're not beautiful?



Aperte o PLAY e vem comigo...


Graças, ao estrabismo (Sim, sou vesga!) eu uso óculos desde bem pequena... Não me lembro de ter ganhado na infância aquelas maletinhas de maquiagem infantil o máximo que ganhei foi batons. No formato de morango e uva, mas, ficava guardado com a minha mãe para usar somente em ocasiões especiais...
Ainda na infância, eu fui visitar uns amigos dos meus pais que tinha uma filha um pouco mais velha. Nessa ocasião ela estava brincando com uma maleta enorme de maquiagens da sua mãe e me chamou para brincar também... Sai de lá com a cara toda lambuzada, parecendo uma palhaça e levando uma bela bronca! Aprendi aquele dia que: 
Muita maquiagem deixa um resultado catastrófico, pior que uma palhaça de circo; e que, maquiagem era coisa de adulto...


Na adolescência, lembro-me da minha mãe ter me maquiado e eu ter achado o resultado bacana, mas coloquei óculos de grau e ficou parecendo à mesma coisa de cara limpa... Tanto trabalho para depois colocar os óculos e acabar com o make ¬¬ o máximo que eu usava na época (e ainda uso) é o lápis preto e um gloss ou batom vermelho, mas geralmente eu saio de “cara limpa” pelo simples motivo que não tenho paciência em acordar cedo ou parar tudo que eu estou fazendo para me maquiar...

Resumindo:
Eu uso raramente maquiagem (nunca fui ensinada a gostar de me maquiar...), mas, acho que o assunto # stopthebeautymadness. Vai além, de se maquiar porque gosta ou não, mas, de fazer isso uma obrigação. Colocar o ato de se maquiar como sendo, uma das necessidades diárias... Para se sentir melhor e mais bonita. 

Nunca me achei a “beauty queen” e também ninguém me considerou bonita... A Psicologia explica isso usando o termo de “profecia auto-realizadora”.

A profecia auto- realizadora diz que, quanto mais às pessoas acreditam em uma coisa, mais elas podem influenciar no seu acontecimento.


Isso quer dizer que, nesse exemplo Alguém diz que você não é bonito e você passa a acreditar nisso e acaba não se considerando uma pessoa bonita... A grande mídia, faz isso toda hora “caga” padrões  a cada milésimos de segundo dizendo que, o padrão de beleza é X as pessoas que tem o padrão Y ou tentam se encaixar no padrão X ou, se possível, usam corretivos nas imperfeições para se enquadrar nesse padrão... Descobri que a maioria dos minhas amigas que eu considerava bonitas... toda aquela "beleza" não passavam de meio quilo de corretivo na cara...



Ainda na minha adolescência tinha um garoto muito lindo na minha escola e as meninas sem exceção babavam pelo garoto... O garoto era desenhista e um dia ele foi desafiado a desenhar as garotas e ele teve a ideia de desenhar partes do rosto das meninas que ele mais gostava... A parte que ele mais gostava de mim era a boca que ele achava muito bonita... Depois daquele dia, eu aprendi a gostar de alguns detalhes do meu corpo até dos meus olhos estrábicos... Mas, ainda assim nunca me achei bonita.


 Fiz curso de fotografia em 2012 e tinha algumas pessoas que achava que estava fazendo curso de modelo, pois, era um tal de fazer “pose” para qualquer câmera que ameaçasse a ligar chegava a ser patético... Eu nunca gostei muito de ser fotografada, muito menos, de fotografar pessoas. Era um martírio fazer exercícios que envolviam fotografar os colegas de curso. Porém, as pessoas geralmente gostavam do resultado e “enxiam o saquinho” para fotografa-las. Reza a lenda, que alguns alunos conseguiram montar um Book com tantas fotografias... Até meados de 2012 não era moda as “Selfies” hoje em dia eu vejo como eu seria poupada dessas situações.

Detalhes apesar de ter filtros...
Aprendi desde cedo a gostar dos "Detalhes" sem precisar de meios como maquiagem, Photoshop ou filtros para mentir ou disfarçar algo que eu não sou... As mulheres se tornaram feias não por mostrarem suas imperfeições, mas, por não saber lidar com a cara limpa diante dos milhares "Selfies" cadê as "caras&bocas" e sorrisos nas fotos???





Ok, que eu não VIVO maquiada mas essa foto foi sacanagem! olha a cara de acabada da cria??? HAUAHAUHAUAHUA





Who says
Who says you're not perfect
Who says you're not worth it
Who says you're the only one that's hurting
Trust me
That's the price of beauty
Who says you're not pretty
Who says you're not beautiful
Who says

Esse trecho da canção da Selena foi um "tapa com luva de pelica" em mim (principalmente) pois sempre quis seguir ou ter os padrões de uma pessoa considerada bonita e tive vários exemplos nesses vinte e poucos anos... que, esses padrões mudam e as opiniões também... Escutava antigamente que "beleza não se expõe  na mesa" hoje se expõe nas redes sociais, mas, mostramos  algo maquiado algo que não é real. Foto  de cara limpa, devia ser "normal" no dia-a-dia de cada um e não escolher um dia como a Ana  muito bem lembrou d a "terça sem make" para não usar maquiagem .

A verdadeira beleza esta nos "Detalhes" nenhuma maquiagem pode ser mais indispensável que olhos brilhando, sorriso no rosto... Maquiagem não disfarça  "cara amarrada" então, bora ser feliz isso sim é indispensável para sermos bonitos por dentro e por fora!

Esse post faz parte da Blogagem Coletiva do Rotaroots,grupo criado para reunir blogueiros de raiz que sentem falta da blogosfera moleque e pé no chão. Para participar, junte-se a nós no grupo do Facebook mais cheio de nostalgiaque já se teve notícia e coloque seu link no rotation. O tema desse mês é: stop the beauty madness.

5 comentários

  1. Gostei muito do seu post, bem instrutivo inclusive com uma dose de psicologia, tb não sou adepta de maquiagem por não ter disciplina, só não fico sem meu amado batom ou brilho labial, o resto não me faz falta.
    A ditadura do padrão ideal imposto para as mulheres é cruel e irreal.

    ResponderExcluir
  2. A sociedade mata a gente aos poucos. Lembro que quando eu era criança a coisa que menos me preocupava era o meu estrabismo, também sou, aí veio a adolescência e esse lance de ser "diferente" me causava repulsa. Perdi muita coisa porque eu não acreditava que seria aceita, e olha que nunca passei por situações de bullying, era algo eu com eu, sabe? Na verdade quem não aceitava o estrabismo era eu mesma e não o resto, isso porque tinha um monte de mulher na tv com o olho normal e nenhuma, n e n h u m a, vesga. Faz um tempo que abdiquei de refazer a cirurgia, com o passar dos anos e a maturidade evoluindo aprendi a me amar desse jeito, eu não seria eu se tivesse os olhos corretos. Agora a maquiagem eu não dispenso, não! hahahaha sou viciada em cosmético.

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir
  3. Só li verdades neste post. Verdade que muita gente não tem coragem de dizer e assumir.

    ResponderExcluir
  4. Eu sou estrábica também e sei bem o que passou. Eu já fui super preocupada com make sabe? de ter que ser bonita e tal, mas hoje em dia estou ma relaxada, claro que gosto de me maquiar, não para esconder quem eu sou, mas porque eu gosto mesmo, mas não é algo doentio do tipo não posso sair sem isso.
    Só acho que essa geração dá muito mais valor para o que é mostrado por fora, o interior que se dane.
    Amei o post, se eu pudesse curtir mais de uma vez eu curtiria. Arrasou!
    Valeu a pena esperar

    ResponderExcluir
  5. Sou tmb e a minha vida inteira sofri bullyng na escola e onde eu passava as pessoas vinham rir e zoar da minha cara, perguntavam quantos dedos ela estava mostrando, perguntavam se eu era cega e riam muito, me chamavam de 'zarolha' e quando eu usei óculos era motivo pra eles rirem tmb... nunca tive amigos na escola, sempre fui sozinha... e pra piorar, eu gostava de um garoto na quinta série que era o mais bonito da escola, ficamos amigos mas armaram um monte de coisas contra mim e ele que acabamos brigando e ele falou pra quem quisesse ouvir coisas do tipo "vc nunca vai conseguir ngm porque vc e muito feia, olha essa cara horrível, olha esse olho horrível torto que assusta qualquer um!" depois disso, foi o cúmulo, comecei a me odiar. Tentei óculos até um médico dizer que meu caso não adianta óculos e nem tampão, a solução é apenas a cirurgia... que é muuuuito caro e não tenho dinheiro nem nada pra isso.

    e obvio, até hj sofro muito, não como antigamente pq as pessoas chegavam e falavam na minha cara, mas eu percebo nos olhos das pessoas quando me veem, é horrível, e sou obrigada a conviver socialmente, onde não sou e nunca fui aceita do meu jeito, querendo eu ou não. Minha família toda briga comigo, ri da minha cara dizendo que sou dramatica e frescurenta, mas eles não sabem o que eu passo, eles não tem problema nenhum!

    ResponderExcluir

© Lado Milla
Maira Gall