23 de agosto de 2016

BEDA #23 E ai, sumida?



— E aí, Sumida?

(Pô, boy, não ferra. Não vê o caos que essa pequena palavra me causa? Eu tava indo bem, sabe? Bebendo minha rotina como se ela fosse um sonífero de qualidade ruim, tentando escapar de qualquer jeito das memórias que cutucam meu corpo cansado. Eu tô cansada de tanto pensar em você. Você não faz ideia, boy, mas tomo overdose tua todas as noites, quando deito a cabeça no travesseiro. Não preciso nem dormir, porque você me vem em sonho de olhos abertos, enquanto fico patética encarando o teto do quarto, imaginando qual teto que te cobre...) 
— E aí, tudo bem?

(Ah, morena, mesmo não movendo nenhuma vírgula para te encontrar precisava te encarar e perguntar o porquê que você saiu tão apática daquela festa... Eu esperava que você ao menos gritasse e esperneasse. Queria saber o que você estava sentindo me vendo com outra... Ops, agora é minha namorada..)
— Tudo certo, senti sua falta. 

(Cínico. Cínico, escroto, idiota, imbecil. Tenho tanta raiva tua, que poderia lançar esse celular na parede. Como assim, cara? Vem me chamar de sumida e dizer que sente minha falta? Se sente minha falta, por que não veio me procurar? Ai como eu sou burra!!! Eu deveria estar rindo de você por sentir minha falta, ao invés de ficar feliz por essas mensagens minimalistas que dizem pouco, mas dizem demais. Odeio você. Isso. Exatamente isso que vou te responder. O-d-e-i-o-v-o-c-ê...)
— Senti tua falta também.

(Ah, morena, nós estávamos nos vendo com certa frequência que confesso já estava me sentindo “sufocado”, mas, depois percebi que a sua presença me faz falta... A culpa é sua! Por ser tão 8 ou 80 e “mimadinha”). 
— E aí, saindo muito?

(Queria te dizer que ando saindo demais, mas a verdade é que ando me escondendo do mundo. Sei lá, boy, estava com medo de esbarrar no teu sorriso e quebrar meu coração de novo... Deu um trabalhão danado colar pedaço por pedaço. Agora meu coração pulsa levemente descoordenado. Meio manco, talvez. Então, sendo bem sincera, eu não ando saindo. Nada. Só vou à padaria, comprar um pedaço de sonho, para tentar adoçar do lado de dentro...)
— Sim, muito. E você?

(Mais ou menos. Tenho feito aqueles mesmos "programinhas de casal". No começo foi gostoso... Ela não sorriu pelo fato do meu quarto ser da cor "azul calcinha" e confessou logo depois que não achou graça... Ah, morena, como você me faz falta: seu sorriso meio torto, sua gargalhada escandalosa e sua forma estranha de falar sobre os seus sentimentos).
— Sim, bastante também.

(Good for you. Deve ser bom ter uma namorada parceira, não é? Como fui besta de acreditar que eu e você naquele quarto era suficiente. A gente tinha um céu só nosso e o mundo poderia acabar com a gente ali dentro que, para mim, tudo estaria bem. Fui inocente em crer que éramos suficientes por sermos só. Mas tudo bem. Vida que segue, não é? Mesmo doendo demais aqui dentro — e que eu não transpareça essa dorzinha miúda — quero que você seja feliz. Enormemente feliz. É isso...)
— Foi bom conversar contigo... Mas preciso ir. 

(Te encontrei passando de carro próximo ao meu bairro. Será que você me viu? Foi rápido, mas, percebi que a sua expressão estava apática... Ah, morena, confesso que" sua ausência em mim fez morada..." li isso em algum lugar.)
— Hei, espera... Tens vindo muito para o "Sul da ilha"?

(Devo confessar? Mudei a rota da minha vida, só para tentar esbarrar na tua. Contei não? Sou levemente masoquista e tento me torturar com memórias que o estômago já enjoou de remoer. Vou sempre para o Sul da Ilha, porque tem muito de nós dois perdido naquelas esquinas e seria insanidade demais permitir que a memória te esqueça...)
— Não... Bem pouco. 

(Quero te encontrar! Quero muito te encontrar. Quero você de novo).
— Ok, a gente se encontra por ai...


#plural é um projeto do blog Palavras e silêncio da M° Fernanda Probst

26 comentários

  1. Ai, no início eu tava rindo absurdos dessa retratação super fiel de uma realidade que todo mundo já viveu, mas depois que chegou no final achei tudo tão injusto.
    Eu sei que é assim, sei que acontece, sei que pode ser até bom, mas achei injusto que seja assim!

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Muito legal esse post!
    Retrata super bem tudo o que queremos falar e não falamos, tudo sempre fica apenas em pensamentos, e como não apenas nossas conversas, mas nossas vidas iriam mudar se algumas vezes falássemos mais o que pensamos sem pensar muito antes de falar.
    Parabéns pelo post!

    Beijos

    https://pequenosinfinitosz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Super real esse texto, triste mas real!
    Parabéns pelo texto! Ficou demais! <3 Amei.

    Beijos, http://www.blogdakah.tk/

    ResponderExcluir
  4. Amei muito o seu texto <3 ficou incrivel, porém triste.
    Beijão

    ResponderExcluir
  5. Super legal seu post <3
    Parabéns .
    beijos><

    ResponderExcluir
  6. MENINA, QUE TEXTO! Quem nunca passou por isso não é mesmo? É bem ruim, mas passa viu? Espere que pra você passe logo.

    ResponderExcluir
  7. AHHHHHH QUE TEXTO INCRÍVEL, de coração! Amei muito!
    Adorei a idéia e o modo que você produziu, palavras geniais e gírias! <3 Meu Deus cara, to apaixonado, vou até indicar para alguns amigos!
    Beijooos!

    ResponderExcluir
  8. Batendo palmas pra esse texto!
    Não sei ser assim, saio de boba mas sentimentos não foram feitos pra serem escondidos.
    Tantas pessoas se perdem por se esconderem que chega me dar raiva quando penso nisso... meu Deus.
    Torcendo pra o destino mudar o rumo dessa história!
    Um beijo ♥
    taticarvil.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Apaixonei pelo texto!
    Bem gostoso e engraçado de ler.
    Parabéns.
    Merece até ser parte de um livro.

    www.brilhamiga.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Minha realidade em forma de texto! Acredita que eu tenho um texto com o mesmo título? HAHAHA escrevi para falar sobre essas relações, não só entre casais, mas com amizades também!
    Amei teu texto, parabéns!

    ResponderExcluir
  11. Que texto mais incrivel. Confesso que ri muito e até achei um pouco estranho o coneço até entender Hahahahaha ficou bem ~vida real~ sabe ? Tudo que a gente pensa mas não consegue falar e acaba sendo bem genérica hahahaha

    ResponderExcluir
  12. QUE TEXTO INCRIVEL! Minha realidade transmitida em palavras HAHAHAHAH
    Sensacional, e o pior é que isso acontece com muita frequencia né....

    ResponderExcluir
  13. Esse post pegou lá no fundinho do coração
    Que isso.

    Acho que seria uma boa eu começar a me expressar na escrita... tem tanta coisa guardada. sei lá.

    ResponderExcluir
  14. Adorei o texto, é bem isso que se passa pela nossa cabeça na hora de responder as mensagens, mas camuflamos com um simples "Bem, e você".
    www.itsbry.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oie, tudo bem? Gostei muito do texto, você escreve muito bem. Já tive vontade de escrever alguns lá no meu blog mas fico pensando na recepção dos leitores. Em nossos textos podemos mostrar como pensamos, o que sentimos, ou simplesmente exercitar. Parabéns! Beijos, Érika ^-^

    ResponderExcluir
  16. Primeiramente, que blog delicado e lindo, parabéns!
    Adorei a postagem pois é mais ou menos isso, na maioria das vezes não falamos metade do que queremos!!
    Beijão

    ResponderExcluir
  17. Adorei esse texto, meio triste mas super real!

    Beijos

    http://www.senhoritamarmelada.com/

    ResponderExcluir
  18. EEEE Milla arrasou.Adorei o vocabulário usado, as expressões são as que nós usamos mesmo.rsrs Me identifiquei muitooooooo! Não entrarei nos detalhes.rsrs
    Parabéns!
    bjs
    Isso acontece comigo, as vezes penso numa coisa e quando começo a escrever se envereda para outra coisa. Não acho simplório, muitas vezes na simplicidade de um texto está embutido tantas coisas importantes e complexas. Você como sempre arrasando, mostrou o que acontece na vida.
    bjs

    Simplesmente Ciana

    ResponderExcluir
  19. Adorei o formato do texto. E é assim mesmo as vezes, falamos algo pensando em coisas totalmente diferentes do que sai da boca e isso nem sempre é bom

    https://deixacombinado.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  20. adorei o texto e a forma como voce escreveu :) como alguns ja disseram, também nao sei muito bem esconder o que sinto, quando sinto de verdade, sabe? então, nao sei fazer isso, haha. mas sério, muito bom

    ResponderExcluir
  21. Que texto mara! Ta aí a realidade de muitos casal e aposto que quase todo mundo já viveu algo assim, ao invés de dizer o que pensa, pensa de mais e não diz o que importa.

    Blog Profano Feminino

    ResponderExcluir
  22. Eu tô aqui boba com esse texto maravilhosamente escrito e que diz tanto, mas tanto sobre pessoas e relacionamentos! A vida é mesmo vivida nos pensamentos e, tudo seria tão ridiculamente diferente se tivéssemos mais coragem em mostrar quem realmente somos, como realmente estamos... nem sei mais o que falar. Posso dizer de novo que amei o texto? rsrs Eu amei! <3
    xoxo

    ResponderExcluir
  23. Que texto maravilhoso! E que dinâmica incrível você fez com que ele tivesse! Fiquei encantada, além de me identificar bastante também. Adorei isso de você pôr no texto o que realmente estava por trás das respostas. Arrasou!! <3

    ResponderExcluir
  24. hhahahah eu achei bem legal essa forma de escrita, tudo subjetivo!!! Demorei pra entender mas quando entendi comecei a rir de mim mesma!

    ResponderExcluir
  25. Oie, tudo bem? Fiquei pensando em quantas vezes isso acontece em nossas vidas... pensamos algo mas acabamos falando outra completamente diferente. As vezes por medo, as vezes por insegurança, e seguimos sem muitas vezes mostrar nossos verdadeiros pensamentos/sentimentos. Parabéns pelo texto. Beijos, Érika ^.^

    ResponderExcluir

➤ Todos os comentários são moderados.
➤ Comentários rasos e sem sentido não serão aceitos: Nem respondidos e muito menos retribuídos.
➤ Se você NÃO leu o post ou o assunto NÃO te interessa, NÃO COMENTA!
➤ A você que leu o post e vai fazer um comentário pertinente ao assunto, meu muito obrigada.
O mais breve possível passarei em seu blog para retribuir o carinho.

© Lado Milla
Maira Gall