6 de maio de 2017

A Girl Like Her (2015)


A Girl Like Her (2015)


Aos 16 anos, Jessica Burns guarda um segredo. A única pessoa que o conhece é seu melhor amigo, Brian Slater. Durante o ano, ela tem sofrido com as maldades da sua ex-melhor amiga, Avery Keller, uma das alunas mais bonitas e populares da escola. O que se pode fazer quando o mundo vê a imagem de uma pessoa que não corresponde a realidade? Com a ajuda de Brian e uma câmera, as imagens das maldades de Avery são filmadas e finalmente mostradas a todos, fazendo com que as duas garotas e suas famílias tenham que encarar a verdade.

A Girl Like Her é um longa metragem americano em formato de documentário dirigido por Amy S. Weber. As estrelas de filme Lexi Ainsworth como Jessica Burns, um estudante de escola secundária bullied de 16 anos que tenta o suicídio. O filme foi originalmente intitulado "The Bully Chronicles", mas o título foi posteriormente alterado.


O filme começa com Jessica (Lexi Ainsworth) em seu quarto, chorando e andando. Ela caminha para seu banheiro e toma um punhado de comprimidos de seu armário de remédios. É revelado que a escola secundária em que ela estuda, ganhou uma chance para um documentário para ser uma escola pública que colocou como uma das dez melhores escolas em todo o país.

A tentativa de suicídio e hospitalização de Jessica se espalha rapidamente em toda a escola, e as câmeras capturam os alunos chorando e falando sobre a situação. As equipes de câmera percorrem entrevistando crianças sobre Jessica, e revelam que seu principal atormentador foi a sua ex-melhor amiga, Avery Keller ( Hunter King ). Eles a procuram e ela nega sempre intimidar Jessica e afirma que eles estavam brincando.


Eles perguntam se ela quer fazer parte do filme, dizendo que querem ver a vida de uma garota popular, como Keller afirma que ela, como uma menina popular, é muitas vezes mal interpretado. Eles vão para sua casa naquela noite, onde se encontram com sua mãe, irmão e pai e ver o quão difícil é a sua vida doméstica. Eles gravam filmagens de sua vida e dão a ela uma filmadora com a qual filmar filmagens extras de si mesma para que outras pessoas vejam como é ser popular.


À medida que o filme avança e os alunos continuam a lidar com o que está acontecendo, a equipe da câmera conversa com o melhor amigo de Jessica, Brian (Jimmy Bennett). Brian convida a tripulação para sua casa. Ele diz à tripulação que o bullying tem acontecido por cerca de 6 meses e que eles começaram a filmar o bullying com uma câmera escondida disfarçada como um pino libélula, bem como com a câmera de Brian. Ele mostra-lhes imagens de Avery intimidando Jessica, confirmando o que outros tinham afirmado sobre a relação entre as duas meninas. Também nas filmagens estão as cenas de Jessica chorando e dizendo que ela não pode agüentar mais.


No dia seguinte na escola, a equipe se aproxima de Avery novamente e diz que eles têm provas de que ela intimida Jessica. Eles perguntam se ela quer vê-lo, e ela concorda em encontrá-los em sua casa naquela noite.

Mais tarde naquela noite no hospital, os pais de Jessica a visitam quando ela perde o pulso. Seus pais e as câmeras são expulsos da UTI, como os médicos tentam reviver Jessica. Neste ponto, Avery está assistindo a filmagem de sua intimidação Jessica. Avery começa a demonstrar-se mais humana e sofre assistindo aos videos e solicita que seja desligado. Chorando histericamente, ela diz ao cineasta como é pesaroso e arrependido, como ela conforta Avery e diz-lhe que ela é realmente uma boa pessoa.

Os médicos são capazes de recuperar o pulso de Jessica, mas dizem que devido à não-melhora de seus órgãos, ela acabará por sucumbir à insuficiência total de órgãos se ela não acordar do coma em breve.

Percebendo as conseqüências de suas ações, Avery posta um vlog, declarando em lágrimas que nenhuma pessoa merece ser tratada da maneira que ela tratou Jessica e se desculpa profundamente. Ela termina o vídeo com: "Meu nome é Avery Keller, e eu sou um valentão.". 


O filme termina com um corte no rosto de Jéssica, no qual ela abre os olhos e olha ao redor, antes de finalmente olhar diretamente para a câmera.

⭐⭐⭐⭐⭐

O documentário A Girl Like Her em a capacidade de reciclar o tema Bulling e suicidio de uma forma que o conteúdo não se torna enfadonho ou moralista, podemos verificar os diferentes "tipos de valentões" desde os alunos que veêm as cenas de intimidaçoes seguidos de agressão e os alunos que acham engraçado o modo que os valentões tratam os seus colegas não populares... 

A cada cena, o bullying é sentido na pele, como se a dores da personagem fossem de alguma forma as nossas proprias dores... Um filme que o coração fica apertadinho do começo ao fim.





ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

10 comentários

  1. olá!

    essa semana eu ouvi muitos comentários sobre esse longa, ele foi adicionado recentemente?
    impressionante que bullying e suicídio é um assunto recorrente na mídia, muito tratado porém ainda vejo com os olhos de quem é vítima e concluo que, ainda que muito debatido nos últimos dias (e nos últimos tempos, de modo geral), infelizmente não é o suficiente. acredito que deveríamos aprender a lidar com as emoções na escola, afinal, nada mais é do que uma forma de aprender a lidar com as diferenças dos outros - e não julgá-los, por isso - e aprender a expor, conversar sobre nossos sentimentos.
    no entanto, tenho fé de que com documentários como este e com a repercursão de séries como 13rw estejamos caminhando para um futuro mais feliz no combate de males como este.

    blog vestidinho jeans

    ResponderExcluir
  2. Eu ouvi falar muito desse filme, mas não sei se tenho coragem/vontade de assistir.
    assisti 13RW e fiquei beeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeem mexida.

    Beijos Milla ♥

    ResponderExcluir
  3. Eu espero mesmo que esse assunto seja mais debatido e explorado, até uns anos atrás todo mundo dizia que era frescura. Ainda dizem, porém mais pessoas estão conscientes de que é um assunto sério.

    Com amor,
    Bruna Morgan

    ResponderExcluir
  4. Achei a ideia do longa muito bacana, principalmente por se tratar de uma forma de documentário e abordar temas tão importantes.
    Só queria lhe dar um alerta, cuidado para não liberar spoilers durante uma resenha qualquer.
    Beijo, www.apenasleiteepimenta.com.br

    ResponderExcluir
  5. Parece um documentário bem interessante, mas talvez muito pesado.

    Beijinho,
    Ju, Cor Sem Fim

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia esse longa, e achei bem legal a proposta principalmente pelo desfecho final que você descreveu. Valeu pela dica foi procurar para assistir.

    ResponderExcluir
  7. Oi Milla! Eu tinha ouvido falar sobre o filme e não tinha dado muita bola porque era no estilo documentário e eu geralmente não gosto da filmagem nesse estilo, mas você acabou de me convencer a assistir! Parece bem interessante o modo como os temas são retratados e, claro, são super importantes de se debater!
    Dica anotada!
    xoxo

    ResponderExcluir
  8. Oie, tudo bem? Vi muitas pessoas indicando esse filme e fiquei bem curiosa para ver se era bom mesmo, acabei assistindo. Algumas cenas são bem tristes e dá vontade de sair correndo ou então brigar com Avery. Acredito que todos nós em algum momento da vida já esteve nas duas posições. Vale a pena assistir mas precisa ir com a mente aberta. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  9. Oiiie!

    Adorei a proposta desse filme/documentário. É bem importante divulgarmos mais esse tema. Uma pena que não tenho condições de ver, fico balançada e acabo tendo recaidas :(

    Parabens pelo post!

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Depois de "os 13 porquês" acabaram ressurgindo esses filmes na mídia, e eu não entendo de verdade porque não levam esse assunto tão mais a sério! É aquele tipo de assunto que deveriam existir campanhas diárias como existem de "álcool e drogas" sabe?


    Beijos,
    Amanda.

    • http://explorar-te.blogspot.com/ •

    ResponderExcluir

© Lado Milla
Maira Gall