3 de maio de 2017

Resenha: A Guerra Que Salvou a Minha Vida





”Ela teve a chance que Anne Frank não teve. A Guerra que Salvou a Minha Vida é um livro sobre as muitas batalhas que nós precisamos vencer para conquistar um lugar no mundo. A Segunda Guerra vista pelos olhos de uma menina que se transforma em uma refugiada em seu próprio país.”


A Guerra Que Salvou a Minha Vida Kimberly Brubaker Bradley
Ano: 2017/ Páginas: 240
Idioma: português
Editora: DarkSide Books



A Guerra que Salvou a Minha Vida é um lançamento da DarkSide Books, é a primeira Editora do Brasil dedicada ao terror e à fantasia A editora criou uma coleção Darklove com histórias sobre a força feminina na literatura. Escrito pela autora Kimberly Brubaker Bradley. Vencedor do Newbery Honor Award e primeiro lugar nos mais vendidos do New York Times, assim como é adotado em diversas escolas nos EUA.
“Minha casa era uma prisão, eu mal suportava o calor, o silêncio e o vazio”
 A narrativa se passa durante a Segunda Guerra Mundial, onde os irmãos Ada e James vivem com a mãe em Londres. Nós conhecemos a protagonista da trama logo no início, quando somos apresentados a uma menina de dez anos que sofre agressões físicas e psicológicas de sua mãe porque ela tem ”pé torto”. Enquanto seu irmão James – ao qual ela é muito apegada e serve de motivação para que ela siga em frente – pode sair e descobrir o mundo brincando com as outras crianças, ela precisa ficar isolada em seu apartamento, pois sua mãe a considerada uma vergonha e acredita que ela não é merecedora de ser feliz pela deficiência que tem.
-“Você não passa de uma desgraça! ” Ela gritava. 
“ Um monstro, com esse pé horrível! ” Acha que eu quero que o mundo todo vendo a minha vergonha? ”
Além da "guerra pessoal" que Ada vivia com os abusos e maus tratos e da sua mãe. A guerra mundial em que seu pais iria enfrentar, daria a ela a chance de sair daquela casa e assim, quem sabe, todo aquele sofrimento acabariam.


A Inglaterra estava contra a Alemanha, o mais seguro a fazer era mandar todas as crianças de Londres para cidades do interior, para morar com outras famílias. Inicialmente sua mãe deixou apenas James ir, mas Ada resiste e consegue fugir. Os dois irmãos então embarcam para essa nova etapa, mas as coisas não são fáceis. Eles não recebiam muitos cuidados maternos, não sabiam ler e escrever e até não sabiam como funcionavam algumas atividades básicas do dia a dia. Então eles tinham muitas coisas a aprender. Ao chegarem na cidade, eles são os últimos a serem escolhidos para novos lares, e iniciam uma convivência com Susan, que nunca quis ter filhos e não sabe como cuidar de duas crianças. Essa reviravolta faz com que Ada tenha mais liberdade e comece a perceber que ela é uma pessoa importante e tem total direito e possibilidades de conhecer o mundo lá fora.


A Guerra que Salvou a Minha Vida tem narração clara em primeira pessoa, com capítulos curtos. As palavras de Kimberly fluem com a capacidade incrível de transportar o leitor em uma imersão na história. A edição física do livro é de longe uma das mais caprichadas da editora e uma das mais lindas que já vi. A capa do livro tem relevos com desenhos com cores antigas e desenhos que imitam tecidos costurados e desenhos de botões.




Os personagens são encantadores: Susan tem um coração maravilhoso apesar do sofrimento pela morte prematura da irmã e e descobre nela mesma a capacidade de amar, educar e se importar com o futuro de duas crianças como se fossem seus próprios filhos. James o irmão mais novo de Ada é um menino encantador e nos apresenta aquela típica inocência da infância. Ada a protagonista, nos arranca lagrimas perante tanta persistência em ser feliz, em provar para ela mesma que sua deficiência não a define e que ela não precisa se esconder das pessoas e do mundo por isso.



O crescimento dos personagens ao longo da trama acontece conforme a guerra avançava. Se dá, quando os personagens: Ada, James e Susan se encontram em uma realidade que nenhum dos três estavam preparados. A Ada, por conta de todas as agressões que sofreu durante a vida, tem resistência a achar que realmente está bonita, que merece amor e que outras pessoas gostem de estar ao lado dela, e é lindo ver como a autora explora a melhora disso. Outro fator interessante é que o livro está cheio de referências a outras histórias, como Alice no País das Maravilhas, Peter Pan e Os Robinsons Suíços.

Ele achou que eu estava mentindo, ou, na melhor das hipóteses, exagerando. Agora voltava a encarar o meu pé ruim. Senti uma onda de calor subir pelo meu pescoço. Pensei no que a Susan faria. Espichei o corpo, cravei os olhos no homem e disse, empertigada: ”Meu pé ruim fica muito longe do meu cérebro”.
Essa história é maravilhosamente marcante! É a minha leitura preferida desse ano. Um ponto que me tocou bastante, é que em várias partes a autora deixa claro que os dois irmãos não sabem ler ou não sabem o nome de atividades simples do dia a dia, e era necessário um adulto e Susan se tornou aos poucos uma mãe ideal para aquelas crianças... Ada me arrancou lagrimas e risos durante a sua trajetória em vê-la perceber que é capaz de muitas coisas, algumas até que ela nem imaginava. Senti cada emoção junto com os personagens – 


Para quem já gosta de romances que se passam durante a Segunda Guerra, e até para os iniciantes no assunto, eu indico a leitura de A Guerra que Salvou a Minha Vida, pois ele nos faz refletir até mesmo sobre o modo como levamos nossas batalhas pessoais e nos emociona com um tema tão profundo.




”Eu tinha perguntado. Persistência era não desistir de tentar.”

ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

12 comentários

  1. Olá! Essa capa é muito linda! O livro está na minha lista por dois motivos, o primeiro é que gosto de livros que se passam na época das grandes guerras, e o segundo é que coleciono os livros da Darkside rsrs.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oie, tudo bem? Essa capa é realmente linda. Já tinha visto a indicação dele pela internet mas ainda não li. Deve ser muito triste acompanhar a história de crianças durante a guerra, perceber o quanto foi horrível pelos olhos da inocência. O diário de Anne Frank também não li mas me indicam tanto que já está na minha lista. A resenha foi bem escrita, parabéns. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  3. Livros das DarkSide não dá outra: é favorito na certa! Essa editora arrasa demais e estou muito ansiosa para ler esse livro em especial, porque a história me parece muito tocante - gostei muito das citações que você separou, Ada já me conquistou. Fotos lindas, por sinal!
    Literalize-se!

    ResponderExcluir
  4. Esse livro está lindo! Quero muito muito ler, já estive pra comprar duas vezes e acabei adiando, mas agora não dá mais pra esperar, rs. Adorei a resenha.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Tenho lido várias resenhas sobre esse livro e são todas unânimes quanto à qualidade. Parece ser uma leitura linda e impactante! Gosto bastante de histórias de guerra e certamente apreciarei a leitura

    Beijos, Vickawaii
    http://www.neverland.com.br

    ResponderExcluir
  6. Amei a capa, a historia, sou apaixonada por superações que se passar na guerra. Com certeza mais um para a lista de próximas leituras.

    ResponderExcluir
  7. Tenho visto vários elogios a este livro. Confesso que não costumo ler muitos livros sobre a 2 guerra mundial. Acho que Até hoje li apenas A Menina que Roubava Livros e Vango. Mas achei interessante a proposta de A Guerra que Salvou a Minha Vida.

    ResponderExcluir
  8. o que eu amo nisto dos blogs é esta troca de partilha e conhecimento, eu amo tudo o que tem a ver com a segunda guerra mundial e sou apaixonada pela historia de anne franj (já visitei a casa dela em amesterdão e é incrivel), por isso descobrir este livro sobre a mesma epoca contado por outra menina deixa-me já com vontade de ir procurar o livro. muito obrigada pela tua partilha e excelente review.

    beijinhos

    Vânia
    Lolly Taste

    ResponderExcluir
  9. Ganhei esse livro num sorteio e tô ansiosíssima pra que ele chegue de uma vez! Tenho certeza de que vou me emocionar muito e amar a história. Tua resenha (e tuas fotos) tá muito boa, hein ♥

    ;*

    ResponderExcluir
  10. Eu tô louca pra ler esse livro!!! eheheh A história parece cativante e sua resenha apontou os detalhes lindos dele que só me fez desejar mais e mais! A Caveirinha só faz lançamentos lindos, bem elaborados e de conteúdo incrível que me fazem desejar mais e mais livros! eheh
    xoxo

    ResponderExcluir
  11. Estou encantada por esse livro, primeiramente por se passar na segunda guerra e segundamente por que ele é lindo demais! Sou apaixonada pelos livros da Caveirinha <3 Sua resenha ficou ótima e me deixou ainda mais curiosa para ler!
    Beijos
    http://www.nomundodaluablog.com/

    ResponderExcluir
  12. Foi de doer o coração aquela fala da mãe, deve ser horrivel ser tratada mal por alguém que nos deveria dar amor, o amor de mãe. Capa mais linda, e reparei na perninha da menininha na capa kkkk ah tadinha.super gostei ! Um beijão!
    http://omisterionaproximapagina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

© Lado Milla
Maira Gall