20 de setembro de 2020

Resenha: A Guerra Que Salvou a Minha Vida



A Guerra Que Salvou a Minha Vida 
Kimberly Brubaker Bradley
Ano: 2017/ Páginas: 240
Idioma: português
Editora: DarkSide Books
Avaliação:☕☕☕☕☕



A Guerra que Salvou a Minha Vida tem narração clara em primeira pessoa, com capítulos curtos. As palavras de Kimberly fluem com a capacidade incrível de transportar o leitor em uma imersão na história.

“Minha casa era uma prisão, eu mal suportava o calor, o silêncio e o vazio”

Os personagens são encantadores: Susan tem um coração maravilhoso apesar do sofrimento pela morte prematura da irmã e  descobre nela mesma a capacidade de amar, educar e se importar com o futuro de duas crianças como se fossem seus próprios filhos. James o irmão mais novo de Ada é um menino encantador e nos apresenta aquela típica inocência da infância. Ada a protagonista, nos arranca lagrimas perante tanta persistência em ser feliz, em provar para ela mesma que sua deficiência não a define e que ela não precisa se esconder das pessoas e do mundo por isso.


A história se passa durante a Segunda Guerra Mundial, onde os irmãos Ada e James vivem com a mãe em Londres. Nós conhecemos a protagonista da trama logo no início, quando somos apresentados a uma menina de dez anos que sofre agressões físicas e psicológicas de sua mãe porque ela tem ”pé torto”. Enquanto seu irmão James – ao qual ela é muito apegada e serve de motivação para que ela siga em frente – pode sair e descobrir o mundo brincando com as outras crianças, ela precisa ficar isolada em seu apartamento, pois sua mãe a considerada uma vergonha e acredita que ela não é merecedora de ser feliz pela deficiência que tem.

-“Você não passa de uma desgraça! ” Ela gritava. 
_“ Um monstro, com esse pé horrível! ” Acha que eu quero que o mundo todo vendo a minha vergonha? ”

A edição física do livro é de longe uma das mais caprichadas da editora e uma das mais lindas que já vi. A capa do livro tem relevos com desenhos com cores antigas e desenhos que imitam tecidos costurados e desenhos de botões.

A Guerra que Salvou a Minha Vida é um lançamento da DarkSide Books, é a primeira Editora do Brasil dedicada ao terror e à fantasia A editora criou uma coleção Darklove com histórias sobre a força feminina na literatura. Escrito pela autora Kimberly Brubaker Bradley. Vencedor do Newbery Honor Award e primeiro lugar nos mais vendidos do New York Times, assim como é adotado em diversas escolas nos EUA.

Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando.
Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e partirem para o interior, em busca de uma vida melhor
.


Essa história é maravilhosamente marcante! É a minha leitura preferida desse ano. Um ponto que me tocou bastante, é que em várias partes a autora deixa claro que os dois irmãos não sabem ler ou não sabem o nome de atividades simples do dia a dia, e era necessário um adulto e Susan se tornou aos poucos uma mãe ideal para aquelas crianças... Ada me arrancou lagrimas e risos durante a sua trajetória em vê-la perceber que é capaz de muitas coisas, algumas até que ela nem imaginava. Senti cada emoção junto com os personagens – 

Para quem já gosta de romances que se passam durante a Segunda Guerra, e até para os iniciantes no assunto, eu indico a leitura de A Guerra que Salvou a Minha Vida, pois ele nos faz refletir até mesmo sobre o modo como levamos nossas batalhas pessoais e nos emociona com um tema tão profundo.

O crescimento dos personagens ao longo da trama acontece conforme a guerra avançava. Se dá, quando os personagens: Ada, James e Susan se encontram em uma realidade que nenhum dos três estavam preparados. A Ada, por conta de todas as agressões que sofreu durante a vida, tem resistência a achar que realmente está bonita, que merece amor e que outras pessoas gostem de estar ao lado dela, e é lindo ver como a autora explora a melhora disso. Outro fator interessante é que o livro está cheio de referências a outras histórias, como Alice no País das Maravilhas, Peter Pan e Os Robinsons Suíços.

"Ela achou que eu estava mentindo, ou, na melhor das hipóteses, exagerando. Agora voltava a encarar o meu pé ruim. Senti uma onda de calor subir pelo meu pescoço. Pensei no que a Susan faria. Espichei o corpo, cravei os olhos no homem e disse, empertigada: ”Meu pé ruim fica muito longe do meu cérebro”.

Tenho uma questão com os meus pés que eles são feios (tenho a duas unhas do pé encravada) e o numero do meu calçado é 39-40. Na minha adolescência eu só usava tênis nunca consegui usar sapatos e sandálias femininas que eu morria de vergonha! Me identifiquei com a Ada, adorei a frase: ”Meu pé ruim fica muito longe do meu cérebro” e acho que eu á usaria em algum momento que as pessoas ficassem encarando muito o meu pé. O livro A Guerra que Salvou a Minha Vida foi uma das melhores leituras do ano.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

12 comentários

  1. Olá! Essa capa é muito linda! O livro está na minha lista por dois motivos, o primeiro é que gosto de livros que se passam na época das grandes guerras, e o segundo é que coleciono os livros da Darkside rsrs.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oie, tudo bem? Essa capa é realmente linda. Já tinha visto a indicação dele pela internet mas ainda não li. Deve ser muito triste acompanhar a história de crianças durante a guerra, perceber o quanto foi horrível pelos olhos da inocência. O diário de Anne Frank também não li mas me indicam tanto que já está na minha lista. A resenha foi bem escrita, parabéns. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  3. Livros das DarkSide não dá outra: é favorito na certa! Essa editora arrasa demais e estou muito ansiosa para ler esse livro em especial, porque a história me parece muito tocante - gostei muito das citações que você separou, Ada já me conquistou. Fotos lindas, por sinal!
    Literalize-se!

    ResponderExcluir
  4. Esse livro está lindo! Quero muito muito ler, já estive pra comprar duas vezes e acabei adiando, mas agora não dá mais pra esperar, rs. Adorei a resenha.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Tenho lido várias resenhas sobre esse livro e são todas unânimes quanto à qualidade. Parece ser uma leitura linda e impactante! Gosto bastante de histórias de guerra e certamente apreciarei a leitura

    Beijos, Vickawaii
    http://www.neverland.com.br

    ResponderExcluir
  6. Amei a capa, a historia, sou apaixonada por superações que se passar na guerra. Com certeza mais um para a lista de próximas leituras.

    ResponderExcluir
  7. Tenho visto vários elogios a este livro. Confesso que não costumo ler muitos livros sobre a 2 guerra mundial. Acho que Até hoje li apenas A Menina que Roubava Livros e Vango. Mas achei interessante a proposta de A Guerra que Salvou a Minha Vida.

    ResponderExcluir
  8. o que eu amo nisto dos blogs é esta troca de partilha e conhecimento, eu amo tudo o que tem a ver com a segunda guerra mundial e sou apaixonada pela historia de anne franj (já visitei a casa dela em amesterdão e é incrivel), por isso descobrir este livro sobre a mesma epoca contado por outra menina deixa-me já com vontade de ir procurar o livro. muito obrigada pela tua partilha e excelente review.

    beijinhos

    Vânia
    Lolly Taste

    ResponderExcluir
  9. Ganhei esse livro num sorteio e tô ansiosíssima pra que ele chegue de uma vez! Tenho certeza de que vou me emocionar muito e amar a história. Tua resenha (e tuas fotos) tá muito boa, hein ♥

    ;*

    ResponderExcluir
  10. Eu tô louca pra ler esse livro!!! eheheh A história parece cativante e sua resenha apontou os detalhes lindos dele que só me fez desejar mais e mais! A Caveirinha só faz lançamentos lindos, bem elaborados e de conteúdo incrível que me fazem desejar mais e mais livros! eheh
    xoxo

    ResponderExcluir
  11. Estou encantada por esse livro, primeiramente por se passar na segunda guerra e segundamente por que ele é lindo demais! Sou apaixonada pelos livros da Caveirinha <3 Sua resenha ficou ótima e me deixou ainda mais curiosa para ler!
    Beijos
    http://www.nomundodaluablog.com/

    ResponderExcluir
  12. Foi de doer o coração aquela fala da mãe, deve ser horrivel ser tratada mal por alguém que nos deveria dar amor, o amor de mãe. Capa mais linda, e reparei na perninha da menininha na capa kkkk ah tadinha.super gostei ! Um beijão!
    http://omisterionaproximapagina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

➤ Todos os comentários são moderados.
➤ Comentários rasos e sem sentido não serão aceitos: Nem respondidos e muito menos retribuídos.
➤ Se você NÃO leu o post ou o assunto NÃO te interessa, NÃO COMENTA!
➤ A você que leu o post e vai fazer um comentário pertinente ao assunto, meu muito obrigada.
O mais breve possível passarei em seu blog para retribuir o carinho.

© Lado Milla
Maira Gall