23 de abril de 2018

Canção de Segunda: Eu Preciso Dizer Que Te Amo - Cazuza


O local da criação de Eu Preciso Dizer Que Te Amo foi uma propriedade que a família de Cazuza possuía, em Fazenda Inglesa, Petrópolis, no estado do Rio de Janeiro. Foi composta a seis mãos por Bebel Gilberto, Dé Palmeira (na época namorados) e Cazuza.


Inspirado com a melodia sendo criada, Cazuza – que na época estava lendo muito a Bíblia – introduziu na letra os seguintes versos: Eu preciso dizer que te amo, desentalar esse osso da minha garganta. Bebel conta que Cazuza queria usar isso e disse a ele que os versos eram muito fortes. “Caju, essa parte não está encaixando muito bem, não tem outra coisa que você queira dizer?”, sugeriu a cantora. Eu fiz uma busca no Google para ver se encontrava esse trecho da Bíblia, mas não obtive resultado.. De acordo com Bebel, esta foi a última música feita para o disco de estreia dela, um EP (extended play), lançado pela WEA, em 1986, batizado com o nome da cantora.



Primeiro disco de Bebel Gilberto (1986) e que trazia Eu preciso Dizer que Te amo pela primeira vez

“O processo de criação foi espontâneo. Essa música foi muito especial. Era como se o Cazuza estivesse sentado aqui e, por acaso, o violão estivesse ali. A gente começou a cantar, e o canto virou uma música. Não foi aquela coisa de sentar e fazer [a música] (…) A gente estava em frente a lareira da casa, e ela saiu como um filho (…) em 40 minutos”, relembrou a cantora para o livro Eu Preciso Dizer Que Te Amo – Todas as Letras do Poeta, lançado em 2001, com autoria de Lucinha Araújo, mãe de Cazuza, em depoimento à jornalista Regina Echeverria.


Dé recorda que quando chegava nessa frase a música não seguia. “Desentalar esse osso da minha garganta é muito punk. Eu pensei em fazer um blues com essa frase, mas o resto da música é muito romântico”, disse o baixista em um especial para o Canal Bis em 2013. Ele conta ainda que o Cazuza bem tranquilo respondeu, “pô, porque você não me falou isso antes, cara, peraí”, e subiu para o quarto e em cinco minutos desceu com a nova letra batida a máquina, já com o novo refrão “eu preciso dizer que te amo, te ganhar ou perder sem engano, eu preciso dizer que te amo tanto”. “Ele foi ferino, certo e exato nessa frase. Essa música é o nosso standard. Ela é linda! Eu acho que tinha algum deus ajudando a gente ali, naquele ambiente, naquela casa… Foi tudo certo”, avalia Dé. 



Apesar do primeiro registro da canção em disco ter sido feita por Bebel, foi a cantora Marina Lima, que em 1987, ao incluir a canção em seu disco Virgem, tornou Eu Preciso Dizer Que te Amo “famosa”. “Foi o Cazuza que me mostrou [a música] numa fita cassete. Tinha o Dé tocando violão, a Bebel cantando e o Caju fazendo uns contracantos. Eu achei que ela tinha a ver com o disco Virgem, que vinha preparando”, lembrou Marina.


Na gravação Marina omitiu a última estrofe da música Eu já nem sei se eu tô misturando/Eu perco o sono/Lembrando em cada gesto teu uma bandeira/Fechando e abrindo a geladeira/A noite inteira. “Eu acho que aquela parte não existe. É totalmente irrelevante da canção. Acho que a música vira uma seta no alvo sem aquela parte”, explicou a cantora sobre o fato. “A Marina não gostou da terceira parte, não achava necessária e gravou da maneira que achava melhor. Eu gosto muito da gravação original, da fita cassete. Mas gosto de todas [as outras gravações], acho que todas as regravações mostram um lado da canção que eu não conhecia”, teoriza Dé.


Marina já era um nome consagrado na música brasileira e considera que ter gravado Eu Preciso Dizer Que te Amo em seu disco de 1987, ajudou a transformar a música em um dos clássicos “oitentista”. “Com certeza. Porque eu sendo compositora, gravei uma música do Cazuza por admiração. E foi um disco que estourou, vendeu muito”, recorda.


Eu Preciso Dizer Que te Amo trata do difícil, delicado e complexo tema de uma relação de amizade que se transforma em amor. Acredito que muitos de nós já tenha passado pela situação de evitar uma possível friendzone, mas ter o receio do outro não “partilhar” os mesmo interesses e por isso mesmo sofrer calado as “dores de outro amor” do amigo.


Léo Jaime, amigo pessoal de Cazuza, e um dos muitos artistas que gravaram Eu Preciso Dizer Que te Amo, diz que, apesar de gostar da canção, incluí-la em seu álbum Todo Amor, de 1995, não foi algo pensado com antecedência. “A ideia de gravá-la foi meio de última hora, e o Dé estava presente, um dos autores. A nossa versão tinha o mesmo corte da letra que a Marina já havia feito. E mudamos completamente a harmonia. Adoro esta música”, relembra Léo, que fez uma versão “diferente” da canção. Ao contrário das outras registradas, num tom mais “intimista”, a versão de Léo Jaime tem a levada de uma balada pop, em que o “eu lírico” assume de uma vez por todas o “risco” de ganhar ou perder e nunca demonstra dúvida de mostrar seu sentimento.



O registro na fita cassete, com Dé ao violão, Bebel e Cazuza nos vocais, que Marina ouviu pela primeira vez, foi feito logo após a composição ser concluída. Na gravação podemos ouvir claramente o barulho da tecla “REC” de um gravador caseiro ser acionada e a voz de Cazuza na sequência “apresentando” a obra, indicando que Bebel iniciará cantando. Para isso ele pede “por favor, não façam barulho no ambiente” e pede pelo “maestro” Dé seguido de um “vai Sapo”. “Foi o primeiro registro numa fita cassete na hora em que finalizamos a canção. Cazuza mandou a letra, mas fizemos a canção os três juntos. “Sapo” nesse caso sou eu, mas todo mundo na época se chamava de vários nomes inventados”, relembra Dé. Em 1988 Cazuza, Dé e Bebel Gilberto receberam o Prêmio Sharp de Música (referente ao ano de 1987) de “melhor música pop-rock”, com Eu Eu Preciso Dizer Que te Amo.






Essa gravação caseira, o primeiro registro de Eu Preciso Dizer Que te Amo, foi recuperada nos anos 1990, remasterizada e lançada oficialmente em 1996, no disco Red Hot + Rio. Além de Bebel Gilberto (1986 e 1992), Marina Lima (1987) e Léo Jaime (1995), a canção foi regravada por Pedro Camargo Mariano (para o especial Som Brasil – Cazuza, 1995), Cássia Eller (Veneno Antimonotonia, 1997), Emílio Santiago (Preciso Dizer Que Te Amo, 1998), Jay Vaquer (Cazas de Cazuza, 2000) e Zizi Possi (Bossa, 2001). Cazuza, Dé e Bebel ainda fizeram juntos Mulher Sem Razão, Minha Flor Meu Bebê, Mais Feliz e Amigos de Bar.


Eu Preciso Dizer Que te Amo

Quando a gente conversa Contando casos, besteiras Tanta coisa em comum Deixando escapar segredos E eu não sei em que hora dizer Me dá um medo

É que eu preciso dizer que eu te amo Te ganhar ou perder sem engano Eu preciso dizer que eu te amo tanto

E até o tempo passa arrastado Só pra eu ficar do teu lado Você me chora dores de outro amor Se abre e acaba comigo E nessa novela eu não quero Ser teu amigo

É que eu preciso dizer que eu te amo Te ganhar ou perder sem engano Eu preciso dizer que eu te amo tanto

Eu já nem sei se eu tô misturando Eu perco o sono Lembrando em cada gesto teu uma bandeira Fechando e abrindo a geladeira a noite inteira

Eu preciso dizer que eu te amo Te ganhar ou perder sem engano Eu preciso dizer que eu te amo tanto

Cazuza, Bebel e Dé, amigos na vida e na música
                          



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
                                 

21 comentários

  1. Muito interessante, confesso que não conhecia a música, nem a cantara Bebel, somente o Cazuza, e curto muito algumas músicas dele.
    Muito sucesso pra você.

    Blog Amanda Passos

    ResponderExcluir
  2. Olá eu não sei nada sobre esses cantores pois quando eles fizeram sucesso eu nem era nascida mais gostei de saber dessa música que eu nunca tinha ouvido antes

    ResponderExcluir
  3. Oi, Tudo bom?
    Nossa que artista incrível foi o Cazuza, gosto muito das suas canções e achei sua postagens incrível, foi um prazer ler ela.
    beijos, Joyce.

    ResponderExcluir
  4. Ai, meu Deus!! Essa música é tão linda, tão linda!! <3
    Nossa, fico emocionada toda vez que a ouço e não imaginava que existia toda essa história por trás dela! Nos primeiros parágrafos, nos quais você mostra o trecho "Eu preciso dizer que te amo, desentalar esse osso da minha garganta" fiquei pensando: gente, mas não lembro disso! Depois de ler tudo percebi o quão genial foi Cazuza ao mudar esse refrão e ficou mesmo incrível.
    Adorei essa postagem, muito original e interessante, parabéns!! <3

    ResponderExcluir
  5. É tão bacana conhecer o processo como a musica foi criada ou de seu significado. Eu não conhecia essa musica mas acredito que tenha muita reflexão na letra e um peso sentimental de tocar o coração.. Muito bacana o post!

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  6. Eu preciso dizer que eu amooooo essa música, ela sempre fez parte da minha vida, dos meus amores, ela é especial. Adorei saber mais sobre ela e amo a versão original dela com a Bebel e Cazuza ❤️

    ResponderExcluir
  7. Nossa, esses é um daqueles momento em que a nostalgia bate em nossa porta. Aquele momento em que precisamos parar de fazer tudo o que estivermos fazendo para ouvir essa música magnifica. E foi exatamente o que eu fiz.
    Amei ler tudo isso, e eu não sabia de 20% das coisas que tinha aqui, mais um momento para aprender.
    Parabéns pelo post e obrigada por escrever algo tão lindo, ou fã do Cazuza.

    Xêro.
    www.johanymedeirosutopia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Eu não conhecia essa musica, acredito que é tocante na letra e é um tipo de sentimental que toca até o coração. Adorei ler esse tipo de post, parabéns.

    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Muito interessante esse tipo de post! Amo muito essa música do Cazuza! 😍💙🤙

    ResponderExcluir
  10. Que letra de música mais linda e tocante!!! Adorei saber mais sobre a criação! Curti muito o post, bjs!

    ResponderExcluir
  11. Oi Camyli! Que post maravilhoso. To arrepiada aqui. Essa é uma das minhas músicas preferidas do Cazuza - que sofro até hoje por não ter tido a oportunidade de ter ido a um show, como meus pais foram - e não sabia da história de criação dela. Foi incrível saber disso e ver essas fotos! To com sorriso bobo no rosto! Arrasou demaaais! Beijos

    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  12. Amei conhecer um pouco mais sobre a música e sobre tantas figuras importantes.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  13. Muito bonita a letra da música. Confesso que não a conhecia bem a história dela, mas gostei do jeito que vc colocou! Muito top

    ResponderExcluir
  14. Aah essa música é tão linda! Não fazia ideia de que existia uma história por trás dela, que o refrão era outro e depois mudaram. Eu bem que estranhei no início do post quando mencionou a frase "desentalar esse osso da minha garganta". Pensei, não lembro disso na música haha Daí decidi escutar ela de novo e conforme fui lendo entendi.
    Beijão

    ResponderExcluir
  15. Ah, amei esse post! Eu Preciso Dizer que Te Amo é um clássico do nosso pop rock e confesso que não conhecia todos os detalhes que envolviam essa música (principalmente a parte do osso entalado na garganta, realmente bem forte). Adoro a versão do Léo Jaime, é delicada e muito gostosa de se ouvir :)

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem?

    Eu amo Cazuza e amo ouvir sua voz, que sempre consegue me trazer algo de dentro da alma. Muito interessante você trazer toda esta retrospectiva, pois além das informações engrandecerem nosso conhecimento, ela é capaz de nos levar a um momento de extrema nostalgia. Amei o post, simplesmente espetacular. Parabéns!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Eu amo essa música! Tenho aversão original, do gravador no pc e sempre que toca cazu, tem ela. pq a simplicidade e o cotidiano inseridos nela são de uma sutileza que comove. Adorei saber mais sobre a historia da música e seu texto foi maravilhoso!
    Bjãoooo

    ResponderExcluir
  18. Primeiramente, que blog lindo! Nossa, amei como você trouxe a música não apenas sozinha, mas com sua história, com detalhes (que são maravilhosos). Eu amo muito essa música e adorei saber mais sobre ela <3

    Sorria sempre :)

    ResponderExcluir
  19. Apesar de eu não ter nascido na época do Cazuza, acho as canções dele atemporais,pode passar gerações e gerações mas sempre será atual, verdadeiras poesias.

    ResponderExcluir
  20. Já pesquisei histórias de álbuns e artistas, mas nunca sobre uma música em específico. Só conheço uma música do Cazuza, sei que sua história terminou triste, por isso sempre tive aperto no peito de ir atrás.

    Bites!
    Tary Belmont

    ResponderExcluir
  21. Cazuza era um poeta, as músicas deles são lindas. Essa eu não conhecia ainda, mas adorei conhecer atravez dessa postagem.

    ResponderExcluir

© Lado Milla
Maira Gall