2 de junho de 2019

Uma Carta para Deus...

Inspirado nesse post aqui.

Deus,
 
eu não sei se o Senhor tem alguma rede social, se tem tempo livre para ler textos, ou se ao menos sabe que eu existo. Mas eu queria falar sobre a minha cachorra Mallu Malenotti. 


Ela é essa cachorra pequena sorridente e bonita aí da foto. Ela era pequena mas tinha uma coragem de cachorro de grande porte. Mesmo pequena, mandava no Teddy um Lhasa Apso que tinha o dobro  do seu tamanho Girls Power!)

E sabe aquela expressão muito popular "Manda quem pode obedece quem tem juízo "? Obedecia quem não queria levar algumas mordidas... A Mallu levou a sério a sua vocação de cão de guarda. Ela cuidou de mim e da minha família. Ficou ao nosso lado mesmo estando atenta ao minimo ruido que ouvia na rua, mesmo quando ninguém mais queria ficar...  Eu era a pessoa preferida dela, e fui guardada com uma lealdade, uma firmeza e, sim, um ciúme que pareciam não ter fim. 

Assim como o seu amor.  Ele fazia de tudo para me deixar feliz. Prestava atenção em tudo que eu dizia, com seus grandes olhos arregalados, de alguma forma parecia entender quando algo lhe parecia muito absurdo...  Ele fazia de tudo para me deixar feliz. Prestava atenção em tudo que eu dizia, com seus grandes olhos arregalados, mesmo que não entendesse uma só palavra. Dançava, se jogava e rolava no chão, se esparramava nas minhas pernas com cara de bobona mesmo sendo um dos seres mais inteligentes que eu já conheci. Caminhava de guia e coleira sempre na frente com uma delicadeza de elefante na loja de cristais mesmo tendo que levar alguns esporros ao longo do passeio.


A fome da Mallu era insassiavel! E quando ganhava pequenos pedaços de carne quase levava um pedaço do meu dedo junto... Roubava a comida do Teddy e ele sempre deixava... e olhava pra mim com o canto do olho, como um filha esperando minha aprovação. Não tem como você não se sentir especial ao ser amado por uma criatura tão linda e pura.


Eu estou te escrevendo tudo isso, Deus porque nessa semana o câncer o levou de mim. Eu e minha familia fizemos tudo que estava ao nosso alcance para evitar isso. Nos últimos dias, eu o carreguei em meus braços por toda a casa. Tentei tranquilizá-la, falando em seu ouvido o quanto eu a amava e como nunca iria deixa-la. Fui forte por ela, como tantas vezes ela foi por mim. Segurei em sua patinha trêmula e fiquei com ela até o último batimento de seu lindo coração. Ela já deve estar chegando aí, Deus peço que brinque com ela, corra na grama e e coce a barriga dela, sabe, todas essas coisas tão simples, mas que nos davam tanta alegria. Por favor, cuide bem da minha cachorrinha, até chegar o momento de eu ir para aí e me reencontrar com ela.

Para que eu seja merecedora disso, vou me esforçar em ser um boa mulher . E me inspirar na Mallu. Afinal, ele foi um bom menina.




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.

7 comentários

  1. Olaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!
    Os meus sentimentos. MUITA FORÇA! o cancro é tão ruim :(
    Beijokitaz












    www.devaneiosdemissl.com

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Meus sentimentos pela cachorrinha.

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    É muito difícil perder um bichinho, já passei por isso algumas vezes e toda vez me destruí por dentro. Com certeza a Mallu estará sempre em seus pensamentos. Meu sentimentos a você e sua família!

    ResponderExcluir
  4. Sei exatamente como se sente, pois perdi meu Beethoven há 4 anos e até hoje sinto saudades dele. Que Deus lhe dê muito conforto!!!

    ResponderExcluir
  5. Eu não sei o que dizer, além de te desejar todas as boas vibrações do mundo...
    Eu tenho um anjo aqui comigo e não sei se suportaria vê-lo ir... Acho que parte de mim iria junto! Estou aqui, conte comigo!

    ResponderExcluir
  6. Oi! Nossa, nem sei muito bem o que te dizer, mas começo te desejando muita força. Durante a vida, perdi alguns amigos cães e a dor é sempre difícil. Esse ano perdi a minha bebêzinha, antes de fazer um ano, por causa de pessoa horríveis que envenenaram ela. Até hoje me dá saudades e o choro vem, então, acredite, sei como é difícil. Te desejo muita força e paz nesse momento. Saiba que você ganhou mais um anjinho. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  7. A dor é muito forte, principalmente nos primeiros meses, mas depois resta a saudade e todos os momentos que a gente passa com eles, as vezes me encontro chorando vendo as fotos do meu gatinho que se foi e lembrando dele, mas mesmo coma falta que fica, não troco esses momentos por nada.

    ResponderExcluir

© Lado Milla
Maira Gall