5 de agosto de 2020

Semana 19: Meus seriados preferidos



Encontrei o projeto 52 semanas bem bacana na Blogosfera que consiste em citar 5 respostas para cada uma das 52 perguntas abaixo, fazendo assim, um Top 5 por semana. É o projeto mais longo que eu já participei... Mas, parece ser divertido !!! Pretendo responder ao projeto todas as Quartas-Feiras. 

Já fui uma pessoa bastante "desligada" quando se tratava de séries... Quando eu pensei pela primeira vez na possibilidade de assinar Netflix era para ver filmes e tal...

GILMORE GIRLS


Foi a primeira série que assisti na vida! E foi a primeira série que fiz maratona na Netflix . Lembro que foram meses intensos...

  


Gilmore Girls (Gilmore Girls: Tal Mãe, Tal Filha como conhecida em português) é um série de comédia/drama do canal americanoThe WB criada por Amy Sherman-Palladino e estrelada por Lauren Graham e Alexis Bledel, exibida no Brasil pelo canal Warner Channel na TV paga. A série estreou no The WB em 5 de outubro de 2000 e terminou em 15 de Maio de 2007 na sua sétima temporada no canal The CW. A série conta a história do cotidiano da mãe solteira Lorelai Victoria Gilmore (Lauren Graham) e sua filha Lorelai "Rory" Leigh Gilmore (Alexis Bledel) que vivem no pequeno povoado fictício de Stars Hollow, em Connecticut, pequena cidade com personagens bem peculiares e localizada cerca de trinta minutos de Hartford. A série explora diversos assuntos como família, amizades, conflitos geracionais e classes sociais.

OC- UM ESTRANHO NO PARAISO




Logo em seguida eu comecei a assistir a série OC - Um estranho no paraíso um pouco mais devagar... Porém, curtindo a série que relata a história de um grupo de adolescentes e das suas famílias que vivem em Newport Beach, do Condado Orange (Orange County, daí o O.C.), localizado na Califórnia. É uma série que tenta aliar comédia e drama com uma trilha sonora juvenil, sem ter nomes sonantes da música comercial mas sendo, ao mesmo tempo, muito atual. 

GOSSIP GIRLS





O seriado Gossip Girls é baseada na série literária homônima da escritora Cecily von Ziegesar, não representa originalidade bruta, mas representa originalidade derivada. Apoiando-se numa premissa básica de organização social. O autor Josh Schwartz e Stephanie Savage (dos mesmos criadores de OC- um estranho no paraíso), continuam apostando alto para marcar o seu nome história como ícone pop e como referência cultural. 

How I Met Your Mother



É um seriado de comédia com sintuações da vida real. Esse foi um dos motivos do HIMYM ser a minha série de comédia preferida! No decorrer dos episódios aprendemos muito com os conselhos do Ted do futuro, a relação do Marshall e da Lily (como não amar?), As situações Legendárias que o Barney passava com os amigos e até o beijo de Barney e Robin me fez torcer até o final para que o casal enfim se acertasse.


O How I Met Your Mother é cheio de lições sobre a vida e passa a mensagem de que não importa quanto tempo demore -- nove temporadas é muita coisa --, o amor da sua vida vai chegar um dia.

FRIENDS


Eu devia ter uns 15 anos quando ouvi falar de Friends pela primeira vez. A minha amiga Elisa tinha um "site-pessoal" que escrevia sobre o seriado Friends e as suas músicas e imagens favoritas... Nessa mesma época, meus pais fizeram uma assinatura da TV acabo, fiquei feliz com a possibilidade de assistir alguns episódios desse seriado na TV. Conheci outras séries nessa época (Gilmore GirlsFull House...) e cheguei assistir alguns episódios e as maratonas do canal Wharner Channel. Quando eu finalmente assinei a Netflix, eu comecei a assistir as séries antigas dos anos 90 até o ano 2000 driblando com as minhas dificuldades indisciplina & ansiedade em assistir séries. 

Na minha primeira pesquisa no catálogo de séries/filmes da Netflix eu encontrei o seriado Friends. Lembro-me, que na época eu fiquei bastante entusiasmada e um pouco nostálgica de ver alguns episódios desse seriado. Porém, eu não consegui passar nem da metade do episódio piloto. Na minha memória afetiva, eu acabei não lembrando da"risada de fundo"e isso incomodou bastante para continuar assistido essa série. 
Na semana passada, ao verificar pela milésima vez o catalogo de séries e filmes da Netflix. A capa do seriado Friends praticamente "pulou" na tela do Notebook.. Então, eu percebi que não poderia mais ignorar e nem dar desculpas esfarrapadas para não assistir esse seriado. À partir do momento que eu comecei assistir os primeiros episódios, eu sabia que não ia mais dar para parar. Passei o final de semana inteiro no meu quarto entre a cama e o sofá assistindo Friends.


Quando eu assisti os primeiros quinze episódios da 1° temporada de Friends. Eu tive aquela estranha sensação Por Que eu não vi essa série antes? Claro, Gilmore Girls vai continuar sendo a série da minha vida e O.C e Gossip Girl vai ser sempre as primeiras séries que fiz maratona na Netflix... Ano passado, quando eu estava assistindo os episódios da série How I Met Your Mother eu evitei entrar nos grupinhos de discussão comparando-o com Friends por acreditar que não existe comparação com seriados de épocas tão diferentes



ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também:

4 de agosto de 2020

Beda #04: Tag dos Escritores




A TAG consiste em 5 perguntas simples (a respeito de escritores), sendo assim rapidinha para mostrar um poucos dos gostos literários. Vamos lá:

O escritor que te iniciou no mundo da leitura:

No ensino fundamental eu sempre visitava a bibliotecas da minha escola e arriscava ler aqueles livros de poucas paginas no recreio. Na 6° série tínhamos aula de português e uma das atividades era fazer "fichamentos" dos livros que tínhamos que escolher durante a semana! O autor que mais me prendeu foi o Pedro Bandeira com o livro "A Droga da Obediência" com aventura do grupo de meninos chamados de Os Karas... Foi a primeira vez que li um livro "grande" do inicio ao fim e desde então, não parei mais.

Um escritor que te ganhou de volta e um que te perdeu para sempre:

Um que me ganhou de volta foi Jonh Gree com Cidade de Papel. Tinha lido anteriormente Theorema Katerine e fiquei frustrada com o decorrer da leitura, mas quando peguei o livro que citei acima, voltei a ler os livros dele com outro ânimo. O que me perdeu (sem eu mesmo ter amado) foi livros de Youtubers. Não consegui ler nenhum livro desse gênero.

Um escritor brasileiro e um estrangeiro:

Marcelo Rubens Paiva desde que li "Feliz Ano Velho" é um dos meu autores preferidos.R.J Palácio é extraordinária! Desses escritores eu leria até a lista do super-mercado...

Um escritor “zona de conforto”:

As crônicas do Carpinejar não são assuntos “zona de conforto”. Porém, são leituras rápidas e dinâmicas do dia-a-dia e de rápida reflexão.

Um escritor que você traria de volta dos mortos:

Sem dúvida alguma: Caio Fernando de Abreu. Sou suspeita a falar do “mundo” que ele criou, mas queria poder ter 1/4 de toda a criatividade que ele teve.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.Estarei comentando com vocês sobre o BEDA:  FanPage | Instagram | Bloglovin

3 de agosto de 2020

Beda #03: Fotografando Detalhes...



No final do mês de Julho/2o14, nasceu um projeto chamado Fotografando Domingos..." que consiste em colocar aqui, registros do meu final de semana (sexta-sábado e domingo). Não tem quantidade exata de fotos, pois, irá depender da quantidade de fotos que eu mesma fotografe nesses dias...

O  lugar escolhido dessa semana é o Quintal da casa do meus avós que fica ano sul da Ilha de Florianópolis/Sc  no Ribeirão da ilha.

Flor de pessegueiro (Prunus persica) é uma árvore decídua, nativa da China e sul da Ásia, de folhas alternas e serreadas, flores roxas e drupas pubescentes, comestíveis e com propriedades aperitivas e digestivas. Possui inúmeras variedades hortícolas.

No fundo, é quando a  casa dos meus avós não tinha um muro separando a praia do quintal.






 

Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

2 de agosto de 2020

BEDA#02: "Quando eu me tornei gente que escreve ..."




A história do seu blog, como ele surgiu? O que te levou a começar?

Eu comecei a escrever na Blogosfera no inicio do ano 2000. Em uma plataforma para jornalistas que era gratuita e bastante precária, considerando os blogs famosinhos na época... A linha editorial desde o meu primeiro blog é não-ter-linha-editorial. Os meus textos eram um aglomerado de dramas de adolescentes e Ilustrados com imagem piscantes. 

Quando eu comecei a conhecer os Blogs da plataforma Uol (zip.net) que eram a sensação da Blogosfera 2000 com aqueles maravilhosos template e imagens piscantes. Eu fui percebendo que aquela plataforma não suportava aquela explosão de cores que a blogosfera tinha... Então migrei para o Uol, o endereço era mylinda.zip depois de tantos template piscantes, coloridos, rosa bem no estilo patricinha e preto no estilo emo... O ultimo template era de uma Bailarina. 

No final de 2008, eu fui ser clean no Blogger... Eu fui influenciada por algumas amizades que eu tinha na Blogosfera na época, e acabei criando o versosembossa.blogspot.com e eu acabei me tornando "alguém que escreve na Blogosfera" eu escrevia sobre o meu dia-a-dia na faculdade, o quanto eu estava odiando o estágio ñ obrigatório... e nos shows que eu comecei a ir naquele ano. Desde o inicio, quando começaram a surgir os primeiros blogs eu nunca soube o que estava fazendo: 

"A minha amiga tinha um site pessoal que era muito parecido com o formato dos blogs pessoais dos dias de hoje... Eu sempre achei tudo aquilo o máximo! Queria fazer um "site pessoal" no mesmo estilo ...". 

Em 2013, eu perdi tudo... (Sempre façam backup!). Desde aquela época, eu tenho refletindo bastante sobre ser "Alguém que escreve na Blogosfera..." Mas escrever sobre os meus delírios é a única coisa que sei fazer para não enlouquecer... Desde a primeira vez que visitei a plataforma Blogger.com e cliquei para criar um Novo Blog com o nome "Lado Milla" e escrevi as primeiras linhas da 50° postagem. Eu acabei percebendo que escrever na Blogosfera ainda é essencial e contar o meu lado da história. Isso é necessário para registrar& organizar a lyfe.

Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei comentando com vocês sobre o BEDA

1 de agosto de 2020

BEDA: Blog Every Day August.


 

Faltando alguns dias para o mês de Agosto eu lembrei do BEDA: Blog Every Day August. O mês de agosto, é aquele mês que tem uma grande quantidade de posts com a qualidade desses textos um pouco questionável... Porém, a grande lição daquele ano foi que é possível escrever todos os dias!

Em tempos de Quarentena... Eu quero usar essas "Horas cheios de nada" para escrever & fotografar nesses dias do mês.

Recapitulando...

BEDA é um projeto inspirado no VEDA (Vlog Every Day April) e que significa Blog Every Day August. O que quer dizer que a ideia é fazer um postagem por dia – ou, convenhamos, tentar ao máximo!– durante todo o mês de agosto. Agosto é um mês bem importante na blogosfera, isso porque dia 31/08 é o Blog Day, dia em que a gente espalha amor pela blogosfera e indica os amigos lindos!

O papel dos leitores nessa história é me amarem e me apoiarem independente de tudo isso, e estarem avisados que esse projeto está sendo encarado como um Desafio. Não levem a mal se houver textos xingando muito o BEDA! Mas, iremos nos divertir - e nos desesperar- muito durante a jornada...




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei comentando com vocês sobre o BEDA

31 de julho de 2020

E tagarelou, tagarelou a falar... ♫

Hellow. Quarenteners!

A minha vida (e da maioria da população...) estamos dentro de casa saindo apenas quando é necessário... Em quarentena, sem muita coisa para escrever sobre o meu dia-a-dia

❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤



O T de TAG que consiste em colocar aqui, as tag´s em que eu era desafiada a responder. Em tempos de "Quarentena mundial" e para mudar um pouco de assunto... Esse mês respondi: FOLKLORE BOOK TAG

Nas Quartas-feiras, nós usamos rosa...Temos o Projeto 52 semanas que consiste em citar 5 respostas para cada uma das 52 perguntas fazendo assim, um Top 5 por semana: Semana 15: O que há de pior no mundo virtual?, Semanas - 16: Isso, pra mim, não é diversão, Semana 17 - Personagens cuja vida eu gostaria de v... SEMANA 18 - Sinto saudades...

Re-escrevi algumas crônicas antigas que já pareceram aqui no blog: A Bruxinha de Biscuit....


A Gabriela do Me Paga Uma Coca? viu uma corrente no Twitter (?) sobre as piores dores que a gente já sentiu e a Gabi além de listar algumas dores. Ela escreveu um post falando um pouco mais sobre as suas dores... Como ela mesmo escreveu "...porque todo ser humano gosta de falar dos sofrimentos que já passou e também gosta de causar choque e/ou pena nos outros, no sentido de "veja o que me aconteceu, horrível né?". Essa pessoa que voz escreve, adora entrar nas "vibes erradas" e resolveu listar e escrever sobre as suas dores também: Sobre as minhas dores....

O QUE EU LI ESTE MÊS


Eu comecei o mês lendo, 𝑨 𝑳𝒐𝒏𝒈𝒂 𝑽𝒊𝒂𝒈𝒆𝒎 𝒂 𝑼𝒎 𝑷𝒆𝒒𝒖𝒆𝒏𝒐 𝑷𝒍𝒂𝒏𝒆𝒕𝒂 𝑯𝒐𝒔𝒕𝒊𝒍 da Becky Chambers resolvi dar uma pausa na leitura para participar das Leituras Coletivas:


No mês de agosto, eu vou ler Coraline. Esse livro simplesmente pulou na minha pessoa na ultima voltinha na livraria... E eu estou participando da minha primeira Leitura Coletiva ativamente junto com os @macabreiros⚔💀☠☠⚔ Também no mês de Agosto me juntarei a Luana do @chadeluh para participar da leitura coletiva do livro 𝕄𝕖𝕕𝕚𝕔𝕚𝕟𝕒 𝕄𝕒𝕔𝕒𝕓𝕣𝕒, um dos últimos lançamentos do selo @macabratv da @darksidebooks.



Escrevi um pouco sobre mulher na literatura em: Precisamos conversar sobre a mulher na literatura.

Observando as minhas Resenhas Literárias percebi que elas estão desorganizadas e outras sem fotografias dos livros... Fotografei alguns livros e organizei a minha primeira Resenha: A Vida do Livreiro A.J. Fikry

 O QUE EU ASSISTI ESTE MÊS



Nessas madrugadas, onde eu estava zapeando os canais da net eu parei na Disney Channel e estava passando a série: Gabby Duran: Babá de Aliens... 5 motivos para assistir ‘Gabby Duran: Babá de Alie...




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também:

29 de julho de 2020

SEMANA 18 - Sinto saudades...


Encontrei o projeto 52 semanas bem bacana na Blogosfera que consiste em citar 5 respostas para cada uma das 52 perguntas abaixo, fazendo assim, um Top 5 por semana. É o projeto mais longo que eu já participei... Mas, parece ser divertido !!! Pretendo responder ao projeto todas as Quartas-Feiras. 


Polenta preparada pela minha vó

Show e bailinhos...


Cidade de Porto Alegre/RS:


Estágio de Psicologia Escolar:




ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também

26 de julho de 2020

Resenha: A Vida do Livreiro A.J. Fikry





Livro: A Vida do Livreiro A.J. Fikry
Autor: Gabrielle ZevinAno: 2014 /
Páginas: 192
Editora: Paralela




Sinopse: A Vida do Livreiro A.J. Fikry - Uma carta de amor para o mundo dos livros “Livrarias atraem o tipo certo de gente”. É o que descobre A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo. Aos poucos, A. J. reencontra a felicidade e sua livraria volta a alegrar a pequena Alice Island. Um romance engraçado, delicado e comovente, que lembra a todos por que adoramos ler e por que nos apaixonamos.

“As pessoas contam mentiras chatas sobre política, Deus e amor. Você descobre tudo que precisa saber sobre uma pessoa com a resposta desta pergunta: Qual é o seu livro preferido?"
 

Nesses últimos meses, eu resolvi ler os meus livros ainda "ñ lidos" e diminuir a quantidade de leituras na prateleira dos "livros não lidos". Sim, sou chata... os livros só vão para a parte superior da estante, depois de devidamente devorados lidos. Adquiri esse livro no segundo semestre do ano de 2014 e até fotografei no ultimo Book Haul do segundo semestre. Mas, eu só fui realmente ler esse livro na segunda semana desse mês de fevereiro. Nesse momento, me encontro em um estado um tanto que #reclamona (Será que é por causa do inferno astral?) mas, diferente de outras épocas me sinto culpada, de ficar procurando motivos para reclamar. Pois, se ficarmos procurando motivos para reclamar a lista será infinita... Fazendo parecer que, não temos motivos suficientes para sermos gratos.

“Às vezes os livros só nos encontram no momento certo.”


Quando eu tinha uns 07 anos mais ou menos, quando os professores chamavam a minha atenção costumavam repetir a frase: "Nenhum homem é uma ilha." e era assim que eu me sentia, quando na maioria das vezes lanchava sozinha nos inúmeros intervalos do ensino fundamental... Quando aprendi a ler e descobri que Cada livro é um mundo e cada semana estava em um mundo diferente mesmo estando no mesmo lugar.







A Desvantagem de ser sozinha "é, qualquer bagunça que faça, você mesmo tem que limpar." e acabei me tornando responsável por todas as "sujeiras" que eu fazia na vida...Quando as coisas pioravam eu corria para os meus pais e eles estavam sempre lá, me protegendo.







Sou contemplada em morar em uma cidade com quatro grandes livrarias e aprendo no livro do livreiro... que "Um lugar não é um lugar sem uma livraria". Mesmo assim, não acho que seria um trabalho ideal. Leio por prazer, nos finais de semana solitário e esses dias são os mais divertidos. Não conseguiria fazer disso uma obrigação apesar do conhecimento adquirido de poder falar com propriedade sobre livros que é um dos meus assuntos preferidos.





Os personagens secundários Amelia Daniel e Maya são envolventes e completamente essências para toda a mudança na vida do personagem principal A.J. Fikry.







Lembra-se Maya: As coisas que nos tocam aos vinte não são necessariamente os que nos tocam aos quarenta, e vice versa. Isso é verdade para os livros e para a vida.



Foi uma das minhas leituras preferidas daquele ano! A Autora Gabrielle Zevin conseguiu fazer uma verdadeira declaração de amor ao mundo do livro, A Vida do Livreiro A.J. Fikry passam mensagens de gratidão  e amor ao próximo e aos livros. É uma dos meus livros queridinhos da minha estante e é uma leitura que eu recomendo.


ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também :

24 de julho de 2020

FOLKLORE BOOK TAG

Hoje não é dia de T de TAG. Mas a 𝐠𝐚𝐛𝐢 𝐬𝐤𝐲𝐰𝐚𝐥𝐤𝐞𝐫 do twiiter @ronanlvynch criou originalmente um BOOK TAG do ultimo álbum da Taylor Swift com o titulo de FOLKLORE.

1. The 1: o primeiro livro de uma série que você ame

Eu não curto muito ler livros de uma série. Mas, eu gostei do Orfanato da S.r. Peregrine eu li somente o primeiro livro e realmente amei! Mas, confesso que tenho preguiça de continuar a leitura.






2. Cardigan: um livro que você madrugou para terminar


Em 2013, eu li Extraordinário, A história de Auggie Pullman, o menino de aparência incomum... Lembro de ter madrugado lendo e e me emocionando com Auggie... E três anos depois, madruguei lendo  O livro Auggie& Eu - Três histórias Extraordinárias não é uma continuação do livro Extraordinário e sim um complemento da história... Dos personagens em relação ao Auggie.



3. the last great american dynasty: um livro que arruinou uma série
Filha Das Trevas - Série Saga Da Conquistadora - Livro 1 Autor: White, Kiersten arruinou a possibilidade de eu ler os outros livros... Infelizmente, a leitura não atendeu as minhas expectativas... Um dos motivos é que esse livro NÃO É DE FANTASIA! e isso não fica claro na sinopse. Esse livro é um reconto histórico sobre os filhos do Vlad da Transilvânia e o Império Otomano. Na minha opinião, misturar fatos históricos com licença poética nada mais é, que fazer um "samba do "crioulo doido" na história. Outro ponto negativo, é a narrativa desse livro que é cansativa por ser muito lenta.

4. exile: um livro escrito por dois autores ou narrado por dois pontos de vista

Deixe a Neve Cair reúne três contos que se passam durante uma nevasca natalina e, de certa forma, se cruzam em determinado momento. Os escritores Maureen Johnson, John Grenn, Lauren Myracle se juntam para escrever esses contos

5. my tears ricochet: um livro impactante que você ainda não superou

O livro O Ódio que Você Semeia da autora Angie Thomas É um tipo de leitura que te causa impacto nas primeiras páginas... Não é um livro fácil, não é uma história simples. É a realidade sem maquiagens. É a ficção descrevendo cada detalhe sobre o mundo em que vivemos, expondo os muitos lados dele - e um desses lados é corroído pelo ódio, pela discriminação, pelo preconceito. É impossível não se identificar com Starr independente da cor da pele as suas ações e o seu comportamento são julgados pela cor da sua pele. Starr vive a mesma realidade que muitos outros jovens. Khalil foi assassinado pela mesma realidade que a de muitos outras vítimas. 

6. mirrorball: um livro guilty pleasure que você ama

Cartas de amor aos Mortos Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky


A leitura é bastante intensa. O que era uma lição, acabou virando um verdadeiro diário com desabafos "Alguns segredos só conseguimos contar aos nossos maiores ídolos" se transformando em uma maneira de Laurel lidar com seu primeiro ano em uma escola nova e com a família despedaçada depois da morte de sua irmã.


7. seven: um livro que você leu há muito tempo, mas ainda é favorito




Feliz ano Velho do Marcelo Rubens Paiva eu li na época da "Biblioteca Unibanco" na empresa de telemarketing que eu trabalhava na época... Tive que comprar uma nova edição para colocar na minha estante

8. august: um livro que você tinha grandes expectativas, mas acabou não sendo tudo aquilo

Teorema Katherine; Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines.


É uma Leitura sofrível! No decorrer do livro veio à pergunta “tem certeza que é o mesmo autor?” fiz algumas tentativas nos dias anteriores, mas a leitura não engrenava só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro... Algumas partes animam, que Colin fala sobre constelações e sobre a importância que é para ele como um garoto prodígio fazer a diferença no mundo tem sacadas realmente bacanas no decorrer da historia... (spoiler)

9. this is me trying: o livro debut de um autor

eu sou burra que não entende esses termos, não sei o que é isso


10. illicit affairs: um casal que você nunca foi fã


O livro A Culpa É Das Estrelas o autor não trabalhou direito o casal Isaac e Monica já que logo eles iriam terminar por isso eu odeio eles por não ter tido nenhum tipo de química...


11. invisible strings: um livro que você leu no momento errado


Mariam tem 33 anos. Sua mãe morreu quando ela tinha 15 anos e Jalil, o homem que deveria ser seu pai, a deu em casamento a Rashid, um sapateiro de 45 anos. Ela sempre soube que seu destino era servir seu marido e dar-lhe muitos filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Laila tem 14 anos. É filha de um professor que sempre lhe diz: "Você pode ser tudo o que quiser." Ela vai à escola todos os dias, é considerada uma das melhores alunas do colégio e sempre soube que seu destino era muito maior do que casar e ter filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Confrontadas pela história, o que parecia impossível acontece: Mariam e Laila se encontram, absolutamente sós. E a partir desse momento, embora a história continue a decidir os destinos, uma outra história começa a ser contada, aquela que ensina que todos nós fazemos parte do "todo humano", somos iguais na diferença, com nossos pensamentos, sentimentos e mistérios.







Na época que eu li esse livro eu estava muito mal (no trabalho, na faculdade, em casa...) e essa leitura me deixou muito mal se tornando uma leitura ruim naquele ano.


12. mad woman: uma personagem feminina meio insana


Anna Oliphant não está nada entusiasmada com a ideia de se mudar para Paris. Porém, seu pai, um famoso escritor norte-americano, decidiu enviá-la para um colégio interno na Cidade Luz. Anna prefere ficar em Atlanta, onde tem um bom emprego, sua fiel melhor amiga e um namoro prestes a acontecer. Mas, ao chegar a Paris, ela conhece Étienne St. Clair, um rapaz inteligente, charmoso e bonito, que além de muitas qualidades, tem uma namorada...



Anna Oliphant. Foi a personagem adolescente que eu mais odiei ao decorrer da leitura... Uma menina mimada, que na maioria das vezes fazia ceninha quando estava com o seu pai. Faz o leitor querer dar uns belos tapas nessa garota...


13. epiphany: um livro que te deixou totalmente sem palavras


O Diario de Myriam, Myriam Rawick. A Guerra da Síria vista pelos olhos de uma menina.O Diário de Myriam é um registro comovente e verdadeiro sobre a Guerra Civil da Síria.

14. betty: um livro que todo mundo odeia, mas você ama

Não, sei...


15. peace: um livro que você sente ciúmes


A Culpa É Das Estrelas do John Green. possui um enredo bem elaborado, de fácil leitura e compreensão. Em diversas passagens do livro o autor se aprofundou no assunto para trazer aos leitores um retrato dos adolescentes que sofrem com o câncer, ao mesmo tempo, tenta passar a mensagem que eles querem ser vistos como “pessoas” e não como “vítimas do câncer”.




16. hoax: um livro de fantasia que te fez sofrer

ECOS,é um lançamento da DarkSide Books, é a primeira Editora do Brasil dedicada ao terror e à fantasia A editora criou uma coleção Darklove com histórias sobre a força feminina na literatura.


Tudo começa, 50 anos antes da segunda Guerra Mundial, Otto estava em uma floresta em algum lugar do mundo brincando de "Pira se esconde" (esconde-esconde), até que ele se perde na floresta e começa a ler um livro "A 13º Gaita de Otto Mensageiro" que comprara de uma cigana momentos antes.  Esse livro me fez sofrer porque leio de madrugada e ficava curiosa na medida que eu ia lendo...


ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):


© Lado Milla
Maira Gall