12 de setembro de 2020

Resenha: O Diario de Myriam





Título: O Diario de Myriam
Autor: Myriam Rawick
Editora: Darkside
Ano de Edição: 2018
Avaliação: ☕☕☕☕☕






“Meu nome é Myriam, eu tenho treze anos. Cresci em Jabal Saydé, o bairro de Alepo onde nasci. Um bairro que não existe mais.”.


O Diário de Anne Frank tornou-se um dos livros mais lidos do mundo. O relato tocante e impressionante das atrocidades e dos horrores cometidos contra os judeus faz deste livro um precioso documento e uma das obras mais importantes do século XX. De um lado, uma menina judia que passou anos escondida no Anexo Secreto tentando sobreviver à guerra de Hitler. De outro, uma garota síria que sonha ser astrônoma e vê seu mundo girar após a eclosão de um conflito que ela nem mesmo compreende.

A Guerra da Síria vista pelos olhos de uma menina.O Diário de Myriam é um registro comovente e verdadeiro sobre a Guerra Civil da Síria. Escrito em colaboração com o jornalista francês Philippe Lobjois, que trabalhou ao lado de Myriam para enriquecer as memórias que ela coletou em seu diário, o livro descortina o cotidiano de uma comunidade de minoria cristã que sofre com o conflito através dos olhos de uma menina. 





Mesmo separadas por mais de setenta anos, Anne Frank e Myriam Rawick têm um elo comum: ambas são símbolos de esperança e resistência contra os horrores de um país em guerra e acreditam no poder das palavras. O Diário de Anne Frank emocionou leitores de todos os cantos do mundo, e agora é hora de conhecer O Diário de Myriam, mais recente lançamento da linha Crânio da DarkSide® Books. 
"Quando a guerra começou, minha mãe sugeriu que eu escrevesse um diário. Nele, contava tudo o que tinha feito no meu dia. Eu pensei que assim eu poderia um dia lembrar de tudo o que aconteceu."

O Diário de Myriam faz parte da linha Crânio — a nova linha editorial de não-ficção da DarkSide® Books — estimula o leitor a entender e questionar o mundo que estamos construindo.O testemunho de Myriam faz um convite à reflexão do agora e estimula o leitor a entender e questionar o mundo que estamos construindo — além de ser um exercício de empatia pela dor do outro.


O Diário de Myriam apresenta a perspectiva de uma menina que teve sua infância roubada ao crescer rodeada pelo sofrimento provocado pela Guerra da Síria, iniciada em 2011. 

A guerra na Síria teve início por meados de março de 2011 quando pessoas insatisfeitas e incomodadas com o governo de Bashar al-Assad, começaram protestos pacíficos nas ruas e foram recebidos de forma violenta e brutal, dando início a uma guerra civil. O que era só uma insatisfação contra o governo atual, acabou desencadeando uma guerra pelo poder! Todos começaram atacar uns aos outros e atacar de todas as formas o ditador. Tudo isso piorou quando o Estado Islâmico entrou no confronto. Mais de 500 mil pessoas já foram mortas, sendo mais da metade, Civis! É um número muito chocante e assustador!
Myriam começou a registrar seu cotidiano após sugestão da mãe, que propôs que ela contasse tudo aquilo que viveu para, um dia, poder se lembrar de tudo o que aconteceu. 


Escrito entre novembro de 2011 a dezembro de 2016, o diário alterna entre as doces memórias do passado na cidade de Alepo e os dias doloridos e carregados de incertezas. E é com a sensibilidade de uma autêntica contadora de histórias que ela narra a preocupação crescente de seus pais com as notícias na tv, as pinturas revolucionárias nos muros da escola, as manifestações contra o governo, a repressão, o seqüestro de seu primo e, por fim, os bombardeios que destroem tudo aquilo que ela conhecia.


Nas aulas de história do ensino médio até a faculdade de Psicologia. Incluindo o meu TCC foi um projeto de pesquisa sobre Problemas Psicológicos na Migração com os Haitianos na cidade de Florianópolis/SC. eu escuto e leio a frase que devemos lembrar a História das grandes guerras para não repetimos os mesmos erros e ler  O Diario de Myriam foi praticamente um soco no estômago em perceber que a História  continua se repetindo...




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também:

2 comentários

  1. Muito bom, o livro parece ser bem interessante. Também gostaria de ver seu TCC, deve ter sido um trabalho bem extenso.

    ResponderExcluir
  2. Eu li esse livro no ano passado e foi um dos mais bonitos que já li na vida. Acredito que esse tipo de livro nos faz refletir sobre as coisas horríveis que acontecem no mundo com algumas pessoas e, mais importante: nos lembra que não são números numa estatística; são pessoas, seres humanos que perderam suas casas e suas vidas!

    ResponderExcluir

➤ Todos os comentários são moderados.
➤ Comentários rasos e sem sentido não serão aceitos: Nem respondidos e muito menos retribuídos.
➤ Se você NÃO leu o post ou o assunto NÃO te interessa, NÃO COMENTA!
➤ A você que leu o post e vai fazer um comentário pertinente ao assunto, meu muito obrigada.
O mais breve possível passarei em seu blog para retribuir o carinho.

© Lado Milla
Maira Gall