14 de setembro de 2020

Resenha: Auggie&Eu - Três histórias Extraordinárias







Auggie&Eu- Três histórias Extraordinárias 
R. J. Palacio
Ano: 2015 
Editora: Intrínseca
Avaliação:☕☕☕☕☕ 




O livro Auggie&Eu- Três histórias Extraordinárias não é uma continuação do livro Extraordinário e sim um complemento da história. Sim, você terá que ler o livro para conseguir entender o decorrer da história. O livro é divido em 3 diferentes perspectivas. Tornando-se a narrativa mais atraente e com uma história mais rica. Quando não foca em somente em um personagem como no livro Extraordinário.



Os Personagens Importantes ganham novas perspectivas: Julian, Christopher e Charlotte, personagens da vida de Auggie, narram nos três contos reunidos no livro Auggie e eu seus encontros e desencontros com o amigo extraordinário. 



A história de Auggie Pullman, o menino de aparência incomum que tem encantado milhares de leitores desde o lançamento do romance Extraordinário, em 2013, ganha agora novas perspectivas: Julian, Christopher e Charlotte, personagens da vida de Auggie, narram nos três contos reunidos no livro Auggie e eu seus encontros e desencontros com o amigo extraordinário: 

O capítulo do Julian dá voz a um personagem controverso: o menino que liderava o bullying contra Auggie na escola. Enfim temos a oportunidade de entender o que o levou a agir dessa forma e o que Julian pensa das próprias ações. 

Em Plutão, o narrador é Christopher, o primeiro amigo de Auggie. Os dois meninos compartilham lembranças da infância e, apesar de terem se distanciado, aprendem que boas amizades sempre valerão um esforcinho a mais. 

Shingaling mostra Auggie pelos olhos de Charlotte, a única menina entre as três crianças escolhidas para apresentar a Auggie sua nova escola. Com ela entramos no universo das garotas e vemos como a chegada de Auggie afetou as relações entre elas. Para quem sente saudades do menino cativante de feições e personalidade extraordinárias e tem curiosidade em saber mais sobre sua história, Auggie & eu é um verdadeiro presente. A narrativa do livro As Ilustrações das crianças servem como divisória dos capítulos do livro. Atenção! Esse livro contém gatilhos de bullying em ambiente escolar.

R. J. Palácio mora em Nova York com o marido, os dois filhos e dois cachorros. Por mais de vinte anos foi diretora de arte e designer gráfica, trabalhando nos livros de outras pessoas enquanto esperava o momento certo para começar o próprio romance. Sua estréia na literatura foi com Extraordinário. Desde que eu ouvi a história do livro Extraordinário em um dos eventos da Intrínseca eu fiquei encantada! Não vendo a hora de ler esse livro

A narrativa do livro Auggie&Eu é dividido em três contos: capitulo de Julian: Julian não era apenas um menino mimado... Seus pais arrumavam justificativas para cada ato que ele cometia. No começo, Julian é apenas um garoto petulante da maneira como ele trata o Auggie chamado ele de "monstro" e o seu possível transtorno de ansiedade e pesadelos parece um tanto dramático típico de um garoto mimado como Julian. Mas, a vida tem um jeito um tanto peculiar de nos ensinar... Depois do castigo do diretor Busanfa e isso inclui não ir para a "colônia de férias"seus pais lhe mandam passar as férias em Páris. Depois de uma conversa emocionante e esclarecedora com sua vó, Julian consegue perceber como as suas atitudes foram cruéis e pela primeira vez sente remorso das atrocidades que ele cometeu com Auggie em vez de arrumar "justificativas" mudou o seu comportamento e escreveu o mais bonito preceito "È preciso recomeçar".

“Julian. Você é tão novo. Você sabe que as coisas que fez não estavam certas. Mas isso não significa que você não seja capaz de fazer o que é certo. Significa apenas que escolheu o caminho errado. Foi isso que quis dizer quando falei que você cometeu um erro.”



No capitulo de Plutão, conhecemos o ponto de vista de Christopher. Amigo de August desde que tinha poucos dias de vida. Como cresceram juntos, ele nunca viu Auggie como diferente. Pelo contrário, ele só percebeu que havia algo de errado quando atitudes das pessoas de fora começaram a se manifestar. Com o passar do tempo, eles se distanciam, Chris faz novas amizades e isso vai brotando em sua cabeça, pouco a pouco, pensamentos egoístas em relação a sua amizade com Auggie. ele e considera essa amizade mais difícil de manter do que com outros garotos. É preciso algo inesperado para que ele perceba a importância da família e das amizades verdadeiras.




No capitulo de Shingaling, conhecemos o ponto de vista de Charlotte (a garota que fez parte da comissão de boas-vindas de Auggie com Julian e Jack Will). Charlotte é uma garota gentil, nunca tratou Auggie de maneira ruim como seus colegas, mas nunca o defendeu também. Na verdade, ela procurou se manter neutra quando o assunto era a guerra entre os garotos. Este capítulo é bem focado em amizade, principalmente sobre ter amigos que gostam de você exatamente como é, sem a necessidade de tentar se “moldar” para se encaixar em alguma turma ou aparentar ser diferente para que o admirem. Traz mensagens muito bonitas sobre o que realmente importa.


Julian não era apenas um menino mimado... Seus pais arrumavam justificativas para cada ato que ele cometia. 

No inicio, Julian é apenas um garoto petulante da maneira como ele trata o Auggie chamado ele de "monstro" e o quanto o transtorno de ansiedade foi usado apenas para justificar um comportamento babaca e os seus pesadelos parecem um tanto dramático típico de um garoto mimado como Julian. 


“[…] Eu cometi um erro com Tourteau. Mas o bom da vida, Julian, é que ás vezes podemos consertar nossos erros. Aprendemos com eles. Nós nos tornamos pessoas melhores. Nunca mais cometi com ninguém o erro que cometi com Tourteau. E tive uma vida muito, muito longa. Você também vai aprender com esse erro. Deve prometer a si mesmo que nunca mais vai se comportar assim de novo. Um erro não define quem você é, Julian. Entende? Você pode simplesmente fazer a coisa certa da próxima vez.”


Mas, a vida tem um jeito um tanto peculiar de nos ensinar... Depois do castigo do diretor Busanfa e isso inclui não ir para a "colônia de férias" seus pais lhe mandam passar as férias em Páris. A conversa com sua vó foi esclarecedora e emocionante. Julian consegue perceber como as suas atitudes foram cruéis e pela primeira vez sente remorso das atrocidades que ele cometeu com Auggie em vez de arrumar "justificativas" mudou o seu comportamento e escreveu o mais bonito preceito "È preciso recomeçar". Quantos Julian's você já conheceu? Você já foi um Julian na vida de alguém? Quando eu terminei de ler o capitulo do Julian senti vontade de abraçar forte esse personagem com a sua coragem de mudar o seu comportamento e atitude ele pode tornar-se alguém melhor.

“—Estou orgulhosa de você, Julian. —Você acha que ele vai me perdoar? —Isso é com ele. No fim, mon cher, tudo o que importa é que você se perdoe. Você está aprendendo com seu erro. Como eu aprendi com Tourteau.”




Auggie&Eu - Três histórias Extraordinárias Juntamente com o livro O Extraordinário é um dos meus livros preferidos ouve uma identificação com a mensagem que a história tenta transmitir que é Quando você não sabe o que fazer, simplesmente seja gentil. Não tem como dar errado.




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também:

6 comentários

  1. Adorei sua resenha!! Já li Extraordinário e é um livro que realmente faz jus a seu nome!! Amei saber que há um complemento na história e estou louca para ler agora hehe.
    Caso queira visitar o meu blog também, ficarei muito feliz: https://onlysecretdreams.wordpress.com/
    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha, já estou com vontade de ler o livro! Apesar de que seria bem melhor se fosse todos juntos!
    Beijos :*
    http://diariofemininno.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Camyli, tudo bem? Eu confesso que não tive coragem de ler Extraordinário por medo do livro ser triste, não sei se é o caso, mas vou esperar o momento certo para ler. Esses livros que vc resenhou hoje parecem ser bem interessantes dentro do contexto do primeiro, pois trás o outro lado da moeda, a visão dos personagens que ajudam a construir a trama, isso é muito rico em uma história. Penso que são bons livros para apresentar aos mais jovens pois abrem a visão para aquilo que é considerado diferente, gostei da resenha :)

    ResponderExcluir
  4. poxa, eu li Extraordinário em 2014 e não gostei tanto :( acho que criei muita expectativa. amei o enredo, mas não curti a narrativa.
    talvez eu tenha lido na hora errada... lembro que li 'a culpa é das estrelas' num momento bem triste e amei; quando voltei a ler, 1 ano depois, achei bem chato e doei (vai entender!)

    bom começo de ano pra ti :D

    www.amorquevoa.blogspot.com
    www.pe-dri-nha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Nossa, faz muito tempo que estou querendo esse livro, mas uma coisa me impedi ($$) :( Adorei a resenha positiva e seu modo de escrever, agora que quero mesmo comprar!! Beijinhos Camyli <3

    ResponderExcluir
  6. Muito boa a resenha...Deu vontade de ler, vou ter que arrumar ele pra ler agora rs Tomara que eu encontre e goste :)

    ResponderExcluir

➤ Todos os comentários são moderados.
➤ Comentários rasos e sem sentido não serão aceitos: Nem respondidos e muito menos retribuídos.
➤ Se você NÃO leu o post ou o assunto NÃO te interessa, NÃO COMENTA!
➤ A você que leu o post e vai fazer um comentário pertinente ao assunto, meu muito obrigada.
O mais breve possível passarei em seu blog para retribuir o carinho.

© Lado Milla
Maira Gall