SEARCH RESULTS
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta a banda. Classificar por data Mostrar todas as postagens

27 de abril de 2020

Canção de Segunda: A Banda Mais bonita da Cidade



Hoje a TAG #Canção de segunda vai sair um pouco diferente vai ser mais um "diário de chalaça" sobre um dos shows mais bacanas que fui...

Quinta-feira, dia 18 de julho de 2013. Em Florianópolis na capital de Santa Catarina, a temperatura da cidade estava caindo gradativamente, em ameaça da tal “geada negra”, mas felizmente Era só um forte vento sul resultando na ventania e do frio daquela noite. A “sonífera ilha” digo, Florianópolis, saturada de falta de cultura e bons shows… Naquela noite de forte “vento sul” recebeu A Banda Mais bonita da Cidade. 
A cidade onde moro, é a capital do estado de SC, mas, quando se procura “eventos culturais” na city… Aqui mais parece cidade do interior. Mãããsss a questão era que tinha um programa legal (em uma noite tão fria, bacana e com pizza…) rs, na minha querida cof, cof  cidade, não podia pensar na possibilidade de não ir. Na bagunça que se encontrava o meu quarto com o guarda roupa recém desmontado, O grau de dificuldade de achar uma roupinha bacana pelos cantos da sala foi proporcional à bagunça que estava os aposentos…

O Teatro Álvares de Carvalho (TAC) é um dos teatros mais “humildes” aqui da região. Lembro-me de ter ido poucas vezes quando eu era menor, em excursão com a escola para ver peça infantil. Mesmo o teatro sendo “humilde” não tira o clima clean do show e a roupa também tem que ter o mesmo clima sem o tênis surrado companheiro fiel de *chalaças.  O TAC é um teatro pequeno, comparados aos outros dois teatros mais novos da cidade.  Mas, ainda assim é ambiente aconchegante e bem bacana para shows. Cheguei uns 30min antes no TAC para comprar ingresso (graças à falta de divulgação ainda tinha ingresso na hora…) e como não tem marcação de poltronas, era só entrar e sentar na poltrona que quiser (Prefiro assim!).

O “show de abertura” foi da Ana  P _ Falo em outro momento o que penso sobre banda de abertura…_ ¬¬. Não conheço nada sobre o trabalho da Ana, se não me engano, acho que ela participa do clipe “oração” e eu achava que ela fazia parte da Banda Mais bonita… Confesso que fiquei meio que boiando na apresentação dela. Embora eu tenha curtido algumas musicas, acabei aproveitando o primeiro show para fotografar _ Tenho uma “quedinha” por fotos de palco ** _. O clima da ultima musica da Ana foi um convite para a Uyara vocalista da banda mais bonita… Subir ao palco e começar o show da… 

 A BANDA MAIS BONITA DA CIDADE


Esse foi o meu primeiro show que fui da banda, do segundo show da mesma na minha cidade¬¬ dessa vez não me liguei muito no set-listdo show, mas só não entraram no set duas musicas que serão lançados no novo álbum. 

A musica “Oração” foi à primeira musica a fazer sucesso por causa da internet, mas, a banda não corre mais o risco de ser conhecidos como A banda de uma musica só tendo outras musicas da banda que valem a pena ouvir: Mercadorama, #mimimi (vai entrar no segundo álbum…), Solitária, Boa pessoa,Nunca, Meu príncipe (vai entrar no segundo álbum…) e Aos garotos de aluguel.

O entrosamento do pessoal do palco é a parte mais engraçada do show. Cheio de “piadinhas internas” um dos acontecimentos engraçados do show em Floripa, foi antes da musica do “príncipe” a vocalista toda inspirada para a canção joga a cabeça para o lado olha para o baixista da banda e cai na gargalhada… Essa até o publica caiu na risada e demorou a se conter para ouvir uma musica tão calminha.

Terminaram o show com á musica “oração” o Diego Plaça seguiu para fora do palco carregando um bumbo e depois o restante da banda seguiu levando a plateia do show para a porta do teatro terminando do mesmo jeito que o clipe.



Na parte “camarim” que não teve, o pessoal da banda ficou conversando com o publico a vocalista da banda Uyara entrou direto para o banheiro para trocar de roupa. O que fez o público demorar um pouco mais no “Hall” do teatro todo mundo queria; uma foto, um “oi, tudo bem!”, uma dedicatória no CD recém- comprado… Dos músicos. Falei mais com o Vinicius Nisi (Não chora Vini…) e o Diego Plaça, pois eu tava encostada na parede e eles estavam passando… Foram bem simpáticos, perguntando o que eu tinha achado do show e assinando folhinhas aleatórias e o livreto do CD. Tirei uma foto com a Uyara, pois as meninas solicitaram um foto com ela e acabei aproveitando tirando uma foto com ela também, mas não consegui falar muito com ela, pois tinham que seguir viagem...

 



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

20 de outubro de 2014

Canção de segunda...- #3 Show da Banda mais bonita...


  
Hoje a TAG #Canção de segunda vai sair um pouco diferente vai ser mais um "diário de chalaça" sobre um dos shows mais bacanas que fui...

Quinta-feira, dia 18 de julho de 2013. Em Florianópolis na capital de Santa Catarina, a temperatura da cidade estava caindo gradativamente, em ameaça da tal “geada negra”, mas felizmente Era só um forte vento sul resultando na ventania e do frio daquela noite. A “sonífera ilha” digo, Florianópolis, saturada de falta de cultura e bons shows… Naquela noite de forte “vento sul” recebeu A Banda Mais bonita da Cidade.


A cidade onde moro, é a capital do estado de SC, mas, quando se procura “eventos culturais” na city… Aqui mais parece cidade do interior. Mãããsss a questão era que tinha um programa legal (em uma noite tão fria, bacana e com pizza…) rs, na minha querida cof, cof  cidade, não podia pensar na possibilidade de não ir. Na bagunça que se encontrava o meu quarto com o guarda roupa recém desmontado, O grau de dificuldade de achar uma roupinha bacana pelos cantos da sala foi proporcional à bagunça que estava os aposentos…

O Teatro Álvares de Carvalho (TAC) é um dos teatros mais “humildes” aqui da região. Lembro-me de ter ido poucas vezes quando eu era menor, em excursão com a escola para ver peça infantil. Mesmo o teatro sendo “humilde” não tira o clima clean do show e a roupa também tem que ter o mesmo clima sem o tênis surrado companheiro fiel de *chalaças.  O TAC é um teatro pequeno, comparados aos outros dois teatros mais novos da cidade.  Mas, ainda assim é ambiente aconchegante e bem bacana para shows. Cheguei uns 30min antes no TAC para comprar ingresso (graças à falta de divulgação ainda tinha ingresso na hora…) e como não tem marcação de poltronas, era só entrar e sentar na poltrona que quiser (Prefiro assim!).


O “show de abertura” foi da Ana  P _ Falo em outro momento o que penso sobre banda de abertura…_ ¬¬. Não conheço nada sobre o trabalho da Ana, se não me engano, acho que ela participa do clipe “oração” e eu achava que ela fazia parte da Banda Mais bonita… Confesso que fiquei meio que boiando na apresentação dela. Embora eu tenha curtido algumas musicas, acabei aproveitando o primeiro show para fotografar _ Tenho uma “quedinha” por fotos de palco ** _. O clima da ultima musica da Ana foi um convite para a Uyara vocalista da banda mais bonita… Subir ao palco e começar o show da…


 A BANDA MAIS BONITA DA CIDADE


Esse foi o meu primeiro show que fui da banda, do segundo show da mesma na minha cidade¬¬ dessa vez não me liguei muito no set-listdo show, mas só não entraram no set duas musicas que serão lançados no novo álbum. 

A musica “Oração” foi à primeira musica a fazer sucesso por causa da internet, mas, a banda não corre mais o risco de ser conhecidos como A banda de uma musica só tendo outras musicas da banda que valem a pena ouvir: Mercadorama, #mimimi (vai entrar no segundo álbum…), Solitária, Boa pessoa,Nunca, Meu príncipe (vai entrar no segundo álbum…) e Aos garotos de aluguel.

O entrosamento do pessoal do palco é a parte mais engraçada do show. Cheio de “piadinhas internas” um dos acontecimentos engraçados do show em Floripa, foi antes da musica do “príncipe” a vocalista toda inspirada para a canção joga a cabeça para o lado olha para o baixista da banda e cai na gargalhada… Essa até o publica caiu na risada e demorou a se conter para ouvir uma musica tão calminha.
Terminaram o show com á musica “oração” o Diego Plaça seguiu para fora do palco carregando um bumbo e depois o restante da banda seguiu levando a plateia do show para a porta do teatro terminando do mesmo jeito que o clipe.



Na parte “camarim” que não teve, o pessoal da banda ficou conversando com o publico a vocalista da banda Uyara entrou direto para o banheiro para trocar de roupa. O que fez o público demorar um pouco mais no “Hall” do teatro todo mundo queria; uma foto, um “oi, tudo bem!”, uma dedicatória no CD recém- comprado… Dos músicos. Falei mais com o Vinicius Nisi (Não chora Vini…) e o Diego Plaça, pois eu tava encostada na parede e eles estavam passando… Foram bem simpáticos, perguntando o que eu tinha achado do show e assinando folhinhas aleatórias e o livreto do CD. Tirei uma foto com a Uyara, pois as meninas solicitaram um foto com ela e acabei aproveitando tirando uma foto com ela também, mas não consegui falar muito com ela, pois tinham que seguir viagem...

 

25 de maio de 2020

Projeto Fora da Caixa: Algo que te fez Sorrir...

O Projeto Fora da Caixa é um desafio de criatividade onde os blogs participantes escolhem um tema mensal para fazer uma postagem relacionada ao tema, e o importante é exercitar a criatividade. Os temas podem ter várias interpretações, sendo representados através de fotografias, textos, desenhos, etc., depende de cada um. 
Como já diria Wiliam Bonner; "Está cansada, Renata?, (...) “Eu também. A gente está cansado, você deve estar cansado também, está todo mundo cansado”. O tom nostálgico dos meus textos é uma conseqüência do Corona Vírus/COVID19 e isolamento social... Porém, eu resolvi participar do projeto com outras Blogueiras que o tema desse mês é: Algo que te fez Sorrir...

Nesse final de semana, acordei mais cedo que habitual... Mesmo um pouco sonolenta eu liguei a TV e fiquei zappeando os canais. Parei no canal de musica  e estava passando o show da banda gaúcha de Rock Vera Loca que virou um DVD intitulado apenas como Ao Vivo, que foi gravado no dia 15 de novembro de 2012 no Bar Opinião em Porto Alegre/RS.



Naquele momento, algo que me fez sorrir...  além das lembranças dos shows que eu ja fui e que escrevo aqui no Canção de Segunda... Foram as oportunidades que eu já tive de fotografar esses shows.
Sempre começa pela música. Pelo assunto, e não pela técnica. Fotografar música é conhecer o som, prestar atenção nos músicos, entender como eles estão interagindo em cima do palco e, depois de entender o que está acontecendo ali, fazer um clique. Ou dois, sempre calmos e certeiros. Na hora que a música pediu. 
Dani Gurgel

A Banda Mais Bonita da Cidade
Esse foi o meu primeiro show que fui da banda, A Banda Mais Bonita da Cidade. Conheci a banda por causa da  musica “Oração”que foi à primeira musica a fazer sucesso por causa da internet, mas, a banda não corre mais o risco de ser conhecidos como A banda de uma musica só tendo outras musicas da banda que valem a pena ouvir: Mercadorama, #mimimi (vai entrar no segundo álbum…), Solitária, Boa pessoa,Nunca, Meu príncipe (vai entrar no segundo álbum…) e Aos garotos de aluguel...

A Banda Mais Bonita da Cidade
... Na penúltima musica do show da banda Comunidade Nin Jitsu o Mano Changes pede para as mulheres subirem no palco. O Nando (esse da fotografia) na mesma hora olhou para mim berrando -Vem, sobe!!!- quando eu vi, eu tinha entregado a minha cerveja para o segurança e tava no palco junto com outras meninas e interagindo e tirando selfie com o pessoal da banda...

Comunidade Nin-Jitsu 
 Em 2008 eu fui em um show dos guris da banda Acústicos e Valvulados que cantava a música "Fim de Tarde" e "Quintal" que eu ouvia incansavelmente naquelas madrugadas no meu rádio de pilha...

Acústicos e Valvulados

Entre show's e chalaças... Fiz uma conta rápida e eu Debutei no Rock Mendigo. Tem coisas que não mudam nunca (que bom!) o “tremilique” é o mesmo do primeiro show de 2008... A saudade são devidamente sanados, os momentos, as lembranças e as histórias "... são coisas que não cabem em um encarte de CD... "como cantava um outro cantor lá do Sul.

Aquela farra que só o pós show da banda Acústicos e Valvulados tem.






Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

25 de novembro de 2015

Show: Acústicos e Valvulados


Domingo, 22 de novembro de 2015. Em Florianópolis/SC. Depois de um dia ensolarado arriscando um banho de mar a noite a temperatura permaneceu a mesma.

Florianópolis é uma cidade "complicadinha" quando se trata de cultura & entretenimento... Naquele "Fim de Tarde" recebeu a banda Acústicos e Valvulados.

O Célula é um lugar bem bacana, um ambiente legal... Porém, o espaço é pequeno e a localização é bastante "contramão" para quem mora no centro ou no sul da ilha... O que não é o meu caso, eu moro praticamente do lado Há!

Depois de ir em uma sequência de vinte e poucos shows nas quartas-feiras que ultrapassava o tal "horário do batista" eu estranhei um monte o tal "horário de domingo" o que acabou refletindo na quantidade de público do show. Um exemplo disso, foi que o vocalista da banda Rafael Malenotti que recebeu uma mensagem as 22:00 perguntando que horas eles iriam tocar. Sendo que, o show tinha acabado meia hora antes... Tinha bastante gente, mas não estava lotaaado, lotado, como acho que ficaria se o show fosse as Quartas-feiras no John Bull ... 

O bom é que os que estavam ali eram realmente os "de fé", dispostos a ignorar o tal "horário de domingo" e a distância do centro até o local. 

A banda não enrolou muito pra subir ao palco (obrigada por isso!), "A espera" foi na medida certa. Obrigado domingo! As musicas do set-list estavam bem variadas, com duas ou três musicas dos últimos álbuns (Grande Presença, O fino do rock mendigo e Diamantes verdadeiros). Não me liguei muito na sequência das musicas e acabei me surpreendendo pois o setlist foi montado com somente musicas cláááássica! E bom, clássico é clássico e vice e versa...

A banda entrou no palco cantando "Suspenso no espaço" ou a clássica também e "O dia D é hoje" as duas canções funcionam muito bem no inicio para dar uma agitada na galera. Na sequencia, tocaram "O nome dessa rua" que desde o primeiro show que fui da banda a 7 anos no mesmo local #saudade tem um significado diferente para mim.

Passei uma vergonha com a musica “Quem me dera” fiquei levemente engasgada (cof,cof) e esqueci a letra... Nessa hora, o querido vocalista estava me olhando e acabou tirando um sarro da minha cara que naquelas alturas estava vermelha que nem um pimentão! A musica “Bubblegun”, sempre é uma das canções mais divertidas com direito a dançinhas sincronizadas e trava línguas.

A #putafaltadesesacanagem desse set foi tocarem "Sob o céu de blues" a musica original é da banda gaucha Cascaveletes mas, gosto muito da versão na voz rouca do Malenotti e logo na sequencia "Fim de tarde" que eu não canso de dizer que essa canção faz parte da trilha sonora da life e é sempre muito emocionante ouvir ao vivo. Depois de 7 anos o coração da amiga não aguenta TANTAS emoções... rs.

Depois dessa veio "Efeito" e "Meio doido e vagabundo" são as musicas de trabalho do novo CD "O fino do rock mendigo" que adiquiri o meu no ultimo show que cai na estrada... para curtir os mendigos no show que teve na cidade de Joaçaba/SC". 

A musica "Remédio" entra também no quesito "clássica das clássicas..." mas, a energia da galera torna a canção um espetáculo a parte, chegando a mudar "vergonhosamente" o refrão de: " é como um verso popular..." para " é como um velho a copular..." piadas internas, que só um show "ao vivo e a cores" te proporciona rs. Ganhei a palheta do Rafa escrita  efeito com o desenho como a capa do CD novo...
-----------

O melhor show é sempre aquele que você foi ontem... Esse show na CÉLULA foi realmente nostálgico! Há exatamente 7 anos atrás eu literalmente atravessei a rua para ouvir as musicas Fim de tarde, Quintal ... que embalaram a minha adolescencia/juventude "ao vivo".

Novembro/2008
Novembro/2015

Fiquei nervosa de falar com o Rafael Malenotti e ele notando o nervosismo foi super carinhoso e atencioso  e depois notei que é uma caracteristica de todos os meninos da banda o bacstage  é uma chalaça a parte com muitas fotos "a fotografa da banda..." e cheios de frases carinhosas: "Que saudades!", "Há que bom que tu veio..." ou "Que legal que conseguisse vir em um show nosso em Porto..." e tem ainda "Há, debú então...".

Fora as lembranças... que independente da quantidade de show que eu já fui e ainda vou... Não tem com esquecer essa felicidade de estar ali pertinho e trocar umas 3ou9 palavras “não tem preço!”.

26 de janeiro de 2019

Aquele que ouvi as músicas da Legião Urbana.


Desde o inicio desse blog, quando eu resolvi "ressuscitar" O canção de segunda... que existia no meu blog antigo que falo sobre as bandas e musicas que eu escutei/ conheci aquela semana ou os "Diário de Chalaça" para escrever sobre os shows que vou com uma certa frequência... Eu ficava com um pouco de receio de escrever sobre a banda Legião Urbana. 


Essa senhorita que vos escreve, nasceu em 1986 e quando a banda encerrou as suas atividades após a morte de Renato Russo em 1996 eu tinha exatamente 10 anos. Eu conheci as musicas da banda Legião ainda na minha adolescência. Desde então, as musicas da banda fazem parte da Playlist da minha vida.

Ainda na época da adolescência, sempre tinha uns tios chatos que me viam com a camisa da Legião Urbana e ficavam enchendo "Se você é mesmo Legionária* quero que você cante a musica Faroeste Cabloco inteirinha sem errar... ". Tinha também as coleguinhas que achavam que você era o Google para saber exatamente TUDO sobre a sua banda favorita. Essas "coleguinhas" evoluíram Se você é tão fã assim, quantos shows você já foi da banda?". Adolescentes....

Consegui manter o meu lado Legionária intocável depois que ouvi um conselho de um colega: Quando você é fã de verdade não vai existir ninguém que saiba mais que você; Por isso eu não gosto de conversar sobre a minha banda favorita

Quando eu li uma matéria do Metrópoles sobre 10 curiosidades sobre o disco As Quatro Estações. Eu percebi que, eu nunca tinha escrito sobre a Legião Urbana aqui no blog metade foi receio de escrever "mais do mesmo" e outro motivo que hoje eu vejo que é um pouco emcabivel é que achem que sou a uma enciclopédia ambulante quando se trata de Legião Urbana (Hoje, tem internet gente!)


Nesse ano de doismilenove o albúm completa 30 anos. O ano de 1989 foi de libertação para Renato Russo. Há, ele se livrava de amarras sexuais e se entendia como livre para assumir os seus desejos. É um tempo de “morte” para a Legião Urbana. O protesto mais seco cede lugar às reflexões existenciais e metafóricas. As Quatro Estações, o disco mais vendido do grupo, o que o lançou o grupo ao topo da popularidade. Uma obra-prima.

O disco fala de amor em sua essência, do carnal até a mais sublime. Lançado em outubro, o álbum fez nação cantarolar os versos pulsantes de Pais e Filhos, entoando em coro refrões poéticos. Havia uma maturação explícita no trabalho da banda, agora firmada no trio Renato Russo, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá.

10 curiosidades de As Quatro Estações:


1. Quatro Estações marca a quebra da Legião com o território Brasília, sua geografia e esfera de poder. Renato Russo está agora mergulhando no universo holístico e existencial.

2. Legião Urbana entrou em estúdio depois da desgastante turnê de Que País É Este? Havia ainda a recente saída do baixista Renato Rocha por desentendimentos com o grupo. No ar, a urgência de reconciliação. A partir da turnê, Fred Nascimento (guitarra rítmica e violão), Bruno Araújo (baixo elétrico) e o produtor musical Mu Carvalho (teclados) entraram como instrumentistas de apoio.

3. Pais e Filhos é uma canção de dor. Renato Russo não gostava que fosse interpretada em tom festivo, sobretudo, no refrão. Fala do suicídio da garota que se jogou da janela do quinto andar e dos desencontros entre as gerações. Renato dizia que não conseguia ouvir duas vezes e a comparava a Índios.

4. A canção Feedback Song for a Dying Friend foi feita em homenagem a Cazuza, que tinha anunciado ser portador do vírus HIV. Renato viria a saber, meses depois, que também tinha a doença. Renato chegou a fazer a letra em português antes de compor em inglês. Chamava-se Rapazes Católicos. Dessa versão rejeitada, só sobrou a base instrumental.

5. Millôr Fernandes traduziu para o português a letra de Feedback Song for a Dying Friend. A composição foi feita em inglês por Renato Russo e impressionou Millôr por um jogo shakespeariano. A tradução veio impressa no encarte do álbum.

6. Monte Castelo é uma canção espiritual, inspirada nos poemas I Coríntios 13 e Soneto 11, de Luis de Camões. A canção foi bem-recebida em Portugal, país que acolheu a turnê do álbum de casa cheia.

"Às vezes essas músicas refletem um momento da minha vida que eu não gosto de lembrar mais"Renato Russo

7. A canção Meninos e Meninas era o grito de liberdade de Renato Russo e de toda uma geração abafada pelo preconceito. 
“Quero me encontrar, mas não sei onde estou / Vem comigo procurar algum lugar mais calmo / Longe dessa confusão e dessa gente que não se respeita / Tenho quase certeza que eu não sou daqui. 
A música indica o que virá com o álbum de tributo gay Stonewall elebration Concert, de 1994.

8. No tema 1965 (Duas Tribos), Renato Russo se enche de referências para fazer uma das suas melhores canções de protesto. 

“Mataram um menino / Tinha arma de verdade / Tinha arma nenhuma / Tinha arma de brinquedo”. 
Renato usa referências da infância como as miniaturas de aviões do fabricante Revell, o tão sonhado autorama, o universo lúdico e violento de Hanna-Barbera e o jogo “pera, uva e maçã”. 

9. A música das músicas mais lindas do disco tem um título gigante. São 34 letras para Quando o Sol Bater na Janela do Seu Quarto para a canção dona de uma das estrofes mais lindas da MPB: 

“Tudo é dor / E toda dor vem do desejo / De não sentirmos dor”. 
10. Na contracapa do disco, há uma enigmática frase de Renato Russo: “Alguns erros são de propósito, outros não”, num texto cheio de referências a líderes religiosos. A frase é chave para entender essa obra-prima, que nasce de algumas dores e muitas alegrias.



    



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei comentando com vocês sobre o Blogmas2k18:

24 de julho de 2017

Canção de Segunda: "Dois lados" Tributo a banda Skank


O inicio dos anos 90, foi uma época difícil para a produção musical no Brasil. Basicamente só ouvíamos sertanejo (qualquer semelhança com os dias atuais não é uma mera coincidência).Nelson Motta diz que este “foi o pior momento político, ético, econômico, social da história do país” e este clima refletiu diretamente na produção musical da época. 

Não havia muito espaço para bandas como o Skank surgirem, já que as gravadoras não estavam dispostas a investirem em pop rock nacional, algo que tinha ficado lá nos anos 80. Pelo histórico já dá pra perceber que são artistas que lutaram e muito para conquistarem o merecido lugar ao sol.


O Skank nasceu em 1991, em Belo Horizonte, capital das Minas Gerais, que deu orgulho ao Brasil de ter alçado ao mundo nomes como Milton Nascimento, Sepultura e tantos outros. Samuel Rosa (guitarra e voz), Henrique Portugal (teclados), Lelo Zaneti (baixo) e Haroldo Ferretti (bateria) reuniram-se em torno do mesmo interesse: transportar o clima do dancehall jamaicano para a tradição pop brasileira. O primeiro álbum , “Skank”, foi lançado de forma independente, em 1993, mas rapidamente o sucesso da banda na cena underground despertou o interesse da poderosa Sony Music. Junto ao Skank, a multinacional inaugurou no Brasil o selo Chaos.

Lançado em 1994, o segundo disco do Skank foi o trampolim para o estrelato: foram vendidas mais de 1 milhão de cópias de “Calango” e músicas como “Jackie Tequila” e “Te Ver” tornaram-se verdadeiros hits, cantados por todo o país. O álbum abriu as portas para uma nova geração de bandas brasileiras atenta às novidades do rock mundial e, ao mesmo tempo, curiosa com as raízes da tradição local.

Eu comentei no blog da Tati Aponte que: A banda Skank foi nos anos 90 o que a banda Jota-quest viria a se transformar nos anos 2000… Não tem como passar pela infância-adolescência sem ouvir pelo menos umas 3ou9 musicas dessas  duas bandas.


Eu quero te provar, cozida  e a vapor sem medo e sem amor
Oh, quero te provar
A minha prima nasceu em meados de 94 e eu lembro que passava o final de semana na casa do meu tio brincando com a minha prima mais nova... E esse CD sempre estava rolando pois, o meu tio adorava! E foi um dos primeiros CDs que eu ouvia TODAS as faixas!

A grande pérola musical “Eu quero te provar, cozida e a vapor ...” eu soltei num tipico almoço de familia e arranquei gargalhadas dos meus tios e outros parentes. Não lembro de ser corrigida naquela ocasião, mas eu sempre gostei de cantar essa musica errado hahaha

A arte é capaz de reunir todas as dimensões humanas e o Skank conseguiu entender exatamente a função socializadora que possui.

Homenagem feita ao Skank por artistas da nova geração



Eu acredito que Tributo bom é aquele onde os musicos estejam vivos para ver/sentir a importancia da sua obra e o o produtor mineiro Pedro Ferreira  pensa  da mesma maneira quando lançou a Coletânea “Dois Lados”.

O Pedro tem experiência no assunto “coletâneas”, pois ele é responsável por dois projetos anteriores interessantes, que é a coletânea “Re-trato”, em homenagem a banda Los Hermanos realizada em 2012, e outra em homenagem ao cantor Milton Nascimento e ao Clube da Esquina denominada “Mil Tom” realizada em 2015.

Assim como nos projetos acima, no álbum “Dois Lados” os sucessos do Skank são cantados por novos artistas brasileiros, como: francisco, el hombre, A Banda Mais Bonita da Cidade, Fernando Anitelli, Anavitória, Cobra Coral, Garotas Suecas, dentre outros.

Eles imprimem sua personalidade ao cantar as músicas dos mineiros, e o resultado ficou bem interessante. O projeto gerou um álbum duplo com 15 faixas cada, ou seja, são 30 músicas cantadas por diversos artistas. 

Admito que sou a "chata de galochas" quando trata-se de versões musicais eu sempre prefiro a original... Porém, a personalidade dos cantores muito me chamam a atenção e o formato ficou bacana!

O Pedro é muito gente boa e fez um disco sem fins lucrativos, totalmente independente e que não será comercializado! O produto final pode ser ouvido na plataforma de streaming Soundcloud e através de download gratuito na página do Scream&Yell. 

  1. Anavitória – Amores Imperfeitos
  2. Cobra Coral – Esquecimento
  3. Quarup – Vamos Fugir
  4. The Baggios – A Cerca
  5. francisco, el hombre – Pacato Cidadão
  6. Esteban Tavares – Mil Acasos
  7. Teago – Esmola
  8. Manitu – Garota Nacional
  9. Seu Pereira e Coletivo 401 – Ela Me Deixou
  10. Zé Manoel – Tanto (I Want You)
  11. A Banda Mais Bonita da Cidade – Canção Noturna
  12. Wado – Dois Rios13 – Jéf – Sutilmente
  13. Ana Muller – Acima do Sol 
  14. André Abujamra + Sergio Soffiatti – Sem Terra
  15. Rico Dalasam – Não Vem Brincar de Amor (Bônus Track) 
                            
Dois Lados – Disco 2
https://soundcloud.com/coletaneadoislados/sets/dois-lados-disco-2

  1. Ana Larousse + Leo Fressato – Tão Seu
  2. Fernando Anitelli – Formato Mínimo
  3. Transmissor – Siderado
  4. Tuyo – Três Lados
  5. Nevilton – Te Ver 
  6. Selvagens à Procura de Lei – Ali
  7. Phill Veras – Vou Deixar
  8. Graveola – Baixada News
  9. Phillip Long + Eduardo Kusdra – Resposta
  10. Sr. Gonzales – Ainda Gosto Dela
  11. Ian Ramil – Homem Que Sabia Demais
  12. Garotas Suecas – Mandrake e Os Cubanos
  13. Lulina – In(dig)nação
  14. Dani Black – Saideira
  15. Gabriel Gonti – Um Mais Um
  16. Medulla – As Noites (Bônus Track)
FICHA TÉCNICA:

Projeto idealizado e produzido por Pedro Ferreira.
Realização: Scream&Yell.
Masterização por Eduardo Kusdra no Estúdio Arte Master (Araras – SP).
Produção artística e executiva: Pedro Ferreira.
Ilustrações: Luyse Costa.
Projeto gráfico: Mariana Viana.






Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

29 de agosto de 2015

BEDA#29: Poderia ser um papo de Pijama...

Ontem, assistindo um show de uma banda no Gnt eu pude perceber o que eu já tinha comprovado nos milhares de shows que eu fui nesses meus vinte e poucos anos... 

Uma parte do seu gosto musical, vai ser definido quando realmente você for em pelo menos 1 show do seu cantor/banda preferido. Você vai descobrir a resposta da mesma pergunta que eu já fiz um dia: O que te faz Odiar ou amar uma banda? e digo mais, você vai descobrir que " Entre o amor e o ódio a linha é tênue, também...".

Entre algumas linhas de alguma postagem desse blog eu devo ter escrito que: Faço parte de uma geração talvez a ultima que, ouvia muita musica entre as ondas de radio FM e AM do velho Walkman ... 

Na adolescência, conheci o programa Pijama Show que o radialista tinha uma voz aveludada que falava coisas malucas na madrugada e entre um papo e outro tocava algumas canções que se tornaram a trilha sonora de uma fase importante difícil da minha vida: Nenhum de Nós - Paz e Amor , Sob Um Céu de Blues, Cidadão Quem - Pinhal, Mr. Pi - A História...

Conheci o Everton Cunha (Mr. Pi) em um encontro dos Pijanautas promovido por um amigo na época... e confessei esse medo de conhecer "ao vivo" as pessoas que de alguma forma eu admiro e ele respondeu uma frase que eu levo para a vida "O Buda só é quem ele é por permanecer sentado." as pessoas são apenas… pessoas. E devemos olha-las como uma janela, não um espelho. A expectativa que colocamos nas pessoas é o significado que elas tem para nós, não o que verdadeiramente ela é (?). Esquecemos que, elas são seres humanos como qualquer um.

Porém, quando se trata de uma Banda os integrantes são vistos coletivamente e é ai que mora o perigo... A banda tem o publico na mão, o publico corresponde a cada canção do set-list com uma energia inexplicável... Já sai de um show amando/odiando a mesma banda por shows distintos por diversos motivos: Vocalista em um dia não muito bom, set-list ruim mesmo tendo musicas bacanas, o show não é tão bacana quanto, ouvir as musicas em casa no aconchego do lar... E todas essas "má impressões" uma pessoa pode ter em um único e ultimo show.

O documentário do GNT que me referi no inicio, montra essa troca de energia intensa com pessoas que acompanham a banda em cada show e aquelas que estão ali pela primeira vez... Mostrando que, a história da banda se confunde muitas vezes com as historias do público.

Escrevo mais sobre os melhores shows que eu já fui em uma próxima postagem.

5 de janeiro de 2015

Resenha: Acústicos e Valvulados - Meio doido e Vagabundo "O fino do rock mendigo"


Já tive outras oportunidades de escrever sobre a banda gaúcha Acústicos e Valvulados aqui no blog "Um lado meio Milla...". Mas tentarei fazer um resumo da ópera da história da banda:
"Os ingredientes que fazem a sonoridade dos Acústicos & Valvulados são Rock’n’Roll, Rockabilly, Folk, 60’s, Jovem Guarda e outras chalaças musicais... Com mais de 1000 shows na bagagem e 20 anos de estrada, têm 6 CDs lançados, 1 DVD e vários hits nas rádios e na cabeça do público – “Até a Hora de Parar”, “Fim de Tarde Com Você”, “Remédio” e “O Nome Dessa Rua”, entre outros...".
Em 2014 a banda Acústicos e Valvulados lançaram dois CDs. Um desses CDs tem o  intitulado de Meio doido e Vagabundo "O fino do rock mendigo" que também é faixa título da música de trabalho da banda. 
Rock Mendigo? A ideia da ramificação é, na verdade, uma brincadeira do Acústicos & Valvulados. De acordo com Paulo James, trata-se de uma referência à série de LPs “O fino da fossa”, que traz o ator Paulo César Pereio na capa. “Todo mundo sabe que, enquanto a moda é ostentar, o rock anda mendigando, na sarjeta, matando cachorro a grito. E a estrada nos mostra isso todo fim de semana, na prática. É uma briga para manter as coisas rolando e manter o interesse das pessoas. Mas para a gente está ok. Não vamos ficar chorando pelos cantos”, diz o baterista.
Adquiri o meu "O fino do rock mendigo" no ultimo show que cai na estrada... para curtir os mendigos no show que teve na cidade de Joaçaba/SC. O set list foram baseados nesses dois CDs deixando algumas clássicas da banda de fora #infelizmente. Desse novo álbum eu só conhecia "Efeito" e "Meio doido e vagabundo" fiquei meio que boiando nas canções novas.

O encarte do CD é em formato de "sanfona". Um lado do encarte, contém fotos tiradas pelo Doni Maciel que trabalha também como roude da banda, e o outro lado do encarte contém as letras da música que tem no CD.
Meio Doido e Vagabundo, Alguém pra Gostar de Mim, Efeito, Tia Rita, Corações Partidos, Não Vou Desistir, Sarjeta, Fogo e Gasolina, Juntos Podemos Tudo, Vai Se Danar, O Que Eu Sinto por Você e Chalaça total.
Como escrevi no começo, "Meio doido e Vagabundo" é faixa título da música de trabalho da banda. Alem de outras faixas muito bacanas como: Alguém pra Gostar de Mim Corações Partidos que são musicas com uma pegada de rock romântico. A canção Tia Rita é uma belíssima homenagem a mãe do rock Rita Lee. A a musica Vai se danar é uma música que lava a alma de qualquer um (Qualquer pessoa gostaria de mandar um Vai se danar! para mais de 3ou9...) Chalaça total e sarjeta são as músicas que não podiam faltar em um álbum intitulado de "O fino do rock mendigo".

19 de janeiro de 2020

30 antes dos 30: Ir a 10 bons shows.


O #cançãodesegunda surgiu porquê eu queria escrever sobre as musicas que eu estou ouvindo... Sobre os shows das bandas que eu gosto e que vou com frequência.:


[1] Acústicos e Valvulados: Mazáaaaaaaaaaaaa... ÓBVIO que eu fui em VÁRIOS shows do meus mendigos favoritos. Sempre rende um bom diário de chalaça...

Eu tinha uma vaga lembrança do Rafael Malenotti (vocalista) quando ele participava do Pijama Show (um programa de rádio famoso do sul). Algumas semanas antes, fui no site da banda, afim de, escutar as músicas e lembrar se alguma já tocou na programação do Pijama Show. A minha grande surpresa é que eu curtia bastante ouvir a música "Fim de Tarde" na madrugada... Que era uma das musicas mais lindas da banda.




Quando eu recebi a foto logo, tratei de colocar no FOTOLOG e ficava admirando... Pois, tenho o péssimo costume de acreditar que os eventos bacanas que eu fui pela 1º vez nunca irão se repetir. Por exemplo: Esse show dos Acústicos e Valvulados. Felizmente, teve um show Pocket um mês depois e outros 17 shows na bagagem, sendo que, quatro desses shows foram na estrada (Porto Alegre/RS e Joaçaba/SC) 


[2] Nenhum de Nós 
[3] Rappa 
[4] Cachorro Grande

As musicas do Alemão estão na minha "memória afetiva" então quando tocou "Despedida", "Me leva pra casa", "Desabrigado"...Eu acabei chorando um pouco no show. Pois, essas musicas me lembram boa parte da minha adolescência. Quando eu virava as noites/madrugadas ouvindo rádio escondida e tinha aula cedo no dia seguinte na 6° e 7° série.



A 1° vez que assisto um show eu tenho a sensação que eu nunca mais terei chance de ver aquele show outra vez.... É angustiante! Apesar da angustia sinto uma gratidão enorme por ter conhecido os Caras das vozes aveludadas e roucas com idéias insanas das minhas madrugadas...


Esse foi o meu primeiro show que fui da banda, do segundo show da mesma na minha cidade¬¬ dessa vez não me liguei muito no set-listdo show, mas só não entraram no set duas musicas que serão lançados no novo álbum. 




A sensação de assistir um show pela primeira vez é mágico! Eu conheci o Nando da CNJ em 2009, quando ele e os meninos do Acústicos fizeram um show para tocar somente clássicos do Rock... Eu conheço 3ou9 musicas da Comunidade por causa da tal "memória afetiva" de ouvir musicas gaúchas na madrugada.





Quando eu comecei a escrever na blogosfera (Inicio do ano 2000), eu conversava com freqüência com outras pessoas que também escreviam suas mazelas na blogs. Sou péssimas em datas. Mas, lembro que em 2003 conversavamos na internet pelo MSN Messenger*. Um certo dia, uma dessas blogueiras que eu conversava na época, a Lud de Osasco/SP e nos seu status sempre estava escrito assim Ana e o mar - Teatro Mágico... ♫ e sem querer ela apresentou-me umas 3ou9 musicas de uma banda um tanto diferente dos padrões musicais em que eu estava acostumada a ouvir. Artistas independentes, donos de uma música poética e com conteúdo, a trupe “O Teatro Mágico”.

Na parte “camarim” que não teve, o Fernando Anitelli ficou conversando com o publico  que fez fila no “Hall” do teatro todo mundo queria; uma foto, um “oi, tudo bem!”, uma dedicatória no CD recém-comprado… O Fernando é um querido e deu um show de simpatia querendo saber se era a 1° vez que eu ia no show/ perguntando o que eu tinha achado do show naquele formato e assinando folhinhas aleatórias e o livreto do CD





[09]Aerocirco:


Nessa época de 2008 há 2010 teve vários showzinhos bacanas na Célula e um desses foi da extinta banda Aerocirco que encerraram os seus trabalhos em 8 de novembro de 2013 e com muitos registros e histórias compartilhados nos quase 10 anos da banda.




[10] Vera loca:


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 


© Lado Milla
Maira Gall