SEARCH RESULTS
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta pretinha. Classificar por data Mostrar todas as postagens

25 de junho de 2020

#MLI2020: Pretinha, eu?














No dia 20 de junho começou a tradicional Maratona Literária de Inverno promovida pelo canal Geek Freak, que esse ano recebeu o título de MLI 2020- BOOKTUBATONA. Vou escrever as minhas impressões e os resultados (positivos&negativos) de cada leitura e o porquê da escolha de cada livro para cumprir as categorias escolhidas.

(BÔNUS). RELER UM LIVRO DA SUA INFÂNCIA.


Pretinha, eu?





Sinopse: Uma menina negra ganhou uma bolsa de estudos em um colégio onde nunca havia entrado um aluno negro. Desencadeou-se uma história de discriminação, preconceito e muitas descobertas.




Sintuação: Comecei a tomar gosto pela leitura ainda no ensino fundamental, lembro que tínhamos aulas de leitura na biblioteca e eu realmente gostava de ficar lendo. Às vezes, eu até me esquecia de prestar atenção nos papos animados das minhas amiguinhas na biblioteca... Mas, o livro que mais me marcou veio em 1999 (um ano antes do que relatei acima...). O tal livro é Pretinha, eu do autor Júlio Emílio Braz esse livro foi indicação de uma professora de português para a aula de leitura.



“Eu tinha 13 anos nessa época e tinha recém mudado de escola por motivos de saúde, pois eu tinha recém operado a coluna e eu estava usando um gesso que ia a uns cinco dedos abaixo do pescoço até abaixo da barriga…”

No meio de uma aula de leitura a professora disse que eu me parecia muito com a Pretinha da história, não pelo meu tom de pele, pois eu sempre fui branquinha hehehe, mas por ser a mais velha de uma turma que todos tinham onze anos e pelo meu “mau jeito” (no começo) de me enquadrar, em uma escola com métodos tão rigorosos quanto o Harm… Ops! Colégio T. Sofri Bullying todos os dias do ano que estudei no colégio T. Sofria todos os tipos de agressões; intencionais, verbais e psicológicas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.No meu caso, por exemplo, a crueldade veio também por parte dos adultos professores da época “Ela parece à pretinha da história...” reforçando apelidos e motivos de chacota se eu já não tivesse motivos e não sofresse o suficiente.

Resultado: Volta e meia eu gosto de ler esse livro e sempre tiro belas lições... As coisas acontecem na vida da gente para nos tornarmos alguém melhor para tratarmos o outro melhor.

Vocês estão participando da MLI2020 - BOOKTUBATONA também? 
Quais os livros que vocês estão lendo?

3 de setembro de 2014

Livros&Memórias...

“Nem parece que sou o mesmo,
Agora que passei por tudo isso e sobrevivi...”


Qual foi o livro que te marcou que você tem curiosidade de saber como seria se pudesse lê-lo pela primeira vez hoje?




Sinopse: Uma menina negra ganhou uma bolsa de estudos em um colégio onde nunca havia entrado um aluno negro. Desencadeou-se uma história de discriminação, preconceito e muitas descobertas.






Comecei a tomar gosto pela leitura ainda no ensino fundamental, lembro que tínhamos aulas de leitura na biblioteca e eu realmente gostava de ficar lendo. Às vezes, eu até me esquecia de prestar atenção nos papos animados das minhas amiguinhas na biblioteca... Lembro que, “devorava” os livros do autor Pedro Bandeira e a série os Karas, Confissões de adolescente (aquele que virou série da TV Cultura), Valéria Piassa Polizzi anos mais tarde tive que comprar o mesmo livro para colocar na minha estante... Entre outros livros, que passaram por mim naquele ano... Mas, o livro que mais me marcou veio em 1999 (um ano antes do que relatei acima...). O tal livro é Pretinha, eu do autor Júlio Emílio Braz esse livro foi indicação de uma professora de português para a aula de leitura.

“Eu tinha 13 anos nessa época e tinha recém mudado de escola por motivos de saúde, pois eu tinha recém operado a coluna e eu estava usando um gesso que ia a uns cinco dedos abaixo do pescoço até abaixo da barriga…”

No meio de uma aula de leitura a professora disse que eu me parecia muito com a Pretinha da história, não pelo meu tom de pele, pois eu sempre fui branquinha hehehe, mas por ser a mais velha de uma turma que todos tinham onze anos e pelo meu “mau jeito” (no começo) de me enquadrar, em uma escola com métodos tão rigorosos quanto o Harm… Ops! Colégio T. Sofri Bullying todos os dias do ano que estudei no colégio T. Sofria todos os tipos de agressões; intencionais, verbais e psicológicas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.No meu caso, por exemplo, a crueldade veio também por parte dos adultos professores da época “Ela parece à pretinha da história...” reforçando apelidos e motivos de chacota se eu já não tivesse motivos e não sofresse o suficiente...

Não me enquadrei no colégio T… Não da forma que eles queriam, nem tive muitos amigos naquele ano de 1999 quanto à personagem pretinha da historia, mas mesmo assim lembro com carinho de alguns professores e das minhas notas azuis daquele ano e por incrível que pareça eu tenho lembranças bonitas do colégio T.

                                                        ...

Encontrei o livro esses dias na minha estante... E, como vocês podem notar o livro está bem conservado. Ler o livro “pretinha, eu?” depois de quinze anos é um sentimento bom que vai além de superação... Aprendi a respeitar os motivos que levam as pessoas a amar ou odiar a minha pessoa que na maioria das vezes são pelos mesmíssimos motivos o0 outras nem vão saber direito o motivo... E lhes dou o direito de sentir ambos os sentimentos tão controversos. Não perco mais tempo, com pessoas que declaradamente não gostam de mim. Aprendi a me proteger apesar de na maioria das vezes não parecer...


Livremente inspirado nesse blog aqui

18 de março de 2017

BookTag: Frases De Criança

Olá!Tudo bem?

Já faz um tempo que não respondo uma TAG, e como eu adoro responde-la vamos fazer isso hoje. A primeira TAG de ano!

Essa TAG foi criada Taty do blog Coleções Literárias e pelo Marcio do blog Um Baixinho nos Livros.

Regras...
Mencionar e Linkar os blogueiros que criaram a tag Taty Salazar - Coleções Literárias e Marcio Silva - Um Baixinho nos Livros;
Indicar no minimo 5 blogs para responder a tag (Não esqueça de avisar que você os tagueou);
Postar a IMAGEM oficial da tag em sua postagem "caso for responder escrito".OPCIONAL: Usar a hastag #BookTagFrasesDeCriança no facebook e/ou no Instagram.
  

1.Meu nome é... (Um personagem Infantil favorito).


Auggie do livro Extraordinário. August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.





2.Quantos anos eu tenho? (Quantos livros você tem?)

96 livros

3.Eu já sei ler. (Primeiro livro que leu) 


Pretinha eu? Uma menina negra ganhou uma bolsa de estudos em um colégio onde nunca havia entrado um aluno negro. Desencadeou-se uma história de discriminação, preconceito e muitas descobertas.






Comecei a tomar gosto pela leitura ainda no ensino fundamental, lembro que tínhamos aulas de leitura na biblioteca e eu realmente gostava de ficar lendo. Às vezes, eu até me esquecia de prestar atenção nos papos animados das minhas amiguinhas na biblioteca... Mas, o livro que mais me marcou veio em 1999 (um ano antes do que relatei acima...). O tal livro é Pretinha, eu do autor Júlio Emílio Braz esse livro foi indicação de uma professora de português para a aula de leitura.
“Eu tinha 13 anos nessa época e tinha recém mudado de escola 
por motivos de saúde, pois eu tinha recém operado a coluna 
e eu estava usando um gesso que ia a uns cinco dedos abaixo do pescoço 
até abaixo da barriga…”

No meio de uma aula de leitura a professora disse que eu me parecia muito com a Pretinha da história, não pelo meu tom de pele, pois eu sempre fui branquinha hehehe, mas por ser a mais velha de uma turma que todos tinham onze anos e pelo meu “mau jeito” (no começo) de me enquadrar, em uma escola com métodos tão rigorosos quanto o Harm… Ops! Colégio T. Sofri Bullying todos os dias do ano que estudei no colégio T. Sofria todos os tipos de agressões; intencionais, verbais e psicológicas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.No meu caso, por exemplo, a crueldade veio também por parte dos adultos professores da época “Ela parece à pretinha da história...” reforçando apelidos e motivos de chacota se eu já não tivesse motivos e não sofresse o suficiente.


4."Diz Papai" Mamãe. (Um livro que você imaginava uma coisa e acabou sendo outra)


Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky




A leitura é bastante intensa. O que era uma lição, acabou virando um verdadeiro diário com desabafos "Alguns segredos só conseguimos contar aos nossos maiores ídolos" se transformando em uma maneira de Laurel lidar com seu primeiro ano em uma escola nova e com a família despedaçada depois da morte de sua irmã.

5.Mãe tô com fome. (Um livro que você devorou.) 

Hazel foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial, livro cujo autor deixou muitas perguntas sem resposta. Essa era sua rotina até ela conhecer Augustus Waters, um jovem de dezessete anos que perdeu uma perna devido a um osteosarcoma, em um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Como Hazel, Gus é inteligente, tem senso de humor e gosta de ironizar os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Com a ajuda de uma instituição que se dedica a realizar o último desejo de crianças doentes, eles embarcam para Amsterdã para procurar Peter Van Houten, o autor de Uma aflição imperial, em busca das respostas que desejam. 

Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.


Foi a minha primeira leitura do John Green. A vontade de ler A Culpa é das Estrelas começou no evento da Intrínseca depois de ouvir falarem muito bem do livro. Eu comecei a ler as dez primeiras páginas ainda na livraria antes de realmente comprar e terminar de ler em casa chorando copiosamente nos últimos parágrafos... Okay!

6.Pai!Conta uma história para mim dormir? (O livro que você está lendo) 


Diagnosticada com câncer da tireoide aos doze anos, Esther Grace Earl era uma adolescente talentosa e cheia de vida. Fazendo jus ao nome, que em persa significa 'estrela', ela marcou todos em seu caminho com sua generosidade, esperança e altruísmo enquanto enfrentava com graciosidade o desgaste físico e mental causado pela doença. Filha, irmã e amiga divertida, alto-astral e inspiradora, Esther faleceu em 2010, logo após completar dezesseis anos, mas não sem antes servir de inspiração para milhares de pessoas por meio de seu vlog e dos diversos grupos on-line de que fazia parte. 'A estrela que nunca vai se apagar' é uma biografia única, que reúne trechos de diários, textos de ficção, cartas e desenhos de Esther. Fotografias e relatos da família e de amigos ajudam a contar a história dessa menina inteligente, astuta e encantadora cujo carisma e força inspiraram o aclamado autor John Green a dedicar a ela sua obra best-seller A culpa é das estrelas.

7.Pai!Cadê a mãe? (Um personagem secundário que se destacou mais que o protagonista.) 


Logo no inicio da leitura acompanhamos Kate recebendo a devastadora noticia sobre a morte de sua filha, logo no inicio suspeita-se que Amélia havia cometido suicídio. 

Kate é a mãe solteira e sempre fez o que estava em seu alcance para conciliar a vida de mãe com a vida de profissional ela é uma advogada de sucesso em Nova Iorque e para compensar a ausência de um pai na vida de Amélia. Ela nunca contou a verdade para a filha sobre o pai e também só vamos descobrindo sobre ele no decorrer da história. 



Os capítulos do livro são alternados entre diferentes personagens. Temos capítulos atuais sobre Kate, narrados em primeira pessoa, a partir do dia da morte da Amelia, trechos de seu diário quando ela descobriu que estava grávida, conversas de celular de Amelia, postagens no facebook, e alguns capítulos contados pela própria Amelia, algumas semanas antes de sua morte. Também há postagens de um blog de fofocas da escola, chamado GrAcIoSaMENTE.

Ao decorrer da leitura, vamos reconstruindo Amélia através de vários acontecimentos e fragmentos com alternâncias de pontos de vista. E descobrindo quem ela realmente era, sem ser somente uma descrição vazia "aluna e atleta exemplar". Através de suas "memórias" ficamos sabendo quando ela recebeu um convite para entrar em um clube da escola, uma espécie de fraternidade, que supostamente deveria ser proibido. A partir desse convite, sua vida começa a tomar novos rumos e a própria Amélia passa por várias descobertas sobre si mesma. A descoberta da própria sexualidade e o amor inconsequente por Dylan.

8.Olha Pai. (Tire uma foto de sua estante.) 






9. Já sei o que vou querer de presente do dia das crianças! (O livro que você está cobiçando.) 



10.Pai ta chegando? e agora? e agora? (Continuação de uma série que você ama e está aguardando muito.) 


Não tenho. Estou com a coleção do Muchileiro das Galaxias que ainda não li...



11. Mãe fulano me bateu. (Um personagem que merecia uma surra?) 

Eu batendo na Anna


Anna Oliphant não está nada entusiasmada com a ideia de se mudar para Paris. Porém, seu pai, um famoso escritor norte-americano, decidiu enviá-la para um colégio interno na Cidade Luz. Anna prefere ficar em Atlanta, onde tem um bom emprego, sua fiel melhor amiga e um namoro prestes a acontecer. Mas, ao chegar a Paris, ela conhece Étienne St. Clair, um rapaz inteligente, charmoso e bonito, que além de muitas qualidades, tem uma namorada...




Anna Oliphant. Foi a personagem adolescente que eu mais odiei ao decorrer da leitura... Uma menina mimada, que na maioria das vezes fazia ceninha quando estava com o seu pai. Faz o leitor querer dar uns belos tapas nessa garota...





12.Maaaae eu cai. (Um personagem desastrado.) 



As Aventuras de Alice no País das Maravilhas, frequentemente abreviado para Alice in Wonderland é a obra infantil mais conhecida de Charles Lutwidge Dodgson, publicada a 4 de julho de 1865 sob o pseudônimo de Lewis Carroll.





Alice é uma garota atrapalhada! Na confusão, ela vai se encontrando... descobrindo-se... Esse livro é muito fofinho.





13. Por quê? Para quê?( Um livro confuso.) 



Eu deveria estar de luto, não me apaixonando. Às vezes é preciso perder tudo, para encontrar a si mesmo... Lennie Walker, obcecada por livros e música, tocava clarinete e vivia de forma segura e feliz, à sombra de sua brilhante irmã mais velha, Bailey. Mas quando Bailey morre de forma abrupta, Lennie é lançada ao centro de sua própria vida, e, apesar de não ter nenhum histórico com rapazes, ela se vê, subitamente, lutando para encontrar o equilíbrio entre dois: um deles a tira da tristeza, o outro a consola. O romance é uma celebração do amor, também um retrato da perda. A luta de Lennie, para encontrar sua própria melodia em meio ao ruído que a circunda, é sempre honesta, porém hilária e, sobretudo, inesquecível.





Eu t
enho esse livro há mais ou menos 5 anos. Porém, eu não lembrava de já ter lido ou abandonado á leitura... 

Por isso coloquei nessa categoria. Uma das grandes lições desse livro é que aprendemos cedo ou tarde que as pessoas que amamos se vão e simplesmente temos que virar protagonistas da nossa própria história. A leitura do livro é simples e bela, juntamente com a história da nossa John Lennon - apelido carinho dado por Joe -. Você se envolve de uma forma surpreendente com Lennie e torce para a sua felicidade. Na maioria do início dos capítulos, há poemas ou mensagens escritos por Lennie. Adorei a ideia.



14.Psora posso ir no banheiro? (Um livro nojinho.) 


Mariam tem 33 anos. Sua mãe morreu quando ela tinha 15 anos e Jalil, o homem que deveria ser seu pai, a deu em casamento a Rashid, um sapateiro de 45 anos. Ela sempre soube que seu destino era servir seu marido e dar-lhe muitos filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Laila tem 14 anos. É filha de um professor que sempre lhe diz: "Você pode ser tudo o que quiser." Ela vai à escola todos os dias, é considerada uma das melhores alunas do colégio e sempre soube que seu destino era muito maior do que casar e ter filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Confrontadas pela história, o que parecia impossível acontece: Mariam e Laila se encontram, absolutamente sós. E a partir desse momento, embora a história continue a decidir os destinos, uma outra história começa a ser contada, aquela que ensina que todos nós fazemos parte do "todo humano", somos iguais na diferença, com nossos pensamentos, sentimentos e mistérios.




Na época que eu li esse livro eu estava muito mal (no trabalho, na faculdade, em casa...) e essa leitura me deixou muito mal se tornando uma leitura ruim naquele ano.


15.Pai de onde vem os bebês? (Uma personagem grávida.) 


Após o desaparecimento repentino de seu pai, Gabriella Mondini enfrenta uma crise: sem o seu aconselhamento, ela não pode mais praticar a medicina. Então, junto de seus dois fiéis servos, Olmina e Lorenzo, ela explora toda a Europa para descobrir para onde — e por que — ele se foi. 

Seguindo pistas das ocasionais e enigmáticas cartas do pai, ela vasculha as capitais europeias expandindo os horizontes de seu mundo e acrescentando conhecimentos ao imenso livro das curas que está escrevendo.





Gabriella Mondini, conhecerá apenas os limites físicos do continente, mas, também, os mistérios do amor (e fica gravida), da perda e da mortalidade. Mistérios que estão no coração de cada alma viajante, especialmente na alma de seu pai.





16.Olha mãe, aprendi a contar: 1, 2, 4, 6. 
Indique 05 amigos para responder essa tag.

Bem,não conheço muitas pessoas nesse mundo literário que queira responder essa tag. Então, deixarei ela em aberto, podem responder essa tag quem quiser e compartilhar com seus amiguinhos.

Estava com muitas saudades responder TAGs, espero que esse ano traga muitas tags para poder compartilhar com vocês.

Beijos e abraços

Milla ❤


9 de maio de 2017

T de TAG:: Eu Nunca (livros)





Hoje é Terça- Feira.
E nas terças, teremos o T de TAG que consiste em colocar aqui, as tag´s na qual eu fui tagueada
(ou não).

 A Tag escolhida da vez foi a “Eu Nunca” traduzida pelo Paulo do canal Livraria em Casa e criada por um canal gringo. As regras são bem básicas e consistem em responder 10 perguntas. Lets Go?


1. “Eu nunca li isso” – Um livro que você não leu, mas que aparentemente todo mundo já.




TODO MUNDO já leu Harry Potter! E as crianças e adolescentes começaram a gostar de leitura por causa dos livros da JK ROWLING... Quando os livros foram lançados, eu ja era considerada adulta estava no meu primeiro emprego e estava longe dessa nova " febre dos bruxos".

2. “Eu nunca li algo tão maravilhoso” – O seu livro favorito



Fiquei com dó da versão da capa azul desse livro. Ao terminar a leitura me fez ter a sensação que todos deveriam gastar o seu tempo lendo é o livro Extraordinário - R. J. Palácio.

3. “Eu nunca imaginei que conseguiria terminar isso” – Um livro ou uma série que você não curtiu, mas foi até o fim


Teorema Katherine; Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines.

É uma Leitura sofrível! No decorrer do livro veio à pergunta “tem certeza que é o mesmo autor?” fiz algumas tentativas nos dias anteriores, mas a leitura não engrenava só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro... Algumas partes animam, que Colin fala sobre constelações e sobre a importância que é para ele como um garoto prodígio fazer a diferença no mundo tem sacadas realmente bacanas no decorrer da historia... (spoiler)

4. “Eu nunca vou terminar isso” – Um livro ou uma série que você abandonou

A tematica "suicidio" esta me deixando muito mal... Nessas ultimas semanas. 
A leitura do livro Por lugares incriveis não esta rolando...

5. “Eu nunca vou me arrepender de ter lido isso” – Um livro que você leu por recomendação de alguém e acabou gostando


O livro que mais me marcou é Pretinha, eu do autor Júlio Emílio Braz esse livro foi indicação de uma professora de português para a aula de leitura.

No meio de uma aula de leitura a professora disse que eu me parecia muito com a Pretinha da história, não pelo meu tom de pele, pois eu sempre fui branquinha hehehe, mas por ser a mais velha de uma turma que todos tinham onze anos e pelo meu “mau jeito” (no começo) de me enquadrar, em uma escola com métodos tão rigorosos quanto o Harm… Ops! Colégio T. Sofri Bullying todos os dias do ano que estudei no colégio T. Sofria todos os tipos de agressões; intencionais, verbais e psicológicas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.No meu caso, por exemplo, a crueldade veio também por parte dos adultos professores da época “Ela parece à pretinha da história...” reforçando apelidos e motivos de chacota se eu já não tivesse motivos e não sofresse o suficiente...

6. “Eu nunca faria isso” – Um personagem que tomou alguma decisão ou fez coisas que você não concorda/faria.


Anna do livro "Anna e o Beijo Francês" no começo do livro ella fez uma birra por nada...Em vez de aproveitar a chance de estudar na França... Deixando o leitor morrendo de raiva das atitudes de Anna.

7. “Eu nunca quero ter que admitir que li isso”- Um livro que você tem vergonha de ter lido ou de ler em locais públicos.

O diario de Bruna Surfistinha. Porém, se alguém perguntar eu nego!

8. “Eu nunca li algo tão fofo” – Um livro que tocou seu coração


A Guerra que Salvou a Minha Vida tem narração clara em primeira pessoa, com capítulos curtos. As palavras de Kimberly fluem com a capacidade incrível de transportar o leitor em uma imersão na história.

A edição física do livro é de longe uma das mais caprichadas da editora e uma das mais lindas que já vi. Essa história é maravilhosamente marcante! É a minha leitura preferida desse ano. Um ponto que me tocou bastante, é que em várias partes a autora deixa claro que os dois irmãos não sabem ler ou não sabem o nome de atividades simples do dia a dia, e era necessário um adulto e Susan se tornou aos poucos uma mãe ideal para aquelas crianças... Ada me arrancou lagrimas e risos durante a sua trajetória em vê-la perceber que é capaz de muitas coisas, algumas até que ela nem imaginava. Senti cada emoção junto com os personagens

9. “Eu nunca ri tanto” – Um livro que te fez rir alto


Vovó Vigarista do Walliams, David vi esse livro no evento da editora Intrínseca e gostei tanto da "sinopse" que comprei depois de uma semana do evento. é uma leitura maravilhosa! Que você ri muito no inicio e no final você chora muito!!!

10. “Eu nunca teria sobrevivido minha infância sem ter lido esse livro” – Um livro favorito da sua infância


Um grupo de jovens enfrenta o mais diabólico dos crimes! Num clima de muito mistério e suspense, cinco estudantes – os Karas – enfrentam uma macabra trama internacional: o sinistro Doutor Q.I. pretende subjugar a Humanidade aos seus desígnios através de uma perigosa droga que está sendo testada em alunos dos melhores colégios de São Paulo…

Esses foram os livros dessa Tag Literária. Se gostou, fique à vontade para fazer, vou curtir muito saber as suas respostas. Depois me conta, tá? 

ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

21 de março de 2017

[Tag] Sandy & Júnior


Há três anos atrás, quando a Tary publicou este vídeo, eu fiquei alucinada querendo responder esta TAG que ela criou. Ela pegou músicas da melhor duplinha da nossa vida e fez dez categorias para associarmos a livros. Hoje eu lembrei dessa TAG que a Ana Flávia do "pratododia" re-escreveu e resolvi participar.
Fazendo uma pesquisa rápida aqui nos "Arquivos" do blog. Eu nunca tinha escrito sobre a dupla Sandy e Junior. Eu nasci no começo de 1986, eu aproveitei plenamente tudo que os anos 90 (com resquícios dos anos 80) tiveram a oferecer. Segui o fenômeno Sandy & Jr desde o inicio, ficando mais fã declarada em 1994 (eu tinha oito anos na época...) eu ganhei uma fita cassete do álbum Você é D+ e ouvia incansavelmente o lado A eo lado B nos recreios da escola do fundamental... Ostentação naquela época era ter; fita cassete, CD e dico de vinil dos seus cantores preferidos... Comprei outros fita cassete, CDS e dico de vinil e os DVD´S desde então... Em 1999, a rede globo criou o Seriado Sandy & Junior e montei uma pasta com reportagens que saiam nas revistas, postêr e até aqueles poster gigantes da dupla...
Ouvir a discografia da dupla é nostalgicamente maravilhoso! Traz lembranças muito bonitas de uma fase maravilhosa da minha vida. Eu achei muito divertido responder e, principalmente, assistir os clipes para responder (com propriedade) essa TAG.

1. O que é imortal não morre no final...
 Um livro que não foge do óbvio. 

A culpa é das estrelas o livro conta a história de uma garota chamada Hazel que foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial... Embora, passamos a leitura sabendo que os personagens ambos, tem câncer e podem morrer a qualquer momento o romance tem a capacidade de nos prender até o ultimo okay!

2. Eu acho que pirei...
Um livro meio maluco (ou que te deixou meio maluco). 

O lado bom da vida eu adoro livros/filmes com temas psiquiátricos. A leitura não conseguiu me prender, o protagonista com problemas psiquiatricos visiveis não consegue relatar o  acontecimento que levou a cometer o assasinato  ou se realmente ele matou o amante da tal esposa que não aparece em nenhum momento na história... Não consegui terminar de ler o livro. Porém, doei para a biblioteca da faculdade. Anos mais tarde lançaram o filme nem me atrevi a ver essa porcaria... HAUAAUHAUAHAU

3. Esse turu, turu, turu, turu aqui dentro...
Um livro que fez seu coração bater mais forte. 

A Vida do Livreiro A.J. Fikry A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo.... Esse livro fez o meu coração bater mais forte quando o personagem se deixa cativar pela pequena Alice e os dois tem aprendizados maravilhosos durante a narrativa.

4. Você desperdiçou...
Um livro com plot mal aproveitado. 

Teorema Katherine; Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines.

É uma Leitura sofrível! No decorrer do livro veio à pergunta “tem certeza que é o mesmo autor?” fiz algumas tentativas nos dias anteriores, mas a leitura não engrenava só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro... Algumas partes animam, que Colin fala sobre constelações e sobre a importância que é para ele como um garoto prodígio fazer a diferença no mundo tem sacadas realmente bacanas no decorrer da historia... (spoiler)

5. Olha o que o amor me faz, fiquei tão boba, fiquei assim...
 Um livro/autor que te deixou boba (o) de amor. 

Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. leitura que mais se aproxima da "A Culpa É Das Estrelas" com escrita tipica do John Green sem deixar o leitor entendiado. Li o livro em menos de uma semana, e não economizei nos post its pois, precisava marcar de alguma maneira as frases e passagens que eu achei bacana.

6. Vai ter que rebolar, rebolar...
 Um autor que vai ter que rebolar pra te reconquistar.

O Nicholas Sparks é um autor que vai ter que rebolar pra me reconquistar TODOS os seus livros foram tranformados em filmes "agua com açucar" e isso, já é um dos motivos suficientes para perder a vontade de ler algum livro desse ator.

7. Faz sorrir, ou faz chorar... 
Um livro que te fez rir e também te levou às lágrimas.

Bisa Bia, Bisa Bel A menina Bel encontra um dia uma foto de sua bisavó Bel, entre as coisas de sua mãe. A partir daí, ela inicia uma relação de muitas descobertas com essa pessoa tão importante na vida de sua família e na da própria. Tive uma ligação quase que "transcendental" com esse livro sou movida a histórias não resolvidas e saudades que vem do nada...Acredito que os livros nos encontram no momento certo. E depois de várias indicações (Ana Luísa Bussular do Blog Minha vida como ela é... e Revista da Livraria Catarinense) encontrei essa edição na biblioteca da faculdade na qual dividimos com uma escola...

8. Inesquecível em mim...
 Um livro que vive reaparecendo na sua mente. 

o livro Extraordinário. August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Os preceitos que contem no decorrer da leitura são enesqueciveis!

9. Quero aprender com você...
 Um livro que te ensinou muito. 

Pretinha, eu? Uma menina negra ganhou uma bolsa de estudos em um colégio onde nunca havia entrado um aluno negro. Desencadeou-se uma história de discriminação, preconceito e muitas descobertas. esse livro foi indicação de uma professora de português para a aula de leitura.No meio de uma aula de leitura a professora disse que eu me parecia muito com a Pretinha da história, não pelo meu tom de pele, pois eu sempre fui branquinha hehehe, mas por ser a mais velha de uma turma que todos tinham onze anos e pelo meu “mau jeito” (no começo) de me enquadrar, em uma escola com métodos tão rigorosos quanto o Harm… Ops! Colégio T.

Sofri Bullying todos os dias do ano que estudei no colégio T. Sofria todos os tipos de agressões; intencionais, verbais e psicológicas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.No meu caso, por exemplo, a crueldade veio também por parte dos adultos professores da época “Ela parece à pretinha da história...” reforçando apelidos e motivos de chacota

10. Baby, eu já sabia que ia dar certo...
 Um livro que você amou antes de ler.

Eu AMO o livro Luna Clara & Apolo Onze da autora Adriana Falcão antes mesmo de adiquirir uma edição na livraria.



Bem, não conheço muitas pessoas nesse mundo literário que queira responder essa tag. Então, deixarei ela em aberto, podem responder essa tag quem quiser e compartilhar com seus amiguinhos. 


Beijos e abraços 

Milla ❤

25 de março de 2020

[T deTAG ] Sandy & Júnior Book TAG





Quando a Tary publicou o Sandy &Júnior Book TAG em seu canal do Youtube. Eu fiquei alucinada querendo responder esta TAG que ela mesmo criou. Ela pegou músicas da melhor duplinha da nossa vida e fez dez categorias para associarmos a livros. 
Fazendo uma pesquisa rápida aqui nos "Arquivos" do blog. Eu nunca tinha escrito sobre a dupla Sandy e Junior. Eu nasci no começo de 1986, eu aproveitei plenamente tudo que os anos 90 (com resquícios dos anos 80) tiveram a oferecer. Segui o fenômeno Sandy & Jr desde o inicio, ficando mais fã declarada em 1994 (eu tinha oito anos na época...) eu ganhei uma fita cassete do álbum Você é D+ e ouvia incansavelmente o lado A eo lado B nos recreios da escola do fundamental... Ostentação naquela época era ter; fita cassete, CD e dico de vinil dos seus cantores preferidos... Comprei outros fita cassete, CDS e dico de vinil e os DVD´S desde então... Em 1999, a rede globo criou o Seriado Sandy & Junior e montei uma pasta com reportagens que saiam nas revistas, postêr e até aqueles poster gigantes da dupla...
Ouvir a discografia da dupla Sandy&Junior é visitar novamente a minha infância e adolescência... É nostalgicamente maravilhoso! Eu achei muito divertido responder e, principalmente, assistir os clipes para responder (com propriedade) essa TAG.

1. O que é imortal não morre no final...
 Um livro que não foge do óbvio. 

A culpa é das estrelas o livro conta a história de uma garota chamada Hazel que foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial... Embora, passamos a leitura sabendo que os personagens ambos, tem câncer e podem morrer a qualquer momento o romance tem a capacidade de nos prender até o ultimo okay!



2. Eu acho que pirei...
Um livro meio maluco (ou que te deixou meio maluco). 

(Review) Após o desaparecimento repentino de seu pai, Gabriella Mondini enfrenta uma crise: sem o seu aconselhamento, ela não pode mais praticar a medicina. Então, junto de seus dois fiéis servos, Olmina e Lorenzo, ela explora toda a Europa para descobrir para onde — e por que — ele se foi.

Comecei a ler "O Livro da Loucura e das Curas" no final do mês de setembro. Intercalando com as leituras obrigatórias da faculdade e parando um pouco de ler nas semanas de provas e trabalhos do semestre. Quando li a primeira descrição (com tanto detalhes...) de uma doença nesse livro, eu achei que tinha pegado algum livro de Psicopatologia da faculdade por engano, confundi com o DSM-IV - Manual de Diagnóstico e Estatística da Associação Norte-Americana de Psiquiatria, IV mesmo as doenças sendo fictícia e algumas delas vir para o lado mais poético, como a doença da lágrima negra que aflige as mulheres angustiadas que não conseguem falar sobre os seus sofrimentos. 



3. Esse turu, turu, turu, turu aqui dentro...
Um livro que fez seu coração bater mais forte. 

A Vida do Livreiro A.J. Fikry A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo.... Esse livro fez o meu coração bater mais forte quando o personagem se deixa cativar pela pequena Alice e os dois tem aprendizados maravilhosos durante a narrativa.


4. Você desperdiçou...
Um livro com plot mal aproveitado. 


Teorema Katherine; Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines.


É uma Leitura sofrível! No decorrer do livro veio à pergunta “tem certeza que é o mesmo autor?” fiz algumas tentativas nos dias anteriores, mas a leitura não engrenava só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro... Algumas partes animam, que Colin fala sobre constelações e sobre a importância que é para ele como um garoto prodígio fazer a diferença no mundo tem sacadas realmente bacanas no decorrer da historia... (spoiler)

5. Olha o que o amor me faz, fiquei tão boba, fiquei assim...
 Um livro/autor que te deixou boba (o) de amor. 

Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. leitura que mais se aproxima da "A Culpa É Das Estrelas" com escrita tipica do John Green sem deixar o leitor entendiado. Li o livro em menos de uma semana, e não economizei nos post its pois, precisava marcar de alguma maneira as frases e passagens que eu achei bacana.



6. Vai ter que rebolar, rebolar...
 Um autor que vai ter que rebolar pra te reconquistar.

Nicholas Sparks é um autor que vai ter que rebolar pra me reconquistar TODOS os seus livros foram tranformados em filmes "agua com açucar" e isso, já é um dos motivos suficientes para perder a vontade de ler algum livro desse ator.

7. Faz sorrir, ou faz chorar... 

Um livro que te fez rir e também te levou às lágrimas.

(Review) A Guerra Que Salvou a Minha Vida Kimberly Brubaker Bradley Essa história é maravilhosamente marcante! É a minha leitura preferida do ano de 2017. Um ponto que me tocou bastante, é que em várias partes a autora deixa claro que os dois irmãos não sabem ler ou não sabem o nome de atividades simples do dia a dia, e era necessário um adulto e Susan se tornou aos poucos uma mãe ideal para aquelas crianças... Ada me arrancou lagrimas e risos durante a sua trajetória em vê-la perceber que é capaz de muitas coisas, algumas até que ela nem imaginava. Senti cada emoção junto com os personagens.


8. Inesquecível em mim...
 Um livro que vive reaparecendo na sua mente. 

(Review) Ano passado, eu aprendi que “Às vezes os livros só nos encontram no momento certo.”. Eu li o livro Extraordinário da autora R.J Palácio em um desses momentos complicados que a vida da um giro de 180° e mesmo assim, você arranja forças para "se virar...". Enfim... Esse foi o melhor "presente" que eu pude presentear a mim mesma depois de ter passado esse momento ruim e sobrevivido.



O livro Auggie& Eu - Três histórias Extraordinárias não é uma continuação do livro Extraordinário e sim um complemento da história. Sim, você terá que ler o livro para conseguir entender o decorrer da história.

9. Quero aprender com você...
 Um livro que te ensinou muito

Pretinha, eu? Uma menina negra ganhou uma bolsa de estudos em um colégio onde nunca havia entrado um aluno negro. Desencadeou-se uma história de discriminação, preconceito e muitas descobertas. esse livro foi indicação de uma professora de português para a aula de leitura.No meio de uma aula de leitura a professora disse que eu me parecia muito com a Pretinha da história, não pelo meu tom de pele, pois eu sempre fui branquinha hehehe, mas por ser a mais velha de uma turma que todos tinham onze anos e pelo meu “mau jeito” (no começo) de me enquadrar, em uma escola com métodos tão rigorosos quanto o Harm… Ops! Colégio T.

Sofri Bullying todos os dias do ano que estudei no colégio T. Sofria todos os tipos de agressões; intencionais, verbais e psicológicas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.No meu caso, por exemplo, a crueldade veio também por parte dos adultos professores da época “Ela parece à pretinha da história...” reforçando apelidos e motivos de chacota

10. Baby, eu já sabia que ia dar certo...
 Um livro que você amou antes de ler.

(Review) A GUERRA QUE ME ENSINOU A VIVER, a emocionante continuação do livro de Kimberly Brubaker Bradley.Após uma infância de maus-tratos, Ada finalmente recebe o cuidado que merece ao ter seu pé operado. Enquanto tenta se ajustar à sua nova realidade e superar os traumas do passado, ela se muda com Jamie, lady Thorton e Susan ― agora sua guardiã legal ― para um chalé em busca de um recomeço.



Bem, não conheço muitas pessoas nesse mundo literário que queira responder essa tag. Então, deixarei ela em aberto, podem responder essa tag quem quiser e compartilhar com seus amiguinhos. 
© Lado Milla
Maira Gall