(#mimimi pessoal)
Mostrando postagens com marcador (#mimimi pessoal). Mostrar todas as postagens

31 de agosto de 2017

Porque eu não aderi ao BEDA nesse ano.


Nesses dias do mês de Agosto eu iria deixar o Lado Milla desatualizado.

O motivo de eu ter falhado miseravelmente foi a Minha Primeira Experiência com o Turista Literário. Tagarelei sobre o mês de Julho e esqueci de escrever sobre um momento insano que tive na livraria quando comprei uma Trilogia com capa dura... 

Nesses dias, eu senti necessidade de esquecer, virar a página, mudar o disco e mudar de assunto... Escrevi: Sobre a série Pretty Little Liars que terminei de maratonar no mês passado; Sobre as musicas que ouvi para o #cançãodesegunda; Sobre o ultimo filme que vi no cinema O Filme da Minha Vida depois de um passeio despretensioso no shopping e escrevi uma resenha sobre o livro Ecos da autora PAM MUÑOZ RYAN que eu li. Para "mascarar" a minha desmotivação em escrever nesses dias... 

O auge da minha falta de motivação para escrever foi na semana passada. Fiz um rascunho para escrever um texto sobre o dia do Psicólogo. Estava procurando nos meus textos anteriores que eu escrevi sobre os meus semestres, estágios, o "terrivel" Trabalho de Conclusão de Curso e coloquei algumas fotos da minha formatura para ilustrar o post... Quando o texto estava pronto eu desisti de postar no blog e exclui.

Também tem sobrado tempo. Porém falta energia. A minha atual situação de desempregada recém-formada tem mexido com a minha cabeça de um jeito maluco: O primeiro semestre do ano de 2017 já terminou e não consegui dar inicio aos meus projetos pessoais. Esses projetos que temos quando nos formamos:
  • Começar a minha pós graduação;
  •  Arrumar um emprego;
  •  Comprei mil livros;
  •  Entrar na academia;
  •  Por em dia as minhas leituras atrasadas;
  •  Maratonar as minhas séries favoritas;
  • Estudar para os concursos públicos da área de Psicologia; 
  •  Viajar: Curitiba/PR, POA/RS, Cuiabá/MT, Joaçaba/SC...
Escrevi a minha primeira "carta de motivação" para um trabalho dos sonhos e fiz uma revisão constante do meu currículo. Porém, o trabalho ficou somente nos meus sonhos mesmo...


O sono está em ritmo de férias #desregulado. Estou dormindo tarde e acordando depois do 12:00... Depois de estar escrevendo sobre isso percebo o porque da minha falta de energia... Não estar ocupando o meu tempo faz com que eu tenha pensamentos ansiosos deixando espaço para as crises de ansiedade. 

Eu funciono melhor a 1.000 por hora  foi assim que eu participei dos dois ultimos B.E.D.A´s em 2015 apresentação do TCC e em 2016 ultimo ano da faculdade e no mês de Dezembro teve até uma Blogagem Especial de Final de Ano



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):


7 de junho de 2017

Quando eu comecei a escrever?


Quando eu comecei a escrever sobre os meus hábitos de leitura... lembrei-me qu foi nessa mesma época, que eu fui alfabetizada com 7 anos eu comecei a escrever e fui uma das primeiras crianças da classe que conseguia juntar as letrinhas e formular palavras. Naquela época, eu ganhei um caderninho decorado que eu preenchia escrevendo o meu nome, o nome dos meus pais, os nomes dos meus parentes e o no nome do meu bichinho de estimação da época que era uma cachorrinha que se chamava Xinoca.

Na escola, os professores do ensino fundamental nos davam temas para escrevermos uma história. Anos mais tardes, os professores nomearam essa atividade como Redação e começaram a elogiar os meus textos. Foi assim que eu virei uma pessoa que escreve. Porém, criticavam a minha letra que era feia e as palavras tornavam-se indecifráveis... Eu estudava em uma escola onde o contra-turno se chamava Reforço escolar que funcionava no período matutino no máximo 3x por semana o exercício era escrever as minhas letras indecifráveis em um caderno de caligrafia.

Quando eu estava na 5° série do ensino fundamental eu fui transferida para uma escola particular... Além das apostilas do Positivo (bimestres) ganhávamos uma agenda com o slogan da escola. Nos recreios, eu adorava escrever sobre o meu dia-a-dia e copiar as musicas da dupla S&J e colar os meus adesivos que era a sensação da época... 

Um dia, quando eu estava escrevendo na minha agenda... Eu lembro que eu escrevia o fato de estar odiando a escola e as chacotas que eu sofria por causa das outras alunas... O meu texto foi censurado! Sim, algumas alunas falaram para a orientadora que eu estava escrevendo o nome das alunas em uma "lista-negra". A orientadora confiscou a minha agenda (morri de vergonha...) procurando a tal lista-negra e óbvio que era mentira. E desde esse dia, eu não escrevi mais nada naquela agenda. Nem em outras agendas escolares.... 
Anos mais tarde, eu ganhei o meu primeiro computador (semi-novo) como presente de aniversário de 15 anos. Naquela época, o computador tinha somente três joguinhos: o "paint" para desenhar e o Word 95 para escrever... Sem internet discada. Eu lembro da minha emoção quando eu criei a primeira pasta com o meu nome no computador com os meus escritos... Principalmente, eu não precisava sentir vergonha da minha letra. A coisa que eu mais gostava de fazer no computador além de escrever, era testar as diferentes tipos de fontes no Word.

Há primeira vez que ouvi falar sobre Blog ou algo parecido foi em 2002. Uma colega do grupo de jovens tinha um site pessoal (luxo!!!) que era muito parecido com o formato dos blogs pessoais dos dias de hoje... Eu comecei a escrever na internet em 2004, numa plataforma para jornalistas que era bastante precária, a linha editorial desde o meu primeiro blog é não-ter-linha-editorial e o meu principal tema é " eu e a minha bolha...". Escrevo sobre as minhas opiniões; sobre musicas, livros e atualidades. é um Blog pessoal comum diante tantos outros blogs: literários, crônicas, modas, decoração... 

Eu sempre me pergunto Porque eu escrevo? sempre lembro-me de um trecho da Clarice Lispector "Enquanto eu tiver perguntas e não houver resposta continuarei a escrever.". Acredito que essa minha ânsia de espremer meus sentimentos em palavras, esta no jogo de perguntas/respostas ao longo dos acontecimentos da vida... Eu escrevo por necessidade! Eu preciso escrever para espantar os meus "demônios anteriores..." preciso "arquivar", momentos e histórias para não esquecer... Preciso re-lêr essas postagens arquivadas para que eu possa me sinta melhor, por ter vivido esses momentos descritos e principalmente de ter superado esses momentos de alguma forma.

Esse meu blog atual Lado Milla veio para abrir um novo ciclo! E acabou tornando-se um espaço que eu sinto-me a vontade para escrever sobre o meu dia-a-dia e sobre os assuntos do cotidiano casa/faculdade/trabalho e sobre os meus hobbies; como fotografia, filmes, livros, musicas, séries... 

Nesse novo ciclo, eu conheci outras pessoas-que-escreviam-na-internet e os seus blogs tinham a mesma linha editorial "elas e suas bolhas..." era uma delicia "invadir " o blog dessas pessoas e se deparar com uma crônica muito engraçada de como foi perder pela milésima vez o ônibus naquela semana de provas da faculdade. #quem-nunca?! Hoje fui pesquisar "Minha lista de blogs" e pude verificar que a maioria dos blogs estão desatualizados, abandonados e excluídos...

A maioria dessas blogueiras que "migraram" para o newsletter acabam buscando muito daquilo que a blogosfera não lhe ofereciam mais... Foram poucas as blogueiras que manteram o blog juntamente com as newsletter e outras blogueiras abandonaram o blog para dedicar-se somente a newsletter ... Enquanto leitora, eu fui assinando os feed´s até ficar com a minha caixa de e-mail cheia sem conseguir ler a metade. Desisti da maioria dos feed´s que assinei :(

Escrever-na-internet é um grito no escuro... Porém, necessário. Sou "gente que escreve" mas, confesso que abrir um documento novo no word é sempre "assustador" tenho necessidades de escrever... Tenho desabafos elaborados na cachola que a mente insisti em censura-las e as minhas escritas acabam se perdendo nos "arquivos" da minha falta de memória.






ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):






1 de junho de 2017

Tagarelando sobre o mês...

No inicio do ano, o Resumo do Mês se transformou em um texto corrido com a amiga aqui, "escrevendo pelos cotovelos" sobre os meses que chegariam ao fim no ultimo dia de cada mês.


Nesses últimos dias, eu fiquei pensando em como eu iria começar a Tagarelar sobre o quinto mês desse ano. No seu ultimo newsletters a Ana Vitória descreveu um sentimento quase que mundial: Tá foda, né? Tá foda demais. "São governos cambaleantes, exército na rua, atentado terrorista que mata adolescentes, o terrorismo de um prefeito que escolhe derrubar um prédio com pessoas dentro...". Eu também não soube escrever... Não sei se deveria escrever alguma coisa sobre isso. 

No ensino fundamental, eu sempre gostei da matéria de Estudos Sociais. No ensino médio, essa matéria transformou-se nas matérias de Geografia, História e Atualidades... Eu sempre gostei muito da História do Brasil. Os meus professores de História tinham um jeito peculiar de passar o conteúdo que conseguia prender a atenção até do aluno menos interessado... 

Quando o professor expôs o conteúdo sobre os anos de Ditadura Militar no Brasil que foi uma época de grande opressão, tortura, mortes... Onde a "liberdade de expressão" simplesmente não existe em um governo ditatorial da época. Na aula seguinte, a continuação daquele conteúdo foi sobre os diferentes tipos de arte que eram censurados pela ditadura, o professor nos contou que enquanto os militantes eram torturados e mortos... alguns intelectuais da arte da época preferiam não ser censurados, criando musicas bobas no estilo Um barquinho a navegar.... ♫ Nos dias atuais, é torturante não conseguir escrever sobre isso tudo. É frustrante ter mais duvidas do que certezas nos dias atuais. Pensei em escrever mais sobre a série Os dias eram assim... mas acabei colocando somente as musicas da trilha sonora.

A vida de recém-formada está devagar... Estou sentindo falta dos estágios, dos trabalhos no CAPSI aqui de Florianópolis. Estou agradecendo muito também de não precisar sair de casa tão cedo nesses dias frios e chuvosos...

Enquanto não conseguimos escrever sobre "a vida real" escrevemos sobre: livros, Musicas, filmes e seriados  e as TAGs e projetos do blog: #cançao de segunda e história da musica;  #T de TAG; e #52 semanas.  E outras apostagens sobre: resenhas literárias e resenhas das séries que estou assistindo atualmente na Netflix.

 O QUE EU ASSISTI ESTE MÊS


Estou tendo muito tempo livre... Então, estou maratonando as minhas séries preferidas. Terminei de assistir OC - Um estranho no paraiso e escrevi uma analise sobre a série. Logo em seguida, comecei a assistir Gossip Girls e estou na terceira temporada...

Assisti algumas séries atuais;  13 Reasons Why A série gira em torno de Clay Jensen, um estudante tímido do ensino médio que encontra na porta de sua casa uma caixa com 13 fitas cassete gravadas por Hannah Baker, uma colega que cometeu suicídio recentemente. Cada um dos lados das fitas relata um motivo – e uma pessoa – que motivou Hannah ao suicídio. E ainda abordando sobre o mesmo assunto, escrevi sobre o filme em formato de documentário que assisti ainda no ano passado A Girl Like Hear.

A 1º temporada da tão comentada série Cara, gente branca que ainda irei escrever sobre as minhas impressões dessa série.

 O QUE EU LI ESTE MÊS


Eu terminei a leitura do livro A Guerra que Salvou a Minha Vida é um lançamento da DarkSide Books, é a primeira Editora do Brasil dedicada ao terror e à fantasia A editora criou uma coleção Darklove com histórias sobre a força feminina na literatura. Escrito pela autora Kimberly Brubaker Bradley. Vencedor do Newbery Honor Award e primeiro lugar nos mais vendidos do New York Times, assim como é adotado em diversas escolas nos EUA. [Resenha]

E comecei a leitura do livro Em algum lugar das estrelas mas ainda não terminei...da mesma editora.

 O QUE EU OUVI ESTE MÊS



Estou ouvindo muito as musicas da trilha sonora da série Os dias eram assim...



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

21 de fevereiro de 2017

Sobre esse tal de "inferno astral".


Faltam algumas horas, exatamente duas horas, para o meu aniversário de 31 anos. Inexplicavelmente, os trinta e poucos... me assustam mais que os meus 18 anos e o inicio da vida adulta. Talvez porque as mudanças que eu espero para o ano que vem sejam (bem) maiores do que as que eu esperava para o inicio da vida adulta.

Talvez porque finalmente fechei ciclos importantes para o meu futuro profissional. Realizei alguns sonhos: Trabalhar com crianças; O meu TCC foi um projeto de pesquisa sobre Problemas Psicológicos na Migração com os Haitianos na cidade de Florianópolis/SC. Essa pesquisa, tornou-se um grupo de estudos sobre imigrantes e refugiados, o meu campo de estágio foi na Pastoral do Imigrante. Ano passado, eu terminei as sete matérias que faltavam para eu finalmente me formar em Psicologia.

Talvez porque a chegada do meu aniversário mostra que o ano realmente começou (o primeiro mês do ano costuma ser morno...) Os meus 30 anos já foram e eu ainda não sei se isso é bom ou ruim, embora devesse ser bom. Na semana passada: eu chorei; reclamei; briguei... Sei lá, talvez seja só drama ou o tal do inferno astral e o combo foi a pior TPM de todos os tempos!

"Inferno astral, que representa uma fase na qual nossas energias são derrubadas, 30 dias antes do nosso aniversário. Isso acontece porque o Sol, durante o nosso ano astral começa a caminhar através da última casa do nosso mapa astral, que é um lugar difícil de definir por si só. Esse lugar representa nosso inconsciente, as energias que não conseguimos definir e por esta energia ser, de fato, tão confusa, acabamos atraindo situações, pessoas e acontecimentos que esbarram nessa mesma energia. É uma fase em que podemos ficar doentes, sofrer algumas perdas e as situações confusas e indefinidas acabam por ficarem mais próximas.".

Além do mau humor, o meu notebook teve que ir para a manutenção atrasando algumas postagens já programadas: canção de segunda; Projeto 52 semanas; Teve show dos meninos dos Acústicos e Valvulados que renderia um "diário de chalaça" no minimo interessante...
 
Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5

21 de agosto de 2016

BEDA#21 - TOP 5 : Esportes Olímpicos



Faltam apenas algumas horas para o término dos Jogos Olímpicos de 2016, e eu ainda não tinha escrito nada sobre esse grande evento olímpico. Resolvi listar alguns dos esportes olímpicos que eu já pratiquei ou gostaria de praticar em algum momento da minha vida.

NATAÇÃO


Eu fiz aula de natação quando eu tinha uns 9/10 anos se não me engano, em uma escola de natação chamada Baleia Azul.  Eu aprendi a nadar nesse época com aulas três vezes na semana nunca tive medo de água ou algo parecido, Porém, nadar é o exercício físico mais completo melhorando a minha postura por causa da coluna e a minha respiração na época.


CANOAGEM SLALOM


Fiz esse esporte na praia (mar manso) e gostei bastante. A força que você tem que ter no braço é algo bastante intenso mas é algo relaxante ficar vendo aquele marzão todo... Enquanto o caiaque ganha velocidade na medida que você rema.

    HIPISMO


    Já andei de cavalo no Hotel Fazenda.Mas, eu gosto mesmo é de ver a competição de Hipismo na TV. Parece uma competição extremamente chique com todas aquelas roupas e apetrechos sempre fico com vontade de me escrever em alguma escola de Hipismo.

    GINASTICA ARTÍSTICA


    Esse é um esporte que eu não me atrevo a fazer (rs) Porém, eu adoro acompanhar nas Olimpíadas.

    VÔLEI DE PRAIA


    Podia ser apenas um trauma de infância. Nas aulas de educação física no ensino fundamental quando a professora colocava duas alunas para montar os times, eu nunca era escolhida pelas minhas colegas de classe e acabava fritando no banco quando não pedia para a professora para ir na biblioteca... Hoje em dia, adoro acompanhar na TV os jogos nas olimpíadas.





    Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
    Estarei comentando com vocês sobre o BEDA (principalmente no Snap!!):
    Snapchat: Lmilla5


    4 de junho de 2016

    Ensaio sobre a canseira.


    Se, um dia eu viesse a escrever um livro... Escreveria uma auto-biografia. Não que, a vida de uma garota/mulher vivendo atualmente á crise dos 30 anos, tenha algo interessante ou rendam mais de duas mal-escritas páginas. Eu já me atrapalho o suficiente escrevendo as postagens mais pessoais aqui no Blog.

    Mas, se um dia eu viesse a escrever um livro...

    O titulo desse livro seria "Ensaio Sobre A Canseira" parafraseando o romance do escritor português José Saramago. A capa do livro seria da cor branca, a cor do titulo do livro seria vermelha e com essa ilustração: de uma garota tentando escrever, mesmo estando completamente exausta. Aliás, essa ilustração define a minha vida nesses dois últimos meses ... 

    O semestre da faculdade (3 matérias pendente) está bem tranqüilo, me formo em Psicologia no final desse ano. A grande novidade de 2016 é que minha mãe comprou um salão de beleza (funcionando...). E me chamou para trabalhar na parte financeira. A equipe de funcionarias nos recebeu com bastante resistência e estamos em um processo longo de adaptação... Eu ainda não consegui "curtir" o fato de estar trabalhando em um negócio próprio sem pensar no stress que é cada pequena mudança. 

    Isso anda consumindo a maior parte do meu tempo e energia que eu reservaria para escrever no Blog. Gosto de escrever ou fotografar como válvulas de escape, para descarregar todos os meus "demônios interiores" e com isso me sentir aliviada das minhas mazelas e mimimi´s diários. Mas, Ao olhar os "Arquivos" no mês de Maio sinto uma pontinha de remórcio por ter apenas uma postagem sobre uma TAG literária com fotos antigas... Seria mais decente assumir o Hiatus por um tempo.

    Enquanto ao livro...

    Estamos naquela parte da história em que o personagem esta se esforçando para que as coisas terminem bem, faltando bastante para a moral da história e faltando mais ainda para o Fim.

    16 de dezembro de 2015

    #16 Sobre os 182 dias que restaram...

    O mês de Julho, seria um mês de LEITURA INTENSA! Porque eu estava de recesso da faculdade e o meu estágio terminaria em junho... Porém, escolhi acrescentar um mês no meu estágio de Psicologia (estagiei nas férias!).


    Resolvi dar continuidade ao meu estágio na Pastoral do Migrante por causa da continuação do GETEP que terminou antes mesmo da finalização desse semestre... Esse ultimo mês, não teve a pressão de escrever pequenos relatos afim de, montar um relatório de estágio.

    O meu semestre na faculdade foi assim: 



    Psicologia hospitalar (optativa) Conheço a professora que ministrou essa matéria de outras matérias que fiz ao longo do curso... Mesmo depois dos estágios essa matéria trouxe muitos aprendizados 

    Gestão, desenvolvimento e qualidade de vida A matéria em si foi o "mais do mesmo" da disciplina Psicologia do trabalho que eu tive ao longo do curso. A professora foi contratada recentemente e era toda "meticulosa" e tal... Matéria chata! Professora chata! 

    Psicologia e direitos humanos (optativa) é um professor bastante querido na graduação, sempre tínhamos calorosas discussões com as temáticas cada vez mais polêmicas.

    Sem Estágios, sem GETEP apesar dos bons frutos esse semestre foi bastante deprê...

    A Blogosfera atual não esta nos seus melhores momentos... Porém, "devezquando" surgem projetos como o BEDA que fazem aflorar o melhor/pior de cada Blogueira(o) e seria engraçado se não fosse trágico um desafio um tanto engraçado (A galera tem conteúdo mesmo!) as outras blogueiras que não aderiram ao BEDA pelo motivo que diminuiria as visualizações de cada postagem... Resumindo: ainda existe blogueiros que se importam com o conteúdo. 

    Enfim, férias... A única programação para esses dias é descansar muito! E ler os livros que recentemente eu comprei e as outras leituras que acabei atrasando ao longo desse semestre.

    15 de novembro de 2015

    Cotidiano Blues...

    Em uma aula bastante "filosófica" de Psicologia e Direitos Humanos eu estava lendo (ou tentando ler...) o texto sobre dignidade. O texto em si, era chato e a leitura estava bastante cansativa... Então, comecei a dar umas olhadas aleatórias entre as páginas. Até que, em uma dessas leituras "dinâmicas" encontro uma frase que chamou bastante a minha atenção, ao ponto de copia-lá em um canto da folha:

    "A vida real não acontece em uma folha em branco.".

    Nos tempos em que a blogosfera era realmente old School a "Vida Real" acontecia sim, em uma folha ou várias folhas em branco... Dependendo o tempo que durasse o Hiatus em seus devidos blog´s. 

    Já escrevi aqui sobre o quanto é prazeroso "escrever sobre a vida enquanto a vida acontece...". O ano de 2015, (está sendo...) o ano que eu finalmente apresentei o meu Trabalho de Conclusão de Curso. Esse TCC teve um gostinho diferente, pois foi um projeto de pesquisa bastante elogiado e um grupo de estudos (Getep) que renderam bons frutos para os alunos na faculdade. No segundo semestre de 2015, eu ainda tenho sete matérias #burra para terminar a graduação de Psicologia.... Que eu irei fazer em 3 semestres pois pela primeira vez na vida deu o maldito choque de horário. Se eu pudesse dar só uma dica para os universitários seria esta: Não atrase suas matérias na graduação!

    Nesse semestre, eu estou tendo aulas na faculdade duas vezes por semana e indo todas as terças-feiras no meu campo de estágio na Pastoral do Migrante fazendo um trabalho mais voluntário até o final desse ano.

    A minha vida (on-line e off-line) acontecem diante de folhas rabiscadas/escritas... Quando estou on-line eu abro uma pagina no Word que é uma das coisas mais maravilhosas da tecnologia. Escrevo no computador para disfarçar os meus indecifráveis garranchos que chamo de letra e gosto da velocidade que somente a escrita no computador proporciona.

    A vida (off-line) anda devagar nesses últimos meses... Gosto quando a vida esta corrida, assim como foi o inicio do semestre sou acostumada a dar mais resultado a 100 km/por hora. Faltam duas semanas para terminar o mês e alguns dias para finalmente acabar o semestre sei que a desaceleração é algo realmente necessário. Porém, de vez em quando bate uma deprê inexplicável! Apesar da velocidade de uma tartaruga reumática dos acontecimentos, as coisas que me propûs a fazer nesse semestre estão dando certo...



    Textos melhores na sequência 
    com um pouco mais de nexo e sentido (prometo!)

    27 de agosto de 2015

    BEDA#27 - O ano que apresentei o TCC...

    Ainda no ensino médio,  nasceu a vontade de fazer faculdade de Psicologia e que eu passaria 5 anos (?), estudando só as matérias que eu gosto! Principalmente, nunca mais veria matemática na minha vida!
    Meu primeiro dia de aula na faculdade foi assustador! Eu, recém saída do ensino médio com uma turma de alunos já na sua 3° e 4° graduação... Me senti "pequena" diante dos assuntos e opiniões MEGA elaborados e eu ficava quieta com medo de falar alguma besteira. Segui com essa turma até a 5° fase, tive que refazer algumas matérias e acabei diminuindo a quantidade de matérias do semestre. Dessa turma se formaram poucos alunos (menos de 10 alunos) alguns foram desistindo durante os semestres... Mas, não é sobre isso que eu vim falar.

    As turmas do curso de Psicologia que "Migrei" durante esses semestres tinha uma característica em comum: Desunião (mal de humanas?). Tínhamos uma nota a N3 "trabalhos em grupo" quando eu não tinha a opção de fazer individualmente sempre foi um "parto" de achar um grupo decente. Minhas piores crises de gastrite se devem a esses momentos de maior stress durante esses dez semestres da graduação.

    Cheguei a trancar a faculdade 2x: Há primeira vez, eu não tava vendo mais sentido no curso que escolhi,.. Depois de ter feito um estágio não obrigatório desses que pagam mal e não tinha nada haver com Psicologia.... Fui fazer Administração, foi a fase que eu mais me diverti! Era uma turma de jovens animados toda sexta-feira tinha encontro da turma e balada TODO final de semana... No final do semestre eu decidi voltar para o curso de Psicologia. Há segunda vez, eu tirei umas férias de um semestre. Me desentendi com a supervisora de estágio na época, quando voltei no segundo semestre e soube que eu não fui a única a "profissional" se desentendeu com outras alunas também e acabou sendo demitida. Prossigamos, porque ainda não é disso que vim falar.

    Vim falar sobre o TCC. Na semana passada, eu apresentei o meu Trabalho de Conclusão de Curso naqueles longos e intermináveis 30 minutos entre a minha apresentação #tremia e mais trinta minutos da pontuação dos avaliadores e o recebimento da nota. Em momento algum, pensei na nota... Queria passar TODO o meu conhecimento do projeto em si, e que toda a minha trajetória até ali não foi em vão teve crescimento em todas as etapas principalmente dos estágios (Básico e Específico). No dia seguinte, minha supervisora me mandou um e-mail, parabenizando-me pela apresentação e informando que a  minha nota foi 9,5. Fiquei Feliz!

    Em 2005, achei que esse momento nunca chegaria e em 2010 achei que não iria me formar em Psicologia... Agora, estou aqui, sentada escrevendo sobre toda a minha trajetória e confirmando aquela velha história que diz  que: A vida " não é sobre o quão rápido chegarei lá/não é sobre o que está me esperando do outro lado. É a escalada...".


    Feliz dia da Psicóloga 
    para mim!!!

    18 de março de 2015

    Isto foi o mais perto que cheguei do "Amor"…

    Acreditei “cegamente” nessas palavras, e eu teimava em insistir em repeti-las durante meses (cof, cof). No fim eu percebi que o caminho para o amor era de “mão dupla” e, eu tinha pegado a direção errada desde o começo… Mesmo não acreditando nas “definições do amor” não poderia ter ignorado tão friamente todas elas. Deveria ter considerado (pelo menos) a principal definição; O coração batendo em taqui-cardiaco. 

    Dessa vez o meu coração não bateu… Desde a primeira vez, o primeiro encontro… Nem as mãos suaram com o primeiro toque…

    “Tentei ser recíproca com todo “AMOR” que achei que eu estava recebendo…” Não! Esse texto, não é sobre o outro… E nem usarei justificativas e velhas máximas como o “inferno é o outro” para justificar o que não existem justificativas. O amor não é um sentimento que possa ser “recíproco” não apenas isso, em minhas teorias mais alucinantes o Amor deve ser um gremlin que, no mínimo de um “olhar diferente” entre as pessoas transformam o coração da gente… E se a “transformação” não ocorrer simplesmente não era AMOR.

    A intensidade dos sentimentos diminui quando o amor acaba. E quando o amor nunca existiu? 

    Se o AMOR for “simplesmente isso”, espero que seja o mais perto que eu chegue às próximas décadas. Tendo passado por isso, posso dizer agora com mais certeza que eu sabia lidar melhor quando o AMOR era só desculpa, para escrever aqui no Blog não para “sangrar” e “machucar” tanto como foi esses últimos meses…

    Somos a pessoa certa/errada no momento certa/errada de Alguém. A “magia” desse sentimento é quando dois corações encontram a pessoa e fazem aquele momento ser o “certo” dos dois…

    27 de fevereiro de 2015

    Ultimo semestre!



    "♫ ... Ain't about how fast I get there
    Ain't about what's waiting on the other side
    It's the climb ♫."

    O meu ensino médio não foi nenhum "High School Musical" mas, no Terceirão desce um espirito de um "bom estudante" em qualquer simples mortal e achamos que vamos aprender TUDO que não aprendemos no fundamental e nos dois primeiros anos do ensino médio... 2005, Foi um ano da minha vida que eu ainda não superei.

    Achei que eu iria amargar anos a fio em cursinhos até conseguir passar em uma universidade federal... Em 2006, fui para o CESUSC. Uma universidade particular e que tinha o curso superior de Psicologia (minha primeira opção!). Meu primeiro semestre foi assustador! Lembro que na primeira semana eu me sentia miúda diante a minha turma. Pois, a minha turma eram de pessoas mais velhas que já estava fazendo a 2º ou a 3º graduação e eu ali recém saída do terceirão... Segui com essa turma até o quinto semestre. Diminui a quantidade de matérias que eu estava fazendo no semestre e re-fiz algumas dessas matérias... resolvendo assim, ficar com as turmas anteriores.

    Em 2009 consegui meu primeiro estágio de Psicologia (não obrigatório) em uma secretaria do estado de SC. O estágio não tinha nada haver com Psicologia era mais um projeto dentre tantos outros projetos feitos no estado para não darem certo... Completei um ano de estágio, entreguei "o trabalho de estágio" e jurei que só faria novamente um estágio se fosse o obrigatório da faculdade. Aquele semestre foi um fracasso² e que colocou em xeque todo o meu sonho do inicio... E a pergunta que eu mais fazia para mim mesma era; O Que Eu To Fazendo Com A Minha Vida? e a resposta era automática: Eu Não Faço A Menor Ideia ...

    Em 2010 eu tranquei a faculdade de Psicologia jurando nunca mais voltar... e a noticia foi recebida com um grande susto pelos familiares e amigos. Fui para o curso de administração mesmo não tendo nada haver comigo... com uma turma divertida e fazendo poucas matérias... mesmo não me adaptando com exatas, foi um dos semestres mais universitários que eu tive na vida! Com direito a festas nas sextas-feira depois das aulas e baladinhas nos finais de semana. No final de 2010 senti um aperto... pois, eu estava com uma turma bacana porém, em um curso que eu não me identifiquei.

    Em 2011 e 2012 descobri minha verdadeira "relação" com a Psicologia. Um sentimento verdadeiro de amor & ódio e comecei dizer uma frase que repito todo semestre desde então:
     Quero me formar em Psicologia para trabalhar com máquinas rs.
     No segundo semestre de 2013 eu estava cursando a 7° fase do curso e nessa fase, começa os estágios (básicos) obrigatórios.Eu escolhi entre tantos... o estágio de Psicologia Escolar, em uma escola pública no sul da ilha aqui de Florianópolis.

    Estágio Básico I:  O meu primeiro estágio, foi com essa turminha chuchu da foto  estudantes da 1° série transformaram os meus dias de estágios mais divertidos!
    Melhor Pequinique!
    Estágio Básico II: Nesse segundo estágio, apliquei dinâmicas pensadas no primeiro semestre... Mesmo tendo mais trabalho do que no semestre anterior, que só ficava observando os alunos e a turma em geral como fiz no primeiro estágio. Apliquei as dinâmicas com turmas de 3° e 4° série e as crianças cooperaram e se divertiram nas atividades (principalmente as fotográficas).


    Resumindo o ano de 2014 em "Selfies"
    Amigos, aulas, estágios, mais aulas e serviço.

    Estágio e GETEP foi algo diferente de todos os estágios que fiz nesses dois últimos semestres da faculdade de Psicologia... O trabalho foi com os imigrantes/refugiados Haitianos que estão morando na cidade de Florianópolis/SC. Esse primeiro semestre de 2015 continuamos com o trabalho para aplicar um projeto com os imigrantes que ainda moram em Florianópolis/SC.

    E chegamos no 10 semestre da graduação! Estou com dois sentimentos divergentes: 
    1) Ufa. ta acabando! 2) ta acabando... Mas, ainda é cedo!
    Sinto que no decorrer desse semestre será nostálgico e cheio de saudades... Escrevo mais um pouco desse semestre em uma próxima postagem, pois, esse post ficou gigante além da conta...

    "♫ ... Keep on moving
    Keep climbing
    Keep the faith
    Baby
    It's all about
    It's all about the climb
    Keep the faith
    Keep your faith... ♫"

    21 de fevereiro de 2015

    "O que você quer de aniversário?"

    Desde que eu era bem pequena essa pergunta me deixava um tanto sem graça. Primeiro fui educada que, não é de bom tom, ficar pedindo presentes. Outra é que, mesmo quando insistem na pergunta eu nunca sei de verdade o que pedir.


    No dia do meu aniversario. O que eu quero? Ah, se já lembrou o dia por mim já está ótimo. Para não dizer que sou totalmente avessa aos presentes gosto daquele em forma de “lembrancinhas” não é algo caro. Mas é algo simples que fez a outra pessoa lembrar-se de você. É gratificante ver que uma pessoa parou para pensar e criar alguma coisa para você, ao invés de só pegar alguma coisa pronta. Acho uma coisa legal de se ver. Mostram que se importam. Mas, admito que,gostaria de ganhar meus presentes em dinheiro para assim poder comprar minhas “bugigangas”.
    “Mesmo que não veja muito sentido em aniversários. Parabéns? Parabéns pelo quê? Por sobreviver mais um ano? Um dia para as pessoas serem legais com você? Compensar todos os 364 dias do ano que sequer lembraram seu nome? Talvez pra tentar ser convidado pra sua festa ou sabe-se lá.”
    Esse ano, meu aniversario cai em um final de semana. Vou usar esse dia para me concentrar, ter um dia meu mesmo, como sugere os aniversários... Manter os pensamentos leves. Eu acredito que, isso atrai energias boas o ano todo. 

    Fazer aniversário nesses dois primeiros meses do ano funciona como um ano novo com 365 dias de novas possibilidades... Costumava gostar dos anos pares, bem mais que, os anos ímpares. Mas o ano de 2013 (27) foi tão... Massa! Que tenho medo de continuar afirmando isso. Uma coisa é certa: não espero presentes de ninguém! Talvez o meu maior desejo de aniversario. Seja aquele trecho da canção da Vanessa da Mata: Quero só noticia boa/Quero paparicações no meu dia, por favor,/Brigadeiros, mantras, música/Gente vibrando a favor/.

    Esse post surgiu inspirado pelo blog Conspirantes

    23 de novembro de 2014

    1/4 Cheio de Fragmentos Aleatórios (Parte 02)


    Nesse post aqui eu escrevi sobre a tão sonhada reforma do meu "cantinho" e escrevi sobre os meus quartos antigos e coloquei algumas fotografias do quarto antes da reforma.
    ... E você nunca vai saber de nada do que eu senti

       Sozinho no meu quarto de dormir...”.



    Depois da reforma o meu quarto ficou assim. 
    (Visão que eu tenho deitada na minha cama).


    Minha estante de livros...


    Meu coelhinho Leitor!

    Livros recem comprados na fila para ler... 
    (Só aumenta!)

    ... CD´s e 
    cacarecos do MC. Lanche Feliz


    M° Eugenia a minha câmera analógica
    e os dois livros da edição do Zarrar

    Meus quadrinhos chuchus do Rafa e do Mr.Pi 
    Um dos meus nichos e mais alguns livros...

    CDs emprestados do Chico Buarque

    Livro de cabeceira 
    e o meu celular carregando (NOVAX!)




    1/4 cheio de livros, CD´s cacarecos e memórias... 
    protege os meus sonhos e os meus sonos e o mais importante,
     me dá proteção e forças para seguir em frente... 
    para mais um dia novinho em folha!

    22 de julho de 2014

    Rotina: Cotidiano Blues...



    Essa semana eu pretendo falar um pouco mais sobre a minha rotina da faculdade aqui no Blog, não só como um resumo como eu fiz no semestre anterior. Como o semestre teve inicio essa semana, cada postagem vai ser sobre uma matéria diferente e as primeiras impressões que eu tive ao decorrer das aulas.


    Ontem, começou oficialmente o 2° semestre do ano de 2014. Coloquei aqui, a minha grade de horários das matérias que terei esse semestre, mas caso alguém não tenha visto a grade com os meus horários desse semestre estão assim:



    Hoje teve a 2° aula de Psicoterapia Breve. No semestre anterior, tive uma matéria chamada Fundamentos da Psicoterapia com uma professora que, me fez criar uma “birrinha de estimação” depois descobri que, a birra era da turma inteira, uma birra quase coletiva... Não será a mesma professora que ira ministrar essa matéria de Psicoterapia Breve #amém! E sim, um professor até então novo. #oremos

    No semestre anterior,  a matéria Fundamentos da Psicoterapia me deu uma base sobre Psicoterapia e do que esperar dessa matéria... Foi uma matéria sofrível (fiquei em exame final!) mas, como não será o mesmo professor... acho que, ele vai recapitular muita coisa... ajudando a fixar muito mais a matéria.

    O professor nos fez entender que também é professor de Yoga e falou sobre algumas técnicas como; respiração, postura e o silêncio... Não sei se é impressão minha, mas, as tranquilidades dos professores desse semestre estão me assuntando... Esse professor de Yoga, por exemplo, é super ZEN não se se fico tranquila ou tensa esperando algum “surto coletivo” rs.


    Amanhã, teremos FORTES emoções com a matéria Psicologia e Arte...

    21 de julho de 2014

    182 dias e meio...


    No mês de Junho, escrevi esse post aqui sobre os meus dias serem contados em semestres... Esse post não tem a intenção de ser a segunda parte daquele texto, mas,  uma continuação da contagem dos dias  já que, falo sobre o começo do 2° semestre do ano de 2014.

    Continuo trabalhando na mesma empresa que comecei a trabalhar no inicio desse ano, e estou mais acostumada com a nova rotina de (Faculdade - Serviço-casa). Porém, confesso que as semanas de recesso andaram me deixando um pouco (?) mais preguiçosa para acordar cedo novamente...

    Essa semana começou oficialmente o 2/2014, ou para os leigos, o segundo semestre do ano de 2014! #todoscomemora! A minha grade curricular desse semestre esta assim:
    Obs: Tinham colocado uma matéria optativa para sábado acho que ouve reclamações dos outros alunos (Inclusive a minha!) e deixaram somente uma vez por semana mesmo.

    Hoje teve a 1° aula de Psicodrama. (Enfim, vou ter uma matéria! Depois de ouvir tanto sobre o assunto...) Nunca tive nenhuma aula com a professora que ira ministrar essa matéria, mas ela me deixou com uma sensação positiva do que esperar esse semestre... mas, como ela mesma disse "afetividade também pode ser expressada com a raiva!" e ao decorrer do semestre eu poderei estar xingando muito no twitter tanto a professora, quanto a matéria ministrada.



    Essa semana eu pretendo falar um pouco mais sobre a minha rotina da faculdade aqui no Blog, não só como um resumo como eu fiz no semestre anterior. Como o semestre teve inicio essa semana, cada postagem vai ser sobre uma matéria diferente e as primeiras impressões que eu tive ao decorrer das aulas.

    29 de maio de 2014

    ♫...Se não desse errado, não seria eu...♪


    O ultimo post "pessoal" foi no dia 20 de maio (Debutando no rock mendigo...) falando de como eu me sinto realmente feliz de re-viver momentos felizes no lado de amigos de estrada (Esses “gurises” me fazem tão bem que nada mais justo chama-los de Amigos com A maiúsculo).

    E desde então, a vida segue... (amém!) essa é uma das frases que mais ando falando esse ano. Minha rotina diária é; acordar ás 06h: 00min e só chegar em casa depois das 19h:00min. Não reclamo! Muito pelo contrário... Tenho medo de uma hora ou outra colocar tudo a perder e voltar para a minha vidinha pacata ( casa e faculdade) e o pior, sem um trocado no bolso... E isso causa  uma ansiedade absurda e como brinde uma dor no estômago infernal.

    Ontem, cheguei em casa e fui socializar com os meus pais. Falamos sobre o nosso dia-a-dia, jantamos ou simplesmente comemos um lanche (como fiz ontem) vi um pouco da novela das 21h:00min e fui para a minha cama dormir...

    Eu senti uma angustia quando eu deitei que, levantei da cama aos prantos de tanto chorar... Fui dormir no horário que estou acostumada, e quando estou quaaaase capotando no sono e durmo... Mas, ontem cheguei o soluçar chorando e mesmo sem entender toda aquela angustia eu senti um alivio... Sei lá, chorar sempre me causou certo alivio, vem principalmente à noite como canta o HG na canção; “... Que a noite traga alivio imediato...”.

    A teoria de Mârfim sempre serviu muito para a minha pessoa, mas, a probabilidade de erros foi sempre muito maior que os acertos. Eu já cometi tantos erros (absurdos!) nesses meus vinte poucos anos... Que eu fico assustada,  não por errar mais uma vez mas, de estar colocando tudo a perder... (eu tenho o verdadeiro dom para esse tipo de coisa.). Que as coisas que deveriam estar caminhando... Estacionem de vez e eu tenha que começar TUDO de novo... Como um castelo de cartas sem fim! 

    © Lado Milla
    Maira Gall