Cartas sem Remetente
Mostrando postagens com marcador Cartas sem Remetente. Mostrar todas as postagens

8 de dezembro de 2017

#8:M° Eduarda

Inspirado nesse site

Conheço a Mª Eduarda desde o dia que ela nasceu prematuramente no dia 8 de dezembro de 2000 e desde então, cultivo por ela uma admiração ENORME e, um orgulho tamanho do universo! E só por estar contando tudo isso aqui, me sinto uma pessoa muito sortuda. Por ter tido, esse privilégio de poder estar ao seu lado e de ter acompanhado e ainda estar acompanhando passo a passo do seu desenvolvimento.

Se eu fechar os meus olhos, ainda consigo ver a menininha com 3 anos correndo para o meu quarto para pegar o Piu-Piu duas vezes maior que ela e mesmo assim ia arrastando ele pela casa... Agora, essa menininha estará completando 15 anos no mês de dezembro desse ano. Parece que foi ontem… Que te ensinei que coca-cola era o melhor refrigerante HAHAHA

Eu vi essa garotinha falando as primeiras palavras… E inventando muitas delas. Um dia nós estávamos assistindo a novela que a menina tinha síndrome de down: 

_ Myla a moça bonita tem “silibibibade”

_ Silibi… O que?

Foi comigo, que ela aprendeu a usar gloss labial (com quatro anos...) nessa época eu comecei a trabalhar e tinha cartão da farmácia que descontava do meu salário. Metade dos descontos do meu salário era com besteirinhas de crianças e os gloss que ela tratava de me lambuzar todo final de semana mas, e eu sempre me diverti muito com a minha“…” ela não deixa falar o apelido fofo dela, enfim…

Foi para você que confidenciei o meu maior sonho. Que é trabalhar com crianças e algum dia ter o meu próprio consultório de psicologia infantil cheio de brinquedos... lembro que, tu ficavas entusiasmada com os meus devaneios, mas, eu estava te ensinando a voar ALTO pequena! E a não ter pressa de crescer...

Hoje em dia, quando vejo você "minha pequena" quase ordeno mentalmente para alguma força divina"Não vai crescer ninguém!" mas, você precisa criar asas, e além disso, você precisa sonhar (como um dia também eu sonhei...) precisa crescer para realizar tudo aquilo que você um dia sonhou e alcançar novos vôos... 

Minha "cúzinho" ops! vou apanhar... saiba que, sempre estarei aqui quando precisar de uma cúmplice para cometer loucuras (tatuagem e pirceing só depois dos 18!) brincadeirinha... Pensei em terminar essa carta dizendo o clichê "conta comigo!" mas, quero te segurar em meus braços como eu segurava aquela garotinha bolachuda de anos atrás, e ter a sensação mesmo que, por alguns segundos... de estar te protegendo desse mundão. Mas, ao mesmo tempo quero ver você voando cada vez mais ALTO e chegando cada vez mais longe e realizando os seus sonhos.



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
Estarei comentando com vocês sobre o Blogmas2k17 (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5



13 de dezembro de 2016

Um cartão de Natal.

A Blogagem Especial de Final de Ano de hoje é um grande desafio!
Escrever um cartão e dar para uma pessoa... 

Enquanto eu estava "preparando" esse cartão de Natal eu lembrei das ultimos diais de aula do ensino fundamental que preparavamos cartões e lembrancinhas de Natal cheios de tintas, algodões e porpurinas ,,, Para darmos para os nossos pais.

Pensei em fazer algo mais virtual por aqui e entregar como em forma de postagem para todos os amigos leitores do LADO MILLA,

            


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei comentando com vocês sobre o BEFA (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5

2 de junho de 2015

#01 D. Rosa: E o peso da vida...

Livremente inspirado nesse blog genial aqui

Eu estava cansada, Eram mais ou menos 13:00 horas e eu já estava no estágio na Pastoral em um dia a típico (naquela semana, teve GETEP na faculdade me impossibilitando de ir na quarta-feira que é o meu dia de estar na Pastoral.). Não estava tão entediada... mas, confesso que queria que chegasse as 17:00 horas rapidinho para finalmente ir para casa.

As minhas Sextas-feiras costumam ser os dias mais calmos da semana. Não tenho aula, então posso acordar mais tarde do que o costume e almoço em casa. No estágio, geralmente é calmo também... Os "perregues" maiores costumam ser no inicio da semana, e quando digo perrengues é o que estamos acostumadas a fazer na Pastoral: documentação, procura de emprego ou de informações.

Sentei na mesa ao lado e comecei a folhear alguns textos da faculdade daquela semana. Percebi um certo tumulto lá fora, mas não me interessei de ir olhar para ver oque estava acontecendo realmente. Derrepente eu ouvi um grito outras vozes indecifráveis no primeiro momento:

_Pelo amor de Deus! ajudem essa senhora... Ela diz que vai se matar!!!

Eu tive a sensação de ter dado um pulo! De tão rápido que andei em direção a porta... E ouvi outra vez alguém falar "ela vai se matar!" e fui em direção ao portão de entrada para a Pastoral e encontrei uma senhora de 70 anos com aproximadamente 1,40cm com uma aparência sofrida 

Ela estava sentada no canteiro de tijolinhos a vista. Sentei ao seu lado, e comecei a lhe ouvir:

_ Não aguento mais. Hoje sai de casa com esse pensamento: "Vou pedir ajuda, se ninguém me ajudar eu me mato...".

Sem chance de perguntar nada no inicio acabou me deixou sem resposta... Só me veio um pensamento: 1) Preciso entrar com essa senhora na paróquia 2) Ligar para "algum lugar" que possa dar essa assistência.

_Senhora, vamos entrar e conversar um pouco... 

Olhei a menina que trabalha comigo na Pastoral e pedi para ligar para o SAMU... 
A minha sorte, é que tinha uma sala "disponível" que é dos padres da paróquia tinha duas poltronas e aquilo acabou transformando em uma "sala de atendimento" ideal.

_ Ok, vamos conversar... O que aconteceu com a senhora?

_Eu quero me matar! Para acabar com essa tristeza e esse aperto no meu coração... Quando eu estou em casa veem esses pensamentos ruins.

_A senhora mora com quem?

_ Moro sozinha. Não tenho marido, nem filhos... Ninguém!

NINGUÉM Essa palavra veio com um "peso" direto pro estômago e acabou transformando-se em eco "Ninguém, ninguém, ninguém...." . 

_ A senhora mora aonde? Conhece algum vizinho que mora próximo a sua casa?

_ Moro no "Morro da Fumaça", os meu vizinhos já tem o problemas deles e o assunto gira em torno de drogas são drogados ou traficantes e morro de medo dessas coisas. Essa minha mão, - ela teve AVC sua mão ficou fechada impossibilitando-a de abrir e um dos seus pés são tortos deixando ela andando manca- os policiais uma vez me abordaram achando que era drogas que eu tinha nas mãos quase morri de tanta dor... 

_ Nossa... 

Virou para um lado da parede que tinha um crucifixo grudado na parede _ E u se que isso é pensamento do "inimigo" Deus não aceita essas coisas... Mas, as vezes eu me sinto vontade de matar alguém e até me matar... 

_ Quero ir embora menina. Vocês, não poderão me ajudar mesmo... - e, foi saindo da sala. - Já na porta. Tentei fazer a senhora mudar de ideia dizendo que já tinham chamado o SAMU e eles já estavam a caminho.

A senhora retornou a sala em que estávamos e sentou em uma das poltronas. Ofereci uma xícara de café, para ganhar um pouco mais tempo até a chegada do SAMU... E conversar um pouco mais

Depois de 1:30min, o SAMU chegou. O enfermeiro fez os primeiros exames na senhora: mediu a pressão, verificou a temperatura... Conversamos mais um pouco, e logo depois a ambulância levou a senhora para o IPQ e logo depois para a Colônia Santana. Mas, antes disso me deu um abraço bem forte e agradeceu: 

_Obrigado.Pela conversa e pelo cafezinho...

16 de outubro de 2014

Carta #2- Mª Eduarda.


Conheço a Mª Eduarda desde o dia que ela nasceu prematuramente no dia 8 de dezembro de 2000 e desde então, cultivo por ela uma admiração ENORME e, um orgulho tamanho do universo! E só por estar contando tudo isso aqui, me sinto uma pessoa muito sortuda. Por ter tido, esse privilégio de poder estar ao seu lado e de ter acompanhado e ainda estar acompanhando passo a passo do seu desenvolvimento.

Se eu fechar os meus olhos, ainda consigo ver a menininha com 3 anos correndo para o meu quarto para pegar o Piu-Piu duas vezes maior que ela e mesmo assim ia arrastando ele pela casa... Agora, essa menininha estará completando 15 anos no mês de dezembro desse ano. Parece que foi ontem… Que te ensinei que coca-cola era o melhor refrigerante HAHAHA

Eu vi essa garotinha falando as primeiras palavras… E inventando muitas delas. Um dia nós estávamos assistindo a novela que a menina tinha síndrome de down:

_ Myla a moça bonita tem “silibibibade”
_ Silibi… O que?

Foi comigo, que ela aprendeu a usar gloss labial (com quatro anos...) nessa época eu comecei a trabalhar e tinha cartão da farmácia que descontava do meu salário. Metade dos descontos do meu salário era com besteirinhas de crianças e os gloss que ela tratava de me lambuzar todo final de semana mas, e eu sempre me diverti muito com a minha“…” ela não deixa falar o apelido fofo dela, enfim…

Foi para você que confidenciei o meu maior sonho. Que é trabalhar com crianças e algum dia ter o meu próprio consultório de psicologia infantil cheio de brinquedos... lembro que, tu ficavas entusiasmada com os meus devaneios, mas, eu estava te ensinando a voar ALTO pequena! E a não ter pressa de crescer...

Hoje em dia, quando vejo você "minha pequena" quase ordeno mentalmente para alguma força divina"Não vai crescer ninguém!" mas, você precisa criar asas, e além disso, você precisa sonhar (como um dia também eu sonhei...) precisa crescer para realizar tudo aquilo que você um dia sonhou e alcançar novos vôos...

Minha "cúzinho" ops! vou apanhar... saiba que, sempre estarei aqui quando precisar de uma cúmplice para cometer loucuras (tatuagem e pirceing só depois dos 18!) brincadeirinha... Pensei em terminar essa carta dizendo o clichê "conta comigo!" mas, quero te segurar em meus braços como eu segurava aquela garotinha bolachuda de anos atrás, e ter a sensação mesmo que, por alguns segundos... de estar te protegendo desse mundão. Mas, ao mesmo tempo quero ver você voando cada vez mais ALTO e chegando cada vez mais longe e realizando os seus sonhos.


© Lado Milla
Maira Gall