Faculdade
Mostrando postagens com marcador Faculdade. Mostrar todas as postagens

16 de outubro de 2018

Ao mestre com carinho...


Na época da minha  graduação em Psicologia, os melhores bate-papos aconteciam na cantina da faculdade.  

Em um desses bate-papos com um amigo conversávamos sobre as pessoas que começam a fazer parte do nosso dia-a-dia com o intuito de repassar o seu conhecimento acadêmico e acabam nos ensinando verdadeiras lições para aplicarmos na vida! Surgiu uma frase nesse momento, que dependendo do contexto que se esta inserida pode parecer grosseira, mas não deixa de ser a pura verdade. A frase foi mais ou menos essa:


“_Na vida podemos ter muitos professores, mas poucos que pode ser considerados mestres...”

Nos meus tempos de escola (contando os anos de jardim, pré I e pré II) tenho boas lembranças das tias e tios dessa época, uma “tia” desses tempos eu tenho contato até hoje deve ser engraçado tu conhecer uma criança de 4 anos magrela e cabeluda e décadas mais tarde tu encontrar a mesma guriazinha com 20 poucos anos.... Um mulherão!

Com os professores do fundamental... Sempre tive uma relação bacana com os meus primeiros professores. A minha professora da 1° série era uma senhora muito doce. Porém, cobrava bastante dos alunos a escrita e uma boa leitura. Foi a primeira pessoa a me ensinar a ter gosto pela arte de escrever e ler. Na época, quando as crianças não liam direito o texto na aula a professora mandava chamar uma criança do pré para ler o mesmo texto. Eu morria de vergonha dessa situação... Eu lia exatamente TUDO que colocavam na minha frente: Gibis da turma da mônica, revistas e livros. Quando tinha exercício de leitura oral em sala de aula eu sempre era elogiada e ganhava estrelinhas de excelente.

Essa professora também foi a primeira a me apresentar os números e os cálculos, mas poucos professores obtiveram sucesso em colocar algo de calculo na minha cabeça, lembro das contas com o palito de fósforo (passou um filme agora... que coisa mais horrível contar cada um daqueles palitos).

Na 5° série, Operei a coluna e rodei na 5° série em 1999 estava com 13 anos. Eu estava em uma fase bastante rebelde eu estava usando um gesso enorme em volta da barriga e estava HIPER mimada foi a época do Pretinha eu? Recém operada, o que eu menos queria era ser tratada como uma criança que não tivesse dodói... Sofri bulling dos alunos da minha turma e também dos professores e vivia na sala da coordenação... Não tenho lembranças boas desses profissionais. Infelizmente.

Na 6° e 7° Série eu tive um professora de português que tinhamos 1x na semana uma aula na biblioteca da escola e tinhamos que escolher um livro (Não gibi) para fazer fichamento que valia nota! A maioria dos livros que li na infância foram dessas aulas (Ainda escreverei um post sobre esses livros...). Essa professora era conhecida como carrasca pelos alunos mas, era um doce quando faziamos os enúmeros trabalhos em sua casa ninguém sai sem o café da tarde... 

Como uma boa aluna de humanas que sou as minhas matérias preferidas eram:  Português, História e Geografia

Aos professores do ensino médio... Apesar dos anos terem sido conturbados tenho boas lembranças... Em uma aula de Português a professora colocou a musica “Segundo Sol” cantarolado pelo Nando Reis para a turma ouvir e fazer uma redação, eu não me lembro uma linha do que escrevi... mais essa musica ficou na memória. E uma pessoa que eu não posso deixar de lembrar e ainda hoje ver nos corredores do cruz e Souza/CESUSC e dar um mega abraço é o professor de Química mais querido que eu já tive Marco Dell’antonio ou somente Della mestre dos mestres disparado!

No ensino superior, o aprendizado foi todo focado para a minha formação que é Psicóloga.

Nesses 5 anos de faculdade tive os diversos tipos de professores; dos mais queridões, verdadeiros mestres ou como já diria um amigo meu: BAITA PROFISSIONAL! E outros tão profissionais (?) que esquece que simpatia também é exigida no currículo... Mas enfim, a gente lembra é dos verdadeiros mestres que de um jeito ou de outro nos motivam a cada nota, a cada trabalho, levantam a nossa moral para sempre darmos o nosso melhor.

Desses mestres eu  tenho Muitas saudades ... até da uma pequena vontade de re-ver essas aulas ministradas por esses professores de novo incluindo os estágios e o TCC. Mas como diz o Della, (o mestre citado acima)


__Em frente sempre! Você ainda vai conhecer vários grandes profissionais... TU MERECES!





Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

27 de agosto de 2015

BEDA#27 - O ano que apresentei o TCC...

Ainda no ensino médio,  nasceu a vontade de fazer faculdade de Psicologia e que eu passaria 5 anos (?), estudando só as matérias que eu gosto! Principalmente, nunca mais veria matemática na minha vida!
Meu primeiro dia de aula na faculdade foi assustador! Eu, recém saída do ensino médio com uma turma de alunos já na sua 3° e 4° graduação... Me senti "pequena" diante dos assuntos e opiniões MEGA elaborados e eu ficava quieta com medo de falar alguma besteira. Segui com essa turma até a 5° fase, tive que refazer algumas matérias e acabei diminuindo a quantidade de matérias do semestre. Dessa turma se formaram poucos alunos (menos de 10 alunos) alguns foram desistindo durante os semestres... Mas, não é sobre isso que eu vim falar.

As turmas do curso de Psicologia que "Migrei" durante esses semestres tinha uma característica em comum: Desunião (mal de humanas?). Tínhamos uma nota a N3 "trabalhos em grupo" quando eu não tinha a opção de fazer individualmente sempre foi um "parto" de achar um grupo decente. Minhas piores crises de gastrite se devem a esses momentos de maior stress durante esses dez semestres da graduação.

Cheguei a trancar a faculdade 2x: Há primeira vez, eu não tava vendo mais sentido no curso que escolhi,.. Depois de ter feito um estágio não obrigatório desses que pagam mal e não tinha nada haver com Psicologia.... Fui fazer Administração, foi a fase que eu mais me diverti! Era uma turma de jovens animados toda sexta-feira tinha encontro da turma e balada TODO final de semana... No final do semestre eu decidi voltar para o curso de Psicologia. Há segunda vez, eu tirei umas férias de um semestre. Me desentendi com a supervisora de estágio na época, quando voltei no segundo semestre e soube que eu não fui a única a "profissional" se desentendeu com outras alunas também e acabou sendo demitida. Prossigamos, porque ainda não é disso que vim falar.

Vim falar sobre o TCC. Na semana passada, eu apresentei o meu Trabalho de Conclusão de Curso naqueles longos e intermináveis 30 minutos entre a minha apresentação #tremia e mais trinta minutos da pontuação dos avaliadores e o recebimento da nota. Em momento algum, pensei na nota... Queria passar TODO o meu conhecimento do projeto em si, e que toda a minha trajetória até ali não foi em vão teve crescimento em todas as etapas principalmente dos estágios (Básico e Específico). No dia seguinte, minha supervisora me mandou um e-mail, parabenizando-me pela apresentação e informando que a  minha nota foi 9,5. Fiquei Feliz!

Em 2005, achei que esse momento nunca chegaria e em 2010 achei que não iria me formar em Psicologia... Agora, estou aqui, sentada escrevendo sobre toda a minha trajetória e confirmando aquela velha história que diz  que: A vida " não é sobre o quão rápido chegarei lá/não é sobre o que está me esperando do outro lado. É a escalada...".


Feliz dia da Psicóloga 
para mim!!!

5 de julho de 2015

life's a climb...♪

Sobre o tal do trabalho de conclusão de curso

Sempre fui uma pessoa quieta e isso era confundido como ser calma. Porém, quem me conhece a mais tempo percebe que a calmaria passou longe... Tenho gastrite, a psicanálise explica que "Quando a boca não fala o corpo responde." mesmo eu sendo quieta, a resposta dos eventos estressores vem com uma dor no estômago infernal. Hoje eu sei, que alguns desses "momentos estressores" estão ai para serem superados sempre! e que esses momentos mesmo sendo ruins, óbvio, também é uma parte boa, e que os próximos momentos que vierem também virá recheados de lições e ensinamentos. Enfim, não foi disso que eu vim falar. 

Sempre lembro do sentimento de "frio na barriga" nos primeiros dias de aula do ensino fundamental/médio e como era confortável encontrar um colega que sentasse próximo para dividir essa ansiedade. 

Meus 3 anos de colegial foram entre trancos e barrancos. O primeiro ano do ensino médio foi bacana: tinha amigos, recreios cheio rolos e papos, trabalhos que duravam um dia inteiro na casa das amigos... Esses mesmos amigos mudaram de cidade e de escola e eu permaneci, cursando o segundo ano : / No ano seguinte, fui para o Terceirão e acabei não acompanhando o ritmo louco "vestibular!" e acabei voltando para a escola anterior... Nessa época, nasceu a vontade de fazer faculdade de Psicologia e que eu passaria 5 anos, estudando só as matérias que eu gosto! Principalmente, nunca mais veria matemática na minha vida!

Meu primeiro dia de aula na faculdade foi assustador! Eu, recém saída do ensino médio com uma turma de alunos já na sua 3° e 4° graduação... Me senti "pequena" diante dos assuntos e opiniões MEGA elaborados e eu ficava quieta com medo de falar alguma besteira. Segui com essa turma até a 5° fase, tive que refazer algumas matérias e acabei diminuindo a quantidade de matérias do semestre. Dessa turma se formaram poucos alunos (menos de 10 alunos) alguns foram desistindo durante os semestres... Mas, não é sobre isso que eu vim falar.

As turmas do curso de Psicologia que "Migrei" durante esses semestres tinha uma característica em comum: Desunião (mal de humanas?). Tínhamos uma nota a N3 "trabalhos em grupo" quando eu não tinha a opção de fazer individualmente sempre foi um "parto" de achar um grupo decente. Minhas piores crises de gastrite se devem a esses momentos de maior stress durante esses dez semestres da graduação.

Cheguei a trancar a faculdade 2x: Há primeira vez, eu não tava vendo mais sentido no curso que escolhi,.. Depois de ter feito um estágio não obrigatório desses que pagam mal e não tinha nada haver com Psicologia.... Fui fazer Administração, foi a fase que eu mais me diverti! Era uma turma de jovens animados toda sexta-feira tinha encontro da turma e balada TODO final de semana... No final do semestre eu decidi voltar para o curso de Psicologia. Há segunda vez, eu tirei umas férias de um semestre. Me desentendi com a supervisora de estágio na época, quando voltei no segundo semestre e soube que eu não fui a única a "profissional" se desentendeu com outras alunas também e acabou sendo demitida. Prossigamos, porque ainda não é disso que vim falar.

Vim falar sobre o TCC. Na semana passada, eu apresentei o meu Trabalho de Conclusão de Curso naqueles longos e intermináveis 30 minutos entre a minha apresentação #tremia e mais trinta minutos da pontuação dos avaliadores e o recebimento da nota. Em momento algum, pensei na nota... Queria passar TODO o meu conhecimento do projeto em si, e que toda a minha trajetória até ali não foi em vão teve crescimento em todas as etapas principalmente dos estágios (Básico e Específico). No dia seguinte, minha supervisora me mandou um e-mail, parabenizando-me pela apresentação e informando que a  minha nota foi 9,5. Fiquei Feliz!



Em 2005, achei que esse momento nunca chegaria e em 2010 achei que não iria me formar em Psicologia... Agora, estou aqui, sentada escrevendo sobre toda a minha trajetória e confirmando aquela velha história que diz  que: A vida " não é sobre o quão rápido chegarei lá/não é sobre o que está me esperando do outro lado. É a escalada...".



26 de junho de 2015

Acontecem coisas...

ou

Escrevendo sobre  os acontecimentos da vida 
enquanto a vida esta acontecendo.

Pensei em participar de várias TAG´S que vi nesse mundo louco que é a Blogosfera. Até mesmo, as que eu mesma criei para o "Lado Milla" (hoje é dia de #canção de segunda) para "camuflar" a minha ausência de mais de dez dias aqui no Blog. O bom e velho "Hiatus" cairia bem nessas horas... Porém, esse Blog foi criado para escrever sobre a vida enquanto a vida esta acontecendo (E está acontecendo MUITAS coisas.) só estava faltando um "tempinho" para escrever aqui.

Prometi que iria escrever sobre esse ultimo semestre (Aulas, Getep's e estágio...) e esse semestre que esta "quase..." acabando e eu ainda não tinha tomado a devida vergonha na cara em escrever um texto falando sobre o meu ultimo semestre. E aqui estou, prestes a entregar o ultimo trabalho desse semestre e semana que vem apresentar o TCC do estágio específico que nos últimos dois meses resolveu dar um giro de 260° ( um dos melhores giros...).


 Diferente da grade curricular do semestre anterior, esse ano estava com aulas todo dia da semana das 08:00 á  12:10. Porém, os dias disponibilizados para estágio ficaram "vagos" sendo que o meu estágio era na terça e quarta no período vespertino.

Seminários Integrativos;  Essa matéria acabou perdendo o sentido ao decorrer do semestre... Apresentamos a apresentação do TCC mas, não tivemos uma avaliação da qualidade da nossa apresentação.

Crianças e adolescentes em instituições: Conheço a professora que ministrou essa matéria de outras matérias que fiz ao longo do curso... e esse semestre, como no semestre anterior eu tomei um "chá de Marcela" literalmente com estágio e Getep. Porém, a matéria em questão diferente do semestre anterior, foi um pouco "chatinha" pois a maioria dos alunos não tinham experiência e não estavam fazendo estágio em nenhuma instituição com crianças.

Terapia Cognitiva-Comportamental: Foi a matéria mais chuchu do semestre! Deveríamos ter essa aula no inicio da graduação não no ultimo semestre pela importância dos assuntos.... A professora foi a mais querida do semestre também!

Estágio e GETEP foi algo diferente de todos os estágios que fiz nesses dois últimos semestres da faculdade de Psicologia... O trabalho foi com os imigrantes/refugiados Haitianos que estão morando na cidade de Florianópolis/SC. Teve estágio na Pastoral do Migrante que deu um giro de 260° no estagio inteiro e uma enxurrada de histórias e aprendizados que eu vou levar para a vida!

APRESENTO O MEU TCC SEMANA QUE VEM!!!
TORÇAM POR MIM.

Apesar de estar "enrolando" com a ultima leitura e o livro estar na minha bolsa (vergonha.). Nesse primeiro semestre eu li ONZE livros! A minha ultima leitura eu praticamente resenhei para as colegas de faculdade de tanto que eu amei odiar pois, o livro Ele está de volta do autor Timur Vermes:

"A história se passa em Berlim em 2011, Adolf Hitler acorda num terreno baldio. Hitler mal pode identificar sua amada pátria, infestada de imigrantes e governada por uma mulher. As pessoas, claro, o reconhecem — como um imitador talentoso que se recusa a sair do personagem. Até que o impensável acontece: o discurso de Hitler torna-se um viral, um campeão de audiência no YouTube, ele ganha o próprio programa de televisão e todos querem ouvi-lo... ".

O nazismo e conhecido desde os dias de hoje como uma vergonha na História Mundial! A ideia desse livro foi boa. Porém, a leitura se transforma em um humor sádico... Parei em vários trechos durante a leitura para me recompor, não acreditando que alguém pronunciaria aquelas mesmas palavras do famoso "discurso de Hitler" em nenhuma época do mundo! 


A vida continua louca e breve.... Decidi continuar indo duas vezes por semana no campo de estágio na Pastoral do Migrante fazendo um trabalho mais de "voluntária"até o final desse ano.

PS1: Talvez eu escreva mais aqui depois da apresentação de TCC.
PS2: Talvez...



29 de maio de 2015

Sobre a teoria de Murphy na minha vida.

Ou: sobre uma semana de boxta!

A teoria de Murphy diz que: “Se alguma coisa tem a mais remota chance de dar errado, certamente dará”.
A semana já começou corrida... Não foi por isso que eu comecei a semana reclamando (ao contrário). Fui "convocada" para a recepção de18 imigrantes haitianos e 25 senegaleses chegaram a Florianópolis por volta da 1h da madrugada desta segunda-feira (25). Meu TCC é sobre "Emigrantes e refugiados no Brasil" por isso, eu fui "convocada" pela Pastoral dos Imigrantes que é o meu campo de estágio esse semestre. Foi chocante! Ver a situação de vários colchões pelo estádio... Me senti pequena, diante da situação desses Seres Humanos que viajam e nem destino certo tem... E, literalmente "sem lenço e nem documento...".

Na terça-feira, quando eu acordei ás (06:00am) ouvi o barulho de chuva pela janela. e voltei a dormir... A tarde fui para o estágio e fiquei colocando as matérias em dia da faculdade no meu campo de estágio. 

Na quarta-feira, quando eu acordei ás (06:00am) como no dia anterior, a chuva continuou caindo... Não pensei duas vezes, e levantei da minha cama quentinha... Pois, teria aula (A mesma de ontem...) e sairia mais cedo do que de costume. Mas, por causa de uma possível reunião de estágio não realizada fiquei esperando por uma hora e meia e acabei saindo no horário normal e tendo que almoçar na paróquia...

Hoje, eu não precisei acordar cedo. Adivinhem? O tempo estava E-N-S-O-L-A-R-A-D-O (What the Fuck!). Eu fiquei em casa o dia todo: Arrumei as minhas roupas que estavam empilhadas na "mesinha de passar" a semanas e fiz café! Aqui no blog: resumi o titulo do blog para Lado Milla e um subtítulo para "O meu lado da História" e arrumei o "Logotipo" do blog.

E, amanhãm é sexta feira... A lição que eu tirei dessa semana é que:

 "O pessimista se queixa do vento, o otimista espera que ele mude, o realista ajusta as velas e quem conhece Murphy não faz nada.

24 de julho de 2014

ROTINA: Já pode pirar ???


Essa semana eu pretendo falar um pouco mais sobre a minha rotina da faculdade aqui no Blog, não só como um resumo como eu fiz no semestre anterior. Como o semestre teve inicio essa semana, cada postagem vai ser sobre uma matéria diferente e as primeiras impressões que eu tive ao decorrer das aulas.

Hoje (Quinta - Feira), de acordo com minha “grade de horários” teve a primeira reunião de estágio especifico I. Quem acompanha o blog á uns tempinhos já leram e viram algumas fotos... que nos dois últimos semestres eu fiz o estágio básico (I e II) na área escolar.


Compareceram muitos alunos para essa reunião de estagio, mas logo, a turma foi dividida em dois subgrupos; ênfase A (clinica) e ênfase B (Institucional). Escolhi a ênfase (B) a mesma que eu escolhi no estágio básico. Porém, surgiu à oportunidade de fazer estagio na área comunitária (minha matéria chuchu durante um tempo) e na área organizacional (minha segunda matéria chuchu...). Posso fazer tudo produção?NÃO!!!



Só saberei dos detalhes do Estágio específico semana que vem... Com já diria o nosso querido (cof-cof) Galvão Bueno:







22 de julho de 2014

Rotina: Cotidiano Blues...



Essa semana eu pretendo falar um pouco mais sobre a minha rotina da faculdade aqui no Blog, não só como um resumo como eu fiz no semestre anterior. Como o semestre teve inicio essa semana, cada postagem vai ser sobre uma matéria diferente e as primeiras impressões que eu tive ao decorrer das aulas.


Ontem, começou oficialmente o 2° semestre do ano de 2014. Coloquei aqui, a minha grade de horários das matérias que terei esse semestre, mas caso alguém não tenha visto a grade com os meus horários desse semestre estão assim:



Hoje teve a 2° aula de Psicoterapia Breve. No semestre anterior, tive uma matéria chamada Fundamentos da Psicoterapia com uma professora que, me fez criar uma “birrinha de estimação” depois descobri que, a birra era da turma inteira, uma birra quase coletiva... Não será a mesma professora que ira ministrar essa matéria de Psicoterapia Breve #amém! E sim, um professor até então novo. #oremos

No semestre anterior,  a matéria Fundamentos da Psicoterapia me deu uma base sobre Psicoterapia e do que esperar dessa matéria... Foi uma matéria sofrível (fiquei em exame final!) mas, como não será o mesmo professor... acho que, ele vai recapitular muita coisa... ajudando a fixar muito mais a matéria.

O professor nos fez entender que também é professor de Yoga e falou sobre algumas técnicas como; respiração, postura e o silêncio... Não sei se é impressão minha, mas, as tranquilidades dos professores desse semestre estão me assuntando... Esse professor de Yoga, por exemplo, é super ZEN não se se fico tranquila ou tensa esperando algum “surto coletivo” rs.


Amanhã, teremos FORTES emoções com a matéria Psicologia e Arte...

27 de junho de 2014

182/365- A vida contada em semestres...


Desde o dia que decidi ter uma vida de universitária, minha vida se resume há dividir os anos em dois semestres. Estamos no mês de junho e tenho somente duas notas faltando (prova substantiva e exame final) para acabar o primeiro semestre do ano de 2014. Ainda é cedo para fazer retrospectiva do ano de 2014, mas por ter passado a metade do caminho... Posso dizer que esse ano está me surpreendendo positivamente claro. E acho que eu estou surpreendendo esse ano também positivamente e negativamente. Mas dai, é assunto para outros posts...

No inicio do ano (praticamente no carnaval), eu comecei a trabalhar como secretaria, em uma escola de administração  no período vespertino. No período matutino fiz no total de quatro matérias sendo que uma matéria é, o estagio básico II em uma escola pública da minha cidade no sul da ilha, que ficava praticamente ao contrário de onde fica a minha faculdade e meu serviço...

O inicio do semestre seria TENSO! Em letras garrafais mermo! Porém, só me avisaram isso praticamente, um mês depois que o ano de 2014 já tinha começado... Não ouve o momento de sofrer por antecedência e nem aquele nervosismo normal, pois, “quando eu vi, eu já estava indo...” sim, eu não posso deixar de usar essa velha expressão... Se não bastasse, a faculdade e o serviço tomarem praticamente metade dos meus dias (12 horas). Tinha o estágio de Psicologia, na escola do sul da ilha uma vez por semana (sexta-feira).

Não estou escrevendo para arrumar justificativas. Para dizer a verdade, nem sei bem o motivo de estar escrevendo... Acredito fazer parte da evolução das garotas de vinte poucos anos que escrevem textos de mais de quinhentas palavras falando sobre a Life... Quanto na adolescência (quando a blogosfera começou...) mal escrevíamos uma frase para resumir o nosso dia-a-dia.

Confesso que, eu gostei dessa vida corrida... Com trocado no bolso (principalmente)... Mesmo o tempo sendo escasso (antes mesmo de começar os jogos da copa). Eu gostei do carinho e abraços desconhecidos de crianças que estão agarrando com “unhas e dentes” para ter uma infância inocente, longe das maldades da vida adulta. Eu gostei das pessoas novas que eu conheci na metade do ano passado e que continuaram fazendo algumas matérias comigo esse semestre... No emprego conheci todo o tipo de profissional, porém, fui acolhida pelos mais queridos.


Como escrevi lá no inicio, ainda estamos na metade do caminho. 
Continuação no próximo semestre...

17 de março de 2014

Sobre essa semana (e a semana passada)




fonte:http://pixabay.com




Essa semana (e a semana passada também...) estão sendo bastantes corridas. Nesse primeiro semestre, a minha grade curricular da faculdade estão mais “folgadas”. Tenho todas as aulas somente uma vez por semana, em outros dias da semana tenho aulas a partir das 10h30min e na sexta feira tenho estagio em uma escola publica no “sul da ilha”.

Estou trabalhando!  12h: 10min saio da faculdade e almoço no restaurante que fica dentro do Centro empresarial próximo a empresa governamental (escola de administradores) em que eu estou trabalhando, desde semana passada como recepcionista /secretaria da escola de administradores.

Fiquei com o “coração na mão” nessa semana que passou. Por causa da nova rotina (faculdade-serviço-escola) o meu estágio de psicologia escolar que ano passado acontecia uma vez por semana no período vespertino (no qual foi pensado todo o projeto e nesse ano seria aplicado) terá que ser mudado, para o período matutino por causa do horário do serviço. Fiquei com aquela sensação de querer “assoviar e chupar cana”, mas o estagio passou por tantas mudanças (administrativas) que vai acabar sendo um novo estagio, em vez de ser uma continuação...  Mas fora isso, sem grandes sustos para o inicio do semestre. 

A semana esta corrida como eu falei no inicio desse texto, mas eu particularmente gosto de semanas assim... Quando os meus dias são mais cheios, costumam ser mais produtivos. Sem tempo de procrastinar as tarefas do dia-a-dia, pois não tenho tempo de sobra e deixar tudo para ultima hora é uma das coisas que mais me irritou no ultimo semestre (aprendi a lição!).

Há, andei fotografando também! No aniversario de um ano do Guilherme. Filho da minha prima Jerusa há um ano, eu fotografei o meu primeiro “ensaio de gestante” e ele estava na barriga da Jê... #emoção

Enfim, acho que é isso. Até mais, pessoal!

© Lado Milla
Maira Gall