Filme X Livro
Mostrando postagens com marcador Filme X Livro. Mostrar todas as postagens

24 de março de 2017

Resenha: A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar



Apenas seja feliz, e, se você não conseguir ficar feliz, faça coisas que o deixem feliz. Ou fique sem fazer nada com as pessoas que o fazem feliz.






A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar
A Vida e as Palavras de Esther Grace Earl
Ano: 2014 / Páginas: 448
Idioma: português
Editora: Intrínseca



Sinopse: A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar conta a história de Esther Grace Earl, diagnosticada com câncer da tireoide aos 12 anos. A obra é uma espécie de diário da jovem, com ilustrações, fotos de seu arquivo pessoal, textos publicados na internet, bate-papos com os inúmeros amigos que fez on-line e reproduções de cartas escritas em datas comemorativas como aniversários. A jovem perdeu a batalha contra a doença, mas deixou um legado de otimismo e celebração ao amor. Atualmente sua mãe, Lori Earl, preside a instituição sem fins lucrativos This Star Won´t Go Out (tswgo.org), que apoia pacientes e famílias que lutam contra o câncer.

A Esther era uma adolescente, feliz, cheia de vida. Era dotada de uma criatividade ímpar, ela sempre conseguia olhar a vida com otimismo e esperança, mesmo nos piores momentos. Seu sonho era ser escritora e, desde cedo, embarcou no universo literário criando seus textos e mantendo um registro em seu diário. 

Infelizmente, aos doze anos, Esther morava na França com a sua família, foi diagnosticada com câncer da tireóide papilar metastático. Passou por cirurgia, tratamentos de radioterapia, iodo radioativo e foi cuidada por uma equipe composta por multiprofissionais dedicados. Apesar de este ser um câncer com bons prognósticos de cura na maioria dos pacientes, em Esther se apresentou de maneira mais avançada e agressiva comprometendo rapidamente o funcionamento dos seus pulmões e rins.


Esther acabou tendo que se mudar para os EUA e precisou largar o colégio em razão das inúmeras idas ao hospital e da ingestão de medicamentos que a deixaram fraca. Apesar de ter emagrecido muito, perdido os cabelos e tido diversos problemas de pele, Esther sempre fez questão de acompanhar seu tratamento de perto, discutindo com os médicos as melhores intervenções e fazendo objeções quando não concordava com algo. A menina encontrou refúgio nas palavras, que lhe ofereceram um porto seguro, um local de desabafo e de comunhão com amigos e família. Apesar de Esther não ter podido escolher o final do seu livro, marcou a vida de todos que a conheceram e será para sempre uma estrela brilhando no céu que nunca vai se apagar.

Comentários de familiares e amigos de Esther Earl sobre o livro "A estrela que nunca vai se apagar".

  

O livro A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar é um livro biográfico da Esther Grace Earl com trechos do seu blog chamado (...) e com trechos redigidos pela sua mãe dos videos que ela fazia no seu canal do Youtube e cartas escritas pelos/para seus amigos dos seus amigos virtuais do Catitude.


"Mãe, sei que sou só uma criança, mas posso dizer que passar pelo câncer me ajudou a crescer. (...) E, se eu tivesse a escolha de voltar no tempo de alguma forma e impedir o câncer, eu não faria isso, porque mudaria muitas coisas. Só queria que você soubesse que talvez eu não me importe muito de ter câncer. É parte de mim no momento, e acho que sou uma pessoa de bastante sorte. (...) se eu não tivesse ficado doente, não ficaria pensando nas pessoas com a doença... Eu sentiria pena do tipo "ah... coitado" em vez de solidariedade sincera."


"Então é... ultimamente venho pensando que, se e quando eu morrer, gostaria de passar por mais uma coisa normal de adolescente, que é beijar um garoto. =) (...) Você pode não acreditar, mas quero uma porcaria de beijo. É uma coisa normal que eu talvez nunca tenha, mais uma coisa que vou perder."

Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5


*Para fins de direitos autorais, declaro que as imagens utilizadas neste post não pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente com nosso contato. Atenderemos prontamente.

23 de dezembro de 2015

LADO MILLA AWARDS: Filmes do ano

Na ultima postagem do LADO MILLA AWARDS fecharemos com a Categoria: Filmes que vi em 2015 (não necessariamente desse ano) percebi que vi pouquíssimos filmes depois que o megafilmes foi tirado do ar #RIP:




Filme do ano

O filme Cidades de Papel não teve tantas expectativas quanto o filme A Culpa é das Estrelas no ano anterior. A adaptação literária foi bastante fiel.

Melhor adaptação literária

A melhor adaptação literária vai para o filme O Menino do Pijama Listrado. No filme vimos as cenas não mais "contada" no olhar de uma criança... O que torna o filme mais dramático e real do que o livro.

Filme Infantil; 

O filme Divertida Mente lançado esse ano foi uma das grandes apostas da Pixar. E eu como grande admiradora desses tipos de filme tive minhas expectativas superadas porque o filme é muito bom!

Queridos da "Sessão da Tarde"; (Essa categoria super criativa é de filmes que vi nas minhas tardes sonolentas desse ano.).

O filme que eu mais vi nas típicas "sessões da tarde" foi os filmes estrelados pela Lidsay Lohan principalmente o filme Operação Cupido que foi o primeiro filme (1998) estrelado pela Lidsay.


31 de julho de 2015

Resumo do mês:Julho/2015


O que teve no mês de Julho?



Teve, [Micro - Contos]: Ponto final.

Teve, texto pessoal Life's a climb...♪- Sobre o tal do trabalho de conclusão de curso http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/lifes-climb.html

Teve, #MLI - Maratona Literária de Inverno

Teve, projeto-fotográfico - Mês a mês

Teve, O fim do projeto-101-coisas-em-1001-dias 

Teve, A TAG Canção de Segunda que fazia um mês que não atualizava... 

Teve, #resenha do filme Cidades de Papel. Os roteiristas desse filme foram realmente incríveis e se preocuparam com a fidedignidade da adaptação, ao inserirem diversas passagens do enredo de maneira literal a ponto de termos transcrições de falas e de pensamento http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/filme-cidades-de-papel-paper-towns.html

Teve, a volta do projeto 52 semanas 
com a Semana 14: Meus sites preferidos na internet: http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/projeto-52x5-semana-14-meus-sites.html 

Teve, texto inspirado no blog da Fernanda Tenho um Blog, e agora? http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/tenho-um-blog-e-agora.html

Teve, Textos ressuscitados do blog antigo Escrevendo eu falo pra C*… http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/escrevendo-eu-falo-pra-c.html

Teve, Fotografando Domingos: No teatro! teve uma peça de improvisos chamado de Z.É -  Zenas Emprovisadas http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/fotografando-domingos-ze-zenas.html

Estou fazendo teatro e escrevi um pouco sobre... Por que fazer teatro?http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/por-que-fazer-teatro.html




13 de julho de 2015

Filme: Cidades de Papel (Paper Towns).


'Bem, desperdicei minha vida inteira, mas pelo menos 
invadi o SeaWorld com Margo Roth Spiegelman 
no último ano do colégio. 
Pelo menos "carpei" um diem."

O livro Cidades de Papel foi o 4° livro que li do autor John Green... Depois das ultimas leituras (Teorema Katherine e Deixe a neve cair) fiquei cri-cri com o John Green deixando o livro Cidade de Papel na prateleira dos "livros não lidos". No mês de Dezembro, resolvi dar uma chance para esse livro que iria completar 1 ano na prateleira dos livros "não lidos" da estante. 

Esse livro, serviu para que eu fizesse as pazes com o autor John Green... A leitura que mais se aproxima da "A Culpa É Das Estrelas" com escrita tipica do John Green sem deixar o leitor entendiado. Li o livro em menos de uma semana, e não economizei nos post its. 


No ultimo dia 9 de julho de 2015, foi o lançamento do Filme Cidades de Papel nos cinemas de todo o Brasil. Mesmo gostando da leitura, mantive as expectativas baixas diante das adaptações literárias do John Green.

resenha do filme:

Quentin acreditava que cada um tinha o seu pequeno milagre. O dele eraMargo, a garota da casa ao lado, com quem cresceu e de quem foi muito amigo durante a infância. Mas, no decorrer da adolescência, ambos se afastaram e Margo se tornou intocável, inatingível, quase um mito, alimentando, assim, a imagem fantasiosa que o garoto tinha por ela, por quem sempre foi apaixonado.
Q era o típico adolescente perfeitinho. Nunca tinha matado aula, só tirava notas altas, sonhava em cursar medicina depois que terminasse o colégio e, aos 30 anos, queria casar e ter filhos. Seus planos pareciam estar bem encaminhados, já que Quentin evitava correr riscos. Porém, certa noite, sua vida virou de pernas para o ar, quando Margo invadiu o seu quarto e pediu a ajuda para realizar uma missão.
Tudo o que Q sempre quis é que Margo precisasse dele, que voltassem a ter aquela conexão que tinham quando eram crianças, por isso, mesmo que meio a contragosto, decidiu ajudá-la e, juntos, percorreram as ruas de Orlando, em plena madrugada, pregando peças e se divertindo como Q nunca tinha antes. Ele ainda não sabia, mas as coisas nunca mais seriam iguais depois daquela noite.
Entretanto, como tudo que é bom acaba cedo, Quentin sofreu uma grande decepção quando percebeu que Margohavia sumido. Onde será que a menina tinha ido parar? E por que ela tinha desaparecido daquele jeito, logo depois deles terem se reaproximado tanto?
Margo sempre foi uma aficionada por mistérios e, inconscientemente, acabou se tornando um, já que Quentin se convenceu de que a garota havia deixado pistas para ele, e que sua nova incumbência seria encontrá-la, e Q não sossegaria até conseguir.
Assim, uma "caça ao tesouro" foi iniciada, e Quentin e seus amigos embarcaram numa grande e libertadora aventura que lhes renderia muito mais do que um pote de ouro no final do arco-íris.
Os roteiristas desse filme foram realmente incríveis e se preocuparam com a fidedignidade da adaptação, ao inserirem diversas passagens do enredo de maneira literal a ponto de termos transcrições de falas e de pensamentos. Todavia, é óbvio que nenhuma adaptação é 100% fiel à sua obra de origem. Nesse caso, alguns trechos do livro faltaram, enquanto outros tantos que não existiam foram colocados, mas nada que prejudicasse a trama.

"Uma cidade de papel para uma menina de papel. (…) Eu olhava para baixo e pensava que eu era feita de papel. Eu é que era uma pessoa frágil e dobrável, e não os outros. E o lance é o seguinte: as pessoas adoram a ideia de uma menina de papel. Sempre adoraram. E o pior é que eu também adorava. Eu tinha cultivado aquilo, entende? Porque é o máximo ser uma ideia que agrada a todos. Mas eu nunca poderia ser aquela ideia para mim, não totalmente.guarda roupa planejado.".

"Cada pessoa é um mundo..." fiquei pensando nessa frase ao decorrer do filme. Tanto a Margot quanto os outros personagens eram mais do que estávamos vendo diante dos nossos olhos cada um carregava um "mundo particular". E devemos olha-las como uma janela, não um espelho. Tanto o filme como o livro bastante reflexivo, que nos faz pensar sobre a vida e sobre o que as pessoas significam para nós, e também sobre como botamos algumas delas num pedestal e esquecemos que elas são seres humanos como qualquer um.

5 de julho de 2014

Book Haul [1° semestre]





 Desde o início desse ano. No mês de fevereiro, para ser mais específica. Pensei em fazer um “Book Haul” fotográfico com os livros que eu vou comprando no decorrer do semestre (janeiro - junho) eu não sou acostumada a comprar mais de um livro por mês porém ganhei mais três livros esse mês...


Livros comprados no mês
  1.  "Faça Boa Arte"  - Neil Gaiman
  2. Nu, de botas - Antonio Prata
  3. Deixa a neve cair 
  4.  O oceano no fim do caminho - Neil Gaiman
  5. O que me faz pular - Naoki Higashida
  6. O livro da doença e das curas - Regina o'Melveny
  7. Ele esta de volta - Timur Vermes
Os livros que ganhei...


  1. O silencio das montanhas - Khaled Hosseini
  2. Melisa P, Três  
  3. história de mulherzinha lilian paschoalin
  4. O dia da mudança -  Adriana Medeiros
Livros xuxus da minha estante

Agora ELE tambem  esta na minha estante!
Comprei o livro por essa capa LIINDA!
Livro fofinho do Neil...

Estou com 11 livros para ler nessa férias.
VAI TER LEITURA  SIM, VAI TER MUITA LEITURA, VAI TER LEITURA  PRA CARALHO....
© Lado Milla
Maira Gall