Legião Urbana
Mostrando postagens com marcador Legião Urbana. Mostrar todas as postagens

1 de julho de 2021

Canção de segunda: 1° de julho - Renato Russo

 


Sou fera, sou bicho, sou anjo e sou mulher/
Sou minha mãe e minha filha/Minha irmã, minha menina/
Mas sou minha, só minha e não de quem quiser/
Sou Deus, tua deusa, meu amor 



Cássia Eller estava grávida em 1994 e ganhou um presente do amigo Renato Russo. A letra é toda maternal mas não deixa de apontar conflitos como ‘Não penso em me vingar, não sou assim… Não ajo por vingança”. É uma bela direta à relação conflitante com Tavinho Fialho; no entanto, ao mesmo tempo a letra cuida de reconciliar tudo para um momento tênue.

Afinal, como toda gestante, Cássia Eller teve aqueles pensamentos duvidosos mas aos poucos o lado materno foi dominando; quanto ao pai, uma das questões era o sigilo absoluto do relacionamento e que escapa na letra: “Ninguém sabia e ninguém viu que eu estava a teu lado então…” 


Sim, o casal teve um rolo sigiloso e pintou a gravidez. O drama dessa letra é que Tavinho (baixista e compositor) morreu aos 32 anos em acidente de carro – quando Chicão estava para nascer. Portanto, essa tragédia marca profundamente a chegada do filho. Tavinho era casado e Cássia Eller levava de boa a situação escondida e avisara que o filho seria criado por ela e Maria Eugênia.

Por fim, chega o momento da lucidez e poesia quando Russo brinda a canção com “Alguma coisa aconteceu, do ventre nasce um novo coração… Vamos descobrir o mundo juntos, baby… Quero aprender com o teu pequeno grande coração…” Aliás, Francisco Eller (Chicão), o homenageado na canção, é a cara da mãe que faleceu aos 39 anos em dezembro de 2001. A música surgiu no álbum ‘Cássia Eller’, de 1994 – o primeiro após o nascimento de Chicão. Durante a gravação, ela parava tudo para amamentar.

Nesse álbum e além de 1º de Julho, Música Urbana 2 também é de Renato Russo; outros grandes nomes assinam faixas como Paulo Ricardo, Marisa Monte, Ataulfo Alves, Herbert Vianna, Arnaldo Antunes, Djavan… No ano seguinte, 1995, 1º de Julho volta à tona com a Legião Urbana.



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
© Lado Milla
Maira Gall