Livro
Mostrando postagens com marcador Livro. Mostrar todas as postagens

18 de outubro de 2015

Organizando a minha estante.

Tenho uma estante de livros desde o ano passado. E sempre tive duvidas na hora de organizar os meus livros com outros objetos. Leia-se, miniaturas do Mac-Donalds, caixas, CDs, aparadores de livros... Desde então, procuro dicas na internet para manter uma estante organizada.
_ Milla, eu nem tenho tantos livros assim...
Perfeito! essa postagem não é de "ostentação de livros" quanto menos livros na estante mais bonito fica a decoração.
_ Milla eu tenho MUITOS livros!
Perfeito! talvez não vá precisar colocar tantas miniaturas e caixas. Lembra-se: O foco não está na quantidade mas, sim na decoração desses livros.
Nessas navegadas na internet, encontrei o Blog da Ana Medeiros com algumas dicas universais e bons exemplos de decoração que resolvi experimentar e fotografar passo á passo da arrumação da minha estante:

1) Agrupe os livros por cor: Essa é uma modinha bem modinha do mundo decorativo e que resulta num efeito bem legal.

2) Tenha uma caixa de couro ou outro material (que combine com seu estilo) para guardar pequenos objetos, evitando deixá-los espalhados. Ela também cria um bom volume na composição.


3) Use apoiadores de livros, eles são bem úteis e existe uma variedade enorme de tipos, uns mais chiques, outros mais divertidos e por ai vai…


   
4) Intercale livros na horizontal e vertical, quebrando a monotonia.

5) Procure um equilíbrio no uso de vasos, arranjos e porta-retratos. Veja que não temos aqui nada que não “converse” entre si, e nada ficou amontoado, alguns objetos em cima de livros, outros mais recuados…



31 de julho de 2015

Resumo do mês:Julho/2015


O que teve no mês de Julho?



Teve, [Micro - Contos]: Ponto final.

Teve, texto pessoal Life's a climb...♪- Sobre o tal do trabalho de conclusão de curso http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/lifes-climb.html

Teve, #MLI - Maratona Literária de Inverno

Teve, projeto-fotográfico - Mês a mês

Teve, O fim do projeto-101-coisas-em-1001-dias 

Teve, A TAG Canção de Segunda que fazia um mês que não atualizava... 

Teve, #resenha do filme Cidades de Papel. Os roteiristas desse filme foram realmente incríveis e se preocuparam com a fidedignidade da adaptação, ao inserirem diversas passagens do enredo de maneira literal a ponto de termos transcrições de falas e de pensamento http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/filme-cidades-de-papel-paper-towns.html

Teve, a volta do projeto 52 semanas 
com a Semana 14: Meus sites preferidos na internet: http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/projeto-52x5-semana-14-meus-sites.html 

Teve, texto inspirado no blog da Fernanda Tenho um Blog, e agora? http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/tenho-um-blog-e-agora.html

Teve, Textos ressuscitados do blog antigo Escrevendo eu falo pra C*… http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/escrevendo-eu-falo-pra-c.html

Teve, Fotografando Domingos: No teatro! teve uma peça de improvisos chamado de Z.É -  Zenas Emprovisadas http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/fotografando-domingos-ze-zenas.html

Estou fazendo teatro e escrevi um pouco sobre... Por que fazer teatro?http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/por-que-fazer-teatro.html




1 de maio de 2015

#ROTAROOTS- 03 livros que que mudaram minha vida

O Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor (também chamado de Dia Mundial do Livro) é um evento comemorado todos os anos no dia 23 de Abril, e organizado pela UNESCO para promover a o prazer da leitura, a publicação de livros e a proteção dos direitos autorais. O dia foi criado na XXVIII Conferência Geral da UNESCO que ocorreu entre 25 de Outubro e 16 de Novembro de 1995. A data de 23 de Abril foi escolhida porque nesta data do ano de 1616 morreram Miguel de Cervantes, William Shakespeare e Garcilaso de la Vega. Para além disto, nesta data, em outros anos, também nasceram ou morreram outros escritores importantes como Maurice Druon, Vladimir Nabokov, Josep Pla e Manuel Mejía Vallejo.

Este post é um dos temas do mês de Abril/2015 da blogagem coletiva/meme do Rotaroots, um grupo com a missão de resgatar os bons tempos da galera blogueira old school. Curta a fanpage e participe do rotation

03 livros que que mudaram minha vida

01- Pretinha,eu?

Caro e tradicional, o Colégio Harmonia nunca teve uma criança negra entre seus alunos. Até o dia em que Vânia ganha uma bolsa de estudos do dono da escola. Diante desse 'escândalo', a sala do 6.o ano torna-se o campo de uma batalha covarde. Todos os alunos se unem contra Vânia pelo fato de ela ser negra e pobre. O diretor e os professores, então, mobilizam-se em uma cruzada contra a discriminação.

Li sobre descriminação, desrespeito, bullying e racismo depois de ter sentido na pele o ano inteiro... Tem um episódio na minha vida que com 13 anos sofri bullying e pude ver como as crianças podem ser maldosas mesmo com toda a sua inocência e como os adultos reforçam esse comportamento de desrespeito e descriminação na escola. 

02-  A culpa é das estrelas

Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante - o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos -, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.


Já falei da "decepção cinematográfica" acho que a metade dessa decepção foi ciume de dividi-lo com outras pessoas... Porém o livro teve uma tarefa concluída de nos encher de um fervor quase que religioso. O sentimento de AMEBA me consumiu diante a leitura. Mas, o sentimento só faz sentido e causará a mudança necessária se sentirmos mesmo que doa. 

03-  O Extraordinário 

August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.


Esse livro me lembrou um pouco da 1° primeira vez que li o livro Pretinha,eu? lembrei~me da garotinha "desfigurada" de 13 anos que só estava precisando de uma atenção especial pois, estava com um gesso em volta da barriga depois de uma operação na coluna... A prendi a superar tudo e esse livro me ensinou a superar os obstáculos. 


22 de abril de 2015

Resenha do livro: Bisa Bia, Bisa Bel








Bisa Bia, Bisa Bel
Ilustrador: Mariana Newlands
Editora: Salamandra
80 páginas

Sinopse: A menina Bel encontra um dia uma foto de sua bisavó Bel, entre as coisas de sua mãe. A partir daí, ela inicia uma relação de muitas descobertas com essa pessoa tão importante na vida de sua família e na da própria. Até que surge uma menina inesperada. Uma relação de amizade e troca, capaz de emocionar a todos.

Três gerações encontram-se com sensibilidade e poesia nesta verdadeira obra-prima de Ana Maria Machado.

O livro Bisa Bia, Bisa Bel foi publicado originalmente em 1982, e desde então foram mais de 500 mil exemplares vendidos, além de um rol de prêmios, entre eles o Maioridade Crefisul (1981), o Bienal São Paulo de melhor livro infantil do biênio (1984) e o merecido lugar na Lista de Honra do IBBY (1984). 

Tive uma ligação quase que "transcendental" com esse livro sou movida a histórias não resolvidas e saudades que vem do nada... Risquei a palavra saudade do meu vocabulário mas esse ano de 2015 essas "saudades" viram a tona com um turbilhão de memórias... Acredito que os livros nos encontram no momento certo. E depois de várias indicações (Ana Luísa Bussular do Blog Minha vida como ela é... e Revista da Livraria Catarinense) encontrei essa edição na biblioteca da faculdade na qual dividimos com uma escola...
Morrendo literalmente de amores...
Durante uma das arrumações de sua mãe, Isabel toma contato com o passado, por meio dos objetos e fotografias que as duas encontram numa antiga caixinha de madeira. Uma das fotos era da mãe, o que já inquieta bastante a menina.
“Eu olhava para minha mãe e para o retrato da menina, achava meio gozado aquilo, minha mãe criança, brincando no galho de um camelo, pensando em balão d’água. E era meio esquisito, ela grande ali na minha frente, sentada no chão, explicando as coisas” (p. 8).
Mas as coisas se complicam mesmo quando ela se depara com o retrato de sua bisavó, Beatriz. Para surpresa de Isabel, ao tentar colocar a foto no bolso, ela começa a ouvir uma voz – este foi o começo das longas conversas que teria com Bisa Bia, que passaria então a acompanhar a menina na escola e nas brincadeiras, sempre dando conselhos e opiniões, e deixando-a às vezes em situações embaraçosas com os colegas. Mas, afinal,
“Como é que eu podia explicar (…) que Bisa Bia estava existindo agora para mim?”
A história é contada pela própria Isabel, em primeira pessoa, num tom espontâneo que reproduz bem o fluxo do pensamento da protagonista, com leveza e alguns toques de humor, mas com uma delicadeza e ingenuidade capaz de levar às lágrimas o leitor mais sensível. A curiosidade e o estranhamento marcam os títulos dos capítulos – “Pastel bochechuda”, “Tatuagem transparente”, “Trança de gente” – e nos fazem tentar antecipar os acontecimentos.


Bisa Bia, a voz da tradição e de um outro modelo de feminilidade, não apreciava as brincadeiras “de menino” de Isabel, que não eram coisa de mocinha bonita e bem-comportada. Mas, apesar das censuras, o contato com Bisa Bia faz com que a menina conheça coisas de um tempo que já passou – toucador, baba-de-moça –, e a autora faz dessas pequenas descobertas um elemento interessante que apela para a curiosidade e passa longe de um aprendizado puro e simples. Contrapondo-se a Bisa Bia, surge então, num momento-chave para a personagem, Neta Beta, uma outra voz que começa a se intrometer nas conversas apresentando um ponto de vista bastante diferente.

As duas vozes, de Bisa Bia e Neta Beta, acabam fazendo com que Isabel encontre um meio-termo entre as duas maneiras de ser menina e mulher. Nas palavras dela,
“Impossível saber sempre qual o palpite melhor. Mesmo quando eu acho que minha bisneta é que está certa, às vezes meu coração ainda quer-porque-quer fazer as coisas que minha bisavó palpita, cutum-cutum-cutum, com ele… Mas também tem horas em que, apesar de saber que é tão mais fácil seguir os conselhos de Bisa Bia, e que nesse caso todos vão ficar tão contentes com o meu bom comportamento de mocinha, tenho uma gana lá de dentro me empurrando para seguir Neta Beta, lutar com o mundo, mesmo sabendo que ainda vão se passar muitas décadas até alguém me entender. Mas eu já estou me entendendo um pouco – e às vezes isto me basta.” (p. 53)
Este trecho é um exemplo marcante de como Ana Maria Machado encontra-se em harmonia com os sentimentos da pequena leitora, afinal a maioria das meninas, na infância, fica insegura sobre como se comportar, sobretudo diante dos meninos.

Ilustração e projeto gráfico estão em sintonia, e remetem ao próprio clima da narrativa. Suaves e delicadas, parecendo feitas a lápis, em preto de branco, remetem ao passado e à tradição, favorecendo uma apreciação reflexiva do que se vê e lê. As ilustrações, premiadas com o Jabuti em 1984, retratam cenas atuais da personagem, mas também objetos da época de sua bisavó que povoam o imaginário da menina.

O desfecho é emocionante e surpreendente, e a protagonista descobre por si mesma que as três – Isabel, Bisa Bia e Neta Beta – juntas são invencíveis.


28 de fevereiro de 2015

Resumo do mês: Fevereiro de 2015


Começamos o resumo desse mês comemorando 1 ano do blog "Um lado meio Milla..." fiz uma postagem comemorativa contanto estatisticamente o que aconteceu nesses primeiros 365 dias por aqui.
  • A Nicole do blog Agora v4i me indicou para participar da TAG estante perfeita. Que consiste em responder seis perguntas sobre as nossas próprias estantes.
  • Sigo a tradição da blogosfera de escrever um post sobre alguma mudança recente no template. No mês de fevereiro o tema foi "carnaval"
  •  Recebi o livro Saudade em Preto e Branco na segunda semana de Dezembro mas só consegui resenha-lo em fevereiro.
  • Em uma noite daquelas cheias de sonhos&pesadelos estranhos um desses sonhos, virou esse texto quase uma crônica Somebody.... ♫
  • A TAG Canção de segunda.... ficou esquecidinha esse mês por aqui. Por causa disso resolvi responder a TAG: Minha história em dez músicas A proposta é listar dez músicas, relacionando-as com algumas categorias que, aparentemente definam a sua vida. Convidei as meninas que participam junto comigo do projeto literário 16 on 16.
  • Falando em projeto literário 16 on 16... O tema desse mês foi "A gente não precisa nunca ferir o outro pra curar algo aqui dentro." eu escrevi o texto "Mil pedaços...".
  • Esse mês eu li o livro : A Vida do Livreiro A.J. Fikry e fiz algo além das Resenhas que eu estou acostumada a fazer. Escrevi e também, sobre as minhas impressões pessoais surgindo assim a postagem Resenha&impressões.
  • O que você quer de aniversario? Texto inspirado pelo blog “conspirastes” sobre o que penso sobre aniversários.
“No dia do meu aniversario. O que eu quero? Ah, se já lembrou o dia por mim já está ótimo...”.

  • Escrevi sobre as comemorações do meu aniversário de 29 anos e sobre os livros que comprei e outros que ganhei de presente.
  • Na postagem "Template e outros Teoremas..." Seguindo a tradição da blogosfera de escrever um post sobre alguma mudança recente no template no final do mês de fevereiro o tema é "Vintagê".
  •  O post foi inspirado no texto da Ana Vitória do blog so contagiousEscrevi um pouco, sobre o ultimo semestre da faculdade de Psicologia nessa postagem Ultimo semestre!.

3 de fevereiro de 2015

TAG: Estante Perfeita


Essa tag foi criada pela senhorita Beatriz Nathaly do blog Escrevendo Mundos e a própria indicou o Agora v4i para participar e a Nicole me indicou. São seis perguntas sobre as nossas estantes que precisam ser respondidas.

1) Uma estante só é perfeita se tiver seus livros favoritos. Diga 3 livros que você ama e o por quê.

Tinha ficado cricri com os livros do John Grem depois de ler "Teorema" e ter me decepcionado . Comprei Cidade de Papel nessa mesma época, achei melhor não arriscar deixei na prateleira dos "Não lidos" quase um ano e depois que finalmente me deliciei com a leitura  este livro agora está na lista dos melhores livros que li no começo desse ano!
Eu sabia que ia amar o livro Extraordinário, desde a primeira vez que ouvi a sinopse no evento da Intrínseca aqui em Floripa. Comprei na mesma semana com a primeira capa que na minha humilde opinião é mais bonita que a azul e virou o livro da minha vida!
Vovó Vigarista parece ser um livro infantil com uma história bobinha mas é cheio de lições preciosas para todas as faixa-etárias.

 2) Escolha livros que você não gostou para tirar da sua estante e diga o por quê.
Eu ganhei esse livro... A história do livro é narrada por um cara que recém saiu de uma clinica psiquiátrica e o que deixa a narrativa bastante confusa não lembro agora mas, acho que abandonei a leitura...

3) Quais são os livros autografados que você tem na sua estante que você mais gosta?


4) Quais livros faltam na sua estante para ela ser perfeita?
Sempre vão faltar milhares de livros para a perfeição da minha estante...
5) Quais são as capas mais bonitas que você tem na sua estante?
6) Mostre uma foto da sua estante/canto/gaveta/armário onde você guarda seus livros.





Por fim, a tag também pede a indicação de mais cinco blogs: 

  1. Ana Luisa (http://mvcee.blogspot.com.br/) 
  2. Anna Vitória (http://sooo-contagious.blogspot.com.br/)
  3. Carolina Botelho (http://carolinabotelhoemsenhoritaagridoce.blogspot.com.br/)
  4. Fernanda (http://errodecontinuidade.blogspot.com.br/)
  5. Dell (http://errodecontinuidade.blogspot.com.br/)

31 de janeiro de 2015

Resumo do mês: Janeiro de 2015

21 de janeiro de 2015

Resenha do livro O Menino do Pijama Listrado




O Menino do Pijama Listrado
John Boyne
Ano: 2007
Páginas: 186
Editora: Companhia das Letras


Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus.Também não faz ideia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel,um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. 'O Menino do Pijama Listrado' é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

@@@



Esse livro estava na prateleira dos "livros não lidos" a um tempo... Ganhei esse livro da minha mãe que, viu esse livro no folheto da Avon e resolveu me presentear com uma" edição econômica". A narrativa ao longo da história deixa a leitura mais gostosa, com gosto de aventura infantil mesmo sendo sobre uma das épocas mais vergonhosa da história do mundo. Na minha opinião, o personagem principal chama-se Bruno uma criança de 08 anos que sonha ser um explorador no futuro;
"O problema da exploração é que você precisa saber que aquilo que encontrou valeu a pena ser encontrado, Algumas coisas estão lá, cuidando da própria vida esperando para serem descobertas. Como a América. Outras coisas é melhor que deixemos em paz. Como um rato morto no fundo do armário."
não economizei nos post its... 
Depois de uma tarde produtiva de brincadeiras e explorações Bruno ao chegar em casa, vê sua babá Maria arrumando as suas rupas e pertences em uma mala e os pertences de toda a casa estão sendo encaixotadas... Bruno é o unico que não está tão animado com toda aquela mudança e ao chegar á casa de Haja Vista as coisas só pioram no quesito animação até que sua babá lhe dá um conselho precioso;
"Uma coisa é certa: ficar sentado se sentindo infeliz não vai mudar nada."
Bruno bastante chateado entra no escritório do pai e tenta convence-lo a voltar para Berlim pois, lá moravam os seus avós e a maioria dos amigos da família. E o pai mesmo sendo um pouco ríspido com Bruno ele lhe dá outra verdadeira lição;
"Nossa casa não é uma construção, ou uma rua, ou uma cidade, ou coisa alguma tão artificial quanto os tijolos e a argamassa. O lar é onde mora a família de alguém, não é mesmo?."


A amizade entre um menino Alemão e um menino Judeu em tempos de Holocausto tornou-a história do livro O menino do Pijama Listrado leve. Pois, foi narrada por uma criança inocente das barbaridades que aconteciam ao seu redor... Porém, não menos horrorosa das coisas que sem leêm nos livros de história sobre 2° guerra mundial. Depois de ler esse livro, fiquei com um "vazio existencial" querendo focar que esse tipo de história aconteceria somente em ficção nunca na vida real de algum povo...

4 de janeiro de 2015

Correios #02 - Livro: Saudade em Preto e Branco

Já aviso de antemão que essa TAG não será muito atualizada... Por motivos de: 1)Não compro muitos livros pela internet. 2) O blog não faz parcerias com nenhum tipo de editora.


Recebi um pacote pelo correio com um marcador e um livro MARAVILINDO da minha amiga conterrânea M° Fernanda Algumas horas antes de viajar e que renderam algumas lágrimas na amiga aqui na estrada no decorrer da viagem.

Em um desses pacotes recebi o livro "Saudade em Preto e Branco" da autora Maria Fernanda Probst do blog http://www.fernandaprobst.com.br/  que ganhei em uma promoção relâmpago em seu  blog no mês de Dezembro do ano passado.
Adoro dedicatórias em livros! Já escrevi aqui nesse blog o quanto eu gosto de dedicatória em livros e a M° Fernanda escreveu uma bem bacana no livro que fui presenteada. junto com um trechinho chuchu da musica do Cidadão Quem 
Fiquei completamente apaixonada  com a diagramação das páginas...
Com um marcador tão lindo quanto o livro.

Estou terminando a Resenha para logo mais liberar aqui no Blog!

26 de dezembro de 2014

Retrospectiva 2014:Minha literatura de 2014



Esse ano de 2014, foi o ano que eu mais comprei/ganhei livros (comprei um livro por mês...) porém, foi o ano que eu menos li. Nessas férias, pretendo correr atrás das leituras perdidas desse ano.
Teorema Katharine

Colin é um ex-criança prodígio que quer se encaixar em um mundo além em que as crianças consideradas mais inteligentes continuam sendo adolescentes e adultos que façam diferença na humanidade. O livro não é de todo péssimo algumas coisas no decorrer da historia animou, mas para quem estava acostumada com o livro ACEDE assim como eu, pode ficar frustrado com o decorrer da historia.
É uma Leitura sofrível! No decorrer do livro veio à pergunta “tem certeza que é o mesmo autor?” fiz algumas tentativas nos dias anteriores, mas a leitura não engrenava só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro... Algumas partes animam, que Colin fala sobre constelações e sobre a importância que é para ele como um garoto prodígio fazer a diferença no mundo tem sacadas realmente bacanas no decorrer da historia... (spooler) Só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro...



Deixe a neve cair

Os escritores se juntaram para escrever três histórias sobre uma noite de natal... Mesmo estando ''de mal" com o Jonh Green resolvi arriscar em mais uma leitura e conhecer outros escritores até então desconhecidos.

O Que Me Faz Pular

A primeira vez que ouvi falar sobre esse livro foi na turnê Intrínseca e "foi amor a primeira vista." HAHAHA quando finalmente comecei a ler fiquei em êxtase fala do autismo em primeira pessoa não sobre autismo. 
[ manual prático dos bons modos em livrarias]

Uma ressaca literária misturada com excesso de leituras acadêmicas remediada com um livro xuxu de cronicas sobre os erros que cometemos em uma livraria,



Dinâmicas de grupo para adolescentes

Ganhei esse livro a quatro anos atrás mas esse ano foi uma mão na roda nos dois semestres e em várias matérias na faculdade.

O Livro da Loucura e das Curas
Resenha Comecei a ler "O Livro da Loucura e das Curas" no final do mês de setembro. Intercalando com as leituras obrigatórias da faculdade e parando um pouco de ler nas semanas de provas e trabalhos do semestre.A narrativa do livro "O Livro da Loucura e das Curas" é mais lenta do que eu sou acostumada (não me perdi ao decorrer da história...) esse é o primeiro romance escrito pela autora Regina O´Melveny e ela soube usar aventura e romance na dose certa sem deixar a história melosa demais.

Nú de botas

Outro livro xuxú de crônicas que li esse ano...A leitura é bastante nostálgica pois lembra muito a infância.

Faça boa arte

Discurso inspirador do Neil Gaiman em formato de pequeno livro com capa dura

Saudade em preto branco

Algumas horas antes de viajar, recebi um pacote pelo correio com um marcador e um livro MARAVILINDO da minha amiga conterrânea M° Fernanda e que renderam algumas lágrimas na amiga aqui no decorrer da viagem... (Fotografias, resenhas e + fotografias nos próximas postagens...).


5 de dezembro de 2014

Book Haul [2° semestre]

No inicio desse ano criei um projeto pessoal que intitulei como "Um livro por mês". O projeto condiz em comprar um livro por mês para ler nos meus momentos de folga e nas férias de julho. Fiz o primeiro “BookHaul” fotográfico com os livros comprados/ganhados no decorrer do primeiro semestre (janeiro - junho) do ano de 2014.


Nesse segundo semestre de 2014, eu acabei me surpreendendo.Tanto com a quantidade de livros comprados quanto os livros ganhados (dois livros acadêmicos!).

Livros comprados/ganhados no mês
Hoje fotografando os livros desse semestre pude verificar a diferença de tamanho desses livros e que alguns vão para um dos nixos do meu quarto e não para a estante...

Os menores livros são:

  1. [ manual prático dos bons modos em livrarias]
  2. O mágico de Oz
O maior livro é :


Minha mãe ganhou do trabalho dela esse livro sobre esportes aqui no estado de SC com imagens lindas e capadura  e me deu de presente.

Edição Econômica 

  1.  O menino do pijama listrado
  2. A probabilidade estatística do AMOR a primeira vista
Ps: Por isso escrevi esse post sobre versão econômica.

Livros acadêmicos  (Faço faculdade de Psicologia)



Livros adquiridos em voltinhas nas
 livrarias da minha cidade...


  1. A vida do livreiro A. J. Fikry;  A Analú falou no blog dela sobre as impressoes que ela teve desse livro cometendo um erro de interpretação no titulo do livro oque aumentou a minha curiosidade na leitura desse livro e aproveitando o preço que estava bacana também...
  2. Um sorriso ou dois; Li boas criticas desse livro e despertou a curiosidade de ter esse livro em mãos para poder folheá-lo.
Auto-Ajuda (#me julguem)


No total 10 livros para ler nessas férias!


Ps: Próximo post literário falarei sobre as minhas leituras desse ano.

23 de novembro de 2014

1/4 Cheio de Fragmentos Aleatórios (Parte 02)


Nesse post aqui eu escrevi sobre a tão sonhada reforma do meu "cantinho" e escrevi sobre os meus quartos antigos e coloquei algumas fotografias do quarto antes da reforma.
... E você nunca vai saber de nada do que eu senti

   Sozinho no meu quarto de dormir...”.



Depois da reforma o meu quarto ficou assim. 
(Visão que eu tenho deitada na minha cama).


Minha estante de livros...


Meu coelhinho Leitor!

Livros recem comprados na fila para ler... 
(Só aumenta!)

... CD´s e 
cacarecos do MC. Lanche Feliz


M° Eugenia a minha câmera analógica
e os dois livros da edição do Zarrar

Meus quadrinhos chuchus do Rafa e do Mr.Pi 
Um dos meus nichos e mais alguns livros...

CDs emprestados do Chico Buarque

Livro de cabeceira 
e o meu celular carregando (NOVAX!)




1/4 cheio de livros, CD´s cacarecos e memórias... 
protege os meus sonhos e os meus sonos e o mais importante,
 me dá proteção e forças para seguir em frente... 
para mais um dia novinho em folha!

© Lado Milla
Maira Gall