Livro
Mostrando postagens com marcador Livro. Mostrar todas as postagens

24 de março de 2017

Resenha: A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar



Apenas seja feliz, e, se você não conseguir ficar feliz, faça coisas que o deixem feliz. Ou fique sem fazer nada com as pessoas que o fazem feliz.





A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar
A Vida e as Palavras de Esther Grace Earl
Ano: 2014 / Páginas: 448
Idioma: português
Editora: Intrínseca
Sinopse: A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar conta a história de Esther Grace Earl, diagnosticada com câncer da tireoide aos 12 anos. A obra é uma espécie de diário da jovem, com ilustrações, fotos de seu arquivo pessoal, textos publicados na internet, bate-papos com os inúmeros amigos que fez on-line e reproduções de cartas escritas em datas comemorativas como aniversários. A jovem perdeu a batalha contra a doença, mas deixou um legado de otimismo e celebração ao amor. Atualmente sua mãe, Lori Earl, preside a instituição sem fins lucrativos This Star Won´t Go Out (tswgo.org), que apoia pacientes e famílias que lutam contra o câncer.
A Esther era uma adolescente, feliz, cheia de vida. Era dotada de uma criatividade ímpar, ela sempre conseguia olhar a vida com otimismo e esperança, mesmo nos piores momentos. Seu sonho era ser escritora e, desde cedo, embarcou no universo literário criando seus textos e mantendo um registro em seu diário. 

Infelizmente, aos doze anos, Esther morava na França com a sua família, foi diagnosticada com câncer da tireóide papilar metastático. Passou por cirurgia, tratamentos de radioterapia, iodo radioativo e foi cuidada por uma equipe composta por multiprofissionais dedicados. Apesar de este ser um câncer com bons prognósticos de cura na maioria dos pacientes, em Esther se apresentou de maneira mais avançada e agressiva comprometendo rapidamente o funcionamento dos seus pulmões e rins.


Esther acabou tendo que se mudar para os EUA e precisou largar o colégio em razão das inúmeras idas ao hospital e da ingestão de medicamentos que a deixaram fraca. Apesar de ter emagrecido muito, perdido os cabelos e tido diversos problemas de pele, Esther sempre fez questão de acompanhar seu tratamento de perto, discutindo com os médicos as melhores intervenções e fazendo objeções quando não concordava com algo. A menina encontrou refúgio nas palavras, que lhe ofereceram um porto seguro, um local de desabafo e de comunhão com amigos e família. Apesar de Esther não ter podido escolher o final do seu livro, marcou a vida de todos que a conheceram e será para sempre uma estrela brilhando no céu que nunca vai se apagar.

Comentários de familiares e amigos de Esther Earl sobre o livro "A estrela que nunca vai se apagar".

  

O livro A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar é um livro biográfico da Esther Grace Earl com trechos do seu blog chamado (...) e com trechos redigidos pela sua mãe dos videos que ela fazia no seu canal do Youtube e cartas escritas pelos/para seus amigos dos seus amigos virtuais do Catitude.


"Mãe, sei que sou só uma criança, mas posso dizer que passar pelo câncer me ajudou a crescer. (...) E, se eu tivesse a escolha de voltar no tempo de alguma forma e impedir o câncer, eu não faria isso, porque mudaria muitas coisas. Só queria que você soubesse que talvez eu não me importe muito de ter câncer. É parte de mim no momento, e acho que sou uma pessoa de bastante sorte. (...) se eu não tivesse ficado doente, não ficaria pensando nas pessoas com a doença... Eu sentiria pena do tipo "ah... coitado" em vez de solidariedade sincera."


"Então é... ultimamente venho pensando que, se e quando eu morrer, gostaria de passar por mais uma coisa normal de adolescente, que é beijar um garoto. =) (...) Você pode não acreditar, mas quero uma porcaria de beijo. É uma coisa normal que eu talvez nunca tenha, mais uma coisa que vou perder."

Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5


*Para fins de direitos autorais, declaro que as imagens utilizadas neste post não pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente com nosso contato. Atenderemos prontamente.

4 de junho de 2016

Ensaio sobre a canseira.


Se, um dia eu viesse a escrever um livro... Escreveria uma auto-biografia. Não que, a vida de uma garota/mulher vivendo atualmente á crise dos 30 anos, tenha algo interessante ou rendam mais de duas mal-escritas páginas. Eu já me atrapalho o suficiente escrevendo as postagens mais pessoais aqui no Blog.

Mas, se um dia eu viesse a escrever um livro...

O titulo desse livro seria "Ensaio Sobre A Canseira" parafraseando o romance do escritor português José Saramago. A capa do livro seria da cor branca, a cor do titulo do livro seria vermelha e com essa ilustração: de uma garota tentando escrever, mesmo estando completamente exausta. Aliás, essa ilustração define a minha vida nesses dois últimos meses ... 

O semestre da faculdade (3 matérias pendente) está bem tranqüilo, me formo em Psicologia no final desse ano. A grande novidade de 2016 é que minha mãe comprou um salão de beleza (funcionando...). E me chamou para trabalhar na parte financeira. A equipe de funcionarias nos recebeu com bastante resistência e estamos em um processo longo de adaptação... Eu ainda não consegui "curtir" o fato de estar trabalhando em um negócio próprio sem pensar no stress que é cada pequena mudança. 

Isso anda consumindo a maior parte do meu tempo e energia que eu reservaria para escrever no Blog. Gosto de escrever ou fotografar como válvulas de escape, para descarregar todos os meus "demônios interiores" e com isso me sentir aliviada das minhas mazelas e mimimi´s diários. Mas, Ao olhar os "Arquivos" no mês de Maio sinto uma pontinha de remórcio por ter apenas uma postagem sobre uma TAG literária com fotos antigas... Seria mais decente assumir o Hiatus por um tempo.

Enquanto ao livro...

Estamos naquela parte da história em que o personagem esta se esforçando para que as coisas terminem bem, faltando bastante para a moral da história e faltando mais ainda para o Fim.

20 de maio de 2016

Tag: 12 meses na estante

Faz um bom tempo que vi essa TAG LITERÁRIA na blogosfera e até cheguei a salvar nos "favoritos" aqui no meu computador... Eu acabei esquecendo! Essa semana, encontrei essa tag na imensidão dos textos perdidos nos "favoritos". 


Essa TAG é bem simples, e consiste apenas em compartilhar com as outras pessoas doze livros que você acha que se encaixam com cada um dos meses do ano. É claro que as escolhas sempre nos levam a ter motivos para tal, portanto, também vou me alongar um pouquinho e contar o porquê de ter escolhido determinados livros.

Janeiro: Um livro com uma citação que você goste.

A Vida do Livreiro A.J. Fikry- Uma carta de amor para o mundo dos livros e eu me envolvi tanto com a leitura de um jeito... que gastei praticamente a metade dos meus post´its coloridos marcando as minhas frases preferidas desse livro.
“As pessoas contam mentiras chatas sobre política, Deus e amor.  Você descobre tudo que precisa saber sobre uma pessoa com a resposta desta pergunta: Qual é o seu livro preferido?"

Fevereiro: O livro com a capa mais colorida da sua estante. 




Comprei a nova edição de O Diário de Anne Frank publicada pela Editora Record, com capa dura e acolchoada. A capa imita o próprio diário da Anne e no interior tem algumas imagens do diário original que está em exposição na Casa de Anne Frank, em Amsterdã.



Março:Um livro que tenha uma mulher como capa e como autora.

O livro Reconstruindo Amélia da autora Kimberly Mccreight. Comecei a ler esse livro na Maratona Literaria de Inverno #MLI2015 na qual eu flopei vergonhosamente... Foi uma leitura devagar quase rastejante... Porém, eu gostei bastante do desenrolar dessa história. Fiz resenha contando mais sobre o livro aqui.


Abril:O último livro que te fez chorar.

O livro Auggie& Eu - Três histórias Extraordinárias não é uma continuação do livro Extraordinário e sim um complemento da história. Sim, você terá que ler o livro para conseguir entender o decorrer da história.

O capitulo de Julian: Julian não era apenas um menino mimado... Seus pais arrumavam justificativas para cada ato que ele cometia. No começo, Julian é apenas um garoto petulante da maneira como ele trata o Auggie chamado ele de "monstro" e o seu possível transtorno de ansiedade e pesadelos parece um tanto dramático típico de um garoto mimado como Julian. Mas, a vida tem um jeito um tanto peculiar de nos ensinar... Depois do castigo do diretor Busanfa e isso inclui não ir para a "colônia de férias"seus pais lhe mandam passar as férias em Páris. Depois de uma conversa emocionante e esclarecedora com sua vó, Julian consegue perceber como as suas atitudes foram cruéis e pela primeira vez sente remorso das atrocidades que ele cometeu com Auggie em vez de arrumar "justificativas" mudou o seu comportamento e escreveu o mais bonito preceito "È preciso recomeçar".  Resenha aqui.

Maio: Um livro com enredo sobre família.


Tive uma ligação quase que "transcendental" com o livro Bisa Bia, Bisa Bel sou movida a histórias não resolvidas e saudades que vem do nada... Risquei a palavra saudade do meu vocabulário mas esse ano de 2015 essas "saudades" viram a tona com um turbilhão de memórias... Acredito que os livros nos encontram no momento certo. E depois de várias indicações encontrei essa edição na biblioteca da faculdade na qual dividimos com uma escola... Resenha aqui.




Junho:Um livro com um romance de tirar o fôlego.




Julho: Um livro com capa em tons frios.




Sinopse: Este é um livro de estreia vibrante, profundamente romântico e imperdível. Lennie Walker, de dezessete anos de idade, gasta seu tempo de forma segura e feliz às sombras de sua irmã mais velha, Bailey. Mas quando Bailey morre abruptamente, Lennie é catapultada para o centro do palco de sua própria vida - e, apesar de sua inexistente história com os meninos, inesperadamente se encontra lutando para equilibrar dois. Toby era o namorado de Bailey, cujos sentimentos de tristeza Lennie também sente. Joe é o garoto novo da cidade, com um sorriso quase mágico. Um garoto a tira da tristeza, o outro se consola com ela. Mas os dois não podem colidir sem que o mundo de Lennie exploda...

Agosto: Um livro que você jamais leria de novo


Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.


 Tem  um ditado que diz que: "A expectativa é a mãe da decepção." Em 2013, eu li "culpinha"e começou a saga de querer ler todos os livros do Jonh Green e esse foi um dos livros que eu menos gostei.

Setembro: Um livro cuja capa tenha flores ou pássaros.


Após o desaparecimento repentino de seu pai, Gabriella Mondini enfrenta uma crise: sem o seu aconselhamento, ela não pode mais praticar a medicina. Então, junto de seus dois fiéis servos, Olmina e Lorenzo, ela explora toda a Europa para descobrir para onde — e por que — ele se foi. Seguindo pistas das ocasionais e enigmáticas cartas do pai, ela vasculha as capitais europeias expandindo os horizontes de seu mundo e acrescentando conhecimentos ao imenso livro das curas que está escrevendo. No entanto, ela não conhecerá apenas os limites físicos do continente, mas, também, os mistérios do amor, da perda e da mortalidade. Mistérios que estão no coração de cada alma viajante, especialmente na alma de seu pai. Resenha aqui.


Outubro: Um livro cujo o título inicie e termine com a mesma letra.


Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus.Também não faz ideia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel,um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. 'O Menino do Pijama Listrado' é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável. Resenha aqui.



Novembro: Um livro que tenha amarelo ou laranja em sua edição



Sinopse: Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo. Resumo aqui.

Dezembro: Um livro que tenha verde ou vermelho em sua edição 



Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte. Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia. Resenha aqui.


27 de dezembro de 2015

Tag: Frases de Mãe

Oi pessoal! Hoje eu vim responder essa TAG que a Ludimila do blog boutique de cliches me indicou. Eu achei super divertida. Você tem que responder a Tag com livros que tem a ver com aquelas frases bem conhecidas que toda mãe fala.


Frases...


1. Eu vou contar até 3... (Um livro que não via a hora de acabar.) 


Foi uma Leitura sofrível! No decorrer do livro veio à pergunta “tem certeza que é o mesmo autor?” fiz algumas tentativas nos dias anteriores, mas a leitura não engrenava só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro... O livro não é de todo péssimo, algumas coisas no decorrer da historia animou, mas para quem estava acostumada com o livro ACEDE assim como eu, pode ficar frustrado com o decorrer da historia.

2. Se você falar isso de novo te arrebento os dentes! (Um livro que você não suporta que falem mal.)


Depois desse livro as pessoas se tornaram "críticos literários" escrevendo muitas caquinhas sobre a leitura. Quando lançou o filme então... Enfim, é um livro intocável na minha estante.

3. Se você correr vai ser pior!(Um livro que você corre dele, mas sabe que um dia vai ter que ler.)


Eu não corro desses livros mas, eles estão lá na prateleira dos livros "Não Lidos" da sempre uma tristezinha quando olho e os vejo esperando...

4. Vem comer se não esfria! (Um livro que você leu logo que lançou) 


Vovó Vigarista do Walliams, David vi esse livro no evento da editora Intrínseca e gostei tanto da "sinopse" que comprei depois de uma semana do evento.

5. Você não é todo mundo! (Um livro que todo mundo odeia, menos você) 

Não sei.

6. Quantas vezes eu já disse para você não fazer isso? (Um personagem que mais te irritou e fez burrada)




Anna do livro "Anna e o Beijo Francês" no começo do livro ella fez uma birra por nada...Em vez de aproveitar a chance de estudar na França... Deixando o leitor morrendo de raiva das atitudes de Anna.

7. Não, quando digo não é não! (Um livro que você não lerá, não importa o quanto as pessoas falem bem).

Livros de Blogueiros "pseudo" escritores. Tenho uma certa preguiça desse "new" gênero.

8. Não mente para mim! (Um personagem mentiroso, ou um personagem que te enganou direitinho)


Durante a leitura que era narrada por uma criança tu fica "inocente" durante todos os acontecimentos da história... 

9. Coração de mãe não se engana! (Um livro que te conquistou pela capa e a leitura foi ainda melhor)


Fiquei com dó da versão da capa azul desse livro. Ao terminar a leitura me fez ter a sensação que todos deveriam gastar o seu tempo lendo é o livro Extraordinário - R. J. Palácio.

10. Tá chorando sem motivo por que? Pera aí que eu vou te dar um motivo para chorar!(Um personagem chorão, que te fez raiva)


Lembro de ter ficado muito indignada com essa leitura... Ok, que era um drama e tal mas, era desnecessaria Tanta choradeira de uma forma TÃO intensa.

11. Come só mais um pouquinho! (Um livro que fez você dizer: Vou ler só mais um pouquinho)


É uma leitura infanto-juvenil delicinha de ler. Comecei de noite e terminei na madrugada...

12. Quantas vezes vou ter que repetir?(Um livro que você teve ou terá que reler para entender melhor)



Tenho esse livro há mais ou menos 5 anos. E desde então, está na minha estante na parte dos livros "já lidos" porém, não lembrava de já ter lido ou abandonado á leitura... Na semana passada, zapeando na blogosfera cheguei a ler algumas resenhas e trechos e resolvi finalmente ler. Uma das grandes lições desse livro é que aprendemos cedo ou tarde que as pessoas que amamos se vão e simplesmente temos que virar protagonistas da nossa própria história. A leitura do livro é simples e bela, juntamente com a história da nossa John Lennon - apelido carinho dado por Joe -. Você se envolve de uma forma surpreendente com Lennie e torce para a sua felicidade. Na maioria do início dos capítulos, há poemas ou mensagens escritos por Lennie. Adorei a ideia.

13. Não fez mais que sua obrigação! (Um livro que você leu por "obrigação")

Não, lembro...

14. Coração de mãe sempre cabe mais um! (Os três próximos livros que você está louco para comprar).


15. Isso, quebra mesmo. Não foi você quem pagou! (Um livro que você emprestou e voltou irreconhecível).

Não empresto.

Blogs que indico:

Quem quiser fazer...Ta liberado!


O que vocês acharam da TAG? Gostaram? 
Me contem tudo nos comentários!

18 de outubro de 2015

Organizando a minha estante.

Tenho uma estante de livros desde o ano passado. E sempre tive duvidas na hora de organizar os meus livros com outros objetos. Leia-se, miniaturas do Mac-Donalds, caixas, CDs, aparadores de livros... Desde então, procuro dicas na internet para manter uma estante organizada.
_ Milla, eu nem tenho tantos livros assim...
Perfeito! essa postagem não é de "ostentação de livros" quanto menos livros na estante mais bonito fica a decoração.
_ Milla eu tenho MUITOS livros!
Perfeito! talvez não vá precisar colocar tantas miniaturas e caixas. Lembra-se: O foco não está na quantidade mas, sim na decoração desses livros.
Nessas navegadas na internet, encontrei o Blog da Ana Medeiros com algumas dicas universais e bons exemplos de decoração que resolvi experimentar e fotografar passo á passo da arrumação da minha estante:

1) Agrupe os livros por cor: Essa é uma modinha bem modinha do mundo decorativo e que resulta num efeito bem legal.

2) Tenha uma caixa de couro ou outro material (que combine com seu estilo) para guardar pequenos objetos, evitando deixá-los espalhados. Ela também cria um bom volume na composição.


3) Use apoiadores de livros, eles são bem úteis e existe uma variedade enorme de tipos, uns mais chiques, outros mais divertidos e por ai vai…


   
4) Intercale livros na horizontal e vertical, quebrando a monotonia.

5) Procure um equilíbrio no uso de vasos, arranjos e porta-retratos. Veja que não temos aqui nada que não “converse” entre si, e nada ficou amontoado, alguns objetos em cima de livros, outros mais recuados…



31 de julho de 2015

Resumo do mês:Julho/2015


O que teve no mês de Julho?



Teve, [Micro - Contos]: Ponto final.

Teve, texto pessoal Life's a climb...♪- Sobre o tal do trabalho de conclusão de curso http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/lifes-climb.html

Teve, #MLI - Maratona Literária de Inverno

Teve, projeto-fotográfico - Mês a mês

Teve, O fim do projeto-101-coisas-em-1001-dias 

Teve, A TAG Canção de Segunda que fazia um mês que não atualizava... 

Teve, #resenha do filme Cidades de Papel. Os roteiristas desse filme foram realmente incríveis e se preocuparam com a fidedignidade da adaptação, ao inserirem diversas passagens do enredo de maneira literal a ponto de termos transcrições de falas e de pensamento http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/filme-cidades-de-papel-paper-towns.html

Teve, a volta do projeto 52 semanas 
com a Semana 14: Meus sites preferidos na internet: http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/projeto-52x5-semana-14-meus-sites.html 

Teve, texto inspirado no blog da Fernanda Tenho um Blog, e agora? http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/tenho-um-blog-e-agora.html

Teve, Textos ressuscitados do blog antigo Escrevendo eu falo pra C*… http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/escrevendo-eu-falo-pra-c.html

Teve, Fotografando Domingos: No teatro! teve uma peça de improvisos chamado de Z.É -  Zenas Emprovisadas http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/fotografando-domingos-ze-zenas.html

Estou fazendo teatro e escrevi um pouco sobre... Por que fazer teatro?http://ladomilla.blogspot.com.br/2015/07/por-que-fazer-teatro.html




1 de maio de 2015

#ROTAROOTS- 03 livros que que mudaram minha vida

O Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor (também chamado de Dia Mundial do Livro) é um evento comemorado todos os anos no dia 23 de Abril, e organizado pela UNESCO para promover a o prazer da leitura, a publicação de livros e a proteção dos direitos autorais. O dia foi criado na XXVIII Conferência Geral da UNESCO que ocorreu entre 25 de Outubro e 16 de Novembro de 1995. A data de 23 de Abril foi escolhida porque nesta data do ano de 1616 morreram Miguel de Cervantes, William Shakespeare e Garcilaso de la Vega. Para além disto, nesta data, em outros anos, também nasceram ou morreram outros escritores importantes como Maurice Druon, Vladimir Nabokov, Josep Pla e Manuel Mejía Vallejo.

Este post é um dos temas do mês de Abril/2015 da blogagem coletiva/meme do Rotaroots, um grupo com a missão de resgatar os bons tempos da galera blogueira old school. Curta a fanpage e participe do rotation

03 livros que que mudaram minha vida

01- Pretinha,eu?

Caro e tradicional, o Colégio Harmonia nunca teve uma criança negra entre seus alunos. Até o dia em que Vânia ganha uma bolsa de estudos do dono da escola. Diante desse 'escândalo', a sala do 6.o ano torna-se o campo de uma batalha covarde. Todos os alunos se unem contra Vânia pelo fato de ela ser negra e pobre. O diretor e os professores, então, mobilizam-se em uma cruzada contra a discriminação.

Li sobre descriminação, desrespeito, bullying e racismo depois de ter sentido na pele o ano inteiro... Tem um episódio na minha vida que com 13 anos sofri bullying e pude ver como as crianças podem ser maldosas mesmo com toda a sua inocência e como os adultos reforçam esse comportamento de desrespeito e descriminação na escola. 

02-  A culpa é das estrelas

Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante - o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos -, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.


Já falei da "decepção cinematográfica" acho que a metade dessa decepção foi ciume de dividi-lo com outras pessoas... Porém o livro teve uma tarefa concluída de nos encher de um fervor quase que religioso. O sentimento de AMEBA me consumiu diante a leitura. Mas, o sentimento só faz sentido e causará a mudança necessária se sentirmos mesmo que doa. 

03-  O Extraordinário 

August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.


Esse livro me lembrou um pouco da 1° primeira vez que li o livro Pretinha,eu? lembrei~me da garotinha "desfigurada" de 13 anos que só estava precisando de uma atenção especial pois, estava com um gesso em volta da barriga depois de uma operação na coluna... A prendi a superar tudo e esse livro me ensinou a superar os obstáculos. 


22 de abril de 2015

Resenha do livro: Bisa Bia, Bisa Bel








Bisa Bia, Bisa Bel
Ilustrador: Mariana Newlands
Editora: Salamandra
80 páginas

Sinopse: A menina Bel encontra um dia uma foto de sua bisavó Bel, entre as coisas de sua mãe. A partir daí, ela inicia uma relação de muitas descobertas com essa pessoa tão importante na vida de sua família e na da própria. Até que surge uma menina inesperada. Uma relação de amizade e troca, capaz de emocionar a todos.

Três gerações encontram-se com sensibilidade e poesia nesta verdadeira obra-prima de Ana Maria Machado.

O livro Bisa Bia, Bisa Bel foi publicado originalmente em 1982, e desde então foram mais de 500 mil exemplares vendidos, além de um rol de prêmios, entre eles o Maioridade Crefisul (1981), o Bienal São Paulo de melhor livro infantil do biênio (1984) e o merecido lugar na Lista de Honra do IBBY (1984). 

Tive uma ligação quase que "transcendental" com esse livro sou movida a histórias não resolvidas e saudades que vem do nada... Risquei a palavra saudade do meu vocabulário mas esse ano de 2015 essas "saudades" viram a tona com um turbilhão de memórias... Acredito que os livros nos encontram no momento certo. E depois de várias indicações (Ana Luísa Bussular do Blog Minha vida como ela é... e Revista da Livraria Catarinense) encontrei essa edição na biblioteca da faculdade na qual dividimos com uma escola...
Morrendo literalmente de amores...
Durante uma das arrumações de sua mãe, Isabel toma contato com o passado, por meio dos objetos e fotografias que as duas encontram numa antiga caixinha de madeira. Uma das fotos era da mãe, o que já inquieta bastante a menina.
“Eu olhava para minha mãe e para o retrato da menina, achava meio gozado aquilo, minha mãe criança, brincando no galho de um camelo, pensando em balão d’água. E era meio esquisito, ela grande ali na minha frente, sentada no chão, explicando as coisas” (p. 8).
Mas as coisas se complicam mesmo quando ela se depara com o retrato de sua bisavó, Beatriz. Para surpresa de Isabel, ao tentar colocar a foto no bolso, ela começa a ouvir uma voz – este foi o começo das longas conversas que teria com Bisa Bia, que passaria então a acompanhar a menina na escola e nas brincadeiras, sempre dando conselhos e opiniões, e deixando-a às vezes em situações embaraçosas com os colegas. Mas, afinal,
“Como é que eu podia explicar (…) que Bisa Bia estava existindo agora para mim?”
A história é contada pela própria Isabel, em primeira pessoa, num tom espontâneo que reproduz bem o fluxo do pensamento da protagonista, com leveza e alguns toques de humor, mas com uma delicadeza e ingenuidade capaz de levar às lágrimas o leitor mais sensível. A curiosidade e o estranhamento marcam os títulos dos capítulos – “Pastel bochechuda”, “Tatuagem transparente”, “Trança de gente” – e nos fazem tentar antecipar os acontecimentos.


Bisa Bia, a voz da tradição e de um outro modelo de feminilidade, não apreciava as brincadeiras “de menino” de Isabel, que não eram coisa de mocinha bonita e bem-comportada. Mas, apesar das censuras, o contato com Bisa Bia faz com que a menina conheça coisas de um tempo que já passou – toucador, baba-de-moça –, e a autora faz dessas pequenas descobertas um elemento interessante que apela para a curiosidade e passa longe de um aprendizado puro e simples. Contrapondo-se a Bisa Bia, surge então, num momento-chave para a personagem, Neta Beta, uma outra voz que começa a se intrometer nas conversas apresentando um ponto de vista bastante diferente.

As duas vozes, de Bisa Bia e Neta Beta, acabam fazendo com que Isabel encontre um meio-termo entre as duas maneiras de ser menina e mulher. Nas palavras dela,
“Impossível saber sempre qual o palpite melhor. Mesmo quando eu acho que minha bisneta é que está certa, às vezes meu coração ainda quer-porque-quer fazer as coisas que minha bisavó palpita, cutum-cutum-cutum, com ele… Mas também tem horas em que, apesar de saber que é tão mais fácil seguir os conselhos de Bisa Bia, e que nesse caso todos vão ficar tão contentes com o meu bom comportamento de mocinha, tenho uma gana lá de dentro me empurrando para seguir Neta Beta, lutar com o mundo, mesmo sabendo que ainda vão se passar muitas décadas até alguém me entender. Mas eu já estou me entendendo um pouco – e às vezes isto me basta.” (p. 53)
Este trecho é um exemplo marcante de como Ana Maria Machado encontra-se em harmonia com os sentimentos da pequena leitora, afinal a maioria das meninas, na infância, fica insegura sobre como se comportar, sobretudo diante dos meninos.

Ilustração e projeto gráfico estão em sintonia, e remetem ao próprio clima da narrativa. Suaves e delicadas, parecendo feitas a lápis, em preto de branco, remetem ao passado e à tradição, favorecendo uma apreciação reflexiva do que se vê e lê. As ilustrações, premiadas com o Jabuti em 1984, retratam cenas atuais da personagem, mas também objetos da época de sua bisavó que povoam o imaginário da menina.

O desfecho é emocionante e surpreendente, e a protagonista descobre por si mesma que as três – Isabel, Bisa Bia e Neta Beta – juntas são invencíveis.


28 de fevereiro de 2015

Resumo do mês: Fevereiro de 2015


Começamos o resumo desse mês comemorando 1 ano do blog "Um lado meio Milla..." fiz uma postagem comemorativa contanto estatisticamente o que aconteceu nesses primeiros 365 dias por aqui.
  • A Nicole do blog Agora v4i me indicou para participar da TAG estante perfeita. Que consiste em responder seis perguntas sobre as nossas próprias estantes.
  • Sigo a tradição da blogosfera de escrever um post sobre alguma mudança recente no template. No mês de fevereiro o tema foi "carnaval"
  •  Recebi o livro Saudade em Preto e Branco na segunda semana de Dezembro mas só consegui resenha-lo em fevereiro.
  • Em uma noite daquelas cheias de sonhos&pesadelos estranhos um desses sonhos, virou esse texto quase uma crônica Somebody.... ♫
  • A TAG Canção de segunda.... ficou esquecidinha esse mês por aqui. Por causa disso resolvi responder a TAG: Minha história em dez músicas A proposta é listar dez músicas, relacionando-as com algumas categorias que, aparentemente definam a sua vida. Convidei as meninas que participam junto comigo do projeto literário 16 on 16.
  • Falando em projeto literário 16 on 16... O tema desse mês foi "A gente não precisa nunca ferir o outro pra curar algo aqui dentro." eu escrevi o texto "Mil pedaços...".
  • Esse mês eu li o livro : A Vida do Livreiro A.J. Fikry e fiz algo além das Resenhas que eu estou acostumada a fazer. Escrevi e também, sobre as minhas impressões pessoais surgindo assim a postagem Resenha&impressões.
  • O que você quer de aniversario? Texto inspirado pelo blog “conspirastes” sobre o que penso sobre aniversários.
“No dia do meu aniversario. O que eu quero? Ah, se já lembrou o dia por mim já está ótimo...”.

  • Escrevi sobre as comemorações do meu aniversário de 29 anos e sobre os livros que comprei e outros que ganhei de presente.
  • Na postagem "Template e outros Teoremas..." Seguindo a tradição da blogosfera de escrever um post sobre alguma mudança recente no template no final do mês de fevereiro o tema é "Vintagê".
  •  O post foi inspirado no texto da Ana Vitória do blog so contagiousEscrevi um pouco, sobre o ultimo semestre da faculdade de Psicologia nessa postagem Ultimo semestre!.

3 de fevereiro de 2015

TAG: Estante Perfeita


Essa tag foi criada pela senhorita Beatriz Nathaly do blog Escrevendo Mundos e a própria indicou o Agora v4i para participar e a Nicole me indicou. São seis perguntas sobre as nossas estantes que precisam ser respondidas.

1) Uma estante só é perfeita se tiver seus livros favoritos. Diga 3 livros que você ama e o por quê.

Tinha ficado cricri com os livros do John Grem depois de ler "Teorema" e ter me decepcionado . Comprei Cidade de Papel nessa mesma época, achei melhor não arriscar deixei na prateleira dos "Não lidos" quase um ano e depois que finalmente me deliciei com a leitura  este livro agora está na lista dos melhores livros que li no começo desse ano!
Eu sabia que ia amar o livro Extraordinário, desde a primeira vez que ouvi a sinopse no evento da Intrínseca aqui em Floripa. Comprei na mesma semana com a primeira capa que na minha humilde opinião é mais bonita que a azul e virou o livro da minha vida!
Vovó Vigarista parece ser um livro infantil com uma história bobinha mas é cheio de lições preciosas para todas as faixa-etárias.

 2) Escolha livros que você não gostou para tirar da sua estante e diga o por quê.
Eu ganhei esse livro... A história do livro é narrada por um cara que recém saiu de uma clinica psiquiátrica e o que deixa a narrativa bastante confusa não lembro agora mas, acho que abandonei a leitura...

3) Quais são os livros autografados que você tem na sua estante que você mais gosta?


4) Quais livros faltam na sua estante para ela ser perfeita?
Sempre vão faltar milhares de livros para a perfeição da minha estante...
5) Quais são as capas mais bonitas que você tem na sua estante?
6) Mostre uma foto da sua estante/canto/gaveta/armário onde você guarda seus livros.





Por fim, a tag também pede a indicação de mais cinco blogs: 

  1. Ana Luisa (http://mvcee.blogspot.com.br/) 
  2. Anna Vitória (http://sooo-contagious.blogspot.com.br/)
  3. Carolina Botelho (http://carolinabotelhoemsenhoritaagridoce.blogspot.com.br/)
  4. Fernanda (http://errodecontinuidade.blogspot.com.br/)
  5. Dell (http://errodecontinuidade.blogspot.com.br/)
© Lado Milla
Maira Gall