Retrospectiva BEDA
Mostrando postagens com marcador Retrospectiva BEDA. Mostrar todas as postagens

11 de agosto de 2021

Beda #11: Se não fosse...



Se não fosse o meu cabelo vermelho e a minha caneta favorita sem carga no tinteiro e se ambas as tintas não desbotassem com o tempo inteiro, não seria eu.

Se não fosse as minhas Raízes e as dores que carrego como cicatrizes. Se não fosse todo o amor e afeto dado pelos meus pais e parentes, e se os meus pais não fossem um pouco por mim educados. Essa não seria eu.

Se não fosse “meu relicário” cheio de memórias ou aquelas fotografias que fazem mais de um ano. E se não fosse os danos, não seria eu.

Se não fosse a minha escrita em folhas de papel, se não fosse o frio e o azul do céu, se a minha letra feia não parece garranchos aos olhos do Daniel. Essa não seria eu.

Se não fosse os meus erros de português e a minha tentativa frustrante de por os “pingos nos es”, se eu me importasse menos comigo e mais com vocês. Essa com certeza não seria eu! 

Se não fosse as minhas frases feitas e a minha busca incansável de “encaixar” as palavras perfeitas Se não fosse todos os sentimentos démodé beirando a clichês. Essa não seria eu!

Se não fosse os meus CDs organizados na estante, se não fosse os meus livros empilhados na penteadeira, se não fosse à preguiça que me persegue a tarde inteira. Essa não seria eu.

Se não fosse o “Verso estrofe e refrão” das melodias da banda favorita, Se não fosse tantas idas e vindas e se em Porto Alegre eu pudesse para sempre ficar. Essa não seria eu.


Se não fosse a Priscila da (TV COLOSSO) e as sextas feiras com as minhas vizinhas da Vila e a casa que o garoto dos olhos azuis morava… Se não fossem as dores e delicias do primeiro amor. Eu não seria eu.

Se não fosse as minhas escritas na madrugada e se eu não tivesse que acordar cedo mesmo que obrigada. Eu não seria eu.




   Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 


10 de agosto de 2021

Beda #10 - Eu sou linda e você?



That's the price of beauty
Who says you're not pretty
Who says you're not beautiful
Who says


Graças, ao estrabismo, eu uso óculos desde bem pequena... O fato de usar óculos me incomodou muito na infância. Não pelo acessório, em si, que eu sempre gostei e todo ano eu estava com um estilo de óculos diferente. Mas, pelo fato de sofrer com os apelidos cada vez mais criativos dos coleguinhas da escola (Naquela época, ganhei fama de mal criada. Porque eu respondia os “engraçadinhos” com palavrão rs).

Nos filmes infanto-juvenis As características das meninas e dos meninos que usam óculos geralmente são de pessoas desengonçadas e fora do padrão de beleza. Eu nunca deixei de me sentir assim... As garotas e os garotos mais bonitos não usavam óculos e tinham olhos perfeitos.

Eu adoro essa foto com batom vermelho.


Na adolescência comecei a usar maquiagem. Lembro-me da minha mãe ter me maquiado e eu ter achado o resultado bacana, mas coloquei óculos de grau e ficou parecendo à mesma coisa de cara limpa... Tanto trabalho para depois colocar os óculos e acabar com o make ¬¬ o máximo que eu usava na época (e ainda uso) é o lápis preto e um gloss ou batom vermelho, mas geralmente eu saio de “cara limpa” pelo simples motivo que não tenho paciência em acordar cedo ou parar tudo que eu estou fazendo para me maquiar... Nunca me achei a “beauty queen” e também ninguém me considerou bonita... 

A Psicologia explica isso usando o termo de “profecia auto realizadora”. A profecia auto- realizadora diz que, quanto mais às pessoas acreditam em uma coisa, mais elas podem influenciar no seu acontecimento. Isso quer dizer que, nesse exemplo Alguém diz que você não é bonito e você passa a acreditar nisso e acaba não se considerando uma pessoa bonita... A grande mídia, faz isso toda hora “caga” padrões a cada milésimos de segundo dizendo que, o padrão de beleza é X as pessoas que tem o padrão Y ou tentam se encaixar no padrão X ou, se possível, usam corretivos nas imperfeições para se enquadrar nesse padrão.

E essa fotografia fez parte do Perfil das minhas redes sociais.

Ainda na minha adolescência tinha um garoto muito lindo na minha escola e as meninas sem exceção babavam pelo garoto... O garoto era desenhista e um dia ele foi desafiado a desenhar as garotas e ele teve a ideia de desenhar partes do rosto das meninas que ele mais gostava... A parte que ele mais gostava de mim era a boca que ele achava muito bonita... Depois daquele dia, eu aprendi a gostar de alguns detalhes do meu corpo até dos meus olhos estrábicos... Mas, ainda assim nunca me achei bonita.

Aprendi desde cedo a gostar dos "Detalhes" sem precisar de meios como maquiagem, Photoshop ou filtros para mentir ou disfarçar algo que eu não sou... As mulheres se tornaram feias não por mostrarem suas imperfeições, mas, por não saber lidar com a cara limpa diante dos milhares "Selfies" cadê as "caras&bocas" e sorrisos nas fotos?



Who says
Who says you're not perfect
Who says you're not worth it
Who says you're the only one that's hurting
Trust me
That's the price of beauty
Who says you're not pretty
Who says you're not beautiful
Who says



Esse trecho da canção da Selena foi um "tapa com luva de pelica" em mim (principalmente) pois sempre quis seguir ou ter os padrões de uma pessoa considerada bonita e tive vários exemplos nesses vinte e poucos anos... que, esses padrões mudam e as opiniões também... Escutava antigamente que "beleza não se expõe na mesa" hoje se expõe nas redes sociais, mas, mostramos algo maquiado algo que não é real. 

A verdadeira beleza esta nos "Detalhes" nenhuma maquiagem pode ser mais indispensável que olhos brilhando, sorriso no rosto... Maquiagem não disfarça "cara amarrada" então, bora ser feliz isso sim é indispensável para sermos bonitos por dentro e por fora!




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei comentando com vocês sobre o BEDA 

9 de agosto de 2021

BEDA#09: Musicas que eu ouço com o meu pai.


Já escrevi aqui que o meu pai se orgulha muito das minhas "descobertas musicais" quando se trata das canções do Raul Seixas. Por esses dias, eu montei uma "playlist" com canções de diferentes gêneros musicais ( Rock Gaúcho, musica gauchesca e rock) para ouvirmos nos passeios de carro com a família.

ROCK DE GALPÃO - RECUERDOS DA 28

          

    ROCK DE GALPÃO - GURI



    RUI BIRIVA -TCHÊ LOCO


      


    Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
    Estarei comentando com vocês sobre o BEDA 

    8 de agosto de 2021

    BEDA#08: Você tem certeza de que seu pai é mesmo seu pai?



    Vocês podem ter a mesma cor de olhos, mas será que possuem a mesma maneira de ver o mundo? Vocês podem ter o mesmo jeito de andar, mas será que escolheriam os mesmos caminhos? Faça um texto de DNA agora. O meu método é rápido, não precisa colher sangue e é de graça. No final desse texto você já saberá o resultado.

    Se você é baixinho e seu pai é alto, se você é obeso e seu pai é jóquei, se você é gremista e seu pai não sabe o que é um tiro de meta, acalme-se: ainda há grande chance de você não ter sido inseminado pelo carteiro. Há outras maneiras de averiguar uma paternidade.

    Um dia você disse para seu pai que queria trancar a faculdade e viajar pelo mundo com uma mochila nas costas, sem data para voltar. Tudo o que você pedia é que ele avalizasse moral e financeiramente esta ideia estupenda, mas olha o que ele disse: ‘Foi exatamente o que eu fiz na sua idade, só que naquela época eu já trabalhava e consegui patrocinar eu mesmo essa ideia estupenda. Você só estuda de manhã. Faça alguma coisa rentável nas suas tardes e daqui a um ano a gente volta a conversar sobre isso’. Cara, esse é o seu pai, mesmo que ele seja nissei e você, alemão.

    Um dia você disse para seu pai que gostaria de trazer o namorado para dormir em casa, e ele sugeriu que você o trouxesse para jantar, já que ninguém o conhecia. Aí você discursou durante uma hora sobre a caretice da família, sobre como ninguém confiava nas suas escolhas e como aos 17 anos uma mulher já sabe o que quer. Ao final do discurso, seu pai, comovido, disse: ‘Qual é o nome desse homem imperdível?’. Você, odiando o sarcasmo dele, respondeu: ‘Kiko’. Seu pai: ‘Vulgarmente conhecido como o quê? Roberto, Afonso, Jerônimo?’. ‘Kiko, pai, só sei que é Kiko, que importância tem um nome?’ Foi a vez do seu pai discursar uma hora sobre responsabilidade, autoestima e camisinha, e concluiu o discurso pedindo que o Kiko arranjasse um nome e uma noite livre para jantar. Esse aí é seu pai sem sombra de dúvida, mesmo você tendo um nariz arrebitado e ele sendo o Cyrano de Bergerac. 

    Se seu pai consegue ser carinhoso, parceiro e aberto, e ao mesmo tempo atento e disciplinador, pode ser branco e você negro, pode ser peludo e você imberbe, pode ser engenheiro e você bailarino: é seu pai. “Nem precisa perguntar pra sua mãe.”




    DNA, Martha Medeiros.


    ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
    Estarei tagarelando por lá também:

    7 de agosto de 2021

    BEDA #07 - A última vez que você chorou. [642 COISAS]




    "... finalmente havíamos chegado ao final daquela semana. Aqueles dias, em que mais pareciam um acúmulo de minutos infinitos... A semana não rendeu, os trabalhos da faculdade acumularam... Os sentimentos costumam ficar mais aflorados no final do mês mas, aquela semana estavam no pico do (in)suportável. 

    Não foram poucas as vezes que tive que me segurar para não chorar. Em situações que dificilmente eu engoliria o choro e aceitaria e acabasse demonstrando também, que eu não estava bem... Resolvi ser forte! Respirava, olhava para cima meus olhos avermelhados ardiam... Tudo isso, para não derramar uma lágrima sequer... E repetia como um mantra o refrão daquela canção: "And big girls don't cry Don't cry..."

    Cheguei em casa, segurei a Mallu (minha cadelinha) no colo "sufoquei" ela um pouquinho como é de costume, fiz carinho na cabeça do Teddy (meu outro cachorro) que estavam me esperando no quintal e finalmente entrei em casa. Entrei direto no meu quarto para largar a minha bolsa na bancada e depois tomar um banho ou comer alguma coisa... Mas, olhei para aquele quarto que era "o meu cantinho" e resolvi ficar. 

    Sentei no chão do quarto, e depois de um longo suspiro uma lágrima rolou e eu chorei... Apenas chorei, outras lagrimas vieram em seguida parecendo já saber o caminho apenas deixei as lagrimas caírem soltando-as livremente. 



    O projeto 642 coisas sobre as quais escrever é um projeto bem interessante, é um incentivo a escrita. E apoveitando que estamos na 3° e ultima semana do BEDA resolvi resgatar (escrevi essa postagem aqui) sobre esse projeto aqui no Blog.

    6 de agosto de 2021

    Beda #06:Sobre as minhas Coleções...




    Na minha infância, sempre que eu gostava muito de algum objeto eu arrumava um jeito de ter outros objetos para colecionar. As minhas primeiras coleções foram de:  Tazos (aqueles que vinham nos salgadinhos...); figurinhas de chicletes; adesivos decorativos (tinha até um álbum com folhas autocolantes para colocar esses adesivos...); Na minha época mais fanática de Chiquititas e Sandy&Junior  eu colecionava todas as reportagens que saiam nas revistas (antes da internet...) e guardava em folhas de plástico em um fichário da época evolui para vários pôster de outras bandas que eu gostava na época.

    Hoje em dia, eu tenho alguns objetos (colecionáveis...) que fazem um papel decorativo na minha estante de livros e no meu quarto.

    Bottons Literários (músicos e bandas):

    Eu comecei a colecionar Bottons-literários em 2013. Já falei sobre elas aqui no blog, onde falo sobre os eventos da Intrínseca por isso não vou me prolongar muito. Atualmente, eu tenho 26 bottons que ficam guardados nessa lata.



    Marcadores de Livros:

    Eu compro os meus livros nas livrarias-físicas da minha cidade. Quando finalmente eu escolhia o livro que ia comprar e caminhava até o caixa para finalizar a compra, a atendente colocava um "marcador de pagina" dentro do meu livro novo. Geralmente, era um marcador bem fulerinho fazendo propaganda da própria livraria e outras vezes marcadores- literários. A editora Intrínseca uma vez no ano faz a Turnê Intrínseca, e sempre tem um kit com marcadores de livros e Bottons literários para as pessoas que vão no evento é de onde vem a maioria dos bottons/marcadores da minha coleção.


    Ganhei em um sorteio no blog Mil alices que veio esse marcador de páginas fofo com a carinha da alice que faz companhia para versão pocket da editora Zahar


    Mc Donalds

    Compro o Mc Lanche Feliz por causa do brinde #confesso! As miniaturas decoram a minha estante de livros.


    Kinder (Os sobreviventes...)

    E u guardava essas miniaturas do Kinder em uma caixinha de papelão do Unibanco e que tem um valor bastante afetivo (de uma época bastante bacana da minha vida...) comprei outros Kinder´s desde então, a coleção foi aumentando/diminuindo e tive que guarda-los dentro desse pequeno báu de madeira.



    O que voces acharam das minhas coleções ??? E ai vocês colecionam alguma coisa? Eu vou adorar saber deixe aqui embaixo nos cometários.

    4 de agosto de 2021

    BEDA #04 - TAG literária: Escritores


    A TAG consiste em 5 perguntas simples (a respeito de escritores), sendo assim rapidinha para mostrar um poucos dos gostos literários. Vamos lá:


    O escritor que te iniciou no mundo da leitura:

    No ensino fundamental eu sempre visitava a bibliotecas da minha escola e arriscava ler aqueles livros de poucas paginas no recreio. Na 6° série tínhamos aula de português e uma das atividades era fazer "fichamentos" dos livros que tínhamos que escolher durante a semana! O autor que mais me prendeu foi o Pedro Bandeira com o livro "A Droga da Obediência" com aventura do grupo de meninos chamados de Os Karas... Foi a primeira vez que li um livro "grande" do inicio ao fim e desde então, não parei mais.

    Um escritor que te ganhou de volta e um que te perdeu para sempre:

    Um que me ganhou de volta foi Jonh Gree com Cidade de Papel. Tinha lido anteriormente Theorema Katerine e fiquei frustrada com o decorrer da leitura, mas quando peguei o livro que citei acima, voltei a ler os livros dele com outro ânimo. O que me perdeu (sem eu mesmo ter amado) foi livros de Youtubers. Não consegui ler nenhum livro desse gênero.

    Um escritor brasileiro e um estrangeiro:

    Marcelo Rubens Paiva desde que li "Feliz Ano Velho" é um dos meu autores preferidos.R.J Palácio é extraordinária! Desses escritores eu leria até a lista do super-mercado...

    Um escritor “zona de conforto”:

    As crônicas do Carpinejar não são assuntos “zona de conforto”. Porém, são leituras rápidas e dinâmicas do dia-a-dia e de rápida reflexão.

    Um escritor que você traria de volta dos mortos:

    Sem dúvida alguma: Caio Fernando de Abreu. Sou suspeita a falar do “mundo” que ele criou, mas queria poder ter 1/4 de toda a criatividade que ele teve.

    Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 


    2 de agosto de 2021

    BEDA#2: SARA, A MINHA BFF COLÔMBIANA



    O tema do meu TCC foi "Haitianos em Florianópolis/SC" no inicio, o estágio era somente de pesquisa pois, não tínhamos um campo de estágio expecifico. Foi algo diferente de todos os estágios que fiz nesses dois últimos semestres da faculdade de Psicologia... No segundo semestre, fomos convidadas a fazer o nosso estágio na Pastoral do Migrante e isso acabou dando um giro de 360° no estágio inteiro! Conheci muitas pessoas, com diferentes culturas e nacionalidades que me fez adquirir aprendizados que eu vou levar para a minha vida! 

    Na pastoral, passam muitas pessoas de diferentes nacionalidades... E foi nesse contexto que eu conheci a pequena Sara!

    Sara chegou na sala da Pastoral, com a mãe no (canguru) próximo ao peito da mesma e coberta com uma manta, para proteger da chuva miúda ocasionada pelo mau tempo daquela semana.. Ela tinha um pouco mais de 8 meses e vestia um Tip-Top de veludo da cor vermelha. Era morena, tinha olhos negros feito jaboticaba e um sorriso mais lindo que eu já tinha visto em um bebê. Sou o tipo de pessoa que mexo com todas as crianças que eu vejo pela frente, me julguem. 

    Assim que vi a Sara fiquei encantada! e isso foi recíproco pois, logo ela começou a sorrir e aceitou vir para o meu colo. Já no meu colo, começamos a "conversar". Sim, a pequena falava (e como falava!) no código dos bebês. Claro, indecifrável na língua dos adultos... E eu acabava fingindo que estava entendendo tudo fazendo-lhe perguntas retóricas: Sério? Nossa, Sara... No maior estilo conversa de maluco.

    No meio do papo, juntamente com um sorriso encantador,a pequena Sara solta a gargalhada mais gostosa da face da terra! Causando um certo espanto nas pessoas que estavam na sala, principalmente na sua mãe que me falou bastante surpresa:

    _Ela nunca sorriu/ gargalhou assim para alguém! 

    Sara me conquistou! No meio da conversa, com tantos sorrisos/ gargalhadas. Algo passou despercebido, o sorriso "mais encantador da face da terra" ainda não tinha nenhum dentinho! Sim, o sorriso e a gargalhada mais gostosa era banguela?

    _ Sara, cadê os teus dentinhos?

    A resposta foi outra gargalhada, tão gostosa quanto dá primeira vez... 

    E assim foi os 3ou9 minutos seguintes. Sara com seus olhinhos de jaboticaba brilhavam tanto, quanto a sua gargalhada. Eu só conseguia mesmo rir de volta para a pequena Sara, naqueles poucos segundos de convivência, tínhamos até "piada interna" parecíamos amigas de longa data... 

    A pequena Sara, acabou se tornando a minha amiga ( apesar de ser um bebê) ganhando o titulo e o meu coração de BFF: Baby Friends Forever.

    Esse foi um dos momentos mais emocionantes que vivi no estágio de Psicologia. Minha Baby Friends Forever me visitou outras tantas vezes lá na Pastoral e era sempre uma festa!



    Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
    Estarei comentando com vocês sobre o BEDA :

    1 de agosto de 2021

    BEDA #01: Retrospectiva BEDA.



    Faltando alguns dias para o mês de Agosto eu lembrei do 
    BEDA: Blog Every Day August. O mês de agosto, é aquele mês que tem uma grande quantidade de posts com a qualidade desses textos um pouco questionável... Porém, a grande lição daquele ano foi que é possível escrever todos os dias!

    BEDA é um projeto inspirado no VEDA (Vlog Every Day April) e que significa Blog Every Day August. O que quer dizer que a ideia é fazer um postagem por dia – ou, convenhamos, tentar ao máximo!– durante todo o mês de agosto. Agosto é um mês bem importante na blogosfera, isso porque dia 31/08 é o Blog Day, dia em que a gente espalha amor pela blogosfera e indica os amigos lindos!

    Pensando nesses textos... Que rolaram por aqui no Blog durante o mês de Agosto. Pensei em fazer a Retrospectiva BEDA que é um apanhado de textos que já rolaram por aqui.




    Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
    Estarei comentando com vocês sobre o BEDA
    © Lado Milla
    Maira Gall