T de TAG
Mostrando postagens com marcador T de TAG. Mostrar todas as postagens

26 de junho de 2020

As minhas leituras de 2020 (Até agora...)

 ou  TAG dos 50%  ⁣

A metade do ano de 2020 ja se foi... Antes que o mês de Junho acabe eu ire responder a TAG dos 50% que basicamente de trata de fazer um balanço dos livros lidos nesses últimos 6 meses. A TAG foi criada pela Chami do ReadLikeWildfire e traduzida pelo Victor do Geek Freak

No final do ano, eu escrevo a Retrospectiva Literária que tagarelo sobre as minhas leituras dos dois semestres. Mas está aí a TAG, e claro, aproveita e me conta como foram as sua leituras desse ano até agora 😊


1. O melhor livro que você leu até agora, em 2020.⁣

Tartarugas Até La embaixo - John Green se um dia eu te xinguei eu não lembroo...

2. A melhor continuação que você leu até agora, em 2020.⁣

Ainda irei ler, Cidade Dos Etéreos - Livro II - Série o Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares terminarei de ler na primeira semana de Julho

3. Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito.⁣

Não lembro... 

4. O livro mais aguardado do segundo semestre.⁣

Não sei... ⁣

5. O livro que mais te decepcionou esse ano.⁣

Bling Ring: A Gangue de Hollywood. Achei que a autora ia escrever uma história que é baseada em fatos reais. Mas, ficou somente nos fatos jornalisticos...

6. O livro que mais te surpreendeu esse ano.⁣ 

O livro Quem é você Alasca?  foi o quinto livro que li do John Green.... Depois de tantos amores e desamores eu consegui me entender com a sua escrita  e tornou-se um dos meus escritores favoritos. 

7. Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente).⁣

Não conheci nenhum autor novo...⁣

8. A sua quedinha por personagem fictício mais recente.

Estou tendo um a quedinha pelo Lincoln do livro que estou lendo ultimamente Anexos da autora Rowell, Rainbow 

9. Seu personagem favorito mais recente.⁣

Beth Fremont e Jennifer Scribner-Snyder do livro que estou lendo ultimamente Anexos - da autora Rowell, Rainbow 

10. Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre.⁣

Chorei com o Diário de Myriam - A Guerra da Síria vista pelos olhos de uma menina.O Diário de Myriam é um registro comovente e verdadeiro sobre a Guerra Civil da Síria.⁣

11. Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre.⁣

Apesar de saber que a escrita do Autor: Neil Gaiman não funciona comigo eu fique feliz de finalmente ler o Oceano no Fim do Caminho.

12. Melhor adaptação cinematográfica de um livro que você assistiu até agora, em 2020.⁣

Por Lugares Incríveis. O filme deixou-me com vontade de ler esse livro. 

13. Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo).⁣

Eu gosto de escrever as minhas resenhas... Logo, eu gosto de ler também.

14. O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano.⁣

Apesar da @Darkside fazer um livro de brochura.... A edição do Diário de Myriam está maravilhosa! ⁣

15. Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?⁣

Americanah, Cores Vivas, Alice no país das maravilhas, Medicina Macabra....






Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

2 de junho de 2020

T de Tag: Lado Milla

  
1) Justificar o nome do blog:

A um tempo atrás, eu li um trecho do Caio Fernando de Abreu “... Márcia tá bonita, mais adultinha, assim com um ar meio da Milla.”. Para retornar a vida de Blogueira nada mais justo ter o meu codinome em um blog totalmente pessoal. Embora ,toda a história  tenha dois lados... Aqui escrevo o meu lado um tanto egocêntrico das coisas que eu sinto.

2) Prefere postar fotos ou textos? 

Nesse espaço eu prefiro escrever... Embora, eu coloque algumas fotografias por aqui em posts fotográficos oi para ilustrar os textos nos "Diários de Chalaça".

3) Qual o tempo médio usado para escrever um post?

Eu  geralmente  escrevia nas madrugas... Eu consigo organizar melhor os pennsamentos no silêncio que somente a madrugada proporciona... Nos ultimos semestres da faculdade isso tornou-se impossivel. O tempo médio que era usado para escrever e organizar os pensamentos era de 1 hora.

4) Para conseguir acessos, links, amigos: como foi a saga para dar maior visibilidade pro blog?

Acho que a velha tática ler & comentar com carinho nos blogs que você gosta de ler, com conteúdo com o qual você se identifica é a melhor forma de dar maior e melhor visibilidade ao Blog. Podemos optar também pelos Grupos de Interação que na verdade é somente uma troca de comentários sem muita qualidade.

5) Fotos de si (não necessariamente selfies) entram em algum post ou não? Por quê?

Sim, muito mais que eu gostaria... é um blog pessoal né?



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também:

12 de maio de 2020

T de TAG: De Blogueira para Blogueira.


Por que resolveu a criar o blog? 

Escrever é uma atividade solitária... Eu gosto de escrever sobre os meus traumas, manias, defeitos e sonhos. Outras vezes escrevo sobre as musicas que eu estou ouvindo, resenho os livros que leio e ultimamente estou escrevendo as séries que vejo no Netflix. Ter um blog pessoal é uma oportunidade de escrever qualquer tipo de assunto que eu me dispuser a escrever no Blog. 

De onde se inspirou para ter este nome? 

Então, o blog se chamaria "Um lado meio Milla..." por ser um blog pessoal nada mais justo ter meu apelido de infância no nome do blog. Quando completei a 50° postagem vi que, estava dando certo e que vinha cumprindo o papel de blog pessoal com, textos pessoais no estilo "my dear diary..." 

Qual é o seu maior medo diante da blogosfera? 

A nossa língua portuguesa é linda mas pode ferir quando é mal interpretada... Ser mal interpretada, esse é um dos meus piores medos na blogosfera . Escrevi uma vez, sobre o termo "mais amor na blogosfera" e um grupo específico se ofendeu e acabou excluindo-me da "panelinha" que aquele grupo de divulgação se tornou. 

Já passou por algum momento ruim com blog? Se sim, o que fez para contornar a situação? 

Não foi com o blog mas refletiu nele. Ano passado, a vida off-line andou um tanto bagunçada obrigando-me a colocar o blog em "Hiatus" por três meses. Contornando com o BEDA no mês de agosto. 

O que te faz manter com o blog mesmo diante de tantos problemas da blogosfera? 

Escrever é uma atividade solitária... O que me faz manter um blog nos dias atuais é somente a vontade de escrever e fotografar. É um grito no escuro... que devezenquando tocam alguém na blogosfera. 

Qual é seu maior sonho em relação ao blog? 

Quero ser reconhecida por algo que escrevi...

Caso tenha um sonho com o blog, o que tem feito para conseguir alcançar ele? 

A única coisa que faço no momento é divulgar. Estou escrevendo e fotografando também...

Você acredita que seu blog pode servir de inspiração para outras pessoas? Por que?
  
Acho que sim... Escrever é a melhor forma de desabafar e colocar para fora tudo que incomoda quando fica trancado dentro da gente.

Você já conseguiu alguma parceria para o blog? Se sim, como e com quem foi? 

Não.

Caso não tenha conseguido nenhuma parceria, com que tipo de empresa você gostaria de trabalhar?

Eu gostaria de trabalhar com editoras de livros. Pos escrevo resenhas dos livros que eu estou frequentemente lendo.

O que pretende fazer quando chegar aos $100,00 dólares do Google Adsense? 

Não sei. 

Você já investiu financeiramente em algo para o blog? Se sim, qual o valor do investimento e em que foi aplicado? 


Sim. Tenho uma Maquina Fotográfica que uso para registrar as fotografias das postagens.




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

28 de abril de 2020

T de TAG: "Palavras Cruzadas"


01. Vox Populi (um livro para recomendar a toda à gente) 

Não sou uma das melhores pessoas para indicar livros... Mas o ultimo livro que ao terminar a leitura me fez ter a sensação que todos deveriam gastar o seu tempo lendo é o livro Extraordinário - R. J. Palácio. 

02. Maldito Plágio (um livro que gostaríamos de ter escrito) 

Talvez esse livro fosse á metade da minha Biografia. Não só teria escrito como seria a personagem principal “Vânia” em uma parte da minha infância fui vitima de buligh ou como não existia esse termo na época, fui descriminada por usar um gesso na coluna... O livro é Pretinha, eu? Escrito muito bem pelo autor Júlio Emilio Braz. 

03. Não vale a pena abater árvores por causa disto 

Essa categoria pode estar parecida com a categoria (4) não por preguiça dessa que voz escreve. Pois, acredito que não á livro ruim é o leitor que não está preparado para ler naquele momento, mas, acredito que as Biografias de alguns “ídolos” da grande massa desnecessárias para fazer parte de qualquer estante. 

04. Não és tu, sou eu (um livro bom, lido na altura errada) 

Há quem defenda o livro A CIDADE DO SOL do autor Khaled Hosseini levando a crêr que eu li em um momento dramático da minha vida um livro dramático... Não deu muito certo, só terminei a leitura, pois eu tinha bastante tempo de sobra como volante de uma empresa de terceirizado... 

05. Eu tentei... (um livro que tentamos ler, mas não conseguimos) 

Eu tentei... Ler o 1° livro da saga do HP até pedi emprestado para o meu primo, mas a leitura não andou... E acabei colocando outras leituras na frente, mas, o livro está no montinho de livros que quero ler (quem sabe, nas férias!). 

06. Hã? (um livro que lemos e não percebemos nada OU um livro que teve um final surpreendente) 

Um livro que não me marcou em nada... O preço de uma lição do autor, Gutti Mendonça e Federico Devito. Passou tão em branco que eu nem quis saber de uma futura sequência (se o primeiro livro foi horrível o que esperar do próximo...). Enquanto escrevia esse item, dei uma pesquisada (Valeu Google!) vi que um dos autores já foi “colírio capricho”. Tenho que confessar que, tenho preguiça quando esses jovens se tornam alguma coisa além de um rostinho bonito em uma página de revista... Um livro que teve um final surpreendente... Anna e o Beijo Francês da Autora Perkis. Foi um livro “gostosinho” mesmo com a rabugice da Anna Oliphant em um lugar nada menos que Paris-França! O final realmente me surpreendeu. 

07. Foi tão bom, não foi? (um livro que devoramos) 

Marley & Eu- vida e amor ao lado do pior cão do mundo do autor Jonh Grogan vi os cachorros que tive ao longo da vida descritos nesse livro e esses eram para mim “o pior cão do mundo”, mas eram eles que estavam no pior/melhor momento da minha trajetória... Mordiam, lambiam, latiam felizes quando eu chegava... Eu devorei o livro em um dia e chorei quando o Marley morreu, pois, acho injusto essas criaturinhas viverem menos que nós humanos deixando o lar sem graça e um aperto no coração quando vão embora. 

08. Entre livros e tachos (uma personagem que gostaríamos que cozinhasse para nós) 

P.S eu te amo chorei com o filme e debulhei em lágrimas com o livro. Mas eu gostaria de ter tido um marido (mesmo por pouco tempo) me agradasse e cozinhasse nú, só com avental... 

09. Fast Foward (um livro que podia ter menos páginas que não se perdia nada) 

Deixe a Neve Cair reúne três contos que se passam durante uma nevasca natalina e, de certa forma, se cruzam em determinado momento. Os escritores Maureen Johnson, John Grenn, Lauren Myracle se juntam para escrever esses contos, mas eu tiraria tranquilamente o conto do John Grenn, pois, achei a leitura um pouco cansativa deixando um pouco sem gás para terminar a leitura. 

10. Às cegas (um livro que escolheríamos só por causa do título) 

Na verdade eu escolhi O Livro da loucura e das curas da autora Regina O'Melveny só por causa do título... li a sinopse e decidi compra-lo não vejo a hora de chegar às férias para ler e tirar proveito da história. 

11. O que conta é o interior (um livro bom com uma capa feia) 

Feliz Ano Velho do Marcelo Rubens Paiva esse livro já mudou de capa em varias edições que já teve, mas, nenhuma conseguiu me agradar... A história e o enredo supera a capa ruim, pois o livro não fica num melodrama de superação de alguém que fica tetraplégico e sim da ironia que é a vida. 

12. Rir é o melhor remédio (um livro que nos tenha feito rir) 

A culpa é das estrelas John Green. Acho que eu tenho esse dom de rir quando tudo esta uma bosta, e tem varias passagens que a personagem tem um dom de deixar uma doença tão triste como o câncer com um toque mais leve e engraçado. 

13. Tragam-me os Kleenex, se faz favor (um livro que nos tenha feito chorar). 

A culpa é das estrelas, P.S eu te amo, Marley & eu- vida e amor ao lado do pior cão do mundo, Feliz Ano Velho... A lista é grande, mas, ela sempre aumenta, pois adoro ler um livro dramático... 

14. Esse livro tem um V de volta (um livro que não emprestaríamos a ninguém) 

Tenho isso com TODOS os meus livros da minha estante. Nem adianta aquela máxima só empresto para amigos... Com certeza, teria inimizades caso emprestasse um livro a um amigo e ele me entregasse danificado... Para não perder possíveis amigos (a regra é clara) não sai nenhum livro da estante para nenhum tipo de empréstimo. 

15. Espera aí que eu já te atendo (um livro ou autor que estamos constantemente a adiar) 

Tenho mais de 10 livros para ler ainda esse ano... Estou esperando o mês de Julho para “devorá-los”. Os livros não sobem para ficar “empilhadinhos” com os outros já lidos, sem antes eu ler. Mas o montinho já esta enchendo a 2° prateleira... 


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

14 de abril de 2020

Tde TAG: TAG DA QUARENTENA


Nas Terças-Feiras, aconteciam o T de TAG que consiste em colocar aqui, as tag´s em que eu era desafiada a responder. Em tempos de Quarentena mundial" e para mudar um pouco de assunto... Essa TAG foi criada por Raphael, do Tem que ter livro no nome?.
As categorias da Tag são:

1- Só depois do carnaval: uma obra descompromissada


Nu, de botas do Antonio Prata é um livro de cronicas que trás as memórias de infância do autor. Eu acredito que um livro de crõnicas é sempre uma boa escolha para uma leitura mais descompromissada. Por exemplo, uma ressaca literária. Isso sempre funciona comigo.




2- Isso é muito mais uma fantasia: uma obra do gênero maravilhoso


Eu não lembro exatamente quando eu adiquiri o livro Luna Clara & Apolo Onze... O livro trata de histórias de amor, de amizade, de família. Trata de encontros e desencontros, do destino, de escolhas e alegrias. Tudo isso narrado com muita magia e encanto. Mesmo sendo uma leitura voltada para o publico infanto-juvenil, não é um livro de leitura fácil para qualquer público, e requer um pouco de atenção maior ao ‘plot’ para não se perder no meio de tanta confusão. Mas, vale muito a pena a leitura, devo acrescentar. Aliás, o livro traz outro ‘plus’ positivo que é o fato de possuir ilustrações muito legais nos capítulos. Elas são bem simples e até mesmo um pouco vagas, mas dizem tanto sobre aquilo que se está lendo.

3- Coronga chegou, mas só vai dar quinze dias! Logo acaba: uma obra para consumir rápido.

A Bruxa não vai para a fogueira... É um livro curtinho e é aquele livro que da vontade de marca-lo inteiro de tantas frases boas que ele tem e você enche de post it. São essas frases que te fazem parar, refletir e às vezes até mudar seus conceitos.


4- Vamos precisar de uma quarentena maior: Uma obra com ironia dramática


Uma obra com ironia dramática... Eu relutei bastante em ler esse livro por ser uma obra biografica que inspirou o Jonh Greem a escrever Culpa das Estrelas por saber que eu iria derramar lágrimas de rir/chorar por causa da ironia da vida.






5- Corrida pelo papel higiênico: uma obra ridícula 

Sinceramente, eu deixei de assinar um box literário por causa desse livro... O livro Filha das Trevas (Saga da Conquistadora #1). Infelizmente, a leitura não atendeu as minhas expectativas... Um dos motivos é que esse livro NÃO É DE FANTASIA! e isso não fica claro na sinopse. Esse livro é um reconto histórico sobre os filhos do Vlad da Transilvânia e o Império Otomano. Na minha opinião, misturar fatos históricos com licença poética nada mais é, que fazer um "samba do "crioulo doido" na história. Outro ponto negativo, é a narrativa desse livro que é cansativa por ser muito lenta...

6- Já se passaram dois meses!: uma obra cansativa, mas necessária 

 O ódio que você semeia... É um tipo de leitura que te causa impacto nas primeiras páginas... Não é um livro fácil, não é uma história simples. É a realidade sem maquiagens. É a ficção descrevendo cada detalhe sobre o mundo em que vivemos, expondo os muitos lados dele - e um desses lados é corroído pelo ódio, pela discriminação, pelo preconceito. É impossivel não se indentificar com Starr independente da cor da pele as suas açoes e o seu comportamento são julgados pela cor da sua pele. Starr vive a mesma realidade que muitos outros jovens. Khalil foi assassinado pela mesma realidade que a de muitos outras vítimas. 


7- La Traviata na varanda: uma obra para compartilhar



ECOS,é um lançamento da DarkSide Books, é a primeira Editora do Brasil dedicada ao terror e à fantasia A editora criou uma coleção Darklove com histórias sobre a força feminina na literatura. É uma História dividida em 3 contos que tem um fechamento fantastico dessas três histórias no ultimo capitulo.





8- Uhhh, finalmente vai ficar tudo bem!: uma obra esperançosa


A narrativa se passa durante a Segunda Guerra Mundial, onde os irmãos Ada e James vivem com a mãe em Londres. Nós conhecemos a protagonista da trama logo no início, quando somos apresentados a uma menina de dez anos que sofre agressões físicas e psicológicas de sua mãe porque ela tem ”pé torto”. Enquanto seu irmão James – ao qual ela é muito apegada e serve de motivação para que ela siga em frente – pode sair e descobrir o mundo brincando com as outras crianças, ela precisa ficar isolada em seu apartamento, pois sua mãe a considerada uma vergonha e acredita que ela não é merecedora de ser feliz pela deficiência que tem. Ao longo da história A Guerra que Salvou a minha vida torna-se uma obra esperançosa pois, a a Segunda Guerra Mundial dá uma oprtunidade para Ada a viver uma nova realidade.


9- OH NÃO! ELES EVOLUÍRAM!!!: uma obra de terror 

O livro Confissões do Crematório: "Uma menina nunca esquece seu primeiro cadáver." – Caitlin Doughty Um livro para quem planeja morrer um dia. Morrer é a única certeza da vida. Então, por que evitamos tanto falar sobre ela? A morte é inevitável, sentimos muito. Mas pelo menos, como descobriu Caitlin Doughty, ficar a sete palmos do chão ainda é uma opção. ''Confissões do Crematório'' reúne histórias reais do dia a dia de uma casa funerária, inúmeras curiosidades e fatos históricos, mitológicos e filosóficos. Tudo, é claro, com uma boa dose de humor. Enquanto varre as cinzas das máquinas de incineração ou explica com o que um crânio em chamas se parece, Caitlin Doughty desmistifica a morte para si e para seus leitores.

10- Plague Inc.: uma obra apocalíptica

O livro Silo se passa em uma paisagem destruída e hostil, num futuro ao qual poucos tiveram o azar de sobreviver, uma comunidade resiste confinada em um gigantesco silo subterrneo. Lá dentro, mulheres e homens vivem enclausurados, sob regulamentos estritos, cercados por segredos e mentiras.

Para continuar ali, eles precisam seguir as regras, mas há quem se recuse a fazer isso. Essas pessoas são as que ousam sonhar e ter esperança, e que contagiam os outros com seu otimismo. Um crime cuja punição é simples e mortal. Elas são levadas para o lado de fora. Juliette é uma dessas pessoas. E talvez seja a última.



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

7 de abril de 2020

[T de TAG] Gilmore Girls Book



Gilmore Girls é minha série favorita da vida e sempre estou falando sobre as minhas séries favoritas aqui no Blog.Então, quando vi essa tag rolando na Blogesfera... Essa TAG consiste em responder as dez categorias para associar personagens da série a personagens e livros.

LORELAI GILMORE
(UM PERSONAGEM COM UM SENSO DE HUMOR SARCÁSTICO)




Auggie, de Extraordinário. Apesar de todas as suas dificuldades, esse menino ainda tem senso de humor e nos diverte em várias passagens do livro.

RORY GILMORE
 (SEU CLÁSSICO FAVORITO)






Um livro classico favorito é Alice no Pais das Marávilhas. Considero esse livro um clássico da literátura infantil.

LUKE DANES 
(UM LIVRO QUE VOCÊ AMA SECRETAMENTE, MAS TEM VERGONHA DE ADMITIR)





O livro Cartas de Amor aos Mortos da autora Ava Dellaira pela editora Seguinte recebeu criticas severas pela narrativa da história ser por meio de cartas. Confesso que, nas primeiras páginas eu precisei um pouco mais de tempo para apreciar a narrativa da história que é por meio de cartas para cantores e outros artistas mortos que eram idolos tanto de Laurem a personagem principal quanto da sua irmã ja falecida.

(UM PERSONAGEM MUSICAL): 




O jovem Friederich, ele tinha uma pequena deficiência em seu rosto, o que acabou afastando-lhe dos estudos. Seu pai e tio trabalhavam em uma fábrica de Gaitas. Um dia, ele circulando pela fábrica, encontra uma gaita diferente das outras. Foi amor á primeira vista. E toda vez que ele tocava com essa gaita, todos ao seu redor eram possuídos por uma chama de amor única.

DEAN FORRESTER
(O PRIMEIRO PERSONAGEM PELO QUAL VOCÊ SE APAIXONOU):




Eu li Balança Coração do Walcyr Carrasco quando eu estava no 7° ano do fundamental para fazer fichamento para a aula de literatura... Eu lembro que esse livro éra disputadissimo entre as meninas da minha sala era a primeira vez que eu estava lendo um romance. A narrativa era sobre um romance entre Malu uma vegetariana radical e João um carnívoro convicto, ois jovens muito diferentes em sua forma de viver, mas iguais em seus sonhos e suas descobertas. é impossivel não se apaixonar por esse casal tão diferentes.

SOOKI ST. JAMES
(UM LIVRO QUE VOCÊ DEVOROU)





Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança... A leitura que mais se aproxima da "A Culpa É Das Estrelas" com escrita tipica do John Green sem deixar o leitor entendiado. Li o livro em menos de uma semana, e não economizei nos post its pois, precisava marcar de alguma maneira as frases e passagens que eu achei bacana.

JESS MARIANO (UM LIVRO QUE VOCÊ AMA, MAS QUE É MUITO ODIADO)





A Vida do Livreiro A.J. Fikry - Uma carta de amor para o mundo dos livros “Livrarias atraem o tipo certo de gente”. É o que descobre A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo. Aos poucos, A. J. reencontra a felicidade e sua livraria volta a alegrar a pequena Alice Island. Um romance engraçado, delicado e comovente, que lembra a todos por que adoramos ler e por que nos apaixonamos. Esse foi um livro muito criticado pelo nome do livro e pelo romance docinho mas eu adorei pois amo romances assim.

MISS PATTY
(
UM LIVRO QUE FOI ARRUINADO PELAS EXPECTATIVAS)




O livro Filha das Trevas (Saga da Conquistadora #1) veio na mala do mês de agosto do turista literário. Infelizmente, a leitura não atendeu as minhas expectativas... Um dos motivos é que esse livro NÃO É DE FANTASIA! e isso não fica claro na sinopse. Esse livro é um reconto histórico sobre os filhos do Vlad da Transilvânia e o Império Otomano. Na minha opinião, misturar fatos históricos com licença poética nada mais é, que fazer um "samba do "crioulo doido" na história. Outro ponto negativo, é a narrativa desse livro que é cansativa por ser muito lenta...

EMILY GILMORE
(
UM LIVRO CARO)




Comprei a nova edição de O Diário de Anne Frank publicada pela Editora Record, com capa dura e acolchoada. A capa imita o próprio diário da Anne e no interior tem algumas imagens do diário original que está em exposição na Casa de Anne Frank, em Amsterdã. Comprei também outros dois livros que estavam na Whilist Natalina lá por meados de Dezembro. Esse livro, foi o único que não entrou na Whilist Natalina mas, contará para o Book Haul do semestre. Esse livro custou 50 golpes é o livro mais caro da estante!

PARIS GELLER (UM PERSONAGEM NERVOSO)




O comportamento de Early do livro Em Algum Lugar nas Estrelas, da Clare Vanderpool como "menino estranho" não é descrito com nenhuma sindrome. A síndrome de Asperger, uma forma branda de autismo só seria descoberta muito tempo depois da Segunda Guerra o que deixou a história do personagem com um pouco mais de levesa apesar dos problemas que ele aparentava em seu comportamento.

Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 



25 de março de 2020

[T deTAG ] Sandy & Júnior Book TAG





Quando a Tary publicou o Sandy &Júnior Book TAG em seu canal do Youtube. Eu fiquei alucinada querendo responder esta TAG que ela mesmo criou. Ela pegou músicas da melhor duplinha da nossa vida e fez dez categorias para associarmos a livros. 
Fazendo uma pesquisa rápida aqui nos "Arquivos" do blog. Eu nunca tinha escrito sobre a dupla Sandy e Junior. Eu nasci no começo de 1986, eu aproveitei plenamente tudo que os anos 90 (com resquícios dos anos 80) tiveram a oferecer. Segui o fenômeno Sandy & Jr desde o inicio, ficando mais fã declarada em 1994 (eu tinha oito anos na época...) eu ganhei uma fita cassete do álbum Você é D+ e ouvia incansavelmente o lado A eo lado B nos recreios da escola do fundamental... Ostentação naquela época era ter; fita cassete, CD e dico de vinil dos seus cantores preferidos... Comprei outros fita cassete, CDS e dico de vinil e os DVD´S desde então... Em 1999, a rede globo criou o Seriado Sandy & Junior e montei uma pasta com reportagens que saiam nas revistas, postêr e até aqueles poster gigantes da dupla...
Ouvir a discografia da dupla Sandy&Junior é visitar novamente a minha infância e adolescência... É nostalgicamente maravilhoso! Eu achei muito divertido responder e, principalmente, assistir os clipes para responder (com propriedade) essa TAG.

1. O que é imortal não morre no final...
 Um livro que não foge do óbvio. 

A culpa é das estrelas o livro conta a história de uma garota chamada Hazel que foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial... Embora, passamos a leitura sabendo que os personagens ambos, tem câncer e podem morrer a qualquer momento o romance tem a capacidade de nos prender até o ultimo okay!



2. Eu acho que pirei...
Um livro meio maluco (ou que te deixou meio maluco). 

(Review) Após o desaparecimento repentino de seu pai, Gabriella Mondini enfrenta uma crise: sem o seu aconselhamento, ela não pode mais praticar a medicina. Então, junto de seus dois fiéis servos, Olmina e Lorenzo, ela explora toda a Europa para descobrir para onde — e por que — ele se foi.

Comecei a ler "O Livro da Loucura e das Curas" no final do mês de setembro. Intercalando com as leituras obrigatórias da faculdade e parando um pouco de ler nas semanas de provas e trabalhos do semestre. Quando li a primeira descrição (com tanto detalhes...) de uma doença nesse livro, eu achei que tinha pegado algum livro de Psicopatologia da faculdade por engano, confundi com o DSM-IV - Manual de Diagnóstico e Estatística da Associação Norte-Americana de Psiquiatria, IV mesmo as doenças sendo fictícia e algumas delas vir para o lado mais poético, como a doença da lágrima negra que aflige as mulheres angustiadas que não conseguem falar sobre os seus sofrimentos. 



3. Esse turu, turu, turu, turu aqui dentro...
Um livro que fez seu coração bater mais forte. 

A Vida do Livreiro A.J. Fikry A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo.... Esse livro fez o meu coração bater mais forte quando o personagem se deixa cativar pela pequena Alice e os dois tem aprendizados maravilhosos durante a narrativa.


4. Você desperdiçou...
Um livro com plot mal aproveitado. 


Teorema Katherine; Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines.


É uma Leitura sofrível! No decorrer do livro veio à pergunta “tem certeza que é o mesmo autor?” fiz algumas tentativas nos dias anteriores, mas a leitura não engrenava só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro... Algumas partes animam, que Colin fala sobre constelações e sobre a importância que é para ele como um garoto prodígio fazer a diferença no mundo tem sacadas realmente bacanas no decorrer da historia... (spoiler)

5. Olha o que o amor me faz, fiquei tão boba, fiquei assim...
 Um livro/autor que te deixou boba (o) de amor. 

Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. leitura que mais se aproxima da "A Culpa É Das Estrelas" com escrita tipica do John Green sem deixar o leitor entendiado. Li o livro em menos de uma semana, e não economizei nos post its pois, precisava marcar de alguma maneira as frases e passagens que eu achei bacana.



6. Vai ter que rebolar, rebolar...
 Um autor que vai ter que rebolar pra te reconquistar.

Nicholas Sparks é um autor que vai ter que rebolar pra me reconquistar TODOS os seus livros foram tranformados em filmes "agua com açucar" e isso, já é um dos motivos suficientes para perder a vontade de ler algum livro desse ator.

7. Faz sorrir, ou faz chorar... 

Um livro que te fez rir e também te levou às lágrimas.

(Review) A Guerra Que Salvou a Minha Vida Kimberly Brubaker Bradley Essa história é maravilhosamente marcante! É a minha leitura preferida do ano de 2017. Um ponto que me tocou bastante, é que em várias partes a autora deixa claro que os dois irmãos não sabem ler ou não sabem o nome de atividades simples do dia a dia, e era necessário um adulto e Susan se tornou aos poucos uma mãe ideal para aquelas crianças... Ada me arrancou lagrimas e risos durante a sua trajetória em vê-la perceber que é capaz de muitas coisas, algumas até que ela nem imaginava. Senti cada emoção junto com os personagens.


8. Inesquecível em mim...
 Um livro que vive reaparecendo na sua mente. 

(Review) Ano passado, eu aprendi que “Às vezes os livros só nos encontram no momento certo.”. Eu li o livro Extraordinário da autora R.J Palácio em um desses momentos complicados que a vida da um giro de 180° e mesmo assim, você arranja forças para "se virar...". Enfim... Esse foi o melhor "presente" que eu pude presentear a mim mesma depois de ter passado esse momento ruim e sobrevivido.



O livro Auggie& Eu - Três histórias Extraordinárias não é uma continuação do livro Extraordinário e sim um complemento da história. Sim, você terá que ler o livro para conseguir entender o decorrer da história.

9. Quero aprender com você...
 Um livro que te ensinou muito

Pretinha, eu? Uma menina negra ganhou uma bolsa de estudos em um colégio onde nunca havia entrado um aluno negro. Desencadeou-se uma história de discriminação, preconceito e muitas descobertas. esse livro foi indicação de uma professora de português para a aula de leitura.No meio de uma aula de leitura a professora disse que eu me parecia muito com a Pretinha da história, não pelo meu tom de pele, pois eu sempre fui branquinha hehehe, mas por ser a mais velha de uma turma que todos tinham onze anos e pelo meu “mau jeito” (no começo) de me enquadrar, em uma escola com métodos tão rigorosos quanto o Harm… Ops! Colégio T.

Sofri Bullying todos os dias do ano que estudei no colégio T. Sofria todos os tipos de agressões; intencionais, verbais e psicológicas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.No meu caso, por exemplo, a crueldade veio também por parte dos adultos professores da época “Ela parece à pretinha da história...” reforçando apelidos e motivos de chacota

10. Baby, eu já sabia que ia dar certo...
 Um livro que você amou antes de ler.

(Review) A GUERRA QUE ME ENSINOU A VIVER, a emocionante continuação do livro de Kimberly Brubaker Bradley.Após uma infância de maus-tratos, Ada finalmente recebe o cuidado que merece ao ter seu pé operado. Enquanto tenta se ajustar à sua nova realidade e superar os traumas do passado, ela se muda com Jamie, lady Thorton e Susan ― agora sua guardiã legal ― para um chalé em busca de um recomeço.



Bem, não conheço muitas pessoas nesse mundo literário que queira responder essa tag. Então, deixarei ela em aberto, podem responder essa tag quem quiser e compartilhar com seus amiguinhos. 
© Lado Milla
Maira Gall