TAG
Mostrando postagens com marcador TAG. Mostrar todas as postagens

30 de maio de 2017

Tag; Vicicada em Netflix



Hoje é Terça- Feira.E nas terças, teremos o T de TAG que consiste em colocar aqui, as tag´s na qual eu fui tagueada (ou não).

A Érica do blog Quero ser Alice criou a TAG: Viciada em Netflix que consiste em responder 12 perguntas sobre tudo que gostamos no Netflix. A indicação é para quem quiser fazer...



1. Como você conheceu o Netflix?

No dia 24 de setembro de 2016 eu descobri as maravilhas do Netflix. E as minhas pesquisas mais interessantes recentemente são feitas no catálogo de séries e filmes do Netflix. Posso ficar horas a fio... Só descobrindo filmes/séries bacanas para assistir...


2. Qual foi a primeira categoria que assistiu?


Série. A primeira série que eu assisti na Netflix com direito a maratona e episódios regados a café foi Gilmore Girls que é a minha série favorita da vida!

3. Com  quem você costuma assistir?

Sozinha. Os meus pais não curtiram muito a ideia de assistir séries... Assistimos poucos filmes em família.

4. Quanto tempo você dedica por semana ?

Depende, eu sou recém formada e não estou trabalhando no momento... Então eu estou assistindo uma grande  quantidade de filmes e episódios das minhas séries favoritas.

5. Série mais antiga que assistiu? E a nova?


Ultimamente estou assistindo muitas séries do inicio do ano 2000.Terminei de assistir Gillmore Girls ano passado e a porcaria daquele revival... No mês passado, eu vi o ultimo episódio de OC: Um estranho no paraíso e logo em seguida eu comecei assistir Gossip Girls e estou na terceira temporada... De série nova eu assisti 13 Reasons Why (resenha)

6. Filme mais antigo que assistiu? E o novo?


Os Batutinhas (1994) fazendo uma "sessão nostalgia" naqueles dias chuvosos. E logo em seguida, eu vi a versão mais nova da Netflix que achei fraquinha...



7. Qual série deveria ser exibida urgente? E o filme?


Perception é um drama sobre a mente humana. A série é centrada no Dr. Daniel Pierce, interpretado por Eric McCormack (o Will da série Will and Grace), um talentoso, excêntrico e paranoico neurocientista e professor que conhece a fundo a mente e os comportamentos humanos. Ele é recrutado por Kate Moretti, uma antiga estudante sua que agora trabalha no FBI. Juntos, eles vão ajudar na resolução dos mais diversos crimes, no melhor estilo “casos da semana”. Eu assisti alguns episódios dessa série na Globo e pela mudança na "grade de programação" por algum motivo deixaram de passar...

Eu quero muito ver o filme Extraordinário que será lançado em novembro desse ano.

8.O que você indica para todo mundo assistir no Netflix?


As séries que eu já assisti... Sou bastante novata no quesito de séries. Então, gosto mais de receber indicações do que indicar alguma coisa.

9. Tem vontade de assistir mas ainda não deu tempo.


Eu quero assistir Gotham por causa do ator Ben Mckensie... E a série Dexter e dr House e que todo mundo fica me indicando para assistir.

10. O que você mais gosta no Netflix?


A quantidade de filmes/séries disponibilizados no catálogo de séries do Netflix e atualização desses filmes/séries quase que diariamente o site nunca fica "as moscas...".

11. Se pudesse mudar alguma coisa oque seria?

Eu colocaria mais filme de musica e musicais. Eu gostaria muito de ver os clipes musicais de bandas no estilo MTV. 

12. Pense Rápido

1 série: Gossip Girls
1 filme: Deus não esta morto
1 animação: Vida de Inseto
1 documentário: A Girl Like Hear - falei um pouquinho desse doc aqui
1 musical: Palavra Cantada









ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

23 de maio de 2017

TAG: Habitos de leitura


Hoje é Terça- Feira.
E nas terças, teremos o T de TAG que consiste em colocar aqui, as tag´s na qual eu fui tagueada (ou não).

Em 2014, eu respondi a Tag Liebster Award com 11 perguntas sobre o meu blog pessoal e um pouco da minha história no mundo da blogosfera. A Dani, do blog Sem formol não alisa foi indicada pela Lady Sybylla a responder 11 perguntas sobre os seus hábitos literarios como a Tag Liebster Award. 


1. O hábito de leitura vem de onde?

Olha, esse hábito é tão antigo que eu nem sei ao certo... Eu fui alfabetizada com 7 anos e fui uma das primeiras crianças da classe que conseguia juntar as letrinhas e formular palavras. Desde então, eu adorava ler os autdoor quando eu voltava de carro do trajeto escola para casa mostrando que eu já sabia ler... Desde então: eu leio gibis, revistas e livros... etc

2. Você prefere livros físicos, ebooks, ou os dois?

Eu sou team papel e lombada. Eu gosto do cheiro de livro novo, gosto do amarelado de livro velho. Gosto das texturas, da experiência sensorial. Gosto de ver a estante cheia e de organizar os exemplares por cor, por autor, por gênero…

3. Você tem e-reader?

Não.

4. Qual seu gênero literário preferido?


Cronicas, romances, dramas e biografia.


5. Lê literatura brasileira?


Sim, eu faço questão de ler livros nacionais e de indicar livros nacionais para as pessoas. Sou uma super defensora da literatura brasileira. O nosso mercado editorial esta crescendo cada vez mais...Tem cada vez mais gente lendo, especialmente as crianças e adolescentes. Porém, os preços dos livros nacionais são mais caros que os livros estrangeiros nas livrarias fisicas ou não. Acho importante encontrar um equilíbrio e valorizar nossa literatura também.


6. Gosta de ler resenhas antes de comprar um livro?

As vezes... Geralmente, leio no máximo uma sinopse, a orelha ou a contracapa antes de ler um livro. Gosto muito também de pegar um livro "pela capa" #mejulguem sobre o qual eu não sei absolutamente nada, por exemplo, e me jogar sem saber o que esperar. Também costumo ler resenhas para ver as fotografias e ver a "qualidade" do livro... 


7. Qual sua série literária favorita?


Não costumo ler séries literárias. Confesso que rola uma preguiça de ler tantos volumes.

8. Lê, em média, quantos livros por mês?


Eu leio em média dois livros por mês. Confesso que ando um pouco preguiçosa para a leitura (recém formada né?).


9. Tem preconceito com algum gênero literário? Por quê?


Não deveria, mas tenho. A faculdade de Psicologia reforçou o meu preconceito com livros motivacionais e de auto-ajuda... Livros biograficos de pessoas que tem menos de 30 anos (youtubers...) que não tem uma história de vida realmente fascinante.

10. Compra livros online ou prefere ir à livraria?

Prefiro ir à livraria... As livrarias mais conhecidas ficam dentro dos shopping´s (Livraria Catarinense, Saraiva e Nobel) os preços costumam variar de uma livraria para outra e cada dia abre um Sebo novo.... Aqui na minha cidade, tem livrarias mais especificas: existem livrarias evangélicas, livrarias espíritas e livrarias católicas. 

Florianópolis, é uma cidade complicada para quem ama arte. Tem teatro, cinema museu, música etc. Porém, a cultura é para elite $$$$ Eu vou nas livrarias aqui da minha cidade... Eu gosto do cheiro de livro novo, gosto do amarelado de livro velho. Gosto das texturas, da experiência sensorial...


11. Autor ou autora da qual você não perde um livro sequer? 

Depois de ler o Livro A Culpa das Estrelas do autor Jonh Green e ter simplesmente amado a leitura eu fui lendo praticamente TODOS os livros desse mesmo autor. 


ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):


16 de maio de 2017

TAG: Viciada em Séries


Hoje é Terça- Feira.
E nas terças, teremos o T de TAG que consiste em colocar aqui, as tag´s na qual eu fui tagueada
(ou não).

A Tag escolhida da vez foi "Viciada em Séries". A Lara do blog Reliquias de Lara visitando alguns blogs de pessoas que também são viciadas em séries e resolveu juntar o melhor das duas versões. E hoje, eu vou responder essa Tag para vocês.

1. Qual sua série favorita?

Eu estou assistindo How I Met Your Mother que foi uma premiada sitcom estadunidense da CBS criada por Carter Bays e Craig Thomas. Estreou no dia 19 de setembro de 2005. A temporada 2013-14, sua nona edição, é a última, encerrando-se em 31 de março de 2014, após 208 episódios. A série mostra Ted Mosby em 2030 narrando aos seus filhos a história de como conheceu a mãe deles.



2. Qual seu seriado antigo favorito?

Gilmore Girls (Gilmore Girls: Tal Mãe, Tal Filha como conhecida em português) é uma série do canal americano CW que ganhou popularidade mundial no começo dos anos 2000. Criada por Amy Sherman-Palladino e estrelada por Lauren Graham e Alexis Bledel, o seriado é exibido no Brasil pelo canal Warner Channel na TV paga. A série estreou em 5 de outubro de 2000 e terminou em 15 de Maio de 2007 na sua sétima temporada no canal The CW.


A série conta a história do cotidiano da mãe solteira Lorelai Victoria Gilmore (Lauren Graham) e sua filha Lorelai "Rory" Leigh Gilmore (Alexis Bledel) que vivem no pequeno povoado fictício de Stars Hollow, em Connecticut, pequena cidade com personagens bem peculiares e localizada cerca de trinta minutos de Hartford. A série explora diversos assuntos como família, amizades, conflitos geracionais e classes sociais.

Gilmore Girls tem como características os diálogos rápidos com poucas pausas, frequentes referências à cultura popular e política, e comentários sociais, manifestados mais claramente no difícil relacionamento de Lorelai com seus pais da alta sociedade Richard Gilmore (Edward Herrmann) e Emily Gilmore (Kelly Bishop).

3. Qual série você indica para todo mundo?

OC- Um estranho no paraiso, Gilmore Girls e How I Met Your Mother...

4. Qual foi a última série que você assistiu?


13 Reasons Why (resenha) : A série gira em torno de Clay Jensen, um estudante tímido do ensino médio que encontra na porta de sua casa uma caixa com 13 fitas cassete gravadas por Hannah Baker, uma colega que cometeu suicídio recentemente. Cada um dos lados das fitas relata um motivo – e uma pessoa – que motivou Hannah ao suicídio.

5. Já ficou triste com o final de alguma série?


A série Gilmore Girls é a série da minha vida! Apesar de não ter gostado das ultimas duas temporadas fiquei realmete triste com aquele final. A revival "Um ano para recordar" não me agradou muito.

6. Qual seu personagem favorito?

Phillips é simplesmente conhecido como Grant, o trovador de Stars Hollow, a cidade fictícia de Gilmore Girls.


O músico apareceu esporadicamente durante as sete temporadas da série, tocando seu violão e gaita e cantando em seu microfone. Enquanto Lorelai (Lauren Graham) e Rory (Alexis Bledel) andavam pela cidade, o trovador frequentemente era visto fazendo seus covers de músicas famosas.

7. Qual personagem que você odeia?


A Julie, a personagem “biscate” de The O.C. No começo da série, era aquele suposta “boa esposa”, que na verdade só estava com ele pra gastar todo o seu dinheiro. Em todo o seriado, ela sempre quis chamar atenção, aparecer mais que os outros, e tinha muita inveja da Kirsten. A personagem tem cara de "atriz porno" e a voz dublada da atriz é sexy de uma maneira forçada. Estou assistindo a terceira temporada e ela não melhora...

8. Qual série você tem vontade de assistir?


Perception é um drama sobre a mente humana. A série é centrada no Dr. Daniel Pierce, interpretado por Eric McCormack (o Will da série Will and Grace), um talentoso, excêntrico e paranoico neurocientista e professor que conhece a fundo a mente e os comportamentos humanos.


Ele é recrutado por Kate Moretti, uma antiga estudante sua que agora trabalha no FBI. Juntos, eles vão ajudar na resolução dos mais diversos crimes, no melhor estilo “casos da semana”.

9. Qual série você não tem vontade de assistir?


Eu  assisti alguns episódios aleatórios da série FRIENDS na Wharner Chanel... Eu tentei assistir a série inteira na Netflix mas não consegui passar dos primeiros episódios da 1° temporada. A risada mecanica entre uma piada forçada e outra acabou me irritando para continuar assistindo a série.

10. Você já assistiu uma série só por assistir?



Full House eu assistia essa série quando eu era criança com minha mãe e até me animei em revê-la na Netflix. Eu costumava assistir durante o almoço... mas, não rolou o mesmo entusiasmo de quando eu era criança.

11. Qual série tem o melhor figurino?

The O.C. (The O.C.: Um Estranho no Paraíso foi uma série de televisão produzida pela Warner, relata a história de um grupo de adolescentes e das suas famílias que vivem em Newport Beach, do Condado Orange (Orange County, daí o O.C.), localizado na Califórnia. Foi a primeira série juvenil a ter agradado o público de qualquer parte do mundo. Criada por Josh Schwartz, a série foi para o ar a primeira vez a 5 de agosto de 2003. É uma série que tenta aliar comédia e drama com uma trilha sonora juvenil, sem ter nomes sonantes da música comercial mas sendo, ao mesmo tempo, muito atual. Uma série que agrada muito o público pelo mundo todo. 


O figurino dos personagens estilo 2000 lançaram moda na época. Hoje em dia, ainda acho os figurinos maravilhosos!

12. Melhor abertura ou música tema?

Where You Lead da divina Carole King não é só o tema de Gilmore Girls. É uma dos melhores temas da televisão! A letra – uma referência ao livro bíblico de Rute – tem uma força feminina muito marcante, e com a adição de Louise Goffin na regravação de 2005, remeteu ainda mais à dinâmica de Lorelai e Rory.




Gostaram das minhas respostas? Concordam ou discordam de alguma coisa que eu disse? Deixe ai nos comentários, mas sejam bonzinhos, porque essa é só a minha opinião pra vocês me conhecerem melhor. Não vou indicar ninguém pra tag, mas quem quiser sinta-se à vontade para responder também.





ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):


9 de maio de 2017

T de TAG:: Eu Nunca (livros)





Hoje é Terça- Feira.
E nas terças, teremos o T de TAG que consiste em colocar aqui, as tag´s na qual eu fui tagueada
(ou não).

 A Tag escolhida da vez foi a “Eu Nunca” traduzida pelo Paulo do canal Livraria em Casa e criada por um canal gringo. As regras são bem básicas e consistem em responder 10 perguntas. Lets Go?


1. “Eu nunca li isso” – Um livro que você não leu, mas que aparentemente todo mundo já.




TODO MUNDO já leu Harry Potter! E as crianças e adolescentes começaram a gostar de leitura por causa dos livros da JK ROWLING... Quando os livros foram lançados, eu ja era considerada adulta estava no meu primeiro emprego e estava longe dessa nova " febre dos bruxos".

2. “Eu nunca li algo tão maravilhoso” – O seu livro favorito



Fiquei com dó da versão da capa azul desse livro. Ao terminar a leitura me fez ter a sensação que todos deveriam gastar o seu tempo lendo é o livro Extraordinário - R. J. Palácio.

3. “Eu nunca imaginei que conseguiria terminar isso” – Um livro ou uma série que você não curtiu, mas foi até o fim


Teorema Katherine; Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines.

É uma Leitura sofrível! No decorrer do livro veio à pergunta “tem certeza que é o mesmo autor?” fiz algumas tentativas nos dias anteriores, mas a leitura não engrenava só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro... Algumas partes animam, que Colin fala sobre constelações e sobre a importância que é para ele como um garoto prodígio fazer a diferença no mundo tem sacadas realmente bacanas no decorrer da historia... (spoiler)

4. “Eu nunca vou terminar isso” – Um livro ou uma série que você abandonou

A tematica "suicidio" esta me deixando muito mal... Nessas ultimas semanas. 
A leitura do livro Por lugares incriveis não esta rolando...

5. “Eu nunca vou me arrepender de ter lido isso” – Um livro que você leu por recomendação de alguém e acabou gostando


O livro que mais me marcou é Pretinha, eu do autor Júlio Emílio Braz esse livro foi indicação de uma professora de português para a aula de leitura.

No meio de uma aula de leitura a professora disse que eu me parecia muito com a Pretinha da história, não pelo meu tom de pele, pois eu sempre fui branquinha hehehe, mas por ser a mais velha de uma turma que todos tinham onze anos e pelo meu “mau jeito” (no começo) de me enquadrar, em uma escola com métodos tão rigorosos quanto o Harm… Ops! Colégio T. Sofri Bullying todos os dias do ano que estudei no colégio T. Sofria todos os tipos de agressões; intencionais, verbais e psicológicas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.No meu caso, por exemplo, a crueldade veio também por parte dos adultos professores da época “Ela parece à pretinha da história...” reforçando apelidos e motivos de chacota se eu já não tivesse motivos e não sofresse o suficiente...

6. “Eu nunca faria isso” – Um personagem que tomou alguma decisão ou fez coisas que você não concorda/faria.


Anna do livro "Anna e o Beijo Francês" no começo do livro ella fez uma birra por nada...Em vez de aproveitar a chance de estudar na França... Deixando o leitor morrendo de raiva das atitudes de Anna.

7. “Eu nunca quero ter que admitir que li isso”- Um livro que você tem vergonha de ter lido ou de ler em locais públicos.

O diario de Bruna Surfistinha. Porém, se alguém perguntar eu nego!

8. “Eu nunca li algo tão fofo” – Um livro que tocou seu coração


A Guerra que Salvou a Minha Vida tem narração clara em primeira pessoa, com capítulos curtos. As palavras de Kimberly fluem com a capacidade incrível de transportar o leitor em uma imersão na história.

A edição física do livro é de longe uma das mais caprichadas da editora e uma das mais lindas que já vi. Essa história é maravilhosamente marcante! É a minha leitura preferida desse ano. Um ponto que me tocou bastante, é que em várias partes a autora deixa claro que os dois irmãos não sabem ler ou não sabem o nome de atividades simples do dia a dia, e era necessário um adulto e Susan se tornou aos poucos uma mãe ideal para aquelas crianças... Ada me arrancou lagrimas e risos durante a sua trajetória em vê-la perceber que é capaz de muitas coisas, algumas até que ela nem imaginava. Senti cada emoção junto com os personagens

9. “Eu nunca ri tanto” – Um livro que te fez rir alto


Vovó Vigarista do Walliams, David vi esse livro no evento da editora Intrínseca e gostei tanto da "sinopse" que comprei depois de uma semana do evento. é uma leitura maravilhosa! Que você ri muito no inicio e no final você chora muito!!!

10. “Eu nunca teria sobrevivido minha infância sem ter lido esse livro” – Um livro favorito da sua infância


Um grupo de jovens enfrenta o mais diabólico dos crimes! Num clima de muito mistério e suspense, cinco estudantes – os Karas – enfrentam uma macabra trama internacional: o sinistro Doutor Q.I. pretende subjugar a Humanidade aos seus desígnios através de uma perigosa droga que está sendo testada em alunos dos melhores colégios de São Paulo…

Esses foram os livros dessa Tag Literária. Se gostou, fique à vontade para fazer, vou curtir muito saber as suas respostas. Depois me conta, tá? 

ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

2 de maio de 2017

T de TAG: De blogueira para blogueira





Eu sou péssima em seguir rotina, e sou péssima em convencer-me disso... 

Eu tenho algumas TAGs salvas no rascunho do meu blog e fiquei pensando em uma maneira de responder essas TAGs de uma forma que não fique muito massante para os leitores do Lado Milla. 

Aproveitando o inicio do mês, criaremos então um novo "marca-dores" para esse genuíno Blog. Além do, #canção de segunda e o projeto semanal 52 semanas nas quintas - feiras ... Nas terças-feiras teremos o T de TAG que onsiste em colocar aqui, as tag´s na qual eu fui tagueada (ou não) todas as terças -feiras..



A Flavi do Memórias de uma Guerreira criou uma tag De blogueira para blogueira. Que são todas voltadas a blogosfera mas bem pessoais. Sem mais, vamos as perguntas: 

Regras: Fale quem criou e quem te indicou.
Indique até 6 blogueiras pra responder.


Por que resolveu a criar o blog? 

Escrever é uma atividade solitária... Eu gosto de escrever sobre os meus traumas, manias, defeitos e sonhos. Outras vezes escrevo sobre as musicas que eu estou ouvindo, resenho os livros que leio e ultimamente estou escrevendo as séries que vejo no Netflix. Ter um blog pessoal é uma oportunidade de escrever qualquer tipo de assunto que eu me dispuser a escrever no Blog. 

De onde se inspirou para ter este nome? 

Então, o blog se chamaria "Um lado meio Milla..." por ser um blog pessoal nada mais justo ter meu apelido de infância no nome do blog. Quando completei a 50° postagem vi que, estava dando certo e que vinha cumprindo o papel de blog pessoal com, textos pessoais no estilo "my dear diary..." 

Qual é o seu maior medo diante da blogosfera? 

A nossa língua portuguesa é linda mas pode ferir quando é mal interpretada... Ser mal interpretada, esse é um dos meus piores medos na blogosfera . Escrevi uma vez, sobre o termo "mais amor na blogosfera" e um grupo específico se ofendeu e acabou excluindo-me da "panelinha" que aquele grupo de divulgação se tornou. 

Já passou por algum momento ruim com blog? Se sim, o que fez para contornar a situação? 

Não foi com o blog mas refletiu nele. Ano passado, a vida off-line andou um tanto bagunçada obrigando-me a colocar o blog em "Hiatus" por três meses. Contornando com o BEDA no mês de agosto. 

O que te faz manter com o blog mesmo diante de tantos problemas da blogosfera? 

Escrever é uma atividade solitária... O que me faz manter um blog nos dias atuais é somente a vontade de escrever e fotografar. É um grito no escuro... que devezenquando tocam alguém na blogosfera. 

Qual é seu maior sonho em relação ao blog? 

Quero ser reconhecida por algo que escrevi...

Caso tenha um sonho com o blog, o que tem feito para conseguir alcançar ele? 

A única coisa que faço no momento é divulgar. Estou escrevendo e fotografando também...

Você acredita que seu blog pode servir de inspiração para outras pessoas? Por que?
  
Acho que sim... Escrever é a melhor forma de desabafar e colocar para fora tudo que incomoda quando fica trancado dentro da gente.

Você já conseguiu alguma parceria para o blog? Se sim, como e com quem foi? 

Não.

Caso não tenha conseguido nenhuma parceria, com que tipo de empresa você gostaria de trabalhar?

Eu gostaria de trabalhar com editoras de livros. Pos escrevo resenhas dos livros que eu estou frequentemente lendo.

O que pretende fazer quando chegar aos $100,00 dólares do Google Adsense? 

Não sei. 

Você já investiu financeiramente em algo para o blog? Se sim, qual o valor do investimento e em que foi aplicado? 

Sim. Tenho uma Maquina Fotográfica que uso para registrar as fotografias das postagens.

Não fui tagueada. Porém, quem  quiser responder me avisem para que eu possa conferir as suas respostas.





Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

28 de abril de 2017

Um meme literário...

Hoje é Sexta-feira! Encontrei a 01 ano atrás um meme sobre hábitos literários. Soube no blog da Ana Lu que a brincadeira já rolava na blogosfera há tempos, acabou que eu guardei esse meme nos "rascunhos" para um dia também escrever....

Falar de livros é sempre bom... Ler, fotografar, resenhar e porque não escrever um meme literário?

Acabei encontrando esse aqui no blog da Ana Lu que encontrou no blog da Del. Elas responderam em texto (e assim farei também) mas ele foi originalmente criado no YT, no canal Livro e Café. Trata-se da “Tag As Ondas” e cada uma das categorias é baseada na descrição de um personagem do livro homônimo da Virginia Woolf que eu ainda não li, hehe. Vamos lá.
 

1. Bernard sentia amor à literatura (Um livro sobre livros)

Pensei automaticamente no livro A Vida do Livreiro A. J. Fikry Trata-se de um romance ou uma carta de amor para o mundo dos livros “Livrarias atraem o tipo certo de gente”. É o que descobre A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. - O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo. Aos poucos, A. J. reencontra a felicidade e sua livraria volta a alegrar a pequena Alice Island. Um romance engraçado, delicado e comovente, que lembra a todos por que adoramos ler e por que nos apaixonamos.
“As pessoas contam mentiras chatas sobre política, Deus e amor. Você descobre tudo que precisa saber sobre uma pessoa com a resposta desta pergunta: Qual é o seu livro preferido?"
2. Susan sentia paixão pela natureza e a maternidade (Um livro que fale sobre ser mãe)

Este é um livro sobre a maternidade e todos os sentimentos loucos que as mães têm em relação a quem de alguma forma criam, seja um filho natural, adotivo, neto ou sobrinho. É sobre família e é sobre as mães também, esses seres que falam uma língua estranha e chata que só entende quem entra para o clube e se torna uma delas. Não se preocupe, não é um livro de lamentações. É o contrário: tem histórias engraçadas, singelas e verdadeiras. “A mamãe é rock” é um recorte sem filtro dos divertidos e comoventes malabarismos que um casal moderno faz todos os dias para criar suas filhas. As crônicas da Ana Cardoso, além de divertidas são super bem escritas. A leitura nos trazem as dores e delícias de ser mãe, mulher, empresária... Abrem o cotidiano da família da autora pra que você sinta-se de casa.Além de grandes lições sociológicas e comportamentais, desde a evolução das crianças à de uma mulher como guia e aprendiz com as suas crias. E risadas: Garanto que você dará um bocado! HAHAH.

3. Rodha se sente diferente em relação aos outros (Um livro com um personagem diferente dos padrões).


Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus.Também não faz ideia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel,um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. 'O Menino do Pijama Listrado' é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

4. Neville tinha inquietações sociais e ideológicas (Um livro que após a leitura dá vontade de fazer algo pelo mundo)

O livro que mais me marcou  é Pretinha, eu? do autor Júlio Emílio Braz esse livro foi indicação de uma professora de português para a aula de leitura. No meio de uma aula de leitura a professora disse que eu me parecia muito com a Pretinha da história, não pelo meu tom de pele, pois eu sempre fui branquinha hehehe, mas por ser a mais velha de uma turma que todos tinham onze anos e pelo meu “mau jeito” (no começo) de me enquadrar, em uma escola com métodos tão rigorosos quanto o Harm… Ops! Colégio T. Sofri Bullying todos os dias do ano que estudei no colégio T. 

Depois desse episódio quis fazer faculdade de Psicologia para trabalhar com crianças com idade escolar fiz estagio obrigatório em Psicologia escolar e "plantei uma sementinha" como formas dessas crianças serem mais gentil com com os seus colegas.

5. Jinny era uma mulher sensual, preocupada com a aparência e com namorados(Um livro chick lit).

chik lit são livros auto-ajuda para o universo feminino? Não tenho...

6. Louis era inseguro por ser estrangeiro (Um livro de sua estante numa língua que você não entende).

No primeiro semestre da faculdade de Psicologia somos apresentados a obra completa de Freud e a cada semana os alunos compravam a obra completa e iam "mostrar" para toda a turma... Resumo da ópera: Nenhum desses alunos leram nem a metade desses livros e acabam re-vendendo obra completa no final do curso.

7. Percival é o único personagem que não tem fala direta. Os outros apenas comentam sobre ele (Um livro que todo mundo leu, mas você ainda não).

A saga Harry Potter. Quando a febre do bruxinho surgiu, o meu primo (sete anos mais novo) ficou viciado! comprou TODOS os livros e badulaques do HP e eu estava em uma vibe diferente, trabalhando  e tal... Tentei ler e achei um tanto bobnho não passei das primeiras quatro páginas.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):


21 de março de 2017

[Tag] Sandy & Júnior


Há três anos atrás, quando a Tary publicou este vídeo, eu fiquei alucinada querendo responder esta TAG que ela criou. Ela pegou músicas da melhor duplinha da nossa vida e fez dez categorias para associarmos a livros. Hoje eu lembrei dessa TAG que a Ana Flávia do "pratododia" re-escreveu e resolvi participar.
Fazendo uma pesquisa rápida aqui nos "Arquivos" do blog. Eu nunca tinha escrito sobre a dupla Sandy e Junior. Eu nasci no começo de 1986, eu aproveitei plenamente tudo que os anos 90 (com resquícios dos anos 80) tiveram a oferecer. Segui o fenômeno Sandy & Jr desde o inicio, ficando mais fã declarada em 1994 (eu tinha oito anos na época...) eu ganhei uma fita cassete do álbum Você é D+ e ouvia incansavelmente o lado A eo lado B nos recreios da escola do fundamental... Ostentação naquela época era ter; fita cassete, CD e dico de vinil dos seus cantores preferidos... Comprei outros fita cassete, CDS e dico de vinil e os DVD´S desde então... Em 1999, a rede globo criou o Seriado Sandy & Junior e montei uma pasta com reportagens que saiam nas revistas, postêr e até aqueles poster gigantes da dupla...
Ouvir a discografia da dupla é nostalgicamente maravilhoso! Traz lembranças muito bonitas de uma fase maravilhosa da minha vida. Eu achei muito divertido responder e, principalmente, assistir os clipes para responder (com propriedade) essa TAG.

1. O que é imortal não morre no final...
 Um livro que não foge do óbvio. 

A culpa é das estrelas o livro conta a história de uma garota chamada Hazel que foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial... Embora, passamos a leitura sabendo que os personagens ambos, tem câncer e podem morrer a qualquer momento o romance tem a capacidade de nos prender até o ultimo okay!

2. Eu acho que pirei...
Um livro meio maluco (ou que te deixou meio maluco). 

O lado bom da vida eu adoro livros/filmes com temas psiquiátricos. A leitura não conseguiu me prender, o protagonista com problemas psiquiatricos visiveis não consegue relatar o  acontecimento que levou a cometer o assasinato  ou se realmente ele matou o amante da tal esposa que não aparece em nenhum momento na história... Não consegui terminar de ler o livro. Porém, doei para a biblioteca da faculdade. Anos mais tarde lançaram o filme nem me atrevi a ver essa porcaria... HAUAAUHAUAHAU

3. Esse turu, turu, turu, turu aqui dentro...
Um livro que fez seu coração bater mais forte. 

A Vida do Livreiro A.J. Fikry A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo.... Esse livro fez o meu coração bater mais forte quando o personagem se deixa cativar pela pequena Alice e os dois tem aprendizados maravilhosos durante a narrativa.

4. Você desperdiçou...
Um livro com plot mal aproveitado. 

Teorema Katherine; Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines.

É uma Leitura sofrível! No decorrer do livro veio à pergunta “tem certeza que é o mesmo autor?” fiz algumas tentativas nos dias anteriores, mas a leitura não engrenava só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro... Algumas partes animam, que Colin fala sobre constelações e sobre a importância que é para ele como um garoto prodígio fazer a diferença no mundo tem sacadas realmente bacanas no decorrer da historia... (spoiler)

5. Olha o que o amor me faz, fiquei tão boba, fiquei assim...
 Um livro/autor que te deixou boba (o) de amor. 

Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. leitura que mais se aproxima da "A Culpa É Das Estrelas" com escrita tipica do John Green sem deixar o leitor entendiado. Li o livro em menos de uma semana, e não economizei nos post its pois, precisava marcar de alguma maneira as frases e passagens que eu achei bacana.

6. Vai ter que rebolar, rebolar...
 Um autor que vai ter que rebolar pra te reconquistar.

O Nicholas Sparks é um autor que vai ter que rebolar pra me reconquistar TODOS os seus livros foram tranformados em filmes "agua com açucar" e isso, já é um dos motivos suficientes para perder a vontade de ler algum livro desse ator.

7. Faz sorrir, ou faz chorar... 
Um livro que te fez rir e também te levou às lágrimas.

Bisa Bia, Bisa Bel A menina Bel encontra um dia uma foto de sua bisavó Bel, entre as coisas de sua mãe. A partir daí, ela inicia uma relação de muitas descobertas com essa pessoa tão importante na vida de sua família e na da própria. Tive uma ligação quase que "transcendental" com esse livro sou movida a histórias não resolvidas e saudades que vem do nada...Acredito que os livros nos encontram no momento certo. E depois de várias indicações (Ana Luísa Bussular do Blog Minha vida como ela é... e Revista da Livraria Catarinense) encontrei essa edição na biblioteca da faculdade na qual dividimos com uma escola...

8. Inesquecível em mim...
 Um livro que vive reaparecendo na sua mente. 

o livro Extraordinário. August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Os preceitos que contem no decorrer da leitura são enesqueciveis!

9. Quero aprender com você...
 Um livro que te ensinou muito. 

Pretinha, eu? Uma menina negra ganhou uma bolsa de estudos em um colégio onde nunca havia entrado um aluno negro. Desencadeou-se uma história de discriminação, preconceito e muitas descobertas. esse livro foi indicação de uma professora de português para a aula de leitura.No meio de uma aula de leitura a professora disse que eu me parecia muito com a Pretinha da história, não pelo meu tom de pele, pois eu sempre fui branquinha hehehe, mas por ser a mais velha de uma turma que todos tinham onze anos e pelo meu “mau jeito” (no começo) de me enquadrar, em uma escola com métodos tão rigorosos quanto o Harm… Ops! Colégio T.

Sofri Bullying todos os dias do ano que estudei no colégio T. Sofria todos os tipos de agressões; intencionais, verbais e psicológicas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.No meu caso, por exemplo, a crueldade veio também por parte dos adultos professores da época “Ela parece à pretinha da história...” reforçando apelidos e motivos de chacota

10. Baby, eu já sabia que ia dar certo...
 Um livro que você amou antes de ler.

Eu AMO o livro Luna Clara & Apolo Onze da autora Adriana Falcão antes mesmo de adiquirir uma edição na livraria.



Bem, não conheço muitas pessoas nesse mundo literário que queira responder essa tag. Então, deixarei ela em aberto, podem responder essa tag quem quiser e compartilhar com seus amiguinhos. 


Beijos e abraços 

Milla ❤

18 de março de 2017

BookTag: Frases De Criança

Olá!Tudo bem?

Já faz um tempo que não respondo uma TAG, e como eu adoro responde-la vamos fazer isso hoje. A primeira TAG de ano!

Essa TAG foi criada Taty do blog Coleções Literárias e pelo Marcio do blog Um Baixinho nos Livros.

Regras...
Mencionar e Linkar os blogueiros que criaram a tag Taty Salazar - Coleções Literárias e Marcio Silva - Um Baixinho nos Livros;
Indicar no minimo 5 blogs para responder a tag (Não esqueça de avisar que você os tagueou);
Postar a IMAGEM oficial da tag em sua postagem "caso for responder escrito".OPCIONAL: Usar a hastag #BookTagFrasesDeCriança no facebook e/ou no Instagram.
  

1.Meu nome é... (Um personagem Infantil favorito).


Auggie do livro Extraordinário. August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.





2.Quantos anos eu tenho? (Quantos livros você tem?)

96 livros

3.Eu já sei ler. (Primeiro livro que leu) 


Pretinha eu? Uma menina negra ganhou uma bolsa de estudos em um colégio onde nunca havia entrado um aluno negro. Desencadeou-se uma história de discriminação, preconceito e muitas descobertas.






Comecei a tomar gosto pela leitura ainda no ensino fundamental, lembro que tínhamos aulas de leitura na biblioteca e eu realmente gostava de ficar lendo. Às vezes, eu até me esquecia de prestar atenção nos papos animados das minhas amiguinhas na biblioteca... Mas, o livro que mais me marcou veio em 1999 (um ano antes do que relatei acima...). O tal livro é Pretinha, eu do autor Júlio Emílio Braz esse livro foi indicação de uma professora de português para a aula de leitura.
“Eu tinha 13 anos nessa época e tinha recém mudado de escola 
por motivos de saúde, pois eu tinha recém operado a coluna 
e eu estava usando um gesso que ia a uns cinco dedos abaixo do pescoço 
até abaixo da barriga…”

No meio de uma aula de leitura a professora disse que eu me parecia muito com a Pretinha da história, não pelo meu tom de pele, pois eu sempre fui branquinha hehehe, mas por ser a mais velha de uma turma que todos tinham onze anos e pelo meu “mau jeito” (no começo) de me enquadrar, em uma escola com métodos tão rigorosos quanto o Harm… Ops! Colégio T. Sofri Bullying todos os dias do ano que estudei no colégio T. Sofria todos os tipos de agressões; intencionais, verbais e psicológicas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.No meu caso, por exemplo, a crueldade veio também por parte dos adultos professores da época “Ela parece à pretinha da história...” reforçando apelidos e motivos de chacota se eu já não tivesse motivos e não sofresse o suficiente.


4."Diz Papai" Mamãe. (Um livro que você imaginava uma coisa e acabou sendo outra)


Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky




A leitura é bastante intensa. O que era uma lição, acabou virando um verdadeiro diário com desabafos "Alguns segredos só conseguimos contar aos nossos maiores ídolos" se transformando em uma maneira de Laurel lidar com seu primeiro ano em uma escola nova e com a família despedaçada depois da morte de sua irmã.

5.Mãe tô com fome. (Um livro que você devorou.) 

Hazel foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial, livro cujo autor deixou muitas perguntas sem resposta. Essa era sua rotina até ela conhecer Augustus Waters, um jovem de dezessete anos que perdeu uma perna devido a um osteosarcoma, em um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Como Hazel, Gus é inteligente, tem senso de humor e gosta de ironizar os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Com a ajuda de uma instituição que se dedica a realizar o último desejo de crianças doentes, eles embarcam para Amsterdã para procurar Peter Van Houten, o autor de Uma aflição imperial, em busca das respostas que desejam. 

Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.


Foi a minha primeira leitura do John Green. A vontade de ler A Culpa é das Estrelas começou no evento da Intrínseca depois de ouvir falarem muito bem do livro. Eu comecei a ler as dez primeiras páginas ainda na livraria antes de realmente comprar e terminar de ler em casa chorando copiosamente nos últimos parágrafos... Okay!

6.Pai!Conta uma história para mim dormir? (O livro que você está lendo) 


Diagnosticada com câncer da tireoide aos doze anos, Esther Grace Earl era uma adolescente talentosa e cheia de vida. Fazendo jus ao nome, que em persa significa 'estrela', ela marcou todos em seu caminho com sua generosidade, esperança e altruísmo enquanto enfrentava com graciosidade o desgaste físico e mental causado pela doença. Filha, irmã e amiga divertida, alto-astral e inspiradora, Esther faleceu em 2010, logo após completar dezesseis anos, mas não sem antes servir de inspiração para milhares de pessoas por meio de seu vlog e dos diversos grupos on-line de que fazia parte. 'A estrela que nunca vai se apagar' é uma biografia única, que reúne trechos de diários, textos de ficção, cartas e desenhos de Esther. Fotografias e relatos da família e de amigos ajudam a contar a história dessa menina inteligente, astuta e encantadora cujo carisma e força inspiraram o aclamado autor John Green a dedicar a ela sua obra best-seller A culpa é das estrelas.

7.Pai!Cadê a mãe? (Um personagem secundário que se destacou mais que o protagonista.) 


Logo no inicio da leitura acompanhamos Kate recebendo a devastadora noticia sobre a morte de sua filha, logo no inicio suspeita-se que Amélia havia cometido suicídio. 

Kate é a mãe solteira e sempre fez o que estava em seu alcance para conciliar a vida de mãe com a vida de profissional ela é uma advogada de sucesso em Nova Iorque e para compensar a ausência de um pai na vida de Amélia. Ela nunca contou a verdade para a filha sobre o pai e também só vamos descobrindo sobre ele no decorrer da história. 



Os capítulos do livro são alternados entre diferentes personagens. Temos capítulos atuais sobre Kate, narrados em primeira pessoa, a partir do dia da morte da Amelia, trechos de seu diário quando ela descobriu que estava grávida, conversas de celular de Amelia, postagens no facebook, e alguns capítulos contados pela própria Amelia, algumas semanas antes de sua morte. Também há postagens de um blog de fofocas da escola, chamado GrAcIoSaMENTE.

Ao decorrer da leitura, vamos reconstruindo Amélia através de vários acontecimentos e fragmentos com alternâncias de pontos de vista. E descobrindo quem ela realmente era, sem ser somente uma descrição vazia "aluna e atleta exemplar". Através de suas "memórias" ficamos sabendo quando ela recebeu um convite para entrar em um clube da escola, uma espécie de fraternidade, que supostamente deveria ser proibido. A partir desse convite, sua vida começa a tomar novos rumos e a própria Amélia passa por várias descobertas sobre si mesma. A descoberta da própria sexualidade e o amor inconsequente por Dylan.

8.Olha Pai. (Tire uma foto de sua estante.) 






9. Já sei o que vou querer de presente do dia das crianças! (O livro que você está cobiçando.) 



10.Pai ta chegando? e agora? e agora? (Continuação de uma série que você ama e está aguardando muito.) 


Não tenho. Estou com a coleção do Muchileiro das Galaxias que ainda não li...



11. Mãe fulano me bateu. (Um personagem que merecia uma surra?) 

Eu batendo na Anna


Anna Oliphant não está nada entusiasmada com a ideia de se mudar para Paris. Porém, seu pai, um famoso escritor norte-americano, decidiu enviá-la para um colégio interno na Cidade Luz. Anna prefere ficar em Atlanta, onde tem um bom emprego, sua fiel melhor amiga e um namoro prestes a acontecer. Mas, ao chegar a Paris, ela conhece Étienne St. Clair, um rapaz inteligente, charmoso e bonito, que além de muitas qualidades, tem uma namorada...




Anna Oliphant. Foi a personagem adolescente que eu mais odiei ao decorrer da leitura... Uma menina mimada, que na maioria das vezes fazia ceninha quando estava com o seu pai. Faz o leitor querer dar uns belos tapas nessa garota...





12.Maaaae eu cai. (Um personagem desastrado.) 



As Aventuras de Alice no País das Maravilhas, frequentemente abreviado para Alice in Wonderland é a obra infantil mais conhecida de Charles Lutwidge Dodgson, publicada a 4 de julho de 1865 sob o pseudônimo de Lewis Carroll.





Alice é uma garota atrapalhada! Na confusão, ela vai se encontrando... descobrindo-se... Esse livro é muito fofinho.





13. Por quê? Para quê?( Um livro confuso.) 



Eu deveria estar de luto, não me apaixonando. Às vezes é preciso perder tudo, para encontrar a si mesmo... Lennie Walker, obcecada por livros e música, tocava clarinete e vivia de forma segura e feliz, à sombra de sua brilhante irmã mais velha, Bailey. Mas quando Bailey morre de forma abrupta, Lennie é lançada ao centro de sua própria vida, e, apesar de não ter nenhum histórico com rapazes, ela se vê, subitamente, lutando para encontrar o equilíbrio entre dois: um deles a tira da tristeza, o outro a consola. O romance é uma celebração do amor, também um retrato da perda. A luta de Lennie, para encontrar sua própria melodia em meio ao ruído que a circunda, é sempre honesta, porém hilária e, sobretudo, inesquecível.





Eu t
enho esse livro há mais ou menos 5 anos. Porém, eu não lembrava de já ter lido ou abandonado á leitura... 

Por isso coloquei nessa categoria. Uma das grandes lições desse livro é que aprendemos cedo ou tarde que as pessoas que amamos se vão e simplesmente temos que virar protagonistas da nossa própria história. A leitura do livro é simples e bela, juntamente com a história da nossa John Lennon - apelido carinho dado por Joe -. Você se envolve de uma forma surpreendente com Lennie e torce para a sua felicidade. Na maioria do início dos capítulos, há poemas ou mensagens escritos por Lennie. Adorei a ideia.



14.Psora posso ir no banheiro? (Um livro nojinho.) 


Mariam tem 33 anos. Sua mãe morreu quando ela tinha 15 anos e Jalil, o homem que deveria ser seu pai, a deu em casamento a Rashid, um sapateiro de 45 anos. Ela sempre soube que seu destino era servir seu marido e dar-lhe muitos filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Laila tem 14 anos. É filha de um professor que sempre lhe diz: "Você pode ser tudo o que quiser." Ela vai à escola todos os dias, é considerada uma das melhores alunas do colégio e sempre soube que seu destino era muito maior do que casar e ter filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Confrontadas pela história, o que parecia impossível acontece: Mariam e Laila se encontram, absolutamente sós. E a partir desse momento, embora a história continue a decidir os destinos, uma outra história começa a ser contada, aquela que ensina que todos nós fazemos parte do "todo humano", somos iguais na diferença, com nossos pensamentos, sentimentos e mistérios.




Na época que eu li esse livro eu estava muito mal (no trabalho, na faculdade, em casa...) e essa leitura me deixou muito mal se tornando uma leitura ruim naquele ano.


15.Pai de onde vem os bebês? (Uma personagem grávida.) 


Após o desaparecimento repentino de seu pai, Gabriella Mondini enfrenta uma crise: sem o seu aconselhamento, ela não pode mais praticar a medicina. Então, junto de seus dois fiéis servos, Olmina e Lorenzo, ela explora toda a Europa para descobrir para onde — e por que — ele se foi. 

Seguindo pistas das ocasionais e enigmáticas cartas do pai, ela vasculha as capitais europeias expandindo os horizontes de seu mundo e acrescentando conhecimentos ao imenso livro das curas que está escrevendo.





Gabriella Mondini, conhecerá apenas os limites físicos do continente, mas, também, os mistérios do amor (e fica gravida), da perda e da mortalidade. Mistérios que estão no coração de cada alma viajante, especialmente na alma de seu pai.





16.Olha mãe, aprendi a contar: 1, 2, 4, 6. 
Indique 05 amigos para responder essa tag.

Bem,não conheço muitas pessoas nesse mundo literário que queira responder essa tag. Então, deixarei ela em aberto, podem responder essa tag quem quiser e compartilhar com seus amiguinhos.

Estava com muitas saudades responder TAGs, espero que esse ano traga muitas tags para poder compartilhar com vocês.

Beijos e abraços

Milla ❤


© Lado Milla
Maira Gall