livro meme
Mostrando postagens com marcador livro meme. Mostrar todas as postagens

28 de abril de 2017

Um meme literário...

Hoje é Sexta-feira! Encontrei a 01 ano atrás um meme sobre hábitos literários. Soube no blog da Ana Lu que a brincadeira já rolava na blogosfera há tempos, acabou que eu guardei esse meme nos "rascunhos" para um dia também escrever....

Falar de livros é sempre bom... Ler, fotografar, resenhar e porque não escrever um meme literário?

Acabei encontrando esse aqui no blog da Ana Lu que encontrou no blog da Del. Elas responderam em texto (e assim farei também) mas ele foi originalmente criado no YT, no canal Livro e Café. Trata-se da “Tag As Ondas” e cada uma das categorias é baseada na descrição de um personagem do livro homônimo da Virginia Woolf que eu ainda não li, hehe. Vamos lá.
 

1. Bernard sentia amor à literatura (Um livro sobre livros)

Pensei automaticamente no livro A Vida do Livreiro A. J. Fikry Trata-se de um romance ou uma carta de amor para o mundo dos livros “Livrarias atraem o tipo certo de gente”. É o que descobre A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. - O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo. Aos poucos, A. J. reencontra a felicidade e sua livraria volta a alegrar a pequena Alice Island. Um romance engraçado, delicado e comovente, que lembra a todos por que adoramos ler e por que nos apaixonamos.
“As pessoas contam mentiras chatas sobre política, Deus e amor. Você descobre tudo que precisa saber sobre uma pessoa com a resposta desta pergunta: Qual é o seu livro preferido?"
2. Susan sentia paixão pela natureza e a maternidade (Um livro que fale sobre ser mãe)

Este é um livro sobre a maternidade e todos os sentimentos loucos que as mães têm em relação a quem de alguma forma criam, seja um filho natural, adotivo, neto ou sobrinho. É sobre família e é sobre as mães também, esses seres que falam uma língua estranha e chata que só entende quem entra para o clube e se torna uma delas. Não se preocupe, não é um livro de lamentações. É o contrário: tem histórias engraçadas, singelas e verdadeiras. “A mamãe é rock” é um recorte sem filtro dos divertidos e comoventes malabarismos que um casal moderno faz todos os dias para criar suas filhas. As crônicas da Ana Cardoso, além de divertidas são super bem escritas. A leitura nos trazem as dores e delícias de ser mãe, mulher, empresária... Abrem o cotidiano da família da autora pra que você sinta-se de casa.Além de grandes lições sociológicas e comportamentais, desde a evolução das crianças à de uma mulher como guia e aprendiz com as suas crias. E risadas: Garanto que você dará um bocado! HAHAH.

3. Rodha se sente diferente em relação aos outros (Um livro com um personagem diferente dos padrões).


Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus.Também não faz ideia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel,um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. 'O Menino do Pijama Listrado' é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

4. Neville tinha inquietações sociais e ideológicas (Um livro que após a leitura dá vontade de fazer algo pelo mundo)

O livro que mais me marcou  é Pretinha, eu? do autor Júlio Emílio Braz esse livro foi indicação de uma professora de português para a aula de leitura. No meio de uma aula de leitura a professora disse que eu me parecia muito com a Pretinha da história, não pelo meu tom de pele, pois eu sempre fui branquinha hehehe, mas por ser a mais velha de uma turma que todos tinham onze anos e pelo meu “mau jeito” (no começo) de me enquadrar, em uma escola com métodos tão rigorosos quanto o Harm… Ops! Colégio T. Sofri Bullying todos os dias do ano que estudei no colégio T. 

Depois desse episódio quis fazer faculdade de Psicologia para trabalhar com crianças com idade escolar fiz estagio obrigatório em Psicologia escolar e "plantei uma sementinha" como formas dessas crianças serem mais gentil com com os seus colegas.

5. Jinny era uma mulher sensual, preocupada com a aparência e com namorados(Um livro chick lit).

chik lit são livros auto-ajuda para o universo feminino? Não tenho...

6. Louis era inseguro por ser estrangeiro (Um livro de sua estante numa língua que você não entende).

No primeiro semestre da faculdade de Psicologia somos apresentados a obra completa de Freud e a cada semana os alunos compravam a obra completa e iam "mostrar" para toda a turma... Resumo da ópera: Nenhum desses alunos leram nem a metade desses livros e acabam re-vendendo obra completa no final do curso.

7. Percival é o único personagem que não tem fala direta. Os outros apenas comentam sobre ele (Um livro que todo mundo leu, mas você ainda não).

A saga Harry Potter. Quando a febre do bruxinho surgiu, o meu primo (sete anos mais novo) ficou viciado! comprou TODOS os livros e badulaques do HP e eu estava em uma vibe diferente, trabalhando  e tal... Tentei ler e achei um tanto bobnho não passei das primeiras quatro páginas.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):


27 de dezembro de 2015

Tag: Frases de Mãe

Oi pessoal! Hoje eu vim responder essa TAG que a Ludimila do blog boutique de cliches me indicou. Eu achei super divertida. Você tem que responder a Tag com livros que tem a ver com aquelas frases bem conhecidas que toda mãe fala.


Frases...


1. Eu vou contar até 3... (Um livro que não via a hora de acabar.) 


Foi uma Leitura sofrível! No decorrer do livro veio à pergunta “tem certeza que é o mesmo autor?” fiz algumas tentativas nos dias anteriores, mas a leitura não engrenava só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro... O livro não é de todo péssimo, algumas coisas no decorrer da historia animou, mas para quem estava acostumada com o livro ACEDE assim como eu, pode ficar frustrado com o decorrer da historia.

2. Se você falar isso de novo te arrebento os dentes! (Um livro que você não suporta que falem mal.)


Depois desse livro as pessoas se tornaram "críticos literários" escrevendo muitas caquinhas sobre a leitura. Quando lançou o filme então... Enfim, é um livro intocável na minha estante.

3. Se você correr vai ser pior!(Um livro que você corre dele, mas sabe que um dia vai ter que ler.)


Eu não corro desses livros mas, eles estão lá na prateleira dos livros "Não Lidos" da sempre uma tristezinha quando olho e os vejo esperando...

4. Vem comer se não esfria! (Um livro que você leu logo que lançou) 


Vovó Vigarista do Walliams, David vi esse livro no evento da editora Intrínseca e gostei tanto da "sinopse" que comprei depois de uma semana do evento.

5. Você não é todo mundo! (Um livro que todo mundo odeia, menos você) 

Não sei.

6. Quantas vezes eu já disse para você não fazer isso? (Um personagem que mais te irritou e fez burrada)




Anna do livro "Anna e o Beijo Francês" no começo do livro ella fez uma birra por nada...Em vez de aproveitar a chance de estudar na França... Deixando o leitor morrendo de raiva das atitudes de Anna.

7. Não, quando digo não é não! (Um livro que você não lerá, não importa o quanto as pessoas falem bem).

Livros de Blogueiros "pseudo" escritores. Tenho uma certa preguiça desse "new" gênero.

8. Não mente para mim! (Um personagem mentiroso, ou um personagem que te enganou direitinho)


Durante a leitura que era narrada por uma criança tu fica "inocente" durante todos os acontecimentos da história... 

9. Coração de mãe não se engana! (Um livro que te conquistou pela capa e a leitura foi ainda melhor)


Fiquei com dó da versão da capa azul desse livro. Ao terminar a leitura me fez ter a sensação que todos deveriam gastar o seu tempo lendo é o livro Extraordinário - R. J. Palácio.

10. Tá chorando sem motivo por que? Pera aí que eu vou te dar um motivo para chorar!(Um personagem chorão, que te fez raiva)


Lembro de ter ficado muito indignada com essa leitura... Ok, que era um drama e tal mas, era desnecessaria Tanta choradeira de uma forma TÃO intensa.

11. Come só mais um pouquinho! (Um livro que fez você dizer: Vou ler só mais um pouquinho)


É uma leitura infanto-juvenil delicinha de ler. Comecei de noite e terminei na madrugada...

12. Quantas vezes vou ter que repetir?(Um livro que você teve ou terá que reler para entender melhor)



Tenho esse livro há mais ou menos 5 anos. E desde então, está na minha estante na parte dos livros "já lidos" porém, não lembrava de já ter lido ou abandonado á leitura... Na semana passada, zapeando na blogosfera cheguei a ler algumas resenhas e trechos e resolvi finalmente ler. Uma das grandes lições desse livro é que aprendemos cedo ou tarde que as pessoas que amamos se vão e simplesmente temos que virar protagonistas da nossa própria história. A leitura do livro é simples e bela, juntamente com a história da nossa John Lennon - apelido carinho dado por Joe -. Você se envolve de uma forma surpreendente com Lennie e torce para a sua felicidade. Na maioria do início dos capítulos, há poemas ou mensagens escritos por Lennie. Adorei a ideia.

13. Não fez mais que sua obrigação! (Um livro que você leu por "obrigação")

Não, lembro...

14. Coração de mãe sempre cabe mais um! (Os três próximos livros que você está louco para comprar).


15. Isso, quebra mesmo. Não foi você quem pagou! (Um livro que você emprestou e voltou irreconhecível).

Não empresto.

Blogs que indico:

Quem quiser fazer...Ta liberado!


O que vocês acharam da TAG? Gostaram? 
Me contem tudo nos comentários!

21 de janeiro de 2015

Resenha do livro O Menino do Pijama Listrado




O Menino do Pijama Listrado
John Boyne
Ano: 2007
Páginas: 186
Editora: Companhia das Letras


Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus.Também não faz ideia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel,um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. 'O Menino do Pijama Listrado' é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

@@@



Esse livro estava na prateleira dos "livros não lidos" a um tempo... Ganhei esse livro da minha mãe que, viu esse livro no folheto da Avon e resolveu me presentear com uma" edição econômica". A narrativa ao longo da história deixa a leitura mais gostosa, com gosto de aventura infantil mesmo sendo sobre uma das épocas mais vergonhosa da história do mundo. Na minha opinião, o personagem principal chama-se Bruno uma criança de 08 anos que sonha ser um explorador no futuro;
"O problema da exploração é que você precisa saber que aquilo que encontrou valeu a pena ser encontrado, Algumas coisas estão lá, cuidando da própria vida esperando para serem descobertas. Como a América. Outras coisas é melhor que deixemos em paz. Como um rato morto no fundo do armário."
não economizei nos post its... 
Depois de uma tarde produtiva de brincadeiras e explorações Bruno ao chegar em casa, vê sua babá Maria arrumando as suas rupas e pertences em uma mala e os pertences de toda a casa estão sendo encaixotadas... Bruno é o unico que não está tão animado com toda aquela mudança e ao chegar á casa de Haja Vista as coisas só pioram no quesito animação até que sua babá lhe dá um conselho precioso;
"Uma coisa é certa: ficar sentado se sentindo infeliz não vai mudar nada."
Bruno bastante chateado entra no escritório do pai e tenta convence-lo a voltar para Berlim pois, lá moravam os seus avós e a maioria dos amigos da família. E o pai mesmo sendo um pouco ríspido com Bruno ele lhe dá outra verdadeira lição;
"Nossa casa não é uma construção, ou uma rua, ou uma cidade, ou coisa alguma tão artificial quanto os tijolos e a argamassa. O lar é onde mora a família de alguém, não é mesmo?."


A amizade entre um menino Alemão e um menino Judeu em tempos de Holocausto tornou-a história do livro O menino do Pijama Listrado leve. Pois, foi narrada por uma criança inocente das barbaridades que aconteciam ao seu redor... Porém, não menos horrorosa das coisas que sem leêm nos livros de história sobre 2° guerra mundial. Depois de ler esse livro, fiquei com um "vazio existencial" querendo focar que esse tipo de história aconteceria somente em ficção nunca na vida real de algum povo...

27 de maio de 2014

Para dizer que não falei dos livros...


Tag criada pela Inês, do canal InesBooks, sob o título "Palavra cruzada".  







01. Vox Populi (um livro para recomendar a toda à gente) 

Não sou uma das melhores pessoas para indicar livros... Mas o ultimo livro que ao terminar a leitura me fez ter a sensação que todos deveriam gastar o seu tempo lendo é o livro Extraordinário - R. J. Palácio.

02. Maldito Plágio (um livro que gostaríamos de ter escrito)
 

Talvez esse livro fosse á metade da minha Biografia. Não só teria escrito como seria a personagem principal “Vânia” em uma parte da minha infância fui vitima de buligh ou como não existia esse termo na época, fui descriminada por usar um gesso na coluna... O livro é Pretinha, eu? Escrito muito bem pelo autor Júlio Emilio Braz. 

03. Não vale a pena abater árvores por causa disto 

Essa categoria pode estar parecida com a categoria (4) não por preguiça dessa que voz escreve. Pois, acredito que não á livro ruim é o leitor que não está preparado para ler naquele momento, mas, acredito que as Biografias de alguns “ídolos” da grande massa desnecessárias para fazer parte de qualquer estante.

04. Não és tu, sou eu (um livro bom, lido na altura errada) 

Há quem defenda o livro A CIDADE DO SOL do autor Khaled Hosseini levando a crêr que eu li em um momento dramático da minha vida um livro dramático... Não deu muito certo, só terminei a leitura, pois eu tinha bastante tempo de sobra como volante de uma empresa de terceirizado...

05. Eu tentei... (um livro que tentamos ler, mas não conseguimos) 

Eu tentei... Ler o 1° livro da saga do HP até pedi emprestado para o meu primo, mas a leitura não andou... E acabei colocando outras leituras na frente, mas, o livro está no montinho de livros que quero ler (quem sabe, nas férias!).

06. Hã? (um livro que lemos e não percebemos nada OU um livro que teve um final surpreendente) 

Um livro que não me marcou em nada... O preço de uma lição do autor, Gutti Mendonça e Federico Devito. Passou tão em branco que eu nem quis saber de uma futura sequência (se o primeiro livro foi horrível o que esperar do próximo...). Enquanto escrevia esse item, dei uma pesquisada (Valeu Google!) vi que um dos autores já foi “colírio capricho”. Tenho que confessar que, tenho preguiça quando esses jovens se tornam alguma coisa além de um rostinho bonito em uma página de revista...  Um livro que teve um final surpreendente... Anna e o Beijo Francês da Autora Perkis. Foi um livro “gostosinho” mesmo com a rabugice da Anna Oliphant em um lugar nada menos que Paris-França! O final realmente me surpreendeu.

07. Foi tão bom, não foi? (um livro que devoramos) 

Marley & eu- vida e amor ao lado do pior cão do mundo do autor Jonh Grogan vi os cachorros que tive ao longo da vida descritos nesse livro e esses eram para mim “o pior cão do mundo”, mas eram eles que estavam no pior/melhor momento da minha trajetória... Mordiam, lambiam, latiam felizes quando eu chegava... Eu devorei o livro em um dia e chorei quando o Marley morreu, pois, acho injusto essas criaturinhas viverem menos que nós humanos deixando o lar sem graça e um aperto no coração quando vão embora.

08. Entre livros e tachos (uma personagem que gostaríamos que cozinhasse para nós) 

P.S eu te amo chorei com o filme e debulhei em lágrimas com o livro. Mas eu gostaria de ter tido um marido (mesmo por pouco tempo) me agradasse e cozinhasse nú, só com avental... 

09. Fast Foward (um livro que podia ter menos páginas que não se perdia nada)

Deixe a Neve Cair reúne três contos que se passam durante uma nevasca natalina e, de certa forma, se cruzam em determinado momento. Os escritores Maureen Johnson, John Grenn, Lauren Myracle se juntam para escrever esses contos, mas eu tiraria tranquilamente o conto do John Grenn, pois, achei a leitura um pouco cansativa deixando um pouco sem gás para terminar a leitura. 

10. Às cegas (um livro que escolheríamos só por causa do título) 

Na verdade eu escolhi O Livro da loucura e das curas da autora Regina O'Melveny só por causa do título... li a sinopse e decidi compra-lo não vejo a hora de chegar às férias para ler e tirar proveito da história.

11. O que conta é o interior (um livro bom com uma capa feia) 

Feliz Ano Velho do Marcelo Rubens Paiva esse livro já mudou de capa em varias edições que já teve, mas, nenhuma conseguiu me agradar... A história e o enredo supera a capa ruim, pois o livro não fica num melodrama de superação de alguém que fica tetraplégico e sim da ironia que é a vida.

12. Rir é o melhor remédio (um livro que nos tenha feito rir) 

A culpa é das estrelas John Green. Acho que eu tenho esse dom de rir quando tudo esta uma bosta, e tem varias passagens que a personagem tem um dom de deixar uma doença tão triste como o câncer com um toque mais leve e engraçado. 

13. Tragam-me os Kleenex, se faz favor (um livro que nos tenha feito chorar). 

A culpa é das estrelas, P.S eu te amo, Marley & eu- vida e amor ao lado do pior cão do mundo, Feliz Ano Velho... A lista é grande, mas, ela sempre aumenta, pois adoro ler um livro dramático...

 14. Esse livro tem um V de volta (um livro que não emprestaríamos a ninguém) 

Tenho isso com TODOS os meus livros da minha estante.  Nem adianta aquela máxima só empresto para amigos...  Com certeza, teria inimizades caso emprestasse um livro a um amigo e ele me entregasse danificado... Para não perder possíveis amigos (a regra é clara) não sai nenhum livro da estante para nenhum tipo de empréstimo.

15. Espera aí que eu já te atendo (um livro ou autor que estamos constantemente a adiar) 

Tenho mais de 10 livros para ler ainda esse ano... Estou esperando o mês de Julho para “devorá-los”. Os livros não sobem para ficar “empilhadinhos” com os outros já lidos, sem antes eu ler. Mas o montinho já esta enchendo a 2° prateleira... 


3 de março de 2014

#01 Teorema Katherine - "Li até a página 100 e ..."

Ano passado fiquei bastante orgulhosa com a minha “lista de leitura” foram 12 livros no ano (1 livro por mês.) esse ano eu vi esse #meme que me pareceu mais interessante do que fazer um resumo (critico) do livro que estou lendo... e exigi menos tempo, já que os meus horários estão mais apertados esse ano.
                    
Primeira frase da página: Na manhã seguinte a formatura do ensino médio e depois de ser dispensado pela sua décima nona Katherine, o celebre menino prodígio Colin Singleton tomou um banho de banheira.


Do que se trata o livro? 

Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam. Uma descoberta que vai entrar para a história vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.

O que está achando até agora?

Na verdade, eu já li o livro todo. Mas, como eu estou começando o meme depois que eu já li o primeiro livro do ano não poderia não entrar nesse meme.

é uma Leitura sofrível! No decorrer do livro veio à pergunta “tem certeza que é o mesmo autor?” fiz algumas tentativas nos dias anteriores, mas a leitura não engrenava só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro... Algumas partes animam, que Colin fala sobre constelações e sobre a importância que é para ele como um garoto prodígio fazer a diferença no mundo tem sacadas realmente bacanas no decorrer da historia... (spoiler)

O que está achando do protagonista?

Colin é um ex-criança prodígio que quer se encaixar em um mundo além em que as crianças consideradas mais inteligentes continuam sendo adolescentes e adultos que façam diferença na humanidade 

Vai continuar lendo?

Só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro... O livro não é de todo péssimo algumas coisas no decorrer da historia animou, mas para quem estava acostumada com o livro ACEDE assim como eu, pode ficar frustrado com o decorrer da historia.


Última frase da página: O, suspiro, namorado da Lidsay.
© Lado Milla
Maira Gall