textos antigos
Mostrando postagens com marcador textos antigos. Mostrar todas as postagens

16 de maio de 2019

Desabafo: De ontem em diante...





De ontem em diante serei o que sou no instante agora... 


Parece que eu já vi esses versos. Mas, o sentimento que me envolve é outro. Cansei de escrever como tivesse conjugando o pretérito imperfeito de mim mesmo. Como algo ou algum sentimento ao desabrochar falhasse e algo que seria alguma coisa acabara não sendo.

O passado não pode ser presente e nem o nosso presente poderá ser futuro.

Nem para nós mesmos nem para os outros, cade o tão esperado livre arbítrio que falavam que nos tínhamos? Aonde esta o poder da escolha para mudarmos todos os planos pré-estabelecidos? Não faz sentido, o raiar de um novo dia não trazer mudanças. Os mesmos pensamentos que te tiraram o sono na noite anterior, permanecer o mesmo ou tão mesquinho quanto ao levantar da cama para viver um novo dia.

Ando cansada de todas essas coisas mesquinhas que todo mundo diz que sente (sera que sente?) estou acreditando cada vez menos na raça humana não que eu acreditasse nela antes, mas sei lá já tiveram mais credito. Os meus três cachorros, dão um banho em qualquer ser racional que eu ando encontrando pelo caminho. 

Vejo a minha fé sempre colocada à prova, e às vezes me falta aquele sentimento que as coisas realmente vão melhorar, que tudo vai começar a dar certo. Sabe, vejo só palavras e falas quando eu mais preciso visualizar atitudes... Porém, permaneço aqui com um pouco de fé que me resta.

De hoje em diante... Meus Versos serão sobre o presente, o passado ira permanecer nas lembranças e no máximo no histórico do Blog, mas remexer o passado em busca de lembranças que não irão voltar eu não escrevo mais. Não me alimento mais de sentimentos banhados a banho Maria, nem de lembranças com gosto de pão velho de padaria. Quero viver uma vida inteira sendo realmente inteira não sentindo emoções em parcelas como uma pessoa bipolar. 

Quero saber exatamente porque/por quem eu estou lutando para assim entrar em alguma luta, não quero mais lutar em vão... Sangrar por aquilo que eu não acredito.... Chega de sangrar por quem não esta disposto a sangrar por mim. Quando eu começar a crer, da luta não me retiro... Todo dia de manhã vai ser dia de paz, sem as nostalgias e besteiras do que eu fiz ontem e sem as lembranças e sem vestígios de um passado que realmente já passou.

Minha vida inteira é meu dia inteiro!!!
E se antes, um pedaço de maçã
Hoje quero a fruta inteira
E da fruta tiro a polpa... da puta tiro a roupa
Da luta não me retiro
Me atiro do alto e que me atirem no peito
Da luta não me retiro...
Todo dia de manhã é nostalgia das besteiras que fizemos ontem




Arrumando os meus textos arquivados me deparo com esse que escrevi em 2011 ainda no Versos em Bossa. Eu não lembro qual a sintuação que eu me encontrava no momento que  esse texto foi escrito... mas, é um sentimento que me parece muito atual.

8 de julho de 2017

Quando as lembranças sufocam...


_Chega de escrever sobre lembranças. 

A frase acima soou quase como um decreto, o Sol ainda não tinha se posto, e ela continuava a pensar sobre a sua vida, e o rumo que ela tomou nesses últimos anos.

Sentia pela primeira vez que as lembranças que tanto lhe fez bem anos atrás, hoje lhe sufocava, o auge desse sentimento de cansaço que lhe afligia, foi quando se viu escrevendo um depoimento, daqueles que fazemos aos “amigos” no ORKUT contando detalhes dos devidos anos, que já não interessavam mais há ninguém, muito menos para as duas pessoas em questão... Além do cansaço dos últimos dias, também começou a se sentir sufocada com todas essas lembranças o simples fato de escrever se tornou uma tarefa árdua, e dolorida demais. Não, pelo simples fato de escrever somente, mas sobre o que escrever. 

Viu que suas escritas iam para um lado cada vez mais nostálgico, os anos anteriores foram incrivelmente bons, completamente exagerado na riqueza dos detalhes, o que faz as lembranças serem um pouco doloridas pelas saudades que lhe causavam se tornando um sentimento não muito agradável de sentir fazendo o trecho da musica do Caetano Veloso não fazer muito sentido, quando ele diz que; “Ter saudade até que é bom, é melhor que caminhar sozinho". Eu não gostava e também não queria sentir saudade e tinha as minhas duvidas quando se tratava de gostar ou não de solidão.

Daqui para frente, quero preciso ter mais controle sobre as minhas lembranças, tentando não lhe expor assim por qualquer motivo, e na medida do possível, não escrever tanto sobre elas (nem aqui, nem em qualquer lugar). 

Nada me impede de sentir saudades, mas escrever é algo já não posso mais.




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

11 de abril de 2017

O tempo voa...

A velocidade de tudo que acontece em cada momento Depende de você
Tá ruim demora se tá bom vai embora e a vida passa sem a gente ver
Tá ruim demora se tá bom vai embora 
e a gente esquece antes de amanhecer
Velocidade-Vera Loca 


Quando mais velha eu fico percebo que o tempo esta cada vez mais acelerado, tanto o tempo que aquele relógio velho da cozinha marca fazendo TIC TAC, como o relógio biológico. Eles estão batendo a mil por hora, aumentando a frequência na medida em que fazemos aniversario.

As horas passam…
Os folhetinhos do calendário caem…
Os momentos bons passam rápidos demais…
Os momentos ruins ficam maçantes e demoram a passar.

A nostalgia virou um tipo de acessório da moda e a saudade virou assunto de mesa de bar, acredito que esse é o lugar que as pessoas mais embriagadas fazem as mais belas canções, poemas, crônicas, posts… etc e tal! Escrevendo sobre a sua saudade. 

Existe aquela saudade saudável, aquele tipo de saudade gostosa de sentir porque é muito bom saber que aconteceu contigo! Já escrevi varias vezes sobre as minhas “saudades” o arquivo dos Versos esta ai para provar; Acústicos e Valvulados (+15 shows!) fora as chalaças com os guris da banda, NDN, Everton Cunha (memorável!) e outros momentos que só de lembrar vem involuntariamente aquele sorriso no rosto… 

A velocidade desses momentos leva junto às pessoas que de alguma forma marcaram a nossa vida e junto com o tempo elas vão embora sem o nosso consentimento, como se essas pessoas não coubessem mais no nosso dia-a-dia.

“Tive minhas melhores amigas no ensino médio coisas de adolescentes que andam em bando, apesar das mudanças de pessoas éramos as duas o maldito tempo passou… Saímos do colégio que estudávamos, mas íamos uma na casa da outra frequentemente e saiamos com a mesma frequência Mas não éramos do mesmo grupo social de ambas e o contato foi se perdendo… Encontrei essa tal amiga no centro e resolvemos tomar suco para fofocar, um cara veio azarar ela e perguntou quem eu era a resposta considerável era que eu era uma amiga ou até um colega era aceitável naquela ocasião, mas ela culpou o tempo e não soube responder…"

Essa mesma "amiga" Me adicionou no facebook esses tempos fiquei sem reação.” a Amizade permanece... Ou melhor, deveria permanecer, mas às vezes você também vai se pegar pensando se essas pessoas são seus amigos ou foram amigos em uma época da vida.

Os melhores momentos de nossas vidas trazem com ele pessoas especiais que queremos levar para á vida inteira, eles marcam as nossas vidas e queremos que eles permaneçam para reviver e viver outros bons momentos.

Guardo varias lembranças dessas pessoas comigo, e vivo outros momentos memoráveis com os amigos que fiz com o tempo, fiz também vários amigos de estrada com vários momentos bacanas que guardo boas lembranças e sei e que vamos lembrar esse momento e viverem tantos outros e vamos nos lembrar de um do outro quando nos revermos por ai e nunca mais iremos nos tratar como se fosse a primeira vez que nos vemos, independente de quanto tempo passar!

Os momentos ruins e maçantes também trazem pessoas não agradáveis que diferente da boa, quer que essas pessoas vão embora rapidinho e parece que elas demoram séculos para sair da nossa frente, mas nos mostram coisas importantes na vida depois que passam… Não levo nada deles comigo, também não os desejo nada de feio, mas deixo ir… Sem remoer e sem insistir, se não me fizeram bem no passado acredito que não vão me trazer nada de bom no presente muito menos no futuro.

Como já cantarolava uma musica de um banco “o tempo voa…” não podemos desperdiçar com o que/quem não nos agrega, por isso, que eu gosto de estar com as pessoas que fazem o meu dia-a-dia passar rápido, pois esse é um sinal, de eu estar passando momentos bons e moráveis e de ver o tempo passar voando…


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

7 de janeiro de 2017

Somebody.... ♫


Fui sozinha naquele show.... Isso nunca foi problema, eu sentava em uma mesa próxima ao palco e ficava arrumando os últimos ajustes da máquina fotográfica para registrar um dos meus tipos de fotografia favoritos palco.

Fui um show típico, com: Banda animada, Setlist bacana com músicas que já eram velhas conhecidas do grande público e esse mesmo público cantarolavam felizes com o refrão "...Hey-hey- hey / Ela masca bubblegum.". A banda no palco rendeu vários "Click´s" bacanas e consegui algumas fotografias em PB... A bateria da câmera estava com menos da metade carregada mas, já tinha fotografado bastante aquela noite. Quando desliguei a Maquina e finalmente guardei na bolsa foi que eu senti algo estranho... 

No final do show, eu notei que estava sozinha no meio da multidão... Os casais foram se formando no decorrer daqueles versos & refrões das músicas daquele show. E antes mesmo de apagarem as ultimas luzes da casa noturna, todas aquelas pessoas já sabiam com quem iriam passar o restante daquela noite. Sai da casa noturna, tão sozinha quanto voltei... e atravessei a rua sentando no banco mais próximo, observei aquele céu estrelado daquele inicio da madrugada, colocando alguma música aleatória no meu celular. 

Derrepente, senti uma presença de alguém sentado ao meu lado. Um garoto alto, com um par de lindos olhos azuis e barba serrada com a idade de no máximo 30 anos. Falou algo sobre o show, que tinha recém terminado e para puxar mais assunto, falou sobre a lua cheia e as estrelas do céu... Perguntou o que eu estava ouvindo, e antes mesmo de ouvir a resposta pegou o meu fone e colocou em sua orelha, de um jeito que "forçou" os nossos rostos ficarem próximos.

Começou a cantar desafinado de propósito. Mas, seu inglês era impecável de garoto de ensino médio... Quis saber qual era a banda que cantava essa musica e achou engraçado, quando eu falei que, se tratava de uma banda que cantava a trilha sonora de um filme da Disney e cantarolou o refrão perfeitamente: 
Somebody somebody yeah somehow someday someway... ♫
Me perguntou se, eu sabia a tradução dessa musica e cantei um pouco envergonhada Alguém alguém yeah de alguma forma algum dia alguma maneira...♫ e lhe disse que o filme era sobre superação, vontade de ser alguém e se destacar sem ser tão sozinha...

3 de janeiro de 2017

Uma crônica sobre o verão...


Hoje eu acordei muito mais cedo do que de costume, tirei a " máscara de dormir" dos meus olhos recém abertos olhei o celular e verifiquei no visor do celular que o dia estava nublado...

Queria ir a praia, e naquele dia nublado possivelmente iria chover e literalmente "afogar" os meus planos do inicio do final de semana...Não pensei duas vezes. Levantei da cama confortável, com a temperatura ideal do ar condicionado e fui colocar o biquíni por baixo de uma roupa confortável:O plano A, seria ir a praia e o Plano B, seria "sair por ai...",

Arrumando os últimos "ajustes" para sair e arrumando a bolsa de uma "possível" praia. Que tinha; Tolha, canga carteira com documento e uns trocados, minha caixinha de óculos; com os meus óculos de sol/grau e o livro que estou terminando de ler... Arrumando a bolsa e os meu planos lembrei das sábias palavras da minha vó que aprendeu com a minha bisavó.... E ela sempre repetia quando respondia sobre o tempo;

_Quem olha para tempo não faz viagem...

No ano que passou ... O que eu menos fiz, foi "olhar para o tempo..." e na maioria dos 365 dias daquele ano... fui pega desprevenida, com os dias de sol e os dias de chuva sem nem me importar com as possíveis lágrimas que podia rolar nesses dias de 2014.Sabe de uma coisa, não me arrependo! apesar de não ter GRANDES planos para aquele ano... A maioria das minhas metas, foram cumpridas independente do tempo lá fora, e principalmente do meu tempo aqui dentro...


Os Planos do inicio desse texto: a) ir a praia e b) sair por ai....Foram devidamente concluídos! Fomos em uma praia "Tradicional" aqui em Floripa e a beira do mar é um dos meus lugares preferidos para ler um bom livro e ouvir uma boa música no "set-list" do meu celular... O tempo, foi o que menos importou. Embora, o dia tenha ficado com um dia lindo e caloroso de sol.Sobre as lições que aprendi hoje foi que:


Quem olha para o tempo... Somente vê ele passar.
Quem olha para o tempo... Não, faz viagem e principalmente... 
Quem olha para o tempo... Não vai a praia!


20 de dezembro de 2016

Outras tentações legais demais ♪

“Talvez eu só precise de férias,
 um porre e um novo amor.”


Sempre quis escrever nesse estado em que me encontro. Não totalmente sóbria, mais um tanto/pouco bêbada em um estado “feliz da vida” não estou no estado extremo da bebedeira se não eu não estaria escrevendo tão corretamente, claro que estão faltando à pontuação e a vírgula corretamente, mas esses erros nem preciso estar bêbada para cometê-los. 

Como já diria o Caio: “Talvez eu só precise de férias, um porre e um novo amor.” Estou de férias de um dos semestres da faculdade de psicologia mais felizes que eu já tive foi um semestre que escolhi a dedo com quem e com o que eu iria me estressar e isso foi muito bom! Não irei mais sangrar por quem não merece e quem não iria sangrar nem um pouco por mim e no fim o sentimento de dever cumprido foi um dos melhores de sentir. Aprendi no dia anterior que, a vida continua! As pessoas têm um tempo certo para permanecer em nossas vidas, existem aquelas que não querem permanecer então nada mais justo do que deixá-la ir, mas a porta não ira continuar tão aberta caso queira voltar. Em outras palavras e em um português BEM claro, meu coração não é casa da mãe Joana para neguinho achar que pode entrar fazer a maior zona cair fora e depois querer entrar novamente como se nada tivesse acontecido. E no mais a vida continua, dia para bebemorar não é dia de ficar chorando pelos cantos pelo “leite derramado” e sim de pensar que fizemos de tudo para concretizar se não deu certo ou se morreu no caminho... É porque era assim que deveria ser e não o contrário, Maktub (estava escrito...) e no mais é borá para frente que atrais vem gente TCHÊ! 

O amor se parece um pouco com porre, no inicio parece não ter conseqüências até você se entregar por completo, falamos demais sentimos outro tanto e falamos tudo sem rodeio aquele que sóbrio ninguém diz. Perdemos o medo a vergonha e a maioria das vezes o juízo. No final acabamos nos machucando, perdemos choramos dizemos nunca mais! Ou temos uma puta ressaca ou a pior delas a tal “ressaca moral”, mas ninguém mandou guardar tantas coisas por tanto tempo, são nesses momentos que as verdades nos escapam por entre os dedos. Um porre, as férias e um novo amor só valem à pena se te deixam com um sorriso bobo no rosto do inicio ao fim. Tipo um bobo alegre, vale até parecer à maior idiota do mundo aos olhos dos outros. Ser/estar feliz sem depender de nada e ninguém e ao mesmo tempo estar com todas as pessoas que fazem tu se sentir assim Completamente Feliz! Não tem preço.

Versos na Gaveta: Serão alguns textos antigos que escrevi e que tenho guardado nos "Arquivos" dos meus antigos blogs.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei comentando com vocês sobre o BEFA (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5




9 de dezembro de 2016

Mudar...


_Vamos mudar? 

Mudar... Primeiro eu mudei de fase do desenvolvimento humano; bebê, criança, adolescente e jovem adulto... Mudei de idade, os meus 18 anos de idade pesaram muito mais que os meus atuais 30 anos. 

Mudei de personalidade; Ao longo desse tempo fui moldando os meus pensamentos, sentimentos e a minha maneira de agir ao longo dos meus vinte e tantos anos... . Sinto saudades de quem eu era... Embora, eu saiba que não posso voltar atrás. 

Morei em um pequeno apartamento até os 06 anos de idade. Quando eu completei 07 anos, meus pais acharam que eu precisava socializar com as crianças da minha idade... Então, junto com os meus pais eu mudei de endereço; indo morar em uma casa localizada em um bairro cheio de crianças de diferentes faixa-etária. 

Mudei de companhias, colegas, amigos, amores... Descobri um pouco tarde o real significado da frase “Sua melhor companhia é a si mesmo”... E que os melhores aprendizados acontecem de dentro para fora, e não ao contrário como um dia eu pensei. 

Você veio no meio de TODAS essas mudanças. E desde a sua vinda até o seu abrupto "adeus" bagunçou meus pensamentos e sentimentos e bagunçou ainda mais a Life... Depois de um tempo você quis voltar, como se nada tivesse acontecido... Como se nada tivesse mudado, como se ainda eu tivesse no mesmo lugar esperando você voltar. 

Porém, eu mudei muito, e não preciso que acreditem na minha mudança para que eu tenha mudado é só observar minhas atitudes e verá que, mesmo eu sendo eu mesma, com essa coleção de clichês que me cercam e cercam minhas palavra eu nunca mais serei a mesma.




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
Estarei comentando com vocês sobre o BEFA (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5

26 de julho de 2015

Escrevendo eu falo pra C*…

Parada em frente ao computador me encontro, digitando algumas palavras para um novo POST. Meus pensamentos tem uma velocidade muito superior as minhas dedilhadas no teclado… Volto a re-lêr e re-escrever algumas vírgulas, e pontos finais que provavelmente tenha esquecido.

Gosto quem tem o DOM de transformar a melodia do dia-a-dia em Versos… Não basta ouvir o canto dos pássaros, ver a pedra no caminho de Drummond. Para mim pelo menos, preciso ler a poesia do dia-a-dia como a cegueira de um cego precisassem do tato/audição, para interpretar a beleza que a deficiência não deixa ver. Nem de longe vou discutir sobre Deficiência X Eficiência, pois como já escreveu Martha Medeiros “Tudo que precisamos é conviver bem com os nossos desalinhos, com as nossas perdas…”.

Desde a bagunça nos Versos… Estou postando uma ou duas vezes por semana falando sobre o meus dia-a-dia, desalinhos e sentimentos. Só não contava que o primeiro semestre de 2013 estaria sendo tão… Apático, isso se deve a cirurgia dos meus pés e o trancamento da faculdade depois de tantas idas e vindas.

Sinto falta da “Rotina” sei que semana que vem vou reclamar muito no Twiiter por causa dela, mas estarei narrando um fato do cotidiano (mesmo sendo com 140 caracteres ¬¬) e algo além das quatro paredes ao meu redor… Quero ver coisas corriqueiras da rotina, quero conversas e momentos que, valham a pena descrever aqui no Versos… mas, também não quero transformar o meu Blog em “#mimimi’s diários” com a desculpa de que o Versos em bossa… É um blog pessoal.

Vai além de “escrever a sobre falta do que escrever” poderia escrever textos cheios de frases de impacto e recheá-las com alguns clichês… Mas eu não consigo exprimir sentimentos contrários quando eu escrevo; entrego-me a melancolia em cada vírgula, há indireta em cada palavra e cada frase eu entrego os meus sentimentos, metáforas, trocadilhos, referências.

Saber descrever sobre a monotonia dos dias é um dos DONS que mais admiro no escritor: A pedra nunca mais será uma simples pedra, aos olhos de Drummond…


Escrito no dia 26 de Julho de 2013

18 de março de 2015

Isto foi o mais perto que cheguei do "Amor"…

Acreditei “cegamente” nessas palavras, e eu teimava em insistir em repeti-las durante meses (cof, cof). No fim eu percebi que o caminho para o amor era de “mão dupla” e, eu tinha pegado a direção errada desde o começo… Mesmo não acreditando nas “definições do amor” não poderia ter ignorado tão friamente todas elas. Deveria ter considerado (pelo menos) a principal definição; O coração batendo em taqui-cardiaco. 

Dessa vez o meu coração não bateu… Desde a primeira vez, o primeiro encontro… Nem as mãos suaram com o primeiro toque…

“Tentei ser recíproca com todo “AMOR” que achei que eu estava recebendo…” Não! Esse texto, não é sobre o outro… E nem usarei justificativas e velhas máximas como o “inferno é o outro” para justificar o que não existem justificativas. O amor não é um sentimento que possa ser “recíproco” não apenas isso, em minhas teorias mais alucinantes o Amor deve ser um gremlin que, no mínimo de um “olhar diferente” entre as pessoas transformam o coração da gente… E se a “transformação” não ocorrer simplesmente não era AMOR.

A intensidade dos sentimentos diminui quando o amor acaba. E quando o amor nunca existiu? 

Se o AMOR for “simplesmente isso”, espero que seja o mais perto que eu chegue às próximas décadas. Tendo passado por isso, posso dizer agora com mais certeza que eu sabia lidar melhor quando o AMOR era só desculpa, para escrever aqui no Blog não para “sangrar” e “machucar” tanto como foi esses últimos meses…

Somos a pessoa certa/errada no momento certa/errada de Alguém. A “magia” desse sentimento é quando dois corações encontram a pessoa e fazem aquele momento ser o “certo” dos dois…

8 de abril de 2014

O tempo…


Escrevi essa crônica(?) no dia16 julho 2011 no meu blog antigo e era justamente sobre os assuntos que abordo nela foi o que eu pensei hoje.

Fonte: Internet

A velocidade de tudo que acontece em cada momento Depende de você
Tá ruim demora se tá bom vai embora e a vida passa sem a gente ver
Tá ruim demora se tá bom vai embora e a gente esquece antes de amanhecer
Velocidade-Vera Loca 

Quando mais velha eu fico percebo que o tempo esta cada vez mais acelerado, tanto o tempo que aquele relógio velho da cozinha marca fazendo TIC TAC, como o relógio biológico. Eles estão batendo a mil por hora, aumentando a frequência na medida em que fazemos aniversario.

As horas passam…
Os folhetinhos do calendário caem…
Os momentos bons passam rápidos demais…
Os momentos ruins ficam maçantes e demoram a passar.

A nostalgia virou um tipo de acessório da moda e a saudade virou assunto de mesa de bar, acredito que esse é o lugar que as pessoas mais embriagadas fazem as mais belas canções, poemas, crônicas, posts… etc e tal! Escrevendo sobre a sua saudade. 

Existe aquela saudade saudável, aquele tipo de saudade gostosa de sentir porque é muito bom saber que aconteceu contigo! Já escrevi varias vezes sobre as minhas “saudades” o arquivo dos Versos esta ai para provar; Acústicos e Valvulados (6 shows!) fora as chalaças com os guris da banda, NDN, Everton Cunha (memorável!) e outros momentos que só de lembrar vem involuntariamente aquele sorriso no rosto… 

A velocidade desses momentos leva junto às pessoas que de alguma forma marcaram a nossa vida e junto com o tempo elas vão embora sem o nosso consentimento, como se essas pessoas não coubessem mais no nosso dia-a-dia.

“Tive minhas melhores amigas no ensino médio coisas de adolescentes que andam em bando, apesar das mudanças de pessoas éramos as duas o maldito tempo passou… Saímos do colégio que estudávamos, mas íamos uma na casa da outra frequentemente e saiamos com a mesma frequência Mas não éramos do mesmo grupo social de ambas e o contato foi se perdendo… Encontrei essa tal amiga no centro e resolvemos tomar suco para fofocar, um cara veio azarar ela e perguntou quem eu era a resposta considerável era que eu era uma amiga ou até um colega era aceitável naquela ocasião, mas ela culpou o tempo e não soube responder… Me adicionou no facebook esses tempos fiquei sem reação.”  a Amizade permanece... Ou melhor, deveria permanecer, mas às vezes você também vai se pegar pensando se essas pessoas são seus amigos ou foram amigos em uma época da vida.

Os melhores momentos de nossas vidas trazem com ele pessoas especiais que queremos levar para á vida inteira, eles marcam as nossas vidas e queremos que eles permaneçam para reviver e viver outros bons momentos.

Guardo varias lembranças dessas pessoas comigo, e vivo outros momentos memoráveis com os amigos que fiz com o tempo, fiz também vários amigos de estrada com vários momentos bacanas que guardo boas lembranças e sei e que vamos lembrar esse momento e viverem tantos outros e vamos nos lembrar de um do outro quando nos revermos por ai e nunca mais iremos nos tratar como se fosse a primeira vez que nos vemos, independente de quanto tempo passar!

Os momentos ruins e maçantes também trazem pessoas não agradáveis que diferente da boa, quer que essas pessoas vão embora rapidinho e parece que elas demoram séculos para sair da nossa frente, mas nos mostram coisas importantes na vida depois que passam…
Não levo nada deles comigo, também não os desejo nada de feio, mas deixo ir… Sem remoer e sem insistir, se não me fizeram bem no passado acredito que não vão me trazer nada de bom no presente muito menos no futuro.

Como já cantarolava uma musica de um banco “o tempo voa…” não podemos desperdiçar com o que/quem não nos agrega, por isso, que eu gosto de estar com as pessoas que fazem o meu dia-a-dia passar rápido, pois esse é um sinal, de eu estar passando momentos bons e moráveis e de ver o tempo passar voando…

19 de fevereiro de 2014

Al lado Del camino.








É como diz aquele refrão daquela canção pouco conhecida “Me gusta estar a un lado del camino…” embora, eu tenha me sentido bastante perdida nos 182 dias, dos dois semestres que dividem o ano. Os momentos foram passando, por mim, como pequenas fumaças… Pessoas foram embora, pessoas chegaram e outras andaram causando um pouco de ressaca. Dando bons motivos em estar me sentindo cada vez mais viva.

Na medida, que os dias passaram… “os barcos” de tanto baterem nos cais da vida, foram sendo abandonados. Os dias foram mostrando que é possível navegar sozinho, e muitas vezes foram muito melhores estar só sem sentidos, sem dor e nem dramas…

Mesmo “perdida” eu estava no caminho certo. Acho, que não deve ser muito bom cronometrar cada milésimo dos seus passos, às vezes é bom curtir a brisa das coisas que passam… Tão bom, quanto a brisa que te pega desprevenida desarrumando os seus cabelos…

Ouvi em uma na aula de filosofia que ” o único perigo em estar vivo é a morte” e mesmo quem escolhe morrer, vira refém das suas próprias escolhas. Nunca se vendo livre delas por toda a eternidade… Irônico. Prefiro manter o corpo e alma vivos e coração aberto. Mesmo que, a vida não nos proporcione um “jardim de rosas” ainda prefiro o perigo de estar vivo e estar “… a un lado del camino…”.


© Lado Milla
Maira Gall