12 de maio de 2014

Quando só a musica não basta...


Ouço um programa de rádio na madrugada e quando dá 00h:00min em ponto o radialista lê frases, poemas e textos... e sempre te faz pensar sobre as várias temáticas...  


A ânsia

Tão simples seria, se tivéssemos a mesma interpretação das palavras, e não somente delas, mas também dos gestos. 

Se hoje habitam, aproximadamente, sete bilhões de pessoas na Terra, quantos mais por aqui passaram e deixaram seu tempo um pouco diferente do agora!

O fato é que a complexidade, a perfeição do homem é tamanha que faz dela própria (a perfeição) sua maior imperfeição, sem que ele mesmo se dê conta disso. 

Que coisa louca!

Não existe nada mais completo e possível do que a natureza humana com todas as suas riquezas possíveis e imagináveis e, é claro, o contrário dessas, as quais só o tempo haverá de mostrar o quanto ali já habitam.

Cada comparativo que seja feito, de um para com o outro, pode mostrar inúmeras verdades que ali se estabelecem. Mas, ao mesmo tempo, faz destas mesmas verdades, uma possível mentira, criada a partir do que ele tenha somente como vontade e não por fato.

A distância que move a verdade (até que essa se torne fato) faz, através do tempo, uma possibilidade de variações na interpretação de uma mesma coisa. 

Se esse tempo fosse único para todos, é bem provável que estaríamos à mercê do acaso que o próprio acaso seria capaz de fazer. Mesmo assim, poderia não ser o acaso o acaso dele mesmo, mas sim, o feito da verdade de todos.

Como existem infinitos tempos para infinitas existências pessoais, ficamos tentando determinar o momento em que faremos da “nossa verdade” o “fato” para o maior número possível de pessoas, transformando, dessa forma, o tempo de cada uma num único que cubra nosso pensamento e existência, com a mesma interpretação desejada no sim da verdade.
 
Enquanto nada disso acontece, ou, pelo menos, boa parte não aparece, vamos somando instantes, momentos, tempos em tempos de ânsias, supostamente chamados de “felicidade”. 

Cada vez que a ânsia aparece, parece que o tempo acelera e passa lento tal qual a felicidade que nunca chega.

De todas as vezes que a felicidade não chega, na maior parte delas, quem fecha a porta (e nem sequer uma fresta deixa) é ela que ali está, a ânsia, com seu tempo (que se diz ser infinito, mas finito é) e seu jeito egoisticamente pretensiosa de mostrar ao mundo o que não deveria, mas que o faz sem saber.

No tempo da ânsia, não existe felicidade. Quando existe felicidade, a ânsia simplesmente dá lugar à vida. Isso, se todos nós tivéssemos a mesma interpretação das palavras, bem como dos gestos.



Por Éverton Cunha, o Mr. Pi
Pijama Místico – Pijama Show – 01/04/2009

9 de maio de 2014

Para dizer que eu não escrevi...



Faltando 30min para acabar o expediente... Hoje é sexta-feira!!! 
A verdade é. O meu ultimo dia da semana geralmente é assim:
 Estágio no sul da ilha das 8h: 00min até 12h: 00min saio correndo e almoço em um restaurante no lado do meu serviço que fica no norte da Ilha e começo a trabalhar das 13h: 00min até às 19h: 00min (passo sempre uns minutinhos...) e a minha casa fica no meio desses dois pontos (norte e sul) oque não ajuda muito pela dificuldade que é passar direto pela minha casa...

Ao escrever “sexta-feira!!!” não leio com tanto entusiasmo ... Hoje já veio uns 3ou9 falando isso e eu penso mentalmente: _ FODA-SE. É o dia que, quando chega lá pelas 19h: 00min eu estou “a capa da gaita” ou morta com farofa...
Sexta-feira é o dia da Pizza em casa... e nada de “chalaça” (Show dos Acústicos... não conta. Aliás, sexta-feira que vem vai ser o dia da RESSACA! )
FEEEEEEEEEEEEEEEEEEEITTTTTOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

Acabou o expediente!!!! Posts melhores na sequencia e fotografias LINDAS e FODONAS nos posts da semana que vem!!!!

5 de maio de 2014

TAG: O que todo mundo ama... e eu odeio.


Baladas, música alta e aglomeração de gente estranha.


 Adoro ir a show’s e já fui a muito show sozinha  e para ficar grudada no palco...oque eu não consigo é, ir em balada sem proposito nenhum... Só para beber e dançar loucamente na pista com uma letra de musica indecifrável no som do tunts-tunts.

 Açaí


 Tenho uma teoria que: Qualquer alimento que tem que misturar com outros alimentos para ficar “comestível” não é bom! Misturar com banana com leite em pó, leite condensado, frutas, granola... Éca!  Quando eu falo essa teoria muitos respondem “Há mais você come sushi!” Mais experimentei todas as partes que contem o sushi antes, e ambas as partes eu gostei e eu como até sushi puro, sem o shoyo...

Não gosto de “trilogias”


Sabe aqueles livros sem fim ou que irão acabar só no livro x? Não gosto! E já me desinteressei de livros só por ter essa característica... Tanto pelo preço, acho sacanagem gastar 30 reais ou mais por cada livro... E pelo tempo também. Gosto de ler livros que tenham historias que contenham o inicio, meio e fim sem a expectativa “continuação no próximo livro...”.

Whatsapp

Wat? Não é que eu não gosto do Whatsapp, concordo em termos com a Kéfera quando ela diz que; “as pessoas tem o DOM de deixar todas as redes sociais bastante chatas” ter internet no celular é uma M* ok que eu fico 24 horas conectadas pela facilidade... Mais isso não quer dizer que eu não faço nada da vida não tenho saco de ver em menos de cinco minutos 24 mensagens de assuntos aleatórios... No face... eu desconecto quando as coisas se passam... e no Whats...? Não tem como dar uma “voltinha” e conectar "devesenquando..."  Hoje tenho poucos contatos no Whats... e não gosto de conversar “em grupos”.


Harry Potter



No “frisson” dos livros e do filme e eu tinha 18 anos e já estava suando no meu primeiro emprego... Embora, eu tenha um gosto um pouco adolescente HP e os outros bruxos não conseguiram me conquistar. #mejulguem!
Do contra curtiu essa postagem!


© Lado Milla
Maira Gall