20 de maio de 2016

Tag: 12 meses na estante

Faz um bom tempo que vi essa TAG LITERÁRIA na blogosfera e até cheguei a salvar nos "favoritos" aqui no meu computador... Eu acabei esquecendo! Essa semana, encontrei essa tag na imensidão dos textos perdidos nos "favoritos". 


Essa TAG é bem simples, e consiste apenas em compartilhar com as outras pessoas doze livros que você acha que se encaixam com cada um dos meses do ano. É claro que as escolhas sempre nos levam a ter motivos para tal, portanto, também vou me alongar um pouquinho e contar o porquê de ter escolhido determinados livros.

Janeiro: Um livro com uma citação que você goste.

A Vida do Livreiro A.J. Fikry- Uma carta de amor para o mundo dos livros e eu me envolvi tanto com a leitura de um jeito... que gastei praticamente a metade dos meus post´its coloridos marcando as minhas frases preferidas desse livro.
“As pessoas contam mentiras chatas sobre política, Deus e amor.  Você descobre tudo que precisa saber sobre uma pessoa com a resposta desta pergunta: Qual é o seu livro preferido?"

Fevereiro: O livro com a capa mais colorida da sua estante. 




Comprei a nova edição de O Diário de Anne Frank publicada pela Editora Record, com capa dura e acolchoada. A capa imita o próprio diário da Anne e no interior tem algumas imagens do diário original que está em exposição na Casa de Anne Frank, em Amsterdã.



Março:Um livro que tenha uma mulher como capa e como autora.

O livro Reconstruindo Amélia da autora Kimberly Mccreight. Comecei a ler esse livro na Maratona Literaria de Inverno #MLI2015 na qual eu flopei vergonhosamente... Foi uma leitura devagar quase rastejante... Porém, eu gostei bastante do desenrolar dessa história. Fiz resenha contando mais sobre o livro aqui.


Abril:O último livro que te fez chorar.

O livro Auggie& Eu - Três histórias Extraordinárias não é uma continuação do livro Extraordinário e sim um complemento da história. Sim, você terá que ler o livro para conseguir entender o decorrer da história.

O capitulo de Julian: Julian não era apenas um menino mimado... Seus pais arrumavam justificativas para cada ato que ele cometia. No começo, Julian é apenas um garoto petulante da maneira como ele trata o Auggie chamado ele de "monstro" e o seu possível transtorno de ansiedade e pesadelos parece um tanto dramático típico de um garoto mimado como Julian. Mas, a vida tem um jeito um tanto peculiar de nos ensinar... Depois do castigo do diretor Busanfa e isso inclui não ir para a "colônia de férias"seus pais lhe mandam passar as férias em Páris. Depois de uma conversa emocionante e esclarecedora com sua vó, Julian consegue perceber como as suas atitudes foram cruéis e pela primeira vez sente remorso das atrocidades que ele cometeu com Auggie em vez de arrumar "justificativas" mudou o seu comportamento e escreveu o mais bonito preceito "È preciso recomeçar".  Resenha aqui.

Maio: Um livro com enredo sobre família.


Tive uma ligação quase que "transcendental" com o livro Bisa Bia, Bisa Bel sou movida a histórias não resolvidas e saudades que vem do nada... Risquei a palavra saudade do meu vocabulário mas esse ano de 2015 essas "saudades" viram a tona com um turbilhão de memórias... Acredito que os livros nos encontram no momento certo. E depois de várias indicações encontrei essa edição na biblioteca da faculdade na qual dividimos com uma escola... Resenha aqui.




Junho:Um livro com um romance de tirar o fôlego.




Julho: Um livro com capa em tons frios.




Sinopse: Este é um livro de estreia vibrante, profundamente romântico e imperdível. Lennie Walker, de dezessete anos de idade, gasta seu tempo de forma segura e feliz às sombras de sua irmã mais velha, Bailey. Mas quando Bailey morre abruptamente, Lennie é catapultada para o centro do palco de sua própria vida - e, apesar de sua inexistente história com os meninos, inesperadamente se encontra lutando para equilibrar dois. Toby era o namorado de Bailey, cujos sentimentos de tristeza Lennie também sente. Joe é o garoto novo da cidade, com um sorriso quase mágico. Um garoto a tira da tristeza, o outro se consola com ela. Mas os dois não podem colidir sem que o mundo de Lennie exploda...

Agosto: Um livro que você jamais leria de novo


Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.


 Tem  um ditado que diz que: "A expectativa é a mãe da decepção." Em 2013, eu li "culpinha"e começou a saga de querer ler todos os livros do Jonh Green e esse foi um dos livros que eu menos gostei.

Setembro: Um livro cuja capa tenha flores ou pássaros.


Após o desaparecimento repentino de seu pai, Gabriella Mondini enfrenta uma crise: sem o seu aconselhamento, ela não pode mais praticar a medicina. Então, junto de seus dois fiéis servos, Olmina e Lorenzo, ela explora toda a Europa para descobrir para onde — e por que — ele se foi. Seguindo pistas das ocasionais e enigmáticas cartas do pai, ela vasculha as capitais europeias expandindo os horizontes de seu mundo e acrescentando conhecimentos ao imenso livro das curas que está escrevendo. No entanto, ela não conhecerá apenas os limites físicos do continente, mas, também, os mistérios do amor, da perda e da mortalidade. Mistérios que estão no coração de cada alma viajante, especialmente na alma de seu pai. Resenha aqui.


Outubro: Um livro cujo o título inicie e termine com a mesma letra.


Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus.Também não faz ideia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel,um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. 'O Menino do Pijama Listrado' é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável. Resenha aqui.



Novembro: Um livro que tenha amarelo ou laranja em sua edição



Sinopse: Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo. Resumo aqui.

Dezembro: Um livro que tenha verde ou vermelho em sua edição 



Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte. Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia. Resenha aqui.


16 de abril de 2016

Correios #04 - Cartões de visita do blog.

O blog Lado Milla agora tem cartões de visita personalizados. Conheço algumas pessoas que não tiveram boas experiências com serviços gráficos e por isso resolvi contar um pouco sobre como foi o processo de criação, produção e impressão do material que fiz para o blog. Vale destacar que, os preços variam de acordo com o tipo de trabalho solicitado.


A necessidade de fazer cartão de visita para o blog surgiu quando eu comecei ir a eventos: como encontros de blogueiros/vlogueiros e encontros literários promovidos pelas editoras. Durante a conversa com os outros blogueiros eu falava sobre o meu blog e a pessoa pedia um cartão do Blog e várias vezes eu entreguei o cartão da fotografia para a pessoa. Ficava uma situação complicada, pois o assunto em questão não era fotografia.,, A partir daí, percebi que precisava fazer os cartões para o blog o mais rápido possível para evitar novos constrangimentos.

1º passo: Design 

Confesso que, eu não tenho nenhum conhecimento em Design. Os sites que me auxiliaram bastante para montar a arte do cartão de visita foi o colourlovers que te dá à possibilidade de colorir as imagens de fundo (peças do quebra-cabeça) e o Canva me possibilitou colocar a minhas idéias no papel. Aliás, esses sites também me auxiliaram a montar um Banner para o blog Lado Milla.


Para criar o cartão usei a mesma identidade visual aqui do blog. Fiz isso porque facilita no momento da pessoa assimilar e reconhecer o blog no material gráfico.

2° passo: impressão

No segundo semestre de 2015 resolvi adotar a figura de uma peça de "Quebra Cabeça" aqui no Lado Milla inspirada nos meus blogs favoritos como já falei em alguma postagem aqui no blog. Quando eu (finalmente) concluí as artes, pensei na possibilidade de ir atrás de gráficas aqui de Florianópolis, mas não tive uma experiência muito boa com os meus cartões de fotografia:
“Quando eu senti a necessidade de ter um cartão de fotografia fui atrás de uma gráfica que fica próxima a minha casa. Eu não me lembro do valor/quantidade que foi na época, o profissional não deu liberdade nenhuma de montar um cartão de visita do jeito que eu queria e fiquei meio que sem jeito de pedir...”
Eu conheci a gráfica virtual 360 imprimir pelas pesquisas que fiz na internet e vi que muitas pessoas recomendavam os serviços da 360 imprimir. No começo fiquei insegura, mas o site é muito fácil de manusear dando ao usuário a liberdade de fazer o cartão de visita do nosso jeitinho... 


Para fazer serviços gráficos na 360imprimir você tem a opção de fazer download da sua arte pronta (o meu caso, por exemplo) ou usar um dos modelos que eles disponibilizam no site. Os valores variam conforme acabamento, cor e corte do seu produto.

Eu paguei R$ 19,99 em 250 cartões de visita. Os cartões foram feitos com acabamento para a impressão ficar correta, o papel veio reforçado e nem parece que a minha impressão é a sem verniz porque os materiais ficaram com superfície lisa e impecável. Tem a opção de pedir revisão de um profissional para a sua encomenda paguei R$ 9,99 por esse serviço. O frete custou R$ 16,00 e no fim a minha conta na 360imprimir fechou em R$ 36,00.

O capricho da gráfica está, desde a impressão até o envio dos produtos. Recebi os cartões em uma caixinha de papelão reforçada. O material também estava bem acomodado e sem amassar. O prazo de entrega demorou menos de 15 dias mesmo pedindo pedi produção lenta (se você pede produção rápida, eles cobram uma taxa). 


Para conhecer o trabalho da 360imprimir é só clicar AQUI e acessar o site da empresa.

7 de abril de 2016

Por ai... Florianópolis/ SC


Os projetos fotográficos (XonX) que participei já renderam um textão (http://ladomilla.blogspot.com.br/2014/06/bloco-do-eu-sozinho.html) aqui no Blog. Porém, sou a pessoa mais animada quando vejo uma blogueira agitando nas pages de interação do facebook convidando outras pessoas para participar do projeto fotográfico e logo quero participar!

O tema desse mês: Cidade

Florianópolis é a capital do estado brasileiro de Santa Catarina, na região Sul do país. O município é composto pela ilha principal, a ilha de Santa Catarina, a parte continental e algumas pequenas ilhas circundantes. A cidade tem uma população de 469 690 habitantes, de acordo com estimativas para 2015 doInstituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o segundo município mais populoso do estado (apósJoinville) e o 47º do Brasil.[7] A região metropolitana tem uma população estimada de 1 096 476 habitantes, a21ª maior do país. A cidade é conhecida por ter uma elevada qualidade de vida, sendo a capital brasileira com maior pontuação do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), calculado pelo PNUD, das Nações Unidas.[10]

A cidade tem 42 praias e é um centro de atividade de navegação. O jornal estadunidense The New York Timesafirmou em 2009 que "Florianópolis era o destino do ano".[14] A Newsweek considerou que o município é uma das "dez cidades mais dinâmicas do mundo" em 2006.[15] A revista Veja classificou a cidade como "o melhor lugar para se viver no Brasil",[16] enquanto que o Índice de Cidades Empreendedoras (ICE), elaborado pela filial brasileira da ONG norte-americana Endeavor, elegeu a cidade como o melhor ambiente para oempreendedorismo no país.[17] Como resultado dessa exposição, Florianópolis está crescendo como uma segunda casa para muitos paulistas, argentinos, estadunidenses e europeus. A cidade também foi considerada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) uma das "cidades criativas" do Brasil em 2014, ao lado de Curitiba.[18]

A maioria da população vive no continente e em partes do centro e norte da ilha principal. A metade sul é menos habitada. Muitos pescadores comerciais pequenos povoam a ilha. Os barcos de pesca, as rendeiras, o folclore, a culinária e a arquitetura colonial contribuem para o crescimento do turismo e atraem recursos que compensam a falta de um grande parque industrial. Vilarejos imersos em tradição e história, como Santo Antônio de Lisboa e Ribeirão da Ilha, ainda resistem aos avanços da modernidade.[19]
Fonte: wikipedia
                                                                                                                 













Visitem as outras meninas do projeto: Gabriele Ortiz, da Gabi: http://www.gabrieleortiz.com.br/, Fotografei, do Lukas: http://fotografandocadaideia.blogspot.com.br/,Flores de Novembro, da Elo: http://www.elorodrigues.com.br/, Another little diary, da Aline: http://anotherlittlediary.weebly.com/, Café pra viagem, da Clarice: http://cafepraviagem.com/, Blog Confident, da Lets: http://www.blogconfident.com/

© Lado Milla
Maira Gall