6 de maio de 2017

A Girl Like Her (2015)




A Girl Like Her é um longa metragem americano em formato de documentário dirigido por Amy S. Weber. As estrelas de filme Lexi Ainsworth como Jessica Burns, um estudante de escola secundária bullied de 16 anos que tenta o suicídio. O filme foi originalmente intitulado "The Bully Chronicles", mas o título foi posteriormente alterado.

Aos 16 anos, Jessica Burns guarda um segredo. A única pessoa que o conhece é seu melhor amigo, Brian Slater. Durante o ano, ela tem sofrido com as maldades da sua ex-melhor amiga, Avery Keller, uma das alunas mais bonitas e populares da escola. O que se pode fazer quando o mundo vê a imagem de uma pessoa que não corresponde a realidade? Com a ajuda de Brian e uma câmera, as imagens das maldades de Avery são filmadas e finalmente mostradas a todos, fazendo com que as duas garotas e suas famílias tenham que encarar a verdade.

O filme começa com Jessica (Lexi Ainsworth) em seu quarto, chorando e andando. Ela caminha para seu banheiro e toma um punhado de comprimidos de seu armário de remédios. É revelado que a escola secundária em que ela estuda, ganhou uma chance para um documentário para ser uma escola pública que colocou como uma das dez melhores escolas em todo o país.

Aos 16 anos, Jessica Burns guarda um segredo. A única pessoa que o conhece é seu melhor amigo, Brian Slater. Durante o ano, ela tem sofrido com as maldades da sua ex-melhor amiga, Avery Keller, uma das alunas mais bonitas e populares da escola. O que se pode fazer quando o mundo vê a imagem de uma pessoa que não corresponde a realidade? Com a ajuda de Brian e uma câmera, as imagens das maldades de Avery são filmadas e finalmente mostradas a todos, fazendo com que as duas garotas e suas famílias tenham que encarar a verdade.

A tentativa de suicídio e hospitalização de Jessica se espalha rapidamente em toda a escola, e as câmeras capturam os alunos chorando e falando sobre a situação. As equipes de câmera percorrem entrevistando crianças sobre Jessica, e revelam que seu principal atormentador foi a sua ex-melhor amiga, Avery Keller ( Hunter King ). Eles a procuram e ela nega sempre intimidar Jessica e afirma que eles estavam brincando.


Eles perguntam se ela quer fazer parte do filme, dizendo que querem ver a vida de uma garota popular, como Keller afirma que ela, como uma menina popular, é muitas vezes mal interpretado. Eles vão para sua casa naquela noite, onde se encontram com sua mãe, irmão e pai e ver o quão difícil é a sua vida doméstica. Eles gravam filmagens de sua vida e dão a ela uma filmadora com a qual filmar filmagens extras de si mesma para que outras pessoas vejam como é ser popular.


À medida que o filme avança e os alunos continuam a lidar com o que está acontecendo, a equipe da câmera conversa com o melhor amigo de Jessica, Brian (Jimmy Bennett). Brian convida a tripulação para sua casa. Ele diz à tripulação que o bullying tem acontecido por cerca de 6 meses e que eles começaram a filmar o bullying com uma câmera escondida disfarçada como um pino libélula, bem como com a câmera de Brian. Ele mostra-lhes imagens de Avery intimidando Jessica, confirmando o que outros tinham afirmado sobre a relação entre as duas meninas. Também nas filmagens estão as cenas de Jessica chorando e dizendo que ela não pode agüentar mais.


No dia seguinte na escola, a equipe se aproxima de Avery novamente e diz que eles têm provas de que ela intimida Jessica. Eles perguntam se ela quer vê-lo, e ela concorda em encontrá-los em sua casa naquela noite.

Mais tarde naquela noite no hospital, os pais de Jessica a visitam quando ela perde o pulso. Seus pais e as câmeras são expulsos da UTI, como os médicos tentam reviver Jessica. Neste ponto, Avery está assistindo a filmagem de sua intimidação Jessica. Avery começa a demonstrar-se mais humana e sofre assistindo aos videos e solicita que seja desligado. Chorando histericamente, ela diz ao cineasta como é pesaroso e arrependido, como ela conforta Avery e diz-lhe que ela é realmente uma boa pessoa.

Os médicos são capazes de recuperar o pulso de Jessica, mas dizem que devido à não-melhora de seus órgãos, ela acabará por sucumbir à insuficiência total de órgãos se ela não acordar do coma em breve.

Percebendo as conseqüências de suas ações, Avery posta um vlog, declarando em lágrimas que nenhuma pessoa merece ser tratada da maneira que ela tratou Jessica e se desculpa profundamente. Ela termina o vídeo com: "Meu nome é Avery Keller, e eu sou um valentão.". 


O filme termina com um corte no rosto de Jéssica, no qual ela abre os olhos e olha ao redor, antes de finalmente olhar diretamente para a câmera.

⭐⭐⭐⭐⭐

O documentário A Girl Like Her em a capacidade de reciclar o tema Bulling e suicidio de uma forma que o conteúdo não se torna enfadonho ou moralista, podemos verificar os diferentes "tipos de valentões" desde os alunos que veêm as cenas de intimidaçoes seguidos de agressão e os alunos que acham engraçado o modo que os valentões tratam os seus colegas não populares... 

A cada cena, o bullying é sentido na pele, como se a dores da personagem fossem de alguma forma as nossas proprias dores... Um filme que o coração fica apertadinho do começo ao fim.





ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

2 de maio de 2017

T de TAG: De blogueira para blogueira





Eu sou péssima em seguir rotina, e sou péssima em convencer-me disso... 

Eu tenho algumas TAGs salvas no rascunho do meu blog e fiquei pensando em uma maneira de responder essas TAGs de uma forma que não fique muito massante para os leitores do Lado Milla. 

Aproveitando o inicio do mês, criaremos então um novo "marca-dores" para esse genuíno Blog. Além do, #canção de segunda e o projeto semanal 52 semanas nas quintas - feiras ... Nas terças-feiras teremos o T de TAG que onsiste em colocar aqui, as tag´s na qual eu fui tagueada (ou não) todas as terças -feiras..



A Flavi do Memórias de uma Guerreira criou uma tag De blogueira para blogueira. Que são todas voltadas a blogosfera mas bem pessoais. Sem mais, vamos as perguntas: 

Regras: Fale quem criou e quem te indicou.
Indique até 6 blogueiras pra responder.


Por que resolveu a criar o blog? 

Escrever é uma atividade solitária... Eu gosto de escrever sobre os meus traumas, manias, defeitos e sonhos. Outras vezes escrevo sobre as musicas que eu estou ouvindo, resenho os livros que leio e ultimamente estou escrevendo as séries que vejo no Netflix. Ter um blog pessoal é uma oportunidade de escrever qualquer tipo de assunto que eu me dispuser a escrever no Blog. 

De onde se inspirou para ter este nome? 

Então, o blog se chamaria "Um lado meio Milla..." por ser um blog pessoal nada mais justo ter meu apelido de infância no nome do blog. Quando completei a 50° postagem vi que, estava dando certo e que vinha cumprindo o papel de blog pessoal com, textos pessoais no estilo "my dear diary..." 

Qual é o seu maior medo diante da blogosfera? 

A nossa língua portuguesa é linda mas pode ferir quando é mal interpretada... Ser mal interpretada, esse é um dos meus piores medos na blogosfera . Escrevi uma vez, sobre o termo "mais amor na blogosfera" e um grupo específico se ofendeu e acabou excluindo-me da "panelinha" que aquele grupo de divulgação se tornou. 

Já passou por algum momento ruim com blog? Se sim, o que fez para contornar a situação? 

Não foi com o blog mas refletiu nele. Ano passado, a vida off-line andou um tanto bagunçada obrigando-me a colocar o blog em "Hiatus" por três meses. Contornando com o BEDA no mês de agosto. 

O que te faz manter com o blog mesmo diante de tantos problemas da blogosfera? 

Escrever é uma atividade solitária... O que me faz manter um blog nos dias atuais é somente a vontade de escrever e fotografar. É um grito no escuro... que devezenquando tocam alguém na blogosfera. 

Qual é seu maior sonho em relação ao blog? 

Quero ser reconhecida por algo que escrevi...

Caso tenha um sonho com o blog, o que tem feito para conseguir alcançar ele? 

A única coisa que faço no momento é divulgar. Estou escrevendo e fotografando também...

Você acredita que seu blog pode servir de inspiração para outras pessoas? Por que?
  
Acho que sim... Escrever é a melhor forma de desabafar e colocar para fora tudo que incomoda quando fica trancado dentro da gente.

Você já conseguiu alguma parceria para o blog? Se sim, como e com quem foi? 

Não.

Caso não tenha conseguido nenhuma parceria, com que tipo de empresa você gostaria de trabalhar?

Eu gostaria de trabalhar com editoras de livros. Pos escrevo resenhas dos livros que eu estou frequentemente lendo.

O que pretende fazer quando chegar aos $100,00 dólares do Google Adsense? 

Não sei. 

Você já investiu financeiramente em algo para o blog? Se sim, qual o valor do investimento e em que foi aplicado? 

Sim. Tenho uma Maquina Fotográfica que uso para registrar as fotografias das postagens.

Não fui tagueada. Porém, quem  quiser responder me avisem para que eu possa conferir as suas respostas.





Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

1 de maio de 2017

#Canção de segunda : Músicas de Trabalho


O Dia do Trabalhador ou Dia Internacional dos Trabalhadores é celebrado anualmente no dia 1º de maio em numerosos países do mundo, sendo feriado no Brasil, em Portugal, Angola, Moçambique e outros países. No calendário litúrgico celebra-se a memória de São José Operário por tratar-se do santo padroeiro dos trabalhadores.

O #cançãodesegunda dessa semana, é um TOP7 de musicas que falam sobre Trabalho:


1-Construção – Chico Buarque

"... Amou daquela vez como se fosse o último/ Beijou sua mulher como se fosse a única/E cada filho seu como se fosse o pródigo/ E atravessou a rua com seu passo bêbado/ Subiu a construção como se fosse sólido/ Ergueu no patamar quatro paredes mágicas/Tijolo com tijolo num desenho lógico/ Seus olhos embotados de cimento e tráfego..." 

2- Eu Despedi O Patrão – Zeca baleiro

Eu despedi o meu patrão/ Desde o meu primeiro emprego/ 
Trabalho eu não quero não /Eu pago pelo meu sossego...

3- Fábrica – Legião Urbana

 (,,,) Quero trabalhar em paz/
Não é muito o que lhe peço/ 
Eu quero um trabalho honesto/
Em vez de escravidão 
 (,,,)

4-Um Trem Para As Estrelas- Cazuza

 (,,,) São 7 horas da manhã/
Vejo Cristo da janela/ 
O sol já apagou sua luz
E o povo lá embaixo espera/
Nas filas dos pontos de ônibus/ 
Procurando aonde ir/ 
São todos seus cicerones/ 
Correm pra não desistir/ 
Dos seus salários de fome/ 
É a esperança que eles tem/ 
Neste filme como extras/ 
Todos querem se dar bem (,,,)



5-  Caminhoneiro – Roberto Carlos


Todo dia quando eu pego a estrada/ Quase sempre é madrugada
E o meu amor aumenta mais
Porque eu penso nela no caminho/ Imagino seu carinho
E todo o bem que ela me faz (...)

6- Admirável Gado Novo – Zé Ramalho

Vocês que fazem parte dessa massa/
Que passa nos projetos do futuro/ 
É duro tanto ter que caminhar/ 
E dar muito mais do que receber
E ter que demonstrar sua coragem/
À margem do que possa parecer/ 
E ver que toda essa engrenagem/ 
Já sente a ferrugem lhe comer
Ê, ô, ô, vida de gado/
Povo marcado, ê! 
Povo feliz!

7- O Rancho da Goiabada- Elis Regina
Os bóias-frias quando tomam umas birita/
Espantando a tristeza/ 
Sonham com bife-a-cavalo, batata-frita/ 
E a sobremesa/ 
É goiabada-cascão com muito queijo/ 
Depois café, cigarro e um beijo/ 
De uma mulata chamada Leonor ou Dagmar (...)





Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):
© Lado Milla
Maira Gall