30 de abril de 2018

A Bruxinha de Biscuit.




Quando eu era pequenininha do tamanho de um botão minha mãe sempre me contava uma história para dormir. A minha história preferida era: 

A BRUXINHA DE BISCUIT 



    Era uma vez, uma bruxinha que era feita de biscuit... Sua mãe lhe contava que ela foi feita assim por uma grande bruxa (boa) no dia mais feliz da sua vida. 

    A Bruxinha era tão pequenina que cabia na palma da mão: O corpo da bruxinha era de uma cor pálida; O formato do seu rosto era oval; os seus lábios eram finos e mantinham um sorriso que ia de orelha-a-orelha (caso a bruxinha ás tivessem) o sorriso cobria a metade do seu rosto; os seus cabelos eram perfeitamente encaracolados e pretos; os seus olhos negros eram miúdos e sorriam juntos com a sua boca no mesmo compasso. A pose da bruxinha, sentada abraçando as pernas tapavam o seu vestidinho da cor lilás que eram a mesma cor dos seus sapatos, e do seu chapéu de bruxa. 

    No dia em que a Bruxinha estava sendo "modelada" a temperatura da cidade estava maluca! Naquela semana, as 4 estações do ano deram o ar da graça: As folhas caíram das árvores e foi ficando um pouco frio... Assim com acontece no Outono. Foi ficando cada vez mais frio e as noites começaram a ficar mais longas que os dias... Assim com acontece no Inverno. No dia seguinte, o bairro estava todo florido. Com flores de todos os tipos e cores variadas... Assim como acontece na Primavera. E logo em seguida, a Bruxa sentiu um calor tão grande que parecia que o sol beijava a sua pele tão pálida quanto a sua Bruxinha de Biscuit. Assim com acontece no Verão. Fora as chuvas torrenciais que independente se estava fazendo calor/frio a chuva sempre caia...

    Em seus primeiros segundos de vida a Bruxinha de Biscuit era protegida por sua criadora (Mãe). Nos dias quentes, a Bruxinha era mantida na sombra ou em temperatura ambiente. Para que a ela não derretesse, literalmente. Nos dias frios, a mãe mantinha a Bruxinha aquecida para que o seu corpinho não sofresse rachaduras... E assim foi, durante os primeiros 18 anos de vida da Bruxinha. 

    No 19° aniversário da Bruxinha de Biscuit a comemoração seria em um luau. No dia anterior, a MAJU do Jornal Nacional disse que seria uma noite bastante fria... A mãe da Bruxinha fez ela prometer que se manteria aquecida. Mas, naquela noite a sua mãe não poderia continuar protegendo a Bonequinha de Biscuit como tinha feito nesses últimos anos... 

    A Bruxinha de biscuit avistou o menino mais bonito daquele Luau, o menino era de carne e osso estava próximo a uma fogueira as chamas era de uma luz viva sem igual... Ele tocava no violão os versos daquela canção, "[...] Garotos não resistem aos seus mistérios/ Garotos nunca dizem não/Garotos, como eu, sempre tão espertos/Perto de uma mulher, são só garotos.". 

    Quando os olhares do menino e da Bruxinha entrelaçaram--se a Bruxinha sentiu um quentinho no coração as suas mãos começaram a suar tanto que, os seus dedos começaram a derreter e mesmo sorrindo os olhos da Bruxinha começaram a cair algumas lágrimas... Sabendo o que aconteceria caso ela não fosse imediatamente para a casa, a Bruxinha saiu correndo do Luau sem dizer um simples "Oi" para o menino de carne e osso que foi o seu "amor a primeira vista". 

    Quando chegou em casa os seus dedos das mãos tinham derretido e por isso as suas mãos ficaram achatadinhas como um par de luvas... Os seus olhos negros, estavam um pouco ofuscados por causa das lágrimas que rolaram durante o trajeto. A Bruxinha de Biscuit manteve o grande sorriso em seus lábios mesmo com medo do "quentinho do coração" que o amor lhe proporcionou aquela noite.

    [...]


    _ Não tenha medo do amor minha menina... Você não é uma Bruxinha de Biscuit.





    Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 


    29 de abril de 2018

    Canção de segunda: "Al lado del camino"


    O #CançãodeSegunda dessa semana vai sair um pouco diferente. A musica "Al lado del camino"  do cantor Fito Paez que me marca e  na qual me vejo refletida do começo ao fim desde a primeira vez que eu ouvi na novela Argentina Casi Angeles em 2010 . A cada trecho da musica eu escrevo as minhas impressões pessoais sobre essa canção.



    "Eu gosto de estar do lado da estrada, fumando a fumaça enquanto tudo acontece , eu gosto de abrir meus olhos e estar vivo, tenho que lidar com a ressaca. Então, a navegação se torna precisa, em navios que colidem com o nada. Vivendo atormentado com significado, penso que esta, sim, é a parte mais pesada ".


    Me gusta estar a un lado del camino/ Fumando el humo mientras todo pasa/ Me gusta abrir los ojos y estar vivo/ Tener que vérmelas con la resaca/ Entonces navegar se hacer preciso/ En barcos que se estrellen en la nada/ Vivir atormentado de sentido/ Creo que ésta, sí, es la parte mas pesada


    Eu acredito que cada pessoa tenha um mundo paralelo e que gosta de estar lá... No meu mundo paralelo, eu me revelo na medida em que as outras pessoas revelam-se ... Mas eu também gosto do mundo real de pessoas imperfeitas e caricatas e relacionamentos que parecem "barcos que se estrellen en la nada". Porém, é preciso navegar... eu gosto de abrir meus olhos e estar vivo, mesmo tendo que lidar com a ressaca.


    "Em tempos em que ninguém escuta a ninguém, em tempos em que todos contra todos, em tempos egoístas e mesquinhos, em tempos em que estamos sempre sozinhos. Será necessário declarar-se incompetente, em todos os assuntos de mercado. Um terá que declarar-se inocente ou, um deve ser abjeto e sem coração. Eu não pertenço mais a nenhum "istmo", me considero vivo e enterrado. Eu coloquei as músicas no seu Walkman, o tempo para mim, me colocou do outro lado. Vou ter que fazer o que é e não porque vou ter que fazer o bem e fazer o estrago. Não se esqueça que o perdão é o divino e às vezes errar é geralmente humano ".

    En tiempos donde nadie escucha a nadie, En tiempos donde todos contra todos, En tiempos egoístas y mezquinos. En tiempos donde siempre estamos solos, Habrá que declararse incompetente, En todas las materias de mercado, Habrá que declararse un inocente. O habrá que ser abyecto y desalmado,Yo ya no pertenezco a ningún istmo. Me considero vivo y enterrado. Yo puse las canciones en tu walkman. El tiempo a mi me puso en otro lado. Tendré que hacer lo que es y no debido. Tendré que hacer el bien y hacer el daño. No olvides que el perdón es lo divino. Y errar a veces suele ser humano.

    São tempos difíceis... Não somente para os sonhadores. Na maioria das vezes as pessoas sente-se sozinhas mesmo estando acompanhadas de pessoas egoístas e mesquinhas, que além de não te trazer companhia tiram um pouquinho da sanidade mental que ainda lhe resta. Nesse caso, Sorria e finja demência. Será necessário declarar-se incompetente, em todos os assuntos de mercado. É bom saber que dominamos aquele 10 na aula de Física ou naquela matéria mais F@#% da sua graduação. Mas, devemos mostrar desde cedo que a nota alta não nos define e a nota baixa não te faz pior que ninguém! é só uma nota... Um terá que declarar-se inocente ou, um deve ser abjeto e sem coração. Eu sei que mesmo sangrando o meu coração não vai parar de bater.


    "Não é bom ter inimigos, que não estão à altura do conflito. Eles acham que estão travando uma guerra e fazem xixi como meninos. Quem vagueia ministérios sinistros fazendo a paródia do artista. Que tudo o que brilha neste mundo só lhes dá caspa e lhes dá inveja. Eu era uma criança triste e encantada dos Beatles, cana Legui e maravilhas. Os livros, as músicas e os pianos. O cinema, as traições, os enigmas. Meu pai, a cerveja, as pílulas, os mistérios, o uísque. As pinturas a óleo, o amor, os cenários. A fome, o frio, o crime, o dinheiro e as minhas 10 tias fizeram de mim este homem enreverado ".

    No es bueno nunca hacerse de enemigos, Que no estén a la altura del conflicto, Que piensan que hacen una guerra, Y se hacen pis encima como chicos, Que rondan por siniestros ministerios, Haciendo la parodia del artista, Que todo lo que brilla en este mundo, Tan sólo les da caspa y les da envidia, Yo era un pibe triste y encantado, De Beatles, caña Legui y maravillas, Los libros, las canciones y los pianos, El cine, las traiciones, los enigmas, Mi padre, la cerveza, las pastillas los misterios el whisky malo. Los óleos, el amor, los escenarios, El hambre, el frío, el crimen, el dinero y mis 10 tías. Me hicieron este hombre enreverado

    Na minha infância, eu nunca fui uma "valentona" mas, de vez em quando eu ouvia vá brincar/brigar com alguém do seu tamanho! E esse foi um aprendizado que eu levei para vida o tamanho não era mais aquele contado em centímetros... Hoje em dia, o tamanho são medidos em nivel de bondade do outro que saiba respeitar a opinião alheia sem agredir quem tem a opinião diferente da sua. Sou extremamente feliz com a mulher em que me tornei. Acredito que os livros, as músicas, filmes e séries. Até as minhas crises de ansiedade foram importantes e não tiraria nada para mudar o meu trajeto até aqui.


    "Se você me encontrar na rua, me dê seu beijo e não se preocupe. Se você perceber que estou pensando em outra coisa, não é ruim, é uma brisa. A brisa da morte no amor, que gira como um anjo assassino. Mas não tenha medo, sempre acontece comigo. É apenas a intuição do meu destino ".

    Si alguna vez me cruzas por la calle, Regálame tu beso y no te aflijas, Si ves que estoy pensando en otra cosa, No es nada malo, es que pasó una brisa, La brisa de la muerte enamorada, Que ronda como un ángel asesino, Mas no te asustes siempre se me pasa, Es solo la intuición de mi destino

    Eu amo muito o meu "Mundinho Particular" e valorizo muito os meus momentos de solitude, aquele que me faz voar e andar pelo mundo inventar minha vida, meus planos, meus objetivos. Os meus momentos de "transe" eu coloco o fone de ouvido e escrevo sem parar... Nem sempre são textos publicáveis.


    "Eu gosto de estar do lado da estrada, fumando a fumaça enquanto tudo acontece. Eu gosto de voltar do esquecimento para lembrar em meus sonhos da minha casa. Do menino que jogou bola, 49585. Ninguém nos prometeu um jardim de rosas , falamos sobre o perigo de estar vivo. Eu não vim para entreter sua família enquanto o mundo desmorona. Eu gosto de estar do lado da estrada, gosto de me sentir ao meu lado. Eu gosto de estar ao lado da estrada para dormir todas as noites em meus braços ".
    Me gusta estar a un lado del camino, Fumando el humo mientras todo pasa, Me gusta regresarme del olvido, Para acordarme en sueños de mi casa. Del chico que jugaba a la pelota, Del 49585, Nadie nos prometió un jardín de rosas, Hablamos del peligro de estar vivo, No vine a divertir a tu familia, Mientras el mundo se cae a pedazos, Me gusta estar al lado del camino, Me gusta sentirte a mi lado, Me gusta estar al lado del camino. Dormirte cada noche entre mis brazos.
    Eu gosto de estar do lado da estrada, fumando a fumaça enquanto tudo acontece... Embora o passado seja um abitat aconchegante.  Gosto de lembrar a menina que fui a"guria de apartamento" que sempre foi café com leite na maiorias das brincadeiras de rua. Gosto de sentir a minha familia por perto e os amigos que conquistei nessa caminhada fumando a fumaça enquanto tudo acontece...




    Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

    25 de abril de 2018

    FOTOGRAFIA : IDES - Divino Bingo


    Semana passada, eu fotografei o  Divino Bingo. Um evento beneficiente do  IDES- Irmandade do Divino Espirito Santo.


    A IDES é uma organização católica, filantrópica, assistencial e sem fins lucrativos, sediada em Florianópolis e gerenciada por uma diretoria voluntária, escolhida em eleição e renovada a cada dois anos. O Provedor é o principal representante desta diretoria. Mantem-se com doações, contribuições financeiras, promoções, convênios, apoios de parceiros e aluguéis.


    Eu fiquei chocada com a beleza desse lustre.




    As "comidinhas" doces e salgados vinham nessas quentinhas.

    Voluntárias da IDES



    Coordenação do evento




    Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 



    © Lado Milla
    Maira Gall