31 de agosto de 2018

Blogday: Reflexão sobre a blogosfera atual...



Eu posso contar a minha vida antes e depois de ser blogueira. Em 2002, quando eu tinha 16 anos, entrei oficialmente pra blogosfera, quando criei o meu primeiro blog era hospedado gratuitamente em um site jornalístico. Escrevia as minhas mazelas de adolescente em uma narrativa de 3ou9 linhas e decorava com aqueles gifs piscantes... A hospedagem era bastante precária para ter muitas mudanças.

Naquela época, eu adorava conhecer blogs novos e pesquisar imagens piscantes e acessórios para colocar no meu blog... Porém, não suportou a maioria das minhas mudanças... E mudar era praticamente regra na blogosfera dos early 2000s. Aliás, a coisa toda era muito diferente naquela época. 

Quando tudo isso aqui era mato... Eu era uma leitora assídua do blog da Liliane Prata que era hospedado no site da Uol eu nem sabia que ela tinha seguido a carreira de escritora e chegou a ter uma coluna na revista Capricho. Eu fiz algumas tentativas de montar um blog nessa plataforma e criei um no zip.net que era a plataforma gratuita da UOL. Nessa época, o blog sofria mudanças drásticas praticamente TODA a semana. Começava a semana com o template da Hello Kitty e terminava a semana com o template do seriado Gilmore Girls que eu comecei a assistir alguns episódios naquele ano.

Nessa época, surgiu as primeiras amizades na blogosfera... 
A maioria dessas amizades tinham o blog hospedado no blogger/blogspot ou estavam migrando para essa plataforma. A plataforma gratuita da UOL estava bastante zoada nessa época... E acabei criando outro blog. Em 2008, depois de uma looonga conversa no Messenger com a minha amiga virtual na época, ela também era blogueira... Além de ser mais moderninho, A linha editorial daquele blog era escrever textos pessoais e colocar as minhas fotografias que eu tirava na minha maquina digital que era a coisa mais moderna daquela época. Sem nenhuma figura cheia de glitters ou templates muito elaborados como era comum na blogosfera.

Um lado meio Milla... que depois ficou somente Lado Milla veio para abrir um novo ciclo! Em 2014 eu escrevi sobre os acontecimentos da life e sobre a roda viva que carrega os nossos sonhos para lá... Nesses últimos quatro anos a faculdade deu uma guinada, os sonhos foram realizados em formato de estágios obrigatórios, teve estagio especifico que virou GETEP e transformou-se no meu TCC que foi um projeto de pesquisa sobre Problemas Psicológicos na Migração com os Haitianos na cidade de Florianópolis/SC. Escrevi bastante sobre os livros que estou lendo... As musicas que eu estou vindo e os shows que de vez em quando rendem um "diário de chalaça".
__________

Desde a época do Orkut... As redes sociais ajudam/atrapalham a Blogosfera desde então:

Em 2015, 1 ano depois de criar o Lado Milla. A blogosfera estava lá, agitadíssima e muito diferente daquela coisa deliciosa e pacata que ela era há alguns anos... Virou uma onda de comércio gigante, tinha mais blogueiro de publi e blog monetizado que qualquer outra coisa. Tinha um "grupo de divulgação" que pregava a blogosfera oldschool. Tem gente tipo eu, que só quer ler sobre o que o amigo comeu no almoço " Grupo de blogueiros vintages...". Essa diretoria, decidiu que mandavam na blogosfera. Essa blogosfera LEVE, que era pregada, deixava assim de ser leve, porque de repente tinha regras. E tinha donos.

 Depois de várias vibes erradas: EU inventei elementos cor de violeta no layout do blog e ninguém pode fazer igual” ou ainda “EU postei sobre cachorrinhos e na semana seguinte fulana postou também”. A diretoria  resolveu fechar o grupo: 


"_Vocês não merecem falar comigo nem com o meu anjo!".

Pipocaram outros "grupos de divulgação" no Facebook não tão famosinhos mas, com as mesmas Vibes erradas: Tinha uma blogueira que de cinco post´s que ela escrevia um era como ser criativa... "Como as pessoas tinham a audácia de roubar as SUAS idéias e as SUAS ilustrações...". Depois de me estressar bastante nesses grupos... Eu resolvi que agora eu participo de poucos grupos como esse. 
Depois da Blogosfera oldschool e seus resquicios a blogosfera atual... Anda mais calma, lebrando um pouco como era escrever antigamente na blogosfera dos early 2000s. 




ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também 

30 de agosto de 2018

Vamos fingir que isto não aconteceu.

Então...
Foi a primeira vez desde 2015 que eu não completei direitinho um BEDA. Não fiquei decepcionada, tive outras coisas para priorizar. Além, das coisas monótonas da vida adulta... No final de semana, teve Pós-Graduação em Arte-terapia e depois fui Para Balneário Camboriu, comemorar o aniversário de uma amiga e dar uma voltinha para conhecer a city (percebi que não sou mais jovem quando implorei mentalmente  para o rolê terminar as 5:00h da manhã) ao invés de largar tudo pra postar no blog. Em setembro, voltaremos com a programação normal, a ideia é organizar tudo direitinho pra ter pelo menos uns 3ou9 posts por semana. Também tô querendo dar uma modificada nas cores do layout... Veremos.


Estou escrevendo no Bullet Journal. Preciso atualizar aqui como ficou o mês de Agosto no meu Bujo. Enquanto isso, a minha rotina está sendo de muitos estudos, estou malhando 3x por semana e tenho ido ao culto toda Sexta-feira após o treino da  academia.

Amanhã tem Blogday! No Dia Internacional do Blog, a tradição diz que nessa data blogueiros do mundo todo devem indicar outros blogs, de preferência que saiam da sua zona de conforto... Estou planejando algumas coisinhas para comemorar esse dia.

27 de agosto de 2018

TAG: 12 coisas que me lembram que viver é bom.



Essa TAG estava aqui nos meus "arquivos" a um tempão... Que consiste em listar as 12 coisas que deixam os meus dias melhores. Nessa semana, eu precisava MUITO ler essa lista e deixar de me sentir tão reclamona ...


1. Dias ensolarados...


Na infância, bastava sol lá fora e o resto se resolvia... Hoje os meus dias ficam melhores quando eles estão ensolarados. as minhas melhores lembranças infância, adolescêncencia e adulto começam com dias ensolarados e aquele céu azul.

2. El lado del camino

Dificilmente eu prestava atenção nas musicas nas novelas argentinas/mexicanas que tocavam nas novelas vespertinas... Até que zapeando os canais da TV aberta encontrei a novela Casi Ángeles onde os personagens estavam cantando essa música no estilo clipe musical. Estava me arrumando para ir a academia, fui obrigada a colocar essa musica do Fito Paez a tocar incansavelmente no celular e invadiu uma paz na alma que naquele momento foi incrível! E desde então, é a musica da minha vida.

3. Café 


Eu acordo as 8h:00 da manhã, antes mesmo de ir ao banheiro para lavar o meu rosto. Coloco a chaleira d'água para ferver... Para preparar o café. A frase que mais me define é "Nada antes do café..." . Preciso tomar café pelo menos 3x ao dia para ficar bem durante todo o dia.

4. Começar um livro novo


Amo ritual de início de leitura. Aquele momento de sentar na cama com o livro, olhar pra capa, analisar os detalhezinhos, fazer carinho, abrir, fechar de novo, abrir novamente, cheirar, fechar de novo, fazer carinho na primeira página e só então começar a entrar na história. Nossa, como eu amo começar um livro novo.

5. Fotografar


AMO FOTOGRAFAR!  Pode falar oque quiser sobre os registros dos dias atuais, mas a fotografia é a invenção do século! a tecnologia tirou o glamour que poucos tinham acesso... uma fotografia da família ou o famoso Álbum do bebe era raro antigamente... e bonito que tem hoje em dia um registro daquela época... mas as crianças dessa geração tem váaaarios arquivos no PC  sem dar a devida importância e a valorização  de guardar em papel ou um álbum concreto de fotografias.

6. Crianças


Tem um trecho do 14 bis que diz que "...Toda vez que a bruxa me assombra o menino me dá a mão..." apesar de não ter muitas "bruxas" no semestre passado, essas criaturinhas cuidaram da Adulta aqui (cof, cof) com carinho (SQN). Estar perto dessas crianças renovavam a energia para a semana inteira!

07. Ir a shows de bandas que eu curto



A 1° vez que assisto um show eu tenho a sensação que eu nunca mais terei chance de ver aquele show outra vez.... É angustiante! Foi assim no show da banda Acústicos e Valvulados em 2008 e no mês seguinte teve um poquet e desde então já coleciono vinte e poucos shows na bagagem e esse carinho com os "amigos de estrada..." me lembram que viver é bom.

o8. Fernadão, o pinsher 


Além dos meus cachorros de estimação um Lhasa Apso macho de 10 anos Teddy  e uma cadela da raça pincher com 8 anos chamada Mallu  eu ganhei o Fernandão um Pinsher de 5 meses que o tamanho é uma palma da mão aberta...Ele apronta muito! para um serzinho tão pequen,  praticamente todo o dia ele apronta: Teve um dia que ele subiu na mesa e comeu o pão que a mãe tinha preparado para o meu café da manhã.... Na semana passada, ele comeu um pote de musse de frutas... Na semana retrasada, ele fez um buraco no terreno da casa da minha vó e encontrou o cano da agua calmaria para que né?

09. Ter Fé.


Ando muito reclamona ultimamente... Nesses momentos preciso lembrar daquela fé genuina que tinha quando eu participava do grupo de Jovens... Em geral, o Tau pendurado no pescoço por um cordão com três nós. Esse cordão significa o elo que une a forma de nossa vida. O fio condutor do Evangelho. A síntese da Boa Nova são os três conselhos evangélicos=obediência, pobreza, pureza de coração. Obediência significa acolhida para escutar o valor maior. Quem abre os sentidos para perceber o maior e o melhor não tem medo de obedecer e mostra lealdade a um grande projeto. Pobreza não é categoria econômica de quem não tem, mas é valor de quem sabe colocar tudo em comum. Ser pobre, no sentido bíblico-franciscano, é a coragem da partilha. Ser puro de coração é ser transparente, casto, verdadeiro. É revelar o melhor de si.

10. Sandálias Melissa

Desde quando eu era muito pequenininha os meus pés são muito feios. E isso dificultava em usar sandálias como as outras meninas... Os sapatos fechados escondiam os meus pés e deixavam os looks mais verão um tanto grosseiros. Quando lançaram as primeiras Melissas lá nos anos 90 eu lembro que eu tive uma coleção...  E dai  que suava os pés e eles ficavam podres no fim do dia? E no frio? eu usava meias coloridas ou meias de uma cor mais neutra.... Ano passado, comprei um par de sandálias Melissa da cor preta. Desde então, vivo momentos com as minha sandálias "que me lembram que viver é bom".

11. Sorvete


Sou a pessoa que diz "Vamos tomar um sorvete?" Tanto no verão quanto no inverno... Na infâcia, a mãe me dava dinheiro contadinho para ir/voltar da natação, que ficava a uma quadra da minha casa... Eu gastava o dinheiro da volta para tomar sorvete na venda ... kkkkkk

12. Familia


Os meus pais são os melhores do mundo! Que clichê... Né? Mas eles me lembram que viver é bom ... Apesar de as vezes eles me pentelharem muito fazendo perfeitamente o papel de pais.







ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também 

© Lado Milla
Maira Gall