18 de março de 2020

Coronavirus: Como questionar a angustia que provoca?


Vale a pena revisar quais habilidades nos ajudaram a superar outras situações adversas no passado

É normal sentir-se triste, estressado, confuso, assustado ou irritado com uma situação de emergência. Portanto, é muito lógico e até saudável que muitas pessoas sintam medo em algum momento devido à expansão do surto de Covid-19, que nos confronta com uma situação desconhecida e ameaçadora. Outra coisa é que esse medo está instalado no estado de espírito, nos aflige e acaba se tornando um fenômeno que interfere na nossa capacidade de gerenciar a situação de maneira eficaz ou, pior ainda, que ele se espalha e se espalha para supor um problema adicional. na situação de saúde já complexa.
Portanto, tanto da Organização Mundial da Saúde (OMS) quanto de diferentes escolas oficiais de Psicologia, entre as quais a da Cantábria, são feitas recomendações para o gerenciamento psicológico do alerta de coronavírus, tanto no caso de adultos quanto de adultos. de crianças

1. Fique bem informado

A primeira recomendação dos psicólogos é estar bem informado, pois grande parte das mensagens e informações compartilhadas não são contrastadas. Portanto, deve-se resolver suas dúvidas sobre o coronavírus por canais oficiais ou contrastados: uma boa opção pode ser o portal que ativou o coronavírus ou o site do Ministério da Saúde, que oferece informações atualizadas.


2. NÃO infoxique

Ou seja, não caia nas informações excedentes. Manter-se conectado e ciente das informações sobre o coronavírus o dia inteiro "não o deixará mais informado nem lhe dará mais proteção contra o vírus e, em vez disso, aumentará a sensação de risco desnecessariamente", explicam os psicólogos. Um exemplo claro é o chamado para não beijar ou abraçar, restrições que os especialistas consideram injustificadas.
Os especialistas enfatizam que o fato de haver uma grande cobertura de notícias sobre esse tópico não significa necessariamente que isso é uma ameaça para nós e nossa família.
E, de acordo com a prevenção da infoxicação, vale a pena colocar em quarentena as informações que circulam através de watsaps e redes sociais e contrastá-las antes de tomar qualquer decisão relacionada a ele ou compartilhá-lo.

3. Informe bem os outros

É essencial não falar sobre isso permanentemente e evitar espalhar boatos ou informações falsas. Para isso, é melhor compartilhar informações realmente relevantes.
As crianças também devem estar bem informadas. É essencial estar atento às suas dúvidas e preocupações e responder às suas perguntas como aparecem, com explicações claras, sem mentir para elas, mas sem sobrecarregá-las com muita informação.

4. Confie na ciência
É importante seguir as recomendações e medidas preventivas determinadas pelas autoridades de saúde para se proteger de um possível contágio. Mas apenas aqueles. Tomar mais precauções do que os médicos consideram justificados por evidências científicas não nos dará maior proteção contra o vírus e, em vez disso, alimenta o medo e a angústia, "tanto em nós mesmos quanto nas pessoas ao nosso redor", alertam os psicólogos. Portanto, é aconselhável, tanto para adultos como especialmente para crianças, manter rotinas e agendas diárias o máximo possível."O medo é controlado muito melhor por nossos comportamentos saudáveis ​​do que por raciocínio auto-induzido ou precauções desnecessárias", dizem os especialistas.


5. Cuide-se

Se você tiver febre, tosse e falta de ar ou dúvida sobre a possibilidade de ter sido infectado, é importante entrar em contato com as autoridades de saúde e seguir as instruções para atendimento médico. Mas cuidar de si mesmo não significa superproteger-se e fazer consultas médicas supérfluas com os serviços de saúde, que já estão em colapso. Por outro lado, como em qualquer outra doença infecciosa, uma boa maneira de se proteger é adotar hábitos de estilo de vida extremamente saudáveis ​​para manter o sistema imunológico e a saúde geral o melhor possível. Manter esses hábitos é especialmente importante se for preciso ficar em casa por ter tido contato com alguém infectado. "Se você deve permanecer isolado em casa, deve cuidar da dieta e das horas de sono,

6. Aceite seus sentimentos
A psicologia explica que o medo é uma resposta adaptativa que nos ajuda a ficar alerta e tomar as medidas necessárias para minimizar os riscos, evitando o perigo ou procurando maneiras de lidar com ele. Então, eles pedem para não rejeitá-lo ou cobri-lo. “Reconheça seus sentimentos e aceite-os; e, se necessário, compartilhe-as com as pessoas mais próximas a você ".

7. Use humor

Outra das recomendações dos psicólogos contra o surto de coronavírus é usar um senso de humor. "O humor é uma emoção que o ajudará a manter o medo (que é outra emoção) distante", dizem eles. Nesse sentido, as redes sociais podem ser de grande ajuda. No Twitter, por exemplo, muitos memes, paródias e mensagens engraçadas circulam.


8. Experiência de strip
Juntamente com o humor, outra ferramenta útil para gerenciar as angústias e incertezas causadas pela expansão do surto de Covid-19 é a própria experiência. “Reveja as habilidades que você já aplicou no passado para enfrentar e gerenciar outras circunstâncias adversas que surgiram na sua vida; O uso dessas habilidades o ajudará a controlar suas emoções quando enfrentar esse desafio ”, indicam eles da OMS.


Fonte: Copcantabria
Assinado Javier Lastra Freige. Colegiada CA-00075Colégio Oficial de Psicologia da Cantábria em coordenação com outros POPs na Espanha

16 de março de 2020

Ensaio Fotográfico: Thamires Peters


O convite foi recebido por mim com surpresa para fotografar as roupas da loja Madame Formosa. A loja, veste todos os tamanhos,do 34 ao 60 e as roupas são modernas, sofisticadas e acima de tudo confortáveis! Localizada no centro de Florianópolis/SC.




A loja precisava de fotos para a nova coleção de roupas e entraram em contato comigo, pois conheciam o meu trabalho que inclusive foi indicação de uma das "marketeiras", A Emília que é muito querida! Fizemos as duas sessões (interna e externa) no mesmo dia.




A modelo é Thamires Peters. além de, linda e fotogênica ela foi uma profissional super paciente com as várias trocas de roupas e acessórios.










Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

7 de março de 2020

De outros carnavais com outras fantasias .... ♫


 .... Eu conheci uma guria que eu já conhecia
de outros carnavais com outras fantasias .... ♫

Quando se trata de Carnaval eu sempre fico "em cima do muro" ao dar a minha opinião. 
Eu Amo/Odeio carnaval: Amo; carnaval de rua, Festa em clube da cidade, assistir na TV o trio elétrico em Salvador. Porém, odeio; desfile em escola de samba e pelo fato da TV só passar esse tipo de programação...

As lembranças do Carnaval na minha infância, eram naqueles tradicionais matinês que os meus pais e os nossos vizinhos levavam os seus filhos com fantasias carnavalescas nos clubes famosos aqui de Floripa... Com essa nostalgia carnavalesca, a diretoria da Associação dos Moradores do meu bairro resolveu montar um Bloco chamado AMO VIM AQUI com direito a abadá e open food... Quando vi, eu estava dançando, e arriscando alguns passos daquelas dançinhas sincronizadas de antigamente. Estava aberta oficialmente o meu 1° dia de carnaval.


Depois de muitas dançinhas carnavalescas e comes/bebes... Essa jovem senhora, que vos escreve saiu do local as 3h00m da manhã com confetes e serpentinas grudadas pelo corpo e com os meus pés doloridos e com os sapatos na mão... Implorando por algumas horinhas de sono na minha caminha.

No dia anterior, aquele da Pizzaria o diálogo que surgiu foi mais ou menos esse:

Milla: Quando é o Bloco dos sujos?
Em todo primeiro sábado de Carnaval, homens vestidos de mulheres invadem o centro de Florianópolis no famoso Bloco dos Sujos. A Praça XV de Novembro costuma ser fechada para quem quer curtir o bloco. 
Nycollas: É amanhã... Eu vou! 
Milla: Eu vou continuar as comemorações do meu aniversário no Bloco dos Sujos então...

No dia seguinte, improvisei uma fantasia Britney Spears " Baby One More Time" e encontrei as outras Britney's no caminho...

Britney Spears, porque choras?
Nós ficamos próximos a Jivago. Apesar do lugar estar um vuco-vuco de pessoas foi o lugar mais tranqüilo sem brigas&confusão como é de costume em eventos carnavalescos... Estava aberto oficialmente o meu 2° dia de carnaval.


Nesses eventos carnavalescos, a quantidade de musicas aleatórias que ouvimos é a conseqüência do espaço por m² que nos encontramos... Por exemplo, eu estava ouvindo Pablo Vittar cantanto: Te dou parabéns quando para a bunda... Não é o meu tipo de musica preferido??? Não! Mas, não tem como ser critico musical em eventos carnavalescos... A única coisa que restava a essa jovem senhora que vos escreve, era dançar até perder o pouco de dignidade que me restava... Sim, eu dancei muito!

Apesar da muvuca, eu achei uma muretinha para descançar. O que foi maravilhoso! Pois, os meus pés estavam doloridos... Sai do bloco dos sujos mais cedo do que eu realmente eu gostaria. Porém,eu estava cansada demais para ficar de madrugada na rua...

O meu 3° dia de carnaval foi mais tranquilo... No estilo, uma banda tocando MPB na beira da praia... Bebendo uma caipirinha de limão.

Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
© Lado Milla
Maira Gall