11 de setembro de 2020

"Até a página 100...": Por Lugares Incríveis, Jennifer Niven


No inicio, desse humilde Blog... Quando eu criticava os outros blogueiros por escrever  resenhas literárias (Sim, eu vivo para pagar com a minha própria  lingua!). Eu encontrei uma TAG que se chamava "Até a página 100...".  


Quando eu comecei a ler Por Lugares Incríveis da autora Jennifer Niven.  Eu senti que precisava escrever algo mais que uma resenha literária ao terminar de ler esse livro com uma grande carga emocional no decorrer da leitura que é necessário respirar a cada final de capitulo.

Será que hoje é um bom dia para morrer?

Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, a garota se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e chamado de "aberração" por onde passa. Para piorar, é obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.


Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular.

Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: conhecer lugares incríveis do estado onde moram. Ao lado de Finch, Violet para de contar os dias e finalmente passa a vivê-los. O garoto, por sua vez, encontra alguém com quem pode ser ele mesmo, e torce para que consiga se manter desperto.

Então, estou lendo esse livro junto com alguns amigos e ontem eu  dei um gás na leitura que estava bastante atrasada... A narrativa, contém uma grande carga emocional. No decorrer da leitura, é necessário respirar a cada final de capitulo.

Algo que me deixou bastante fragilizada foram os diálogos que geralmente acontecem na vida real  _ Talvez  você devesse subir lá e tentar mais uma vez _ Eu fiquei ruim duas vezes, quando me falaram da existência desse diálogo e quando eu realmente li no contexto. A frase “Eu discordo do que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo” dito pela escritora inglesa Evelyn Beatrice Hall é a frase que simboliza o direito de livre expressão.  Porém, a sua "Liberdade de Expressão" acaba quando você fere com as suas palavras os sentimentos das outras pessoas! É problemático a falta de empatia com as dores que não são nossas: Apontar o dedo, fazer  piadinhas e comentários que incentivem a outra pessoa a cometer o suicídio.


Esse livro chegou em minhas mãos em uma dessas voltinhas despretensiosas na livraria em 2016... Primeiramente, a capa chamou a minha atenção com o jogo de montar do "Pequeno Engenheiro" estilo aquele dos anos 80-90. Não lembro de ler a sinopse na livraria. O ano de 2016, foi um ano com uma carga emocional intensa ao folhear os primeiros capítulos fui observando  que eu não estava em um momento bacana para ler esse livro então abandonei a leitura por um tempo. Hoje em dia, as coisas melhoraram...Graças a Deus! Tive medo dos possíveis "demônios" serem desenterrados durante a leitura. Porém, eu percebo que amadureci bastante de quatro anos para cá e a leitura esta fluindo bem.

Eu ainda não tenho uma opinião formada dos protagonistas Violet Markey  e Theodore Finch. A Violet Markey, está vivendo o luto da irmã mais velha que morreu em um acidente de carro que Violet estava e que sofreu apenas alguns arranhões. Além de todo o sofrimento do Theodore Finch durante a narrativa dos capítulos  sinto alguns tipos de transtornos mentais que não fica muito claro durante a leitura.

Finch?

Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.



10 de setembro de 2020

Resenha do livro: A bolsa amarela







Título: A bolsa amarela
Autor(a): Lygia Bojunga 
Editora: Cia das letras 
Número de páginas:140 
Classificação: ☕☕☕☕☕




Encontrei esse livro em uma banca onde vende-se Cd's, discos e livros usados com o preço razoávelmente bom... E resolvi comprar. Ao decorrer da leitura pude perceber que era um livro infanto-juvenil com uma narrativa facil para esse público. Porém, cheios de sacadas e grandes ensinamentos. Adorei a história da garotinha Raquel e acabei me identificando ao longo da história com todas as suas vontades e sonhos onde ela foi colocando todos em sua bolsa amarela, um acessório que ninguém da casa se interessou e por isso acabou em suas mãos.



 Esta obra trata-se de um romance de uma menina que entra em conflito consigo mesma e com a família ao reprimir três grandes vontades (que ela esconde numa bolsa amarela) - a vontade de ser gente grande, a de ter nascido menino e a de se tornar escritora. A partir dessa revelação - por si mesma uma contestação à estrutura familiar tradicional em cujo meio "criança não tem vontade" - essa menina sensível e imaginativa nos conta o seu dia-a-dia, juntando o mundo real da família ao mundo criado por sua imaginação fértil e povoado de amigos secretos e fantasias.Ao mesmo tempo que se sucedem episódios reais e fantásticos, uma aventura espiritual se processa e a menina segue rumo à sua afirmação como pessoa. 


A personagem principal, a pequena Raquel é de facil identificação aos leitores mais novos e aos leitores que ja cresceram... Na criança existe essa  vontade de ser gente grande pela extrutura familiar um tanto que tradicional em cujo meio "criança não tem vontade" e a liberdade que teria caso fosse menino.

.

Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.



9 de setembro de 2020

Semana 24: Casais preferidos: (filmes, seriados, livros)



Encontrei o projeto 52 semanas bem bacana na Blogosfera que consiste em citar 5 respostas para cada uma das 52 perguntas abaixo, fazendo assim, um Top 5 por semana. É o projeto mais longo que eu já participei... Mas, parece ser divertido !!! Pretendo responder ao projeto todas as Quartas-Feiras. 


Summer e Seth - OC-Um estranho no paraiso


Eu comecei a assistir OC - Um estranho no paraiso ano passado mas, ja tinha avisado por aqui que eu estava assistindo dgevagar... No dia 19 de maio de 2017 depois de fazer uma maratona das duas ultimas temporadas eu terminei de ver a série completa. Irei sentir saudades da Summer e Seth que é o meu casal favorito durante todas as temporadas chorei demais quando eles duvidaram da relação deles por serem muito jovens... As festividades do Natanukká... O capitão aveia e a Princesa Faisca... A série ficticia The Valley... e por ultimo a coelhinha panqueca.


Blair Waldorf e Chuck Bass - Gossip Girls

 

Ele e Blair ganharam o público e se tornaram o casal favorito da série ganhando o #Chair. Apesar do relação complicada com Blair, ele quase a pede em casamento. Entretanto, o relacionamento dos dois é cheio de idas e vindas por causa do lado sombrio de Chuck. Blair e Chuck não se completam, são imperfeitos e se encontram em seus defeitos. Em muitos momentos, são detestáveis, até você se ver torcendo pelos dois. A idéia do casal que começou do pó e por muito tempo assim permaneceu conseguiu me prender. O romance é o imã da série. Foi ainda melhor acompanhar o crescimento de ambos os personagens, conforme as temporadas iam se passando, e poder compará-los do primeiro ao último episódio.

Dan e Serena - Gossip Girl


O casal fofinho que o Dan faz com a Serena foi um dos primeiros motivos que me fez acompanhar a série Gossip Girl.

Barney e Robin - How Met Your Mother


O primeiro beijo de Barney e Robin me fez dar gritinhos no sofá aqui de casa, depois de assistirem o maravilhoso clipe de Robin Sparkles com James Van Der Beek (o eterno Dawson): Sandcastles in the Sand.

Lily e Marshall - How I Met Your Mother (Como Eu Conheci Sua Mãe) -


O que eu mais adoro no seriado é o casal Marshall e Lily. Eles tem muita química, é incrível de ver. Estou na 7° temporada e eles são lindos...


Quais são seus casais preferidos??? 
(filmes, seriados, livros)


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5

© Lado Milla
Maira Gall