18 de novembro de 2020

Semana 35: Minhas piores compras foram:



Encontrei o projeto 52 semanas bem bacana na Blogosfera que consiste em citar 5 respostas para cada uma das 52 perguntas abaixo, fazendo assim, um Top 5 por semana. É o projeto mais longo que eu já participei... Mas, parece ser divertido !!! Pretendo responder ao projeto todas as Quartas-Feiras. 

Que dificuldade...

Tem itens do desafio que é uma belezinha, nem preciso pensar muito, em compensação tem outros que não faço a menor ideia, como esse, por exemplo. Posso ser considerada uma pessoa que faz compras conscientes devezenquando eu tenho pequenos "Delirios de consumo...". Então, eu tentei lembrar de algumas coisas que eu poderia muito bem ter deixado de comprar. Vamos ver se consigo completar esse desafio da semana:

1. Dois ursos de pelucia gigantes;


Quantdo eu tinha 18 anos eu comecei a trabalhar em uma empresa de Telemarketing, eu ganhava na época menos de um salário minimo...  No primeiro salario eu bem tapada comprei uma rifa para ganhar dois ursões gigantes. Lembro que eu fiquei sem grana o mês inteiro!

2. Uma camisa de Pin up;


No curso de fotografia tinha uma garota vendendo umas camisetas super trançadas. Eu fiz a besteira de comprar uma camiseta baby-look amarela e essa acabou sendo uma camiseta cara, paguei 50 temers na época e acabei não usando muito...

3. Livros por RS 9,90 nas lojas Americanas;



Tive um momomento Delirios de consumo... no balaio de livros nas lojas Americanas. E realmente comprei livros maravilhosos por 9,90 nesse dia. Comprar livros nunca é "pior compra" mas, eu ainda não li esses livros e acabou empacando na lista dos livros ñ lidos.


4. Sapato de coruja;



Eu comprei esse sapato por impulso, a vendedora jurou que alargaria assim que eu começasse a usar... Resumo da ópera, acabei doando para a minha avó.

5. Acessórios para  fotografar;


Eu sempre gasto bastante com acessórios para montar cenários para fotografar os meus livros.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
 (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5






Semana 34: Livros que eu acho que todo mundo deveria ler:



Encontrei o projeto 52 semanas bem bacana na Blogosfera que consiste em citar 5 respostas para cada uma das 52 perguntas abaixo, fazendo assim, um Top 5 por semana. É o projeto mais longo que eu já participei... Mas, parece ser divertido !!! Pretendo responder ao projeto todas as Quartas-Feiras. 



Quando eu estava no 7° ano do fundamental tínhamos uma aula de literatura na biblioteca. Tínhamos que escolher um livro para lermos para fazer fichamento que valeria 25% da nota. As aulas de leitura na biblioteca eram as minhas preferidas e eu realmente gostava de ficar lendo. Às vezes, eu até me esquecia de prestar atenção nos papos animados das minhas amiguinhas na biblioteca... 


No projeto 52x5 dessa semana, eu irei escrever sobre as leituras que mais me marcaram nessa época:


Fonte:amanhaseradiferente
Eu li Balança Coração do Walcyr Carrasco quando eu estava no 7° ano do fundamental... Eu lembro que esse livro era disputadissimo entre as meninas da minha sala era a primeira vez que eu estava lendo um romance. A narrativa era sobre um romance entre Malu uma vegetariana radical e João um carnívoro convicto, ois jovens muito diferentes em sua forma de viver, mas iguais em seus sonhos e suas descobertas. é impossível não se apaixonar por esse casal tão diferentes.



O livro que mais me marcou veio em 1999 (um ano antes do que relatei acima...). O tal livro é Pretinha, eu? do autor Júlio Emílio Braz esse livro foi indicação de uma professora de português para a aula de leitura. Eu tinha 13 anos nessa época e tinha recém mudado de escola por motivos de saúde... Sofri Bullying todos os dias do ano que estudei no colégio T. Sofria todos os tipos de agressões; intencionais, verbais e psicológicas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas. No meu caso, por exemplo, a crueldade veio também por parte dos adultos professores da época “Ela parece à pretinha da história...” reforçando apelidos e motivos de chacota se eu já não tivesse motivos e não sofresse o suficiente.



Depois daquela viagem, Diário de bordo de uma jovem que aprendeu a viver com AIDS. No tom coloquial próprio dos jovens, Valéria Polizzi relata com bom humor e descontração as farras com a turma de amigos, a dúvida entre "ficar" ou namorar, o despertar da sexualidade, a angústia diante do vestibular e muitas coisas que atormentam qualquer adolescente. Tudo isso seria perfeitamente natural se não fosse por um pequeno detalhe que iria fazer uma enorme diferença: Valéria contraiu AIDS aos 16 anos.

A autora mostra como, de repente, por causa de quatro letrinhas, sua vida passou por uma reavaliação radical. Ela expõe, sem meias palavras, como a doença mexeu com sua cabeça e com os seus sentimentos, ficando claro a sua resolução de preservar sua condição de ser humano a qualquer custo.
pausaparanerdices


A Droga da Obediência é o primeiro livro da série de personagens os Karas. Tive acesso à este livro no ano 2000, quando estava na 6ª série do Ensino Fundamental. Eles são um incrível grupo de adolescentes que proporcionam toda a aventura desse ótimo livro criado pelo prestigiado Pedro Bandeira."O grupo, criado como uma brincadeira por Miguel - agora com seu mais novo integrante, Chumbinho - acaba se envolvendo em um perigoso enredo com a droga da obediência, uma droga maléfica que faz com que os adolescentes fiquem apáticos.



O livro Extraordinário foi lançado em 2013. Quando eu li esse livro ainda na  pré-estreia...  Um sentimento de gratidão invadiu a alma! É impossivel não se sensibilizar com a história de Auggie Pullman, um garoto que sofre da síndrome de Treacher Collins, que causa deformação facial.

Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
(principalmente no Snap!!):

13 de novembro de 2020

[ Micro-contos]


... Era uma criança um tanto quanto peculiar. Se identificava mais com as bruxas do que com as princesas nos contos de fadas que lia.

Camyli Alessandra da Silva
© Lado Milla
Maira Gall