25 de julho de 2021

"Querer privacidade e criar um Blog Pessoal..."


Quando eu comecei a escrever as primeiras linhas desse texto eu lembrei de uma frase que eu vi em um perfil na Blogosfera: "Querer privacidade e criar um Blog Pessoal...". É irônico, essa capacidade de transformar cada texto banal em algo tão pessoal. Mas, eu não sei escrever de outro forma... Talvez, seja uma maneira boba/antiquada/clichê de escrever... Será que vale a pena se expor na internet?


O Lado Milla foi criado pela necessidade urgente de escrever! A escrita funciona para mim como o poder da fala na psicanálise. Segundo Lacan, "a cura é uma demanda que faz parte da voz do sofredor, de alguém que sofre pelo seu próprio corpo ou por seu pensamento.". A Blogosfera despertou em mim essa maneira despretensiosa de escrever sobre as coisas que aconteciam na minha vida e percebi que tem coisas que só sai da gente por escrito... 

De uns tempos para cá, eu não consigo manter a escrita de uma forma Lifestyle, eu escrevo sobre as minhas ultimas leituras no meu blog literário Expresso Literário. Mas, quando eu começo escrever sobre a Life eu travo... 

expressoliterarios.blogspot.com

Será que eu fiquei com medo de escrever? A pandemia e o isolamento social travou o meu jeito de escrever aqui... Eu gosto de escrever enquanto a vida acontece. Mas, a Life deu uma parada brusca né? As coisas no mundo deram erradas em níveis faraônicos.

É frustrante pensar nisso as vezes...

Tenho medo de expor os meus sentimentos? Tenho medo de parecer bobinha escrevendo sobre os meus sentimentos enquanto o mundo está um caos. 




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

20 de julho de 2021

Sobre contar os verdadeiros amigos nos dedos...


Que a minha falta de confiança nos últimos tempos virou desconfiança já não é novidade para ninguém, mas agora o que esta rolando é uma “peneirada” de quem realmente eu posso confiar, separando “o joio do trigo”. Não irei magoar ninguém com as minhas “descobertas”, pois no final elas acabam se entregando nos pequenos detalhes, e acabam entregando o porquê que vieram.

Eu mesmo nunca contei com ninguém, confesso que como filha única, eu fui muito (mimada) protegida, mas nunca tive alguém para contar minhas mazelas do dia-a-dia (acho que criança NÃO tem grades problemas, pois é uma fase de descoberta) meus sentimentos não eram expostos desde aquela época, tinha segredos também como qualquer criança que eu nunca tive coragem de contar para ninguém nem para as melhores amiguinhas da época, morria de medo que elas usassem esses segredos contra mim, tipo uma ameaça sabe? O que geralmente aconteciam com as outras crianças.

Como já falei entre aspas, criança não tem grandes problemas para desabafar muito menos, grandes vivências de vida e suas mazelas se tornam uma proporção bem maior parecendo um problemão na visão dela, esperam do adulto apenas a simples resposta “vai ficar tudo bem” já que eles pensam que nós adultos somos o dono da situação (quem dera!).

Semana passada eu tive um papo meio que puxou esse assunto, sobre o desabafo do homem já adulto, esse sim tem uma vivencia uma histórico de vida e que em algum momento da sua vida ele se vê obrigado a desabafar com alguém… Então, meus caros amigos ai começam os dilemas desse papo:
  1.  Quem do seu ciclo de amizades se interessa de verdade pelo seu desabafo?
  2. Quando o seu amigo pergunta como você esta ele realmente se interessa por sua resposta?
  3. E você realmente se importa com a resposta quando pergunta para um desses que você considera seus amigos

Com essas respostas se torna muito mais fácil “peneirar” esses amigos e saber quem realmente vai se interessar pelo seu desabafo e você com certeza também vai se interessar por esses momentos desabafos desse seu amigo, mesmo sem poder ajudar concretamente você ira saber que é bom desabafar com quem você confia.

Arrumei uma “briga” enorme com mais de mil, por não poder confiar eu acabei desconfiando o que é bem pior, não preciso listar meus amigos muito menos jogar na cara quem é, e quem não é, pessoas que realmente são meus amigos nem sabem que eu os considero tanto assim... Não rotulo as pessoas em relação à amizade, mas exijo o mínimo que é consideração e respeito se as pessoas não conseguirem ter nem o mínimo de respeito nem por você nem por ninguém eu mando passear na mesma hora.

Essa crônica nasceu depois de uma conversa com um amigo pelo MSN em algum mês do ano de 2010 me encontrei tanto nesse texto quando eu rê-li semana passada que resolvi postar ele novamente.

Colaboração: Daniel

17 de julho de 2021

Blogagem coletiva: Aonde você estava em 2014...


No inicio, eu não tinha muita certeza se eu gostaria de
continuar escrevendo na internet... Muito menos, escrever em um Blog Pessoal. Mas, tinha uns projetos em pendência... Principalmente era uma Blogagem Coletiva do Rotaroots (idealizado pela Mulher Vitrola a mesma que sugeriu essa blogagem coletiva) O texto era, 14 coisas para ser em 2014 para listarmos 14 coisas para sermos naquele ano.

Fazendo una cronologia rápida dos fatos que aconteceram de 2014 no Brasil: Neste ano, Dilma Rousseff reelegeu-se para um segundo mandato,  ocorreu a realização da Copa do Mundo FiFA de 2014 e a triste frase. Não se faz copa do mundo com hospitais... E iniciava-se uma grande crise político-econômica no país.
Eu estava caminhando (em passos lentos…) para os ultimos semestres da graduação em Psicologia. No primeiro semestre, de 2014 dei continuidade ao ao estagio de psicologia educacional que foi uma experiência nova com alunos de 3º e 4º série com idade de 09 e 10 anos. No 2° semestre o estágio de psicologia foi na área de institucional com imigrantes e refugiados do Haiti. 


Entrou uma Copa do Mundo no meio do meu semestre! Irônicamente, no ano que eu precisava ser mais organizada. Não consegui assistir os jogos... Eu tive aula no período matutino apresentação de trabalho e entrega de relatórios... No período vespertino, aproveite a folga do serviço almocei em casa, arrumei algumas coisas e fui dormir e permaneci dormindo durante TODO o jogo.

Escrever é uma das minhas terapias... incluindo sair para fotografar. Preciso seguir alguns “rituais” para que a minha escrita consiga transmitir o que eu to sentindo. Complexo né? Aos poucos, fui perdendo o medo de escrever na internetês... e de ser mal interpretada. Ser (+)Blogueira e Manter a organização do Blog era uma meta muito importante para a minha permanência na internet. 



Outro itêm importante daquela lista era “Sair para fotografar” no ano anterior eu tinha feito um curso técnico de Fotografia e tínhamos aulas praticas (no estúdio) e saídas fotográficas que eu simplesmente adorava, pelo simples fato de ser na rua. Adoro fotografar natureza! Hoje em dia, carrego minha “pequena” para qualquer lugar. Mas, não saio exclusivamente para isso o que tem me deixado um tanto desanimada em levar a câmera para não ter tempo para fotografar.

Em 2014 teve eleições... Mas, eu acabei escrevendo sobre: Musicas, livros, Shows... Até dos #mimimi´s da vida. Afim de fugir dos assuntos do cotidiano pelo menos até o final daquelas eleições.





Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
© Lado Milla
Maira Gall