9 de outubro de 2021

Quando eu me tornei tão dependente de uma rede social?

Essa semana, eu comecei a fotografar os livros que fariam parte da minha TBR de Outubro... e escrevi um texto para o Instagram. Antes de ver um burburinho que as redes tinham caído... Lembrei do texto Porque você deve postar menos no Facebook – e mais no seu blog da Renata, do blog Mulher Vitrola escreveu em uma época que eu pouco atualizava o Facebook... Quando eu me tornei tão dependente de uma rede social?

Eu conheci o termo Criador de Conteúdo ano passado. Até coloquei Criador de Conteúdo Digital na categoria do meu Bookstagram. Mas, eu fui percebendo a pressão que é criar conteúdo para somente uma plataforma que não esta nem ai para o seu Conteúdo...

Eu escrevo na internet desde... Enfim, Só o Lado Milla tem 7 anos. Mas, Eu não me considero uma criadora de conteúdo. Quando eu comecei a escrever sobre músicas, fotografias e livros aqui no blog não tinha um nicho especifico e isso te dá uma liberdade... Sem pretensões de se tornar algo maior que isso. Eu escrevo na internet no meu tempo livre... Escrevo textos, tiro as minhas fotografias e crio cenários para fotografar e quando eu quero dar uma pausa na internet eu leio os meus livros.

Eu já fiquei frustrada com o Instagram por vários motivos... Eu gosto de escrever sobre as minhas leituras e geralmente os textos são extensos [mais de 1.200 caracteres]  e eu estava acostumada a consumir conteúdo mais extensos porém com menor freqüência e tudo mais.

Mas enfim, voltando ao assunto original, eu relutei bastante em entrar no Instagram [Eu já fiquei meses sem entrar no meu perfil pessoal...] e hoje em dia, pouco atualizo. Quando começou a pandemia eu pensei em criar o Bookstagram para colocar as minhas Fotografias & Quotes dos livros que eu estou lendo atualmente... Fiquei animada, e resumi em 1.200 caracteres as resenhas que estavam na página Leitura do meu blog pessoal.  

Quando eu falo de conteúdo eu não incluo número de likes e visualizações e seguidores. Pois, se não houver interação com os seus conteúdos de nada vale os números... Mais, se você não tiver um número significativo de seguidores a plataforma não entrega o seu conteúdo...


A foto em questão era essa:

Eu montei uma TBR de Halloween com os livros que eu irei ler em outubro na Spookytona que é uma Maratona Literária de Terror além dos conteúdos literários da [SEMANA TRICK OR TREAT?!?] no Blog Expresso Literário.



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

8 de outubro de 2021

LEITURA DO MÊS: AGOSTO E SETEMBRO/2021

Hoje decidi conversar com vocês sobre minhas leituras dos meses de Agosto/Setembro. Embora eu tenha entrado em algumas LC´s eu não terminei nenhuma leitura... Além, das Resenhas Literárias que escrevo depois de terminar cada leitura. Percebi a necessidade de escrever sobre as minhas Primeiras Impressões antes de terminar essas leituras e 5 motivos para ler.


  • O QUE EU LI ESTE MÊS

🔖 PRIMEIRAS IMPRESSÕES#04: ECOS, PAM MUÑOZ RYANNo inicio do mês, eu comecei a re-leitura do livro Ecos, Pam Muñoz Ryan. Eu fiz essa leitura em 2017 quando o livro recém tinha lançado e esse foi o meu primeiro contato com os livros da editora @DarkSideBooks



🔖5 MOTIVOS PARA LER: ECOS - EM HARMONIA COM OS IRMÃOS GRIMM - PAM MUÑOZ RYAN.⁣⁣⁣⁣ ECOS - EM HARMONIA COM OS IRMÃOS GRIMM é um livro de ficção escrito por Pam Muñoz Ryan, do selo DarkLove da Darkside Books. No livro, a autora nos conta três histórias que entrelaçam cada um à sua maneira, eles são afetados pela magia das três irmãs. A melodia das musicas clássicas estiveram no decorrer da história de cada personagem do inicio ao fim. Hoje traremos 5 motivos para você ler esta obra incrível.

🔖 05 MOTIVOS PARA LER: CORES VIVAS (ORANGE BOY): Cores Vivas é uma história poderosa sobre compreensão, amor e sobrevivência. A sensibilidade e o cuidado narrativo de Patrice Lawrence encontram casa na linha DarkLove, dedicada a revelar novas vozes femininas da literatura contemporânea. O coming of age urbano e repleto de camadas mostra que, às vezes, você pode fazer tudo certo, e mesmo assim as coisas dão errado. Mas respeito e compaixão são questões básicas para mantermos todas as nossas cores vivas. Trouxe alguns motivos, que me agradaram e me chamaram atenção, para convencê-los a ler o livro o quanto antes.


🔖RESENHA: CORES VIVAS (ORANGE BOY): Quando eu terminei a leitura do livro Cores Vivas (Orange boy) da escritora Patrice Lawrence eu percebi que "a empatia é um exercício constante..." e o quanto é necessário ter empatia também pelos personagens literários.... Eu escrevi no Primeiras Impressões que "eu iria segurar na mão do personagem principal Marlon independente dos seus erros durante toda a história... ". Mas, eu não consegui. 



🔖RESENHA: O PRÍNCIPE E A COSTUREIRA: No primeiro semestre, eu li o O Príncipe e a Costureira (The Prince and the Dressmaker) da da autora Jen Wang meu primeiro Graphic Novel da Darkside.


🔗No mês de outubro, está rolando a Semana Trick or Treat?!? tanto no Bookstagram quanto no Blog Literário. Confesso que, eu estava bastante em duvidas de como eu iria organizar a Semana Trick or Treat?!?. Em um blog com um nicho literário e  escrever textos temáticos é algo que dá um pouco mais de trabalho... Porém, organizei algumas resenhas e post´s temáticos cheios de doçuras e travessuras... Deêm biscoitos para mim lá no Expresso Literário também.

30 de setembro de 2021

TAG: CAFÉ LITERÁRIO

 Saudades de responder TAG´S por aqui... Procurando na Blogosfera & Bookstagram uma Tag Literária para responder la no meu Blog Literário encontrei a TAG: CAFÉ LITERÁRIO que foi criada pela Ingrid do Bookstagram @adoidadoslivros e quis trazer esse tipo de conteúdo para cá também.




☕ Café Expresso:
 Um livro curtinho - até 100 páginas


O Pequeno Cidadão nasceu em 2009, num CD gravado por Arnaldo Antunes, Edgard Scandurra, Taciana Barros e Antonio Pinto só com músicas para crianças. Inspirada pelas letras das músicas, Januária Alves criou A fantástica viagem do pequeno cidadão. O Pequeno Cidadão – um menino muito esperto, inteligente e curioso. Já nasceu com 7 anos e saiu direto de dentro de um CD cheio de músicas divertidas para as páginas deste livro que você vai ler. Acompanhado de seus amigos, o pássaro uirapuru Tangará, o sapo-boi Coach, a boneca Susi, entre outros, ele vai partir do seu Planeta X e viajar por muitos outros planetas, aprendendo que poder escolher o que queremos fazer na vida é o “grande X da questão”!

☕ Café Gelado: 
Um livro com um personagem muito frio. 



O Paul Inverness do livro Para Sempre Vou Te Amar tem um é um senhor aposentado e bastante carrancudo. Ele só quer a tranqüilidade que somente a privacidade de sua casa e o seu cachorro lhe proporciona.

☕ Café Com Leite: 
Um livro infanto-juvenil que você ama.


 Conheci o livro Coraline ano passado em uma LC e realmente amei. Coraline é uma leitura infanto-juvenil dos gêneros de: Fantasia, Horror e Ficção Científica com uma narração bastante adequada para esse público...

☕ Café Feito no Coador:
 Um livro clássico que você ama. 



Um livro clássico da literatura juvenil que amo demais é Alice no pais das maravilhas edição da Ed. Zarrar.


☕ Café Feito na Cafeteira: 
Um livro que você leu recentemente e adorou: 



O livro O Principe e a Costureira; A amizade do Sebastian e Frances e a busca da realização dos seus sonhos no decorrer da história. Deixa toda a narrativa do decorrer da história com aquele quentinho no coração... Essa é a minha experiência literária com Graphic Novel e é um tipo de leitura rápida.Embora, eu não quisesse terminar a leitura tão cedo.

☕ Café Forte: 
Um livro que mexeu com seu emocional de tão forte que era o tema.



A Guerra Que Salvou a Minha Vida da Kimberly Brubaker Bradley é um livro que realmente mecheu com o meu emocional tanto pela narrativa da história se passar na segunda guerra mudial quanto pela deficiência nos pés de Ada. Pois, tenho vergonha dos meus pés feios...

☕ Café Fraco: 
Um livro que te decepcionou.


Quando eu terminei a leitura do livro Cores Vivas (Orange boy) da escritora Patrice Lawrence eu percebi que "a empatia é um exercício constante..." e o quanto é necessário ter empatia também pelos personagens literários. Marlon um adolescente negro de 16 anos e um nerd com um repertório musical invejável...Mas, um garoto imaturo tanto por sua idade quanto na "bolha" de proteção que ele foi criado. Eu fiquei decepcionada pois, esperava um final aberto, como um suspense.

Café Com Adoçante: 
Um livro light para ler em dias tensos.




O livro Passarinha (Mockingbird) daa utora Kathryn Erskine. O livro é carregado de simbologias e metáforas que, apesar de belas e profundas, não são complicadas a ponto de não deixar o leitor sem entender o que a autora quis passar com aquilo. De fato, Kathryn Erskine precisa ser elogiada pela sua escrita, que é leve e bem humorada da mesma maneira que é complexa e emocionante. Além da história, Passarinha é um livro que dá gosto de ler pelo modo inteligente e tocante conforme foi escrito.

☕ Café Com Açúcar: 
Um livro com um casal clichê que aqueceu seu coração.



Eleanor do livro Eleanor&Park. Essa é a história de dois adolescentes que não se encaixam muito bem: Eleanor é ruiva, cabelos cacheados, com problemas familiares e roupas velhas que não caem bem nela. Park é metade coreano, metade americano, com seus próprios problemas em casa, apesar da familia quase perfeita. Mesmo "imperfeitos" se aproximam e vivem um típico romance adolescente. O assunto em comum entre os dois giram em torno de HQs e músicas... [Resenha]


☕ Capuccino: 
Um livro para ler em qualquer momento.



Em 2011 a livreira Lilian Dorea criou o blog [manual prático de bons modos em livrarias], para revelar histórias saborosas e hilárias de seus atendimentos em livrarias. O sucesso foi imediato e ela passou a receber relatos de outros livreiros. Agora, transformado em livro, ela reúne os melhores "causos" do blog, histórias inéditas, curiosidades, dicas de livros, blogs, sites e, claro, livrarias e sebos. Se você quiser evitar ser o novo protagonista de um post do [manual prático de bons modos em livrarias] é melhor ler este livro com toda atenção e aprender a "etiqueta" das livrarias.
© Lado Milla
Maira Gall